Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "pomerode"

Pomerode tem semana de atenção ao empreendedorismo

21 de agosto de 2015 0
Prefeitura de Pomerode, divulgação

Prefeitura de Pomerode, divulgação

Pomerode dedicou esta semana a ações de incentivo para os empreendedores individuais, numa iniciativa com apoio do Sebrae/SC. O trabalho contemplou também empresários de outros municipios da região. Foram realizadas as oficinas Sei planejar, Sei Empreender, Sei Comprar, Sei Administrar e Sei Unir Forças.

Entre as empresárias que participam da semana está Dorli Arlete Sausen que deixou do emprego há dois meses para abrir o negócio próprio. Ela acaba de inaugurar a Leve & Saudável, que fabrica produtos para veganos, intolerantes e alérgicos. Pesou na decisão o fato de ela ter decidido, há dois meses, não consumir mais produtos de origem animal. Segundo ela, a alimentação vegana melhorou a saúde, eliminou doença respiratória e ajudou na perda de peso. A Leve & Saudável produz massas, pães, biscoitos, e pratos prontos para padarias e confeitarias de Pomerode e Blumenau. Segundo a prefeitura de Pomerode, o município possui 600 microempreendedores individuais, dos quais 250 são mulheres.

Leia as últimas notícias

Alemã Netzsch inaugurou nova fábrica em Pomerode

20 de julho de 2015 1
Foto: Ricardo Silva, Divulgação

Foto: Ricardo Silva, Divulgação

Há 10 anos com fábrica em Pomerode, a alemã Netzsch Equipamentos de Moagem inaugurou sexta nova fábrica com investimento de R$ 20 milhões. O presidente do grupo Dietmar Bolkrart (D) e o diretor da área de moagem, Dimitrios Makrakis  (C) vieram da Alemanha e visitaram a unidade acompanhados do diretor local, Giuliano Albiero (E).

Leia as últimas notícias

Economia de Pomerode avança

13 de julho de 2015 1

Economia avança em Pomerode. Em 2013, tinha apenas 116 microempreendedores individuais . Hoje, são mais de 700. Dia 28, secretários de desenvolvimento de outros municípios visitarão a cidade para conhecer a estrutura que a equipe do prefeito Rolf Nicolodelli montou para esse atendimento e outras medidas, também lideradas pelo secretário Ivan Daniel Piske.

Leia as últimas notícias sobre Pomerode

Empresa de Pomerode inicia exportação para os Emirados Árabes

08 de novembro de 2014 1

A Nugali Chocolates, de Pomerode, iniciou exportações para os Emirados Árabes. Os primeiros embarques foram de avião. A decisão de compra, segundo a empresária Maitê Lang, foi baseada na qualidade e no exotismo.

Primeira usina de biogás de SC será inaugurada em Pomerode

04 de setembro de 2014 1

Com tecnologia alemã, será inaugurada segunda-feira, em Pomerode, a primeira usina de biogás de Santa Catarina. O investimento é das empresas Brasil Clean Energy, de Balneário Camboriú, e Eco Conceitos, de Pomerode, subsidiária brasileira da alemã Archea. A unidade usa dejetos de uma granja de suínos para realizar gerar biogás por meio de biodigestor. O processo inclui beneficiamento para adequação da composição química para biometano, similar ao gás natural de origem fóssil que SC importa da Bolívia. A comercialização dos 2.500 metros cúbicos por dia será feita pela SCGás. A inauguração contará com a participação de executivos de companhias como a BRF, Aurora, Tetrapak e Scania, interessados em adotar a mesma tecnologia para geração de biogás.

O início das operações dessa usina anima o presidente da SCGás, Cósme Polêse. Segundo ele, essa tecnologia pode resolver dois problemas de SC: o passivo ambiental resultante da destinação dos dejetos de suínos e o problema de baixa oferta de gás natural.

Empresa de Pomerode completa 19 anos

21 de novembro de 2013 0

FAKINI

A Fakini Malhas, de Pomerode, completou 19 anos segunda-feira com uma trajetória expressiva. Atingiu capacidade produtiva de 1 milhão de peças ao mês, oferece 600 empregos diretos e 600 indiretos, e seus produtos estão em mais de 5 mil pontos de venda no país. Uma das novas conquistas é a gestão da marca Pepsi Clothing.

Pomerode terá fábrica de armas da República Tcheca

13 de setembro de 2013 9

A fabricante de armas Ceska Zbrojovka (CZ), da República Tcheca, anunciou que vai instalar uma unidade em Pomerode. O presidente da companhia no país, Rafael Thales de Freitas, informou sobre o plano ao governador Raimundo Colombo. A CZ vai produzir pistolas de três calibres:  a 380, para  público civi; a 9mm, de uso exclusivo das forças armadas; e a .40, para forças auxiliares como a Polícia Militar e a Polícia Civil. Segundo o diretor da empresa, Jefferson Santos, haverá transferência tecnológica e a CZ já investiu 8 milhões de Euros em pesquisa e desenvolvimentos de armas que serão fabricadas aqui. O investimento será de R$ 23 milhões e serão gerados 80 empregos diretos e 30 indiretos na primeira fase. O ínício da produção está previsto para março de 2014.

Supremo Cimentos, de Pomerode, amplia produção

25 de setembro de 2008 0

A Supremo Cimentos, de Pomerode, inaugura hoje a ampliação do seu parque fabril feita, em parte, com recursos financiados pelo BRDE. O diretor do BRDE, Renato Vianna, cita o pioneirismo da empresa, que é a primeira do Estado a instalar forno de clinquerização.

A empresa terá capacidade para produzir 360 mil toneladasano de cimento, com foco nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. As projeções são de faturamento de R$ 90 milhões/ano.

Postado por Estela Benetti, Florianópolis

Indústrias de SC investem no Paraguai porque o custo é menor

14 de outubro de 2015 3

 

Lunender, divulgação

Lunender, divulgação

Enquanto o Brasil segue mergulhado em crise político-econômica sem prazo para acabar, indústrias catarinenses seguem investindo, mas no Paraguai. Pelo menos sete companhias do Estado abriram unidade no país vizinho se tornando multinacionais e a maioria é do setor de confecções. Estão por lá a pioneira Tigre, de tubos e conexões, de Joinville; Fio Bras, de Indaial, que produz fios acrílicos ao setor têxtil; Grupo Dass, de Saudade, que faz moda esportiva; Grupo Lunelli, de Guaramirim, que atua com moda; Buddemyer, de São Bento do Sul, do setor de têxteis para o lar; Cativa, de confecções, de Pomerode; e a Brandili, de Apiúna, que produz moda infantil. O que torna o país vizinho tão atraente a ponto de mais de 400 empresários empresários terem viajado pra lá nos últimos anos? É um ambiente de negócios muito mais favorável ao do Brasil. A última missão foi em meados de setembro e teve até a participação do ministro de Desenvolvimento, Armando Monteiro.

De acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias Têxteis e de Vestuário de Blumenau (Sintex), Ulrich Kuhn, o Paraguai atrai porque é um país extremamente fácil, desburocratizado. Apesar dos custos dos salários serem semelhantes aos do Brasil, os encargos indiretos representam 37% do valor pago ao trabalhador. Aqui, chega perto de 100%.

– Se não fosse o custo do capital intensivo, muitas indústrias de fiação migrariam para o Paraguai porque elas têm alto custo de energia aqui – explica o presidente do Sintex.

A Buddemeyer, de São Bento do Sul, marca de itens de cama e banho para a A, se tornou sócia de um fornecedor paraguaio há cerca de seis meses. Segundo o diretor financeiro da empresa, Evandro Müller de Castro, é um projeto-piloto, um negócio pequeno de confecção de produtos de cama.

– O ambiente de negócios no Paraguai é muito melhor do que o nosso. O sistema tributário do país é extremamente simplificado e a energia elétrica está 80% mais barata por lá – conta Müller.

O Grupo Lunelli iniciou atividade em filial de confecção no Paraguai há seis meses, onde emprega 30 pessoas. O valor do investimento não é revelado, mas o grupo que emprega 3,8 mil pessoas no Brasil, busca redução de custo. Entre as marcas do grupo estão a Lez a Lez, Lunender, que acaba de lançar campanha com a atriz Sophie Charlotte (foto)

Menos da Ásia

A estratégia da maioria das empresas de confecções de produzir no Paraguai é reduzir as importações da Ásia. É o caso da Cativa, de Pomerode, que abriu unidade no país vizinho em 2013. Hoje emprega diretamente 170 pessoas e deve fechar 2015 com produção de 300 mil peças de tecidos planos no país vizinho.

Tigre é líder no país

Tigre, divulgação

Tigre, divulgação

A pioneira catarinense a ter fábrica no Paraguai foi a Tigre, em 1977, com a Tubopar. Hoje, é líder absoluta no mercado e exporta para os demais países do Mercosul e Chile.Produz tubos,conexões e acessórios em plástico para uso predial, em infraestrutura, eletricidade, irrigação e indústria. A unidade fica em Lambaré, região de Assunpção, a capital do país. Foi com ela que a Tigre se tornou multinacional. É uma das 13 unidades do grupo no exterior. Na foto, a sede da companhia no Paraguai.

Negócios com a alemães e outros destaques desta quarta-feira

02 de setembro de 2015 0

O encontro econômico Brasil-Alemanha será de 20 a 23 deste mês em Joinville, mas a cidade já atrai atenções de empresas alemãs. Indústrias da baviera participam da intermach, feira que acontece na expoville até sexta (04). O cônsul honorário da Alemanha para o norte de SC, Rodrigo Bornholdt, recebe empresários e diplomatas do país europeu esta semana.

MODA
Empresas de moda de Ilhota que participam de programa do Sebrae/SC vão expor suas coleções no Ilhota Fashion Day. O evento é para lojistas e profissionais de moda. Reunirá 22 marcas no Estaleiro Guest House, dia 15 de setembro, em Balneário Camboriú.

LUZES
Com design diferenciado em luminárias comerciais e residenciais, a Luciin Iluminação, de São José, abriu seu primeiro showroom fora de SC. Baseado em São Paulo, o espaço expõe 150 dos 900 produtos do da marca, divididos em três linhas.

CONTRA FEIRAS DO BRÁS
Tanto cidades quanto lojistas catarinenses querem coibir a realização de feiras itinerantes em Santa Catarina. Nesta sexta-feira (04) , o secretário de Desenvolvimento Econômico, Carlos Chiodini, e o presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), José Caramori, firmaram acordo de cooperação para regulamentar essas feiras itinerantes, conhecidas como Feiras do Brás.

OBJETIVOS DO MILÊNIO
As seis organizações selecionadas no edital 8 Jeitos de Mudar o Mundo, campanha de mobilização de recursos em prol dos Objetivos do Milênio, apresentam na manhã de hoje os resultados de projetos na sede da Tractebel Energia. O movimento Nós Podemos Santa Catarina mobilizou R$ 455.788, dos quais foram R$ 54.564 em recursos financeiros para os projetos.

TURISMO PREMIADO
Projetos encantadores de prefeituras e associações conquistaram o Prêmio Top Turismo ADVB/SC. Os vencedores são a Associação Náutica Catarinense, Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região, Associação Visite Pomerode, Centrosul, Sebrae/SC e as prefeituras de Florianópolis, Água Doce, Lages e São Francisco do Sul. A entrega será dia 29 de setembro no Beto Carrero World.

Leia as últimas notícias 

Prefeituras e associações conquistam o prêmio Top Turismo ADVB/SC

01 de setembro de 2015 0
Osterfest, a festa da Pásccoa de Pomerode. Foto de Rejane Koch Goede

Osterfest, a festa da Pásccoa de Pomerode. Foto de Rejane Koch Goede

Projetos encantadores de prefeituras e associações conquistaram o Prêmio Top Turismo ADVB/SC. A lista dos vencedores inclui a Associação Náutica Catarinense, Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região, Associação Visite Pomerode, Centrosul, Prefeitura de Florianópolis, Prefeitura de Água Doce, Prefeitura de Lages, Prefeitura de São Francisco do Sul e Sebrae/SC. Entre os projetos eleitos estão a renovação do Mercado Público de Florianópolis, o projeto Limpeza dos Mares da Acatmar e o vídeo Turismo em São Francisco do Sul. A entrega da premiação será dia 29 de setembro, no Beto Carrero World.

- Pela variedade de ações e projetos podemos perceber como o turismo está amplamente ligado ao desenvolvimento econômico das cidades, assim como é um segmento que resgata a identidade cultural e ambiental de cada localidade. Com esta capacidade, é uma indústria que soma quase 15% do PIB catarinense e por isso merece todo destaque – comentou Eugênio Neto, diretor de Turismo da ADVB/SC. No dia do evento, será revelado o Top One, ou seja, o projeto que levará o título de melhor iniciativa. Confira, abaixo, os projetos vencedores.

Vencedores Top Turismo ADVB/SC 2015 (em ordem alfabética)

 Associação Náutica Catarinense (Acatmar)

Case: Projeto Limpeza dos Mares

Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região (AMPE Brusque)

Case: AMPE Brusque: 25 anos promovendo o turismo nacional

Associação Visite Pomerode (AVIP)

Case: 7ª OSTERFEST

Centrosul

Case: O Centrosul e o conceito Boutique

 Prefeitura de Florianópolis

Case: Novo Mercado Público de Florianópolis: o processo de reforma estrutural e recaracterização cultural, turística e tradicional da Ilha.

Prefeitura de Água Doce

Case: O “Concurso Fotográfico – Água Doce sob um novo foco” como ferramenta para o desenvolvimento do Turismo

 Prefeitura de Lages

Case: Evento Natal Felicidade 2014

 Prefeitura de São Francisco do Sul

Case:  Vídeo Turístico da cidade de São Francisco do Sul

Sebrae/SC

Case: Aroma, Sabor e Arte

Leia as últimas notícias

 

Santa Catarina espera para julho abertura da Coreia

29 de junho de 2015 0
Foto: Julio Cavalheiro, Secom / Divulgação

Foto: Julio Cavalheiro, Secom / Divulgação

Nas próximas semanas – talvez na segunda quinzena de julho – autoridades sanitárias da Coreia do Sul devem anunciar a abertura do mercado do país à carne suína de Santa Catarina. Esta informação foi destacada pelo governador Raimundo Colombo na inauguração da fábrica de industrializados da Pamplona Alimentos, sábado, em Rio do Sul. Também no evento, o superintendente federal de Agricultura em SC, Jacir Massi, disse que todos os trâmites técnicos estão cumpridos. Falta apenas a Secretaria de Relações Institucionais do Itamaraty fornecer as últimas informações para a Coreia do Sul poder abrir seu mercado. Agroindústrias de SC aguardam com muita expectativa a decisão porque a Coreia importa cerca de 880 mil toneladas de carne suína por ano e será um importante mercado ao lado do Japão, que compra de SC desde meados de 2013.

O evento da Pamplona foi bem prestigiado por ser mais um investimento numa fase de crise no país.Também presente, o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte disse que em breve será inaugurada mais uma fábrica, a da Netzsch, em Pomerode.
Fábrica de ponta

A presidente da Pamplona Alimentos, Irani Pamplona (D), apresentou a nova fábrica a convidados, entre os quais o governador Raimundo Colombo e os secretários de Estado da Agricultura, Moacir Sopelsa, Defesa Civil, Milton Hobus, e Fazenda, Antonio Gavazzoni. Equipada com máquinas de ponta do exterior, a unidade produzirá salame, presunto, apresuntado e copa, que chegarão ao mercado em agosto. Os industrializados responderão por 33% da receita deste ano.

Leia as últimas notícias sobre a Pamplona

Veja os bons números de SC que o governo mostrou a Levy

16 de maio de 2015 0
Foto:Jaqueline Nocetti/Secom, divulgação

Foto:Jaqueline Nocetti/Secom, divulgação

A iniciativa de passar um sábado em Santa Catarina para conhecer as razões pelas quais o Estado apresenta indicadores acima da média nacional foi do próprio ministro da Fazenda, Joaquim Levy (D). A equipe do governo fez um levantamento amplo, incluindo não só os indicadores econômicos, mas também os de educação, saúde, segurança e área social. Os dados foram apresentados a ele no café da manhã na Casa D’Agronômica pelo governador Raimundo Colombo (E), o vice-governador Eduardo Moreira (segundo à esq.)  e o secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni (C). Confira:

SANTA CATARINA EM PRIMEIRO LUGAR

ECONOMIA

#Menor nível de desemprego do país = 3,9%. (2º lugar: Rondônia) Brasil: 7,9%. Fonte: IBGE

2015.

#Maior taxa de geração de empregos no país em 2014 = 53.887 novas vagas. Fonte:

CAGED/MTE.

#Maior taxa de atividade das pessoas de 15 anos ou mais trabalhando = 71,6%. Brasil: 58,9%.

Fonte: Censo 2010.

#Maior taxa de proporção de domicílios particulares com rendimento nominal

mensal domiciliar per capita de até ½ salário mínimo = 0,89%. Brasil: 0,67%. Fonte:

ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2014/ONU.

#Menor Proporção de pessoas com baixa renda = 13,86. Brasil = 34,67

#Menor percentual de pessoas sem rendimentos = 27,73%. Fonte: Censo 2010

#Melhor índice de Gini = 0,65 (diferença entre os rendimentos dos mais pobres e dos

mais ricos). Brasil = 0,63. Fonte: Atlas de Exclusão Social.

#Melhor Índice de Bem-Estar Econômico (IBEE*) Fonte: USP

#Menor percentual de crianças pobres = 9,7% (Crianças de 0 a 14 anos nas famílias

com renda média mensal baixa e muita dificuldade para chegar ao fim do mês com o

rendimento). Brasil = 20,7%

#Menor taxa de Pobreza Extrema = 3,23% (domicílios com renda per capita de até ¼

salário mínimo). Brasil = 13,10%.

#Menor percentual de pessoas sem rendimento = 27,73%. Brasil = 37,08%

#Maior número de trabalhadores com carteira assinada = 26 por mil habitantes. Brasil

= 16,6%

#Melhor Destino Turístico Nacional por 7 anos consecutivos 2007-2013 (revista

Viagem e Turismo/Editora Abril)

#Maior transparência nos julgamentos administrativos tributários. Fonte: ranking

elaborado pelo Núcleo de Estudos Fiscais da FGV (NEF FGV/Direito).

#Melhor município do país para abrir uma empresa = Florianópolis. Fonte: Endeavor.

# Terceiro melhor IDH (0,774), atrás de DF e SP

AGRICULTURA

#Primeiro Estado a receber a certificação de área livre de febre aftosa sem vacinação

(2007)

#Estado zona livre de peste suína clássica (PSC)

#Maior produtor brasileiro de suínos e cebola

#Maior produtor brasileiro de pescados, ostras e mexilhões

#Segundo maior produtor de aves, arroz, fumo e maçã

#Maior exportador de carne suína (35%) e frango (23,7%)

SEGURANÇA

#Maior sensação de segurança nos bairros e cidades* = 79,1% e 68,3%,

respectivamente. Brasil = 67,1% e 52,8%, respectivamente para bairros e cidades.

(PNAD 2009)

#Menor taxa de vitimização: Santa Catarina (17%), seguido por Rio Grande do Sul

(17,2%) e Paraná (17,4%). (Fonte: 1ª Pesquisa Nacional de Vitimização – Datafolha e

CRISP)

#Menor taxa de população residente em moradias inadequadas = 29,8%. Brasil:

36,6%. Fonte: ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2012/ONU.

#Menor taxa de homicídios por 100 mil habitantes = 0,63%. Brasil = 0,86. Fonte: Atlas

de Exclusão Social 2015.

#Líder no ranking dos Estados que promovem a ressocialização pela oferta de

trabalho = 57% dos presos hoje estão trabalhando, o que corresponde a 9.300

reeducandos. Fonte: Projeto Começar de Novo, do Ministério da Justiça – 2012.

EDUCAÇÃO

#Menor taxa de analfabetos do Brasil = 3,2%. Fonte: IBGE

#Maior taxa de atendimento de alunos de 6 a 14 anos = 99,20%. Brasil = 97,79%

#Maior taxa de alfabetização dos jovens de 15 a 24 anos = 99,6%. Brasil = 98,7%.

Fonte: ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2014/ONU.

#Segunda menor taxa de distorção idade/série do Ensino Médio = 19,10%. Brasil

=39,66% Fonte: INEP 2014

#Maior taxa de adequação entre idade e série dos estudantes de 9 a 17 anos = 88,7%.

Brasil: 79,6%. Fonte: ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2014/ONU.

#Maior percentual de alunos em escolas com laboratório de informática com acesso

a internet = 98,73%. Brasil = 86,88%.

#Maior proporção de pessoas com mais de 17 anos (ou mais) que concluíram o

Ensino Médio = 0,92% (empatado com Distrito Federal). Brasil = 0,79%. Fonte: Atlas

Exclusão Social 2015.

#Maior taxa de escolarização da população entre 7 e 14 anos no ensino fundamental

= 98,9%. Brasil = 97,7%. Fonte: ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

2014/ONU.

#Maior taxa de escolarização da população de 15 a 17 anos no ensino médio = 61,4%.

Brasil: 57,9%. Fonte: ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2014/ONU.

#Menor taxa de desocupação entre pessoas com 11 anos ou mais de estudo = 3%.

Brasil = 6,6%.

# Menor taxa de abandono entre os Estados Brasileiros, no Ensino Fundamental: taxa

de 0,7% (anos iniciais 0,1%, anos finais 1,2%). Brasil = 2,2% (anos iniciais 1,2%, anos

finais 3,6%). Fonte: INEP/Censo Escolar-SC

SAÚDE

#Menor Número de óbitos infantis (menores de 1 ano) por 1.000 nascidos vivos =

10,02. Brasil = 15,3 – Fonte: RIPSA (SC)/ODM – Objetivos de Desenvolvimento do

Milênio 2014/ONU.

#Menor Taxa de mortalidade na infância = 11,8 (número por 1.000 nascidos vivos).

Brasil = 17

#Maior Expectativa de vida = 78,1 anos (empatado com Distrito Federal). Brasil = 74,9

#Maior número de doadores de órgãos (por quatro anos consecutivos)= 32,6

doadores por milhão da população (pmp). Brasil = 13,4 pmp

#Referência nacional em Hemoterapia/Hemosc (Há 12 anos consecutivos o Hemosc

recebe a certificação ISO 9001)

#1º Estado com rede estadual integrada do Serviço de Atendimento Médico de

Urgência (SAMU)

#1º lugar no Índice de Desenvolvimento do SUS (IDSUS) (criado em 2012 pelo

Ministério da Saúde)

#Maior acesso a rede de esgoto ou fossa séptica = 85,5%. Brasil: 77%. Fonte: ODM –

Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2012/ONU.

SOCIAL

#Maior grau de inclusão social no país = Município de Pomerode. Fonte: Atlas

Exclusão Social 2015.

FONTES:

Indicadores e Dados Básicos – Brasil – 2011 (IDB-2011) / ABTO – RBT 2012 (dados de janeiro a dezembro de 2012)

REGISTRO BRASILEIRO DE TRANSPLANTES / Secretaria de Estado da Saúde / IBGE – SIS 2010. Base 2009 tab. 6.29 /

Censo 2010 – IBGE tab.3278 /IBGE PNAD 2011. ANO BASE 2011. tabela 4.1.20 e 4.1.21 /Censo 2010 –IBGE tabela

1384 / CAGED/ 2009 / Secretaria de Estado da Agricultura / IDEB 2011 / Relatório Consad / SSP SC e Ministério da

Justiça –ano base 2012/ Atlas da Exclusão Social 2015/ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2014/0NU/

INEP 2014/ PNAD 2009/

*Pesquisa USP: O IBEE é composto por quatro dimensões distintas: “fluxos de consumo”, obtida pelos indicadores de

consumo privado e consumo público; “riqueza real – legado intergeracional”, resultante dos indicadores capital

físico, capital humano, gastos com pesquisa e desenvolvimento e débito público; “equidade”, construída a partir do

Índice de Gini (índice de desigualdade de renda) e do Índice FGT (índice de intensidade de pobreza); e “seguridade

econômica”, formada pelo indicadores de risco de desemprego, risco financeiro associado à doença, risco de

pobreza em idade avançada e risco de violência.

Nas galerias Lafayette

24 de março de 2015 0

ESTELA2403

Como o cenário está bom para exportação, a empresária Maitê Lang, da Nugali Chocolates, de Pomerode, amplia as vendas externas. Produtos da marca Premium já são vendidos nas galerias Lafayette de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

SC tem quase 2 milhões de carros para 6,234 milhões de habitantes

19 de janeiro de 2015 1

Com uma média de 30,6 carros para cada 100 pessoas – 1,906 milhão de automóveis para 6,234 milhões de pessoas, o Estado enfrenta falta de mobilidade nas maiores cidades por excesso de carros e, nas menores, por falta de estradas e transporte público. São dados da pesquisa Mobilidade Urbana em Santa Catarina, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-SC), divulgada na manhã de hoje. Segundo a entidade, os dados do IBGE estampam o resultado de avanço da renda, queda da inflação e do desemprego na última década.Faltou, no entanto, uma série de investimentos em infraestrutura.

Tópicos destacados pela Fecomércio:

Carros x habitantes

As cidades de Florianópolis e Blumenau lideram o ranking de automóvel por habitante no Estado. Na Capital, são 41,8 automóveis para cada 100 habitantes. Em Blumenau, 41,3 automóveis, sendo que a média estadual é de 30,6. No ranking das 16 cidades também estão Pomerode (40,8%), Brusque (39,85), Rio do Sul (37,4%), Timbó (37,3%), Joaçaba (36,9%), Jaraguá do Sul (36%), Rio Fortuna (35,2%), Botuverá (34,9%), Criciúma (34,9%), São Miguel do Oeste (34,7%), Indaial (34,6%), Tubarão (34,5%), Cocal do Sul (34,2%) e Joinville (34%).

Trabalho em cidades vizinhas

Com o crescimento populacional e a dinâmica do preço do aluguel imobiliário, as cidades satélites dos grandes polos cresceram, criando um fluxo de trabalhadores rumo às cidades polos. Além do exemplo de Camboriú, a Grande Florianópolis também registra um dos maiores percentuais de moradores que trabalham fora de suas cidades. Dentre os 15 municípios que são destaque neste item, seis são da região metropolitana da Capital: Governador Celso Ramos (40,57%), Biguaçu (39,72%), Palhoça (38,34%), São José (35,35%), Santo Amaro da Imperatriz (32,18%) e São Pedro de Alcântara (30,92%). Assim, a região da Grande Florianópolis é o principal gargalo de mobilidade urbana do Estado.

Melhor mobilidade

A média estadual de trabalhadores que levam menos de meia hora para chegar ao trabalho é de 87,63%. Nesta lista, estão a própria Capital do Estado e os municípios próximos a Joinville, como Araquari. No ranking de mobilidade urbana das maiores cidades catarinenses, Itajaí apresenta a melhor taxa – 88,38% – e Palhoça a pior, com 60,41%.

Na comparação com outras regiões metropolitanas brasileiras, Florianópolis tem os menores percentuais de trabalhadores que levam entre meia hora e uma hora e mais de uma hora para chegar ao trabalho. Uma explicação para este dado é que, apesar do grande crescimento verificado nos últimos anos, a Capital tem um porte menor do que as demais regiões metropolitanas do país e, devido às suas condições geográficas, não abriga um grande centro industrial.

A Fecomércio também disponibilizou toda a pesquisa. Acesse no link abaixo:

 

http://www.fecomercio-sc.com.br/fmanager/fecomercio/pesquisas/arquivo380_1.pdf

 

 

Biogás pode suprir demanda em SC

15 de setembro de 2014 1

Atualmente, Santa Catarina utiliza 2 milhões de metros cúbicos de gás natural da Bolívia. Se investir em usinas de biogás utilizando dejetos de suínos, de aves e de aterros sanitários, o Estado poderá gerar mais de 3 milhões de metros cúbicos de biogás, o que supriria toda sua demanda de gás natural e geraria excedente, proporcionando mais renda e qualidade de vida no interior.

Tanto a SCGás, distribuidora de gás natural, quanto as agroindústrias estão mais animadas com nova tecnologia alemã adotada em planta-piloto inaugurada na última semana em Pomerode: além de evitar a poluição ambiental, ela gera biogás e um fertilizante. Segundo Antônio Rogério Machado, engenheiro de tecnologia da SCGás, a Alemanha conta com 8 mil unidades de produção de biogás. Lá, agropecuaristas, além de terem plantas que geram energia e gás para suas propriedades, contam com excedente de gás combustível que vendem em postos próprios para clientes das regiões onde vivem.

Em SC, por enquanto há falta de projetos e de investidores, mas isso pode mudar com o avanço tecnológico. Conforme Machado, o estudo sobre o potencial do Estado foi feito pela UFSC em 2008, quando SC tinha 6 milhões de cabeças de suínos. Como hoje são cerca de 10 milhões, a geração pode ser bem maior.

Geração de biogás

09 de setembro de 2014 0

Com tecnologia alemã, foi inaugurada em Pomerode, ontem, a primeira usina de biogás de SC. O investimento é das empresas Brasil Clean Energy, de Balneário Camboriú, e Eco Conceitos, da alemã Archea. A unidade usa dejetos de granja de suínos para gerar biogás com biodigestor. O insumo será comercializado pela SCGás.

Pode faltar chocolate no futuro, alerta entidade

06 de maio de 2014 5

A Organização Internacional do Cacau (ICCO na sigla inglesa) fez um alerta que deixou muitos chocólatras preocupados: vai faltar cacau no futuro, o que significa menor oferta de chocolate e preços altos. Segundo a entidade, essa escassez pode ocorrer perto de 2020. A projeção é baseada no crescimento inesperado do consumo chinês na Páscoa deste ano, de acordo com o jornal espanhol El País. Aliás, quase tudo o que os milhares de chineses resolvem consumir mais de uma hora para outra vai falta. Para evitar o problema, o jeito é ampliar o plantio de cacau, especialmente na África.  

As projeções são de que em seis anos haverá uma queda de 150 mil toneladas da produção de cacau no mundo, o maior recuo dos últimos 50 anos. Para reverter esse cenário, a entidade anunciou que vai incentivar o cultivo em outros países, entre os quais a Indonésia. O Brasil, que teve a produção dizimada com a praga vassoura de bruxa há cerca de 20 anos, já retomou a produção e pode colaborar para essa maior oferta.

Chocolate premium

Prova de que a China está consumindo mais chocolate é a estreia da catarinense Nugali nas exportações. A empresa de Pomerode decidiu buscar o mercado externo e um dos primeiros clientes que conquistou foi um chinês.

Cacau em flor

Cacau77A Nugali, que produz chocolate a partir do cacau, lançou uma linha premium especial chamada Cacau em Flor. São produtos feitos de frutos de plantas cultivadas na Bahia, à sombra de árvores nativas, contribuindo para a preservação da Mata Atlântica. O lançamento foi realizado na Alemanha, mas já está disponível no mercado brasileiro. A Nugali cresceu cerca de 30% no ano passado.

Virada de mesa rumo ao luxo e à competitividade

06 de maio de 2014 0

Oxford77A Oxford, de São Bento do Sul, virou a mesa, literalmente, nas duas últimas décadas e chegou aos 60 anos mais avançada do que nunca. A empresa que exportava cerâmica de mesa barata se voltou ao mercado interno no final dos anos de 1990. Em 2003, foi comprada por Eggon João da Silva, da WEG, apostou no marketing e na inovação, entrou no mercado de luxo e está investindo alto. Quem fala sobre essa transformação é o diretor superintendente da companhia, Irineu Weihermann.

Como foi a trajetória da Oxford até os anos de 1990 e a troca de acionistas?

Irineu Weihermann – A Oxford completou 60 anos em 26 de novembro do ano passado. Na maior parte dessa trajetória produziu cerâmica de mesa de baixo valor agregado. Nas decadas de 1980 e 1990, quando o dólar era favorável, foi mais exportadora, vendia para cerca de 80 países. Com a valorização do real, no final dos anos de 1990, passou a atuar mais no mercado interno. Em 2003, a família de Otair Becker, que detinha o controle acionário, vendeu para Eggon João da Silva, da WEG. A partir daí, passou a investir mais forte em marketing. De 2003 até agora crescemos 5 vezes no Brasil.

E a virada para o luxo como foi?

Wheihermann – No final de 2008, resolvemos entrar no segmento de porcelanas. Mudamos a razão social da empresa para Oxford Porcelanas. Hoje somos líderes nacionais em porcelana e cerâmica de mesa. Esse mercado demandou uma estruturação do setor de design da companhia. Contratamos um designer para o trabalho interno e começamos a fazer um link das linhas de porcelanas com as tendências de moda em confecções e automóveis.

Qual foi o impacto do trabalho do designer Karim Rashid?

Wheihermann – Em 2012, fizemos um contrato com Karim Rashid, referência mundial em criatividade. Ele é natural do Egito, mas mora nos EUA e tem atuação forte na Europa e América do Norte. Ele criou uma coleção de porcelanas para a Oxford com novas formas e estampas que foi muito aceita pelo mercado. Ano passado, ela representou 7% das nossas vendas. Nosso contrato com ele é de uma coleção por ano. Estamos começando a trabalhar a que vamos lançar em março de 2015.

Como está o plano de expansão da matriz da empresa, em São Bento?

Weihermann – O prédio permitiu expansão da produção. Investimos R$ 13 milhões em máquinas e ampliamos a capacidade de produção de 30 milhões de peças por ano para 45 milhões. Estamos concluindo a implantação este mês e isso nos dará condições para crescer no Brasil e no exterior, onde obtemos, hoje, cerca de 7% da receita total.

E a nova fábrica no Espírito Santo?

Weihermann – Vislumbrando maior crescimento do consumo no país, especialmente das classes C e D, decidimos ampliar mais a produção com uma fábrica em São Mateus, no Norte do Espírito Santo. Buscávamos oferta de gás natural e encontramos naquela região que tem, também, incentivos da Sudene. Estamos investindo R$ 80 milhões. A primeira etapa será para 15 milhões de peças. A segunda, mais 15 milhões. O início da produção está previsto para daqui a um ano e meio.

Vocês diversificaram com cristais. Como vai esse segmento?

Wheihermann – Como todo o fabricante de porcelanas no mundo, também aderimos à produção de cristais. Em 2011, compramos uma fábrica de cristais artesanais em Pomerode que produz em torno de 30 mil peças por mês. É um cristal puro, feito manualmente, de alto valor. Com outros fabricantes de SC estamos negociando com o Ministério do Desenvolvimento a denominação de origem Vale Europeu, para nos diferenciar.

Quanto a Oxford projeta crescer em 2014?

Wheihermann – Faturamos R$ 170 milhões ano passado e projetamos crescer, este ano, cerca de 40%, superando R$ 200 milhões. Esse avanço será possível porque entrou em vigor este ano a barreira antidumping contra a China, obtida pela defesa comercial brasileira. Em 2013, crescemos 12% frente ao ano anterior. Empregamos 1,7 mil pessoas e, com a ampliação, abrimos mais 400 vagas.

Na terra natal

Irineu77Irineu Weihermann, 51 anos, graduado em Ciências da Computação pela UFSC, atuou como programador da Celesc logo que se formou. Depois, foi pesquisador do Laboratório Grucad, de Engenharia Elétrica da universidade, trabalhando com os professores Renato Carlson, João Pedro Bastos e Nelson Dadowski, participação que foi marcante na sua carreira. A próxima etapa foi o retorno à terra natal, São Bento do Sul, onde ingressou na Oxford e trabalha até hoje, por 26 anos, tendo passado por diversos setores antes de chegar à superintendência.É casado com Magrit Weihermann, com quem tem duas filhas, Paula e Camila (D).

Foto 1: Rodrigo Philipps, BD/25/11/2013

Foto 2: Arquivo pessoal

 

Nugali investe em nova fábrica de chocolates e inicia exportações

23 de abril de 2014 0

Nugali7Produtora de chocolates premium em Pomerode, a Nugali vai investir R$ 10 milhões em nova planta industrial que ampliará em 300% a atual capacidade instalada. O plano é concluir a construção da planta de 2 mil metros quadrados no segundo semestre do ano que vem. Segundo a empresária Maitê Lang, as vendas cresceram quase 30% no ano passado e continuam no mesmo ritmo. Uma novidade deste ano é o início das exportações. Os dois primeiros contratos foram fechados com a China e o Peru.

As vendas para Páscoa cresceram 33%, mais do que a projeção de 25% feita pela companhia. Outro dado interessante foi o tipo de produto. Nugali77A empresa estimou que, para a data, venderia cerca de 70% de produtos temáticos, especialmente ovos, e 30% de barras de chocolate e outros itens feitos para o ano todo. Mas vendeu 60% de temáticos (foto menor) e 40% dos demais (foto maior). Isso indica que os produtos da marca – que tem fabricação vertical diferenciada, desde a transformação do cacau – contam com vendas mais estáveis.

Fotos: Nugali, divulgação