Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Crise brasileira preocupa empresários alemães

17 de setembro de 2015 1

 

Rafael Paulo, Secom, divulgação

Rafael Paulo, Secom, divulgação

Os desempenhos econômicos de Santa Catarina e do Brasil estão no radar de investidores alemães que vão participar do 33º Encontro Econômico Brasil-Alemanha de domingo a terça, em Joinville. Em visita prévia ao Estado ontem (16), o representante do Estado da Baviera no Brasil, Martin Langewellportt, disse que os empresários do seu país estão otimistas com o perfil da economia catarinense e a projeção de crescimento de 1,5% este ano, mas a crise política e econômica brasileira sem previsão de término preocupa muito. 

- Santa Catarina está na contramão, está crescendo. Mas o Brasil está em crise e o Encontro Econômico será no meio da crise. Para investir no país é preciso ter expectativa de crescimento. Sem isso, dá medo. Se o crescimento não volta, algumas empresas têm que fechar as portas – alertou o executivo durante reunião com o secretário de Assuntos Internacinais de SC, Carlos Adauto Virmond Viera, na qual tratou de uma visita de deputados bávaros a Florianópolis em novembro e de missão de SC para a Baviera ano que vem.

 Governo terá dificuldade para aprovar CPMF, diz Cunha
Planalto suspende concursos, adia reajustes a servidores e prepara nova CPMF

Martin Langewellpott afirmou que é grande a expectativa de empresários alemães se vai sair um acordo político no Brasil que viabilize solução para o problema fiscal a partir do próximo ano. A expectativa é de que a situação melhore um pouco a partir de 2017. Segundo ele, atuam no Brasil 1,4 mil empresas alemãs, das quais mais de 600 são da Baviera. Algumas têm até que pedir apoio da matriz para sobreviver. As que registram crescimento são ligadas à agricultura, medicina e energias renováveis. 
Na avaliação do representante da Baviera, SC registra crescimento porque tem uma economia mais parecida com a da Alemanha. Conta com players globais como a Tupy, Tigre, Docol e outros, e também muitas médias e pequenas empresas competitivas. 

- Essa estrutura catarinense ajuda a passar por crises, gera mais estabilidade e permite crescer na contramão do país -avaliou.

No final do encontro com executivos da área internacional do Estado, o secretário Carlos Adauto Virrmond (D) presenteou Langewwellportt com um livro sobre atrações turísticas de SC.

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Ivo diz: 17 de setembro de 2015

    Mas por que Lia, “vomitar tanto veneno”? Cuide-se para não morder a sua própria língua! Poderá morrer envenenada!

Envie seu Comentário