Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "fecomércio"

Corte no Sistema S pode fechar 20 mil matrículas e 1,6 mil empregos, prevê a Fecomércio SC

19 de setembro de 2015 10

Assustada com o plano do governo de Dilma Rousseff de tirar 30% da receita do Sistema S para cobrir despesa com a Previdência, a Fecomércio SC, federação que representa mais de 400 mil empresas de comércio, serviços e turismo no Estado, fez as contas e concluiu que, se a medida realmente for adotada, vai causar elevados prejuízos ao setor e ao Estado. As projeções mostram que será necessário fechar 20 mil matrículas de cursos, demitir 1,6 mil trabalhadores, suspender e reduzir uma série de serviços de saúde, educação e cultura. Os cortes no Senac podem chegar a R$ 24 milhões. Segundo o presidente da federação que representa o Senac e o Sesc, Bruno Breithaupt, os investimentos também terão que ser cortados.

Segunda-feira (21), os presidentes das federações do comércio de todo o país vão se reunir na sede da Confederação Nacional do Comércio (CNC), em Brasília, para debater a repercussão desse possível confisco. As entidades também estão se mobilizando para pedir apoio aos parlamentares que intercedam contra o plano do governo.

- A parcela do recurso destinada ao Sistema S jamais poderia sofrer com as inconsistências nas políticas fiscal e tributária de qualquer governo porque está garantida pela Constituição Federal. Esta intenção manifestada pelos ministros Joaquim Levy e Nelson Barbosa, além de não permitir a retomada da capacidade de investimento do país pelo poder público, prejudica a sociedade brasileira uma vez mais – comentou Breithaupt.

A propósito, o empresário alerta que cortes no Sistema S significa redução de serviços essenciais prestados aos comerciários e à população. Segundo ele, cortar recursos do Sistema S significa contingenciar o acesso à educação em vários níveis, cultura, práticas desportivas, ensino técnico e profissionalizante, trabalho que é realizado porque há graves deficiências por parte do setor público. Se o Sesc e Senac tiverem que cortar, terão que reduzir serviços na educação infantil, ensino médio, profissionalizante, superior, pós-graduação e inclusive programas como o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec) em todo país.

Indústria também em alerta
Além do comércio, o setor industrial está muito preocupado. Dependendo da área, o corte no Senai pode chegar a 50% caso o confisco seja realizado, informou uma fonte ligada à instituição em SC.

Erro estratégico
Caso avance nessa medida, o governo Dilma estará cometendo mais um erro estratégico. Cortará investimento no futuro do país – a educação técnica de qualidade reconhecida internacionalmente – para investir no passado, em aposentadorias que, pelo menos parcialmente, poderiam ser postergadas. O que se espera é que o governo tenha bom senso e desista dessa medida.

Leia as últimas notícias

Índice da Fecomércio mostra que catarinense quer voltar a consumir

25 de agosto de 2015 0
Foto: Salmo Duarte, BD,21/11/2011

Foto: Salmo Duarte, BD,21/11/2011

Os 102 pontos registrados no índice Fecomércio de Intenção de Consumo das Famílias (IFC) deste mês, acima do limite de 100 pontos, mostra que os catarinenses querem voltar a consumir mais. O que impede é a condição financeira. Por isso, o presidente da entidade, Bruno Breithaupt, recomenda aos lojistas inovação com mais prazo e opções de produtos. Mês passado, pela primeira vez, o IFC ficou em 99,8 pontos, abaixo de 100.

Mais empregos
Presidente da Fecomércio SC e diretor-secretário da Confederação Nacional do Comércio, Bruno Breithaupt foi um dos entrevistados da revista CNC Notícias. Informou que a expectativa para a contratação de trabalhadores para o final do ano continua positiva, apesar de ser menor que em anos anteriores. Segundo ele, SC é um dos poucos Estados que ainda estão abrindo vagas no setor.

Leia as últimas notícias

Desabafo da Fecomércio e outros destaques desta sexta-feira

07 de agosto de 2015 0

Por Julia Pitthan*

Liderança
O presidente-executivo do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer, é o convidado do Lide Santa Catarina no seu almoço-debate de hoje, das 12h às 14h30, no Hotel Majestic, no centro de Florianópolis. Ele falará sobre liderança como um dos pilares determinantes para a gestão de empresas na economia global. As vagas se esgotaram nesta quinta-feira.

Mais um desabafo
A Fecomércio SC também põe a boca no trombone para reclamar do aumento de energia no Estado. Em um contexto de retração das vendas – o pior resultado desde 2003 – e desaceleração da renda das famílias, o repasse fica comprometido, prejudicando os investimentos no setor e a saída do país deste cenário de queda no crescimento econômico.

Luto
SC perdeu ontem o ex-secretário da Fazenda Ivan Orestes Bonato, aos 78 anos. Natural de Joaçaba, foi vice-presidente da Perdigão, em Videira. Graduado em Agronomia e Economia pela UFPR, presidiu a Companhia de Desenvolvimento de SC, foi vice-presidente do Banco do Desenvolvimento de SC e integrou o conselho da Companhia de Processamento de Dados do Estado.

Movimentação
A produção catarinense de soja registrou um aumento de 16% em relação ao ano passado. Ao todo, os catarinenses colheram 1,9 milhão de toneladas do grão. A boa safra refletiu diretamente na exportação. No mês de julho, o Porto de São Francisco do Sul registrou uma alta de 24% na exportação de soja, se comparado ao mesmo período do ano passado. Só em julho, passaram pelo porto 761.260 toneladas do grão. A movimentação geral do Porto de São Francisco do Sul em julho aumentou 5%, se comparado ao ano passado.

Leia as últimas notícias

* A colunista Estela Benetti está em férias até dia 19 de agosto, neste período a jornalista Julia Pitthan assume como interina.

Presidente da Fecomércio participa de conferência da OIT

10 de junho de 2015 0

Presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, participa da 104ª Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT), órgão da ONU, que vai até sábado, em Genebra, na Suíça. Ontem, acompanhou o discurso do ministro do Trabalho do Brasil, Manoel Dias.

Leia as últimas notícias

Ação movida pela Fecomércio SC envolve somente as empresas Cielo e Redecard

09 de junho de 2015 0

A ação movida pela Fecomércio SC que questiona taxas e outros custos praticados por operadoras de cartões de crédito envolve somente as empresas Cielo e Redecard. Ontem, a coluna errou ao informar que a Santander/GetNet também estava incluída. A entidade iniciou reuniões para explicar aos empresários do comércio e serviços o teor da ação.

Leia as últimas notícias sobre a Fecomércio

Fecomércio e as cobranças dos cartões

08 de junho de 2015 0

Diante da continuidade das elevadas taxas cobradas pelas operadoras de cartões de crédito no Brasil, a Fecomércio SC, que representa os setores de comércio e serviços, inicia mobilização estadual para explicar a empresários do setor as razões pelas quais entrou na Justiça catarinense com ação contra cobranças abusivas. A primeira reunião será hoje, às 19h, na sede do Sindicomércio de São Miguel do Oeste. Encontros semelhantes serão realizados em outras cidades do Estado. A ação foi ajuizada no final do ano passado contra as empresas Cielo, cujos acionistas principais são o Bradesco e o Banco do Brasil; a Rede, controlada pelo Itaú Unibanco e outros sócios; e o Santander/GetNet, do banco Santander.

O varejo questiona a cobrança de mensalidades para uso de maquininhas que variam de R$ 40 a R$ 200, além da comissão para vendas que representa de 1,5% a 6% do valor da operação. A federação cobra o fim do pagamento de aluguel e manutenção das máquinas de cartões (POS). Um dos principais pontos da ação movida pelo escritório Bornhold Advogados é a suspensão do aluguel e das taxas das máquinas de cartões porque isso signfica venda casada. Outro obstáculo é a dificuldade em comprar a máquina, restando aos comerciantes apenas alugá-las. Segundo o advogado Rodrigo Bornholdt, a dificuldade para comprar a máquinas significa abuso de posição dominante das empresas. Há a opção de não comprar a maquininha, mas é quase impossível ao comerciante não aderir ao cartão porque 80% dos brasileiros usam cartões de crédito. O presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, fala da importância dessa discussão.

Segundo ele, com essa ação a Fecomércio cumpre um papel relevante para a sustentabilidade do setor ao colocar em pauta o questionamento das cobranças indevidas e excessivas dessas empresas, que impactam negativamente os resultados do comércio.

Leia as últimas notícias

Presidente da Fecomércio SC visita a Universidade de Columbia

15 de maio de 2015 0

Na visita que fez à Universidade de Columbia, EUA, com outras lideranças do Estado, o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt deu uma entrevista sobre o comércio catarinense ao BricLab, laboratório que estuda o Brasil e os outros BRICs. Breithaupt comentou a atual situação econômica.

Leia as últimas notícias sobre economia

Fecomércio lembra articulação política em favor de grandes temas

10 de maio de 2015 0

Nota da Fecomércio SC

A Fecomércio SC lamenta profundamente a perda de um dos maiores políticos catarinenses desde a redemocratização brasileira. Luiz Henrique da Silveira foi antes de tudo um conciliador que fez do diálogo político com a sociedade e os setores produtivos a sua marca de homem público. Na administração de Joinville e do governo do Estado, imprimiu em suas gestões a busca permanente pela eficácia, com modelos de descentralização política e administrativa, e o estímulo ao empreendedorismo do povo catarinense. Sua passagem pelo Ministério da Ciência e Tecnologia permitiu a inserção de Santa Catarina no mapa de investimentos e desenvolvimento da inovação tecnológica do país. No Poder Legislativo, como deputado estadual, federal e senador da República destacou-se como articulador de grandes temas como os Códigos Florestal e da Mineração e, recentemente, na renegociação da dívida dos estados.


No final do ano passado, no último encontro do Conselho de Representantes da Fecomércio SC, em Florianópolis, e no começo deste ano em Brasília, na primeira reunião da Renalegis – Rede Nacional de Assessorias Legislativas, da CNC – Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Luiz Henrique da Silveira proferiu a palestra “Brasil, encruzilhada e caminho”, na qual expôs o seu pensamento sobre a atual situação político-econômica do país e sustentou a revisão do pacto federativo e a reforma política como os caminhos para se superar o momento de crise ética e institucional que entrava o desenvolvimento da nação. Que suas palavras e sua obra sejam o seu legado.

Aos familiares, amigos e à classe política catarinense, os nossos mais sinceros pêsames.
 

Bruno Breithaupt
Presidente da Fecomércio SC

Fecomércio SC promove palestra sobre eficiência energética

05 de março de 2015 0

Com o propósito de discutir alternativas para a redução do custo de energia diante dos sucessivos aumentos das tarifas, a Fecomércio SC promove evento sobre eficiência energética quarta-feira, às 19h. O palestrante será o engenheiro eletrotécnico Gerson Sampaio, com ampla experiência na área no Brasil e exterior. O evento é destinado a empresários, gestores de manutenção e profissionais interessados em programas de eficiência energética e redução de custos. Sampaio é diretor da Teknergia, empresa que atua no setor de eficiência energética com obras e projetos no Brasil, Chile, Angola, Nigéria, Marrocos, Argélia, Colômbia, Peru, Moçambique e Panamá.

Fecomércio SC divulga dados da pesquisa de turismo no Carnaval 2015

04 de março de 2015 0

O gasto médio do turista com hospedagem durante o carnaval de Florianópolis ficou em cerca de R$ 700 e a ocupação hoteleira da cidade alcançou 82,5%. Os dados são da pesquisa de turismo Carnaval 2015 da Fecomércio SC, que será divulgada amanhã.

Segundo levantamento da entidade, o maior gasto médio nas cidades de São Francisco do Sul e Joaçaba também foi com o setor hoteleiro, somando R$ 640,42 e R$ 431,03, respectivamente. Em Laguna, outro destino dos foliões em SC, o turista gastou mais com alimentação, cerca de R$ 470.

Vendas menores
Os dias de folia não impulsionaram o comércio e os serviços, segundo apurou a Fecomércio SC. Frente a 2014 houve queda nesses setores, com destaque para -21,7% em São Francisco do Sul. Em Florianópolis, Laguna e Joaçaba os recuos ficaram em -1,5%, -3,7% e -5,2% respectivamente. Para a entidade, essas quedas resultam do momento econômico e das chuvas durante o Carnaval.

Fecomércio SC realiza fórum sobre combate à pirataria

02 de dezembro de 2014 0

Para combater a pirataria, a Fecomércio SC realiza amanhã um fórum estratégico sobre o tema. Em parceria com o escritório paulista Daniel Advogados, a entidade promove o evento que é aberto a interessados. O consumo de pirataria caiu 13,8 pontos em SC em 2011.

Fecomércio SC vai à Justiça contra empresas de cartões de crédito

12 de novembro de 2014 0

Numa iniciativa pioneira no país, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado, a Fecomércio SC, entrou com ação na Justiça catarinense contra empresas de cartões de crédito que atuam como monopólio e realizam cobranças abusivas. A entidade solicitou o fim do pagamento do aluguel e da manutenção das máquinas de cartões (POS) e redução das taxas de comissão ou de desconto. A medida é contra as empresas Redecard, Cielo e Santander/GetNet.
Segundo o presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, com essa ação a entidade cumpre um papel relevante para a sustentabilidade do setor que representa ao questionar cobranças indevidas e excessivas. Ele afirma que isso impacta negativamente nos resultados do setor.
O escritório que defende a Fecomércio é o Bornholdt Advogados de Joinville. Na avaliação do advogado Rodrigo Bornholdt, o pedido de suspensão do aluguel e das taxas das máquinas de cartão foi encaminhado porque venda casada é proibida. Hoje, o comerciante tem que alugar por valor mensal de R$ 40 a R$ 200. Além disso, o lojista é impedido de comprar a máquina. Quanto às taxas de comissão ou desconto, Bornhouldt comentou que há uma diferença injusta com as empresas menores. As taxas vão de 3% a 6% para o segmento enquanto empresas maiores pagam menos. E as lojas não podem evitar essa forma de pagamento porque 81% dos brasileiros usam cartões como forma de pagamento.
- Em países do Primeiro Mundo essas taxas são de 1% ou, no máximo, 1,5%. Aqui chegam a 6%. Estamos pedindo que sejam igual para todos pelo menor valor – disse o advogado.
Essas taxas e percentuais do valor da venda são pagas pelo consumidor. Para o diretor executivo da Fecomércio, Marcos Arzua, a redução desses custos abre oportunidade para preços menores e mais vendas do comércio.

Fecomércio lança shopping virtual

09 de novembro de 2014 0

O avanço das vendas online motivou a Federação do Comércio de Bens e Serviços (Fecomércio-SC) a investir em shopping virtual para que empresários do setor possam oferecer essa alternativa aos clientes. O pré-lançamento do projeto para a diretoria e conselheiros da entidade será nesta segunda-feira, às 10h. A Fecomércio vai oferecer o www.fecomercioshopping.com.br a comerciantes e prestadores de serviços, ou seja, empresas que têm negócios sob o guarda-chuva da entidade. O objetivo é que possam fazer divulgação e vendas pela web, com um e-commerce de forma segura, podendo vender 24 horas por dia, o que amplia a capacidade de competir.
A federação informa que empresários em dia com a contribuição sindical terão desconto na taxa de adesão e vantagens na criação de suas lojas virtuais. Durante este mês, a entidade fará apresentações da ferramenta em diversas cidades do Estado.
A iniciativa é semelhante a da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), que lançou este ano um portal nacional para lojas online do setor, o www.cdlshopping.com, que inclui todas as CDLs do Brasil.
De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, a estimativa é de que o setor alcance vendas de R$ 39 bilhões este ano, 25% mais do que no ano passado, de R$ 31,1 bilhões. Em 2013, os itens mais vendidos foram os de moda e vestuário, com cerca de 18% do total.

Fecomércio realiza painel com candidatos a governador

21 de setembro de 2014 1

A Fecomércio-SC realiza nesta segunda-feira, às 10h, na sua sede, um painel com os candidatos ao governo do Estado Claudio Vignatti, Paulo Bauer e Raimundo Colombo. Lideranças da entidade vão entregar a eles a Carta do Comércio, que foi elaborada com sugestões de lideranças de todo o Estado e traz os desafios do setor em educação, inovação, infraestrutura, legislação trabalhista e carga tributária.O evento será no auditório da entidade, no Centro de Florianópolis.

Segundo o presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, esse documento reforça o compromisso do setor e da entidade com o Estado.
- O nosso objetivo, como entidade representativa do sindicalismo patronal, é colaborar e construir a sustentabilidade e a longevidade das empresas catarinenses e proporcionar um ambiente propício de crescimento, agindo de forma participativa e decisiva junto a todos os órgãos da administração pública – afirmou.

A propósito, o comércio de SC também sofre com o pífio crescimento da economia brasileira. No mês de julho, as vendas do varejo restrito, que inclui a maioria dos setores menos veículos e materiais de construção, cresceram apenas 0,9% frente ao mesmo mês do ano passado, enquanto no Brasil a expansão alcançou 3,5%, conforme dados do IBGE. No varejo ampliado, que inclui carros e materiais de construção, as vendas cresceram 2,1% em SC, em julho frente a mesmo mês de 2013 enquanto no país houve queda de 0,6%.

Video mostra propostas da Fecomércio, que representa 400 mil empresas de SC

18 de agosto de 2014 0

A Federação das Empresas de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC), que representa 400 mil empresas que atuam com mais de 1 milhão de trabalhadores, empossou sábado à noite, no Costão do Santinho, sua nova diretoria para mandato de quatro anos, tendo à frente o empresário Bruno Breithaupt, de Jaraguá do Sul. No evento, que reuniu lideranças econômicas do Estado e de outras regiões do país, a entidade mostrou porque está se destacando nos serviços aos seus associados e à comunidade e como vai avançar ainda mais.

Confira no vídeo o evento e depoimentos sobre a atuação da entidade:

Saiba quem integra a nova diretoria da Fecomércio e as câmaras da entidade

16 de agosto de 2014 0

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio-SC) conta com diretoria integrada pela presidência e vice-presidências, mais 10 câmaras setoriais. Saiba quais são os empresários à frente de cada uma.

Fecomércio SC – gestão 2014-2018

Presidente: Bruno Breithaupt
Vice-presidente: Célio Spagnoli
Vice-presidente Financeiro e de Gestão: Atanázio dos Santos Netto
Vice-presidente de Habitação: Sergio Luiz dos Santos
Vice-presidente de Serviços: Orivaldo Besen
Vice-presidente de Varejo: Sandro Moretti
Vice-presidente de Atacado: Amarildo José da Silva
Vice-presidente de Supermercados: Adriano Manoel dos Santos
Vice-presidente de Comércio Farmacêutico: Romildo Letzner
Vice-presidente de Turismo e Região Sul: Fernando Willrich
Vice-presidente Grande Florianópolis: Marcelo Faria Brognoli
Vice-presidente Planalto Serrano: Roque Pelizzaro Júnior
Vice-presidente Região Oeste: Francisco Antônio Crestani
Vice-presidente Região Norte e Planalto Norte: Herton Scherer
Vice-presidente Vale do Itajaí: Egon Ewald
Representantes CNC Titulares: Bruno Breithaupt e Celio Spagnoli
Representantes CNC Suplentes: Francisco Antônio Crestani e Egon Ewald
Suplentes da Diretoria: Francisco Gomes de Oliveira, Rogério Isnar Patrício, Geraldo Censi, Frederico Hardt, Orival Henrique Seola, Ruy Nuernberg, Waldir Pedro Binotto e Walter Hoeller de Souza
Conselho Fiscal – Titulares: Célio Fiedler, Ivo Ewald e Lúcio José de Matos
Conselho Fiscal – Suplentes: Luiz Alfredo Werka, João Pedro da Silva Rosa e Vanderlei Rogério de Limas

Câmaras Empresariais da Fecomércio
Câmara Empresarial de Relações Trabalhistas e Assuntos Legais – Presidente Célio Spagnoli
Câmara Empresarial de Shopping Centers – Ivo Prim
Câmara Empresarial de Supermercados – Adriano Manoel dos Santos
Câmara Empresarial de Tecnologia e Inovação – Jamile Sabatini Marques
Câmara Empresarial de Turismo – João Eduardo Amaral Moritz
Câmara Empresarial do Comércio Atacadista – Telmo Sandro Poli
Câmara Empresarial do Comércio de Material de Construção – Jorge Rechia Guarezi
Câmara Empresarial do Comércio Exterior – Charles Machado
Câmara Empresarial do Mercado Imobiliário – Marcelo Brognoli

Fecomércio foca serviços, inovação e educação

16 de agosto de 2014 0
Foto: Marco Favero

Foto: Marco Favero

Entidade que representa 400 mil empresas e mais de 60% do PIB do Estado, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Sistema Fecomércio-sc), empossa neste sábado, no Costão do Santinho, sua nova diretoria para mandato de mais quatro anos. O empresário Bruno Breithaupt, reeleito presidente, adianta que focará soluções às empresas, inovação e educação. Integrante do Sistema “S”, a federação representa empresas que empregam mais de 1 milhão de trabalhadores no Estado e arrecadam 72% do total de ICMS. Entre as prioridades de Breithaupt estão maior aproximação com empresários e consolidação do trabalho de pesquisas ao setor.

Perfil

Bruno Breithaupt é de tradicional família do varejo da região de Jaraguá do Sul, é sócio da rede de lojas de materiais de construção Breithaupt, um shopping center e uma importadora de produtos elétricos. É presidente da Fecomércio desde março de 2009 e foi reeleito para um segundo mandato de quatro anos à frente entidade. É graduado em Administração de Empresas pela Universidade de Joinville e tem pós-graduação em Administração Financeira pelo Centro Universitário de Jaraguá do Sul. Também integra os conselhos das federações de SC (Cofem), do Sebrae-SC e da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul.

O que a diretoria da Fecomércio vai priorizar neste mandato que se inicia?

Bruno Breithaupt – O nosso grande objetivo é colocar a federação à disposição do empresário e trazer ele para dentro da entidade para que a gente possa, com mais rapidez, defender seus interesses. Um dos projetos que iniciamos e vamos ampliar é o observatório do comércio que estamos instalando onde temos vice-presidências. Trata-se de uma fonte de coleta de dados. Com eles identificamos obstáculos e sugerimos soluções, muitas vezes em forma de políticas públicas.

Quais os planos para incentivar inovação e tecnologia ao setor?

Breithaupt – Um projeto que admiramos e, através do Senac e da própria federação, podemos participar é o dos Centros de Inovação, do governo do Estado, liderado pela Secretaria de Desenvolvimento. Isso visa, sem dúvida, levar Santa Catarina a outro patamar. Qualquer empresa inovadora, inclusive do nosso setor, pode participar desses centros. Nós, do comércio, precisamos utilizar mais tecnologias, incluindo as redes sociais, para ampliar nossos negócios, melhorar a relação do lojista com o consumidor. O comércio eletrônico é uma realidade.

Por que a Fecomércio passou a priorizar pesquisas?

Breithaupt – No meu primeiro mandato tiramos a pesquisa do chão. Esse setor demanda conhecimento. Nesses quatro anos chegamos a um patamar muito bom de apuração, acerto, mas queremos mais. Fazemos quatro modalidades de pesquisa: perfil de consumo (comércio eletrônico, classe média, mercado imobiliário); sazonais (datas comemorativas); econômicas (hoje temos índices de endividamento e inadimplência junto com sindicatos de regionais); e turismo. As pesquisas requerem tecnologias especiais, tivemos que buscar know-how.
Nos moldamos, dependendo da necessidade podemos formatar a pesquisa necessária para determinado setor. Se não temos a expertise, vamos buscar onde há. A equipe de pesquisa foi constituída há cinco anos.

Como vocês promovem a maior aproximação com os empresários do setor?

Breithaupt – Com as 10 câmaras setoriais buscamos uma aproximação do empresário com a federação. Queremos identificar as necessidades, aquilo que incomoda as diversas categorias para tentar minimizar os problemas do dia a dia. Precisamos entender a relação nova das empresas com o consumidor. Temos que trazer os empresários aqui para resolver os problemas deles.

A educação ganhou força nas instituições da Fecomércio – Sesc e o Senac. Quais são os focos?

Breithaupt – A qualidade é prioridade. Com o Sesc, atuamos com educação infantil e ensino fundamental. O Senac oferece cursos técnicos, graduação e pós-gradação com ênfase nos setores que representamos. Também estamos expandindo cursos pelo Pronatec. Um país referência, para nós, é a Coréia do Sul. Há 60 anos ela estava devastada, investiu alto em educação fundamental por 20 anos e avançou. Acreditamos que só vamos mudar o país se investirmos em educação fundamental. Não que que o ensino médio e universitário não sejam importantes, mas a base tem que ser mais consistente. Todos devem ter um mínimo de educação fundamental. Os nosso investimentos do Sesc têm se voltado a essa área. Temos 18 escolas de educação infantil e 8 escolas de ensino fundamental. O Senac tem 27 unidades mais cinco carretas-escola. Entre os anos de 2010 a 2013, qualificou 179 mil profissionais para o mercado de trabalho. Vamos ter três novas escolas modelo de ensino fundamental no Estado em horário integral, uma em Joinville, uma em Jaraguá e outra em Itajaí.

Qual é o orçamento do Sistema Fecomércio para este ano?

Breithaupt – Cada casa (Fecomércio, Sesc e Senac) tem orçamento separado. Juntos, eles vão somar cerca de R$ 400 milhões este ano.

Com vê o mercado para o segundo semestre e para o ano?
Breithaupt
- Eu tenho que ser otimista. Usualmente, a nossa atividade se intensifica no segundo semestre e o ano político ajuda. Mas nossos índices de crescimento estão baixos. Eu gostaria de chegar no final do ano com resultado positivo. Acredito na criatividade do nosso empresário.

Fecomércio-SC lança Pesquisa do Mercado Imobiliário de Florianópolis

13 de agosto de 2014 0

A Fecomércio-SC lançou a Pesquisa do Mercado Imobiliário de Florianópolis. Para o presidente da câmara do setor na entidade, Marcelo Brognoli, ela oferece mais segurança para a realização de negócios. A íntegra:

Fecomércio projeta alta de 3% nas vendas de Natal

12 de novembro de 2013 0

A Federação do Comércio do Estado (Fecomércio-SC) estima que as vendas do Natal deste ano vão crescer 3% frente ao mesmo período do ano passado.Para a entidade, é um crescimento pequeno diante dos anos anteriores. No ano passado, a expansão alcançou 4,35% e em 2011, 3,89%.Entre as razões da menor demanda está a limitação da renda das famílias em função da inflação, que se mantém alta.

Fecomércio faz pesquisa sobre serviços públicos

13 de setembro de 2012 0

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC), que tem um departamento próprio de pesquisas, pela primeira vez avaliou os serviços púbicos em sete municípios do Estado. Os contemplados são Blumenau, Jaraguá do Sul, Lages, Florianópolis, Joinville, Criciúma e Chapecó. A intenção é embasar debates nesta fase eleitoral.

A primeira cidade a conhecer os resultados da Pesquisa Fecomércio Percepção dos Serviços Públicos será Blumenau, no Vale do Itajaí. O anúncio será hoje, a partir das 19h, durante reunião de vice-presidência da entidade junto à base sindical, parlamentares e, ainda, com participação dos candidatos a prefeito, no Sindilojas. Um dia depois é a vez de Jaraguá do Sul, no Norte do Estado, saber que nota, de 0 a 5, seus moradores atribuíram para serviços como Saúde, Educação, Segurança Pública, Preservação Ambiental, Água e Esgoto, Limpeza Urbana, Transporte, Cultura e Lazer, Estrutura Urbana e Habitação.

Esta avaliação é importante para orientar os administradores municipais. Isto porque há serviços de qualidade e outros com déficit ou problemas. Em boa parte das grandes cidades, por exemplo, parece que as equipes que trabalham na abertura de empresas são insuficientes. É um ponto fundamental para ser resolvido porque abertura de empresa significa crescimento da economia.