Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Resultados da pesquisa por "vinho"

Vinhos especiais de Bordeaux

15 de setembro de 2015 0
Fabio Quintanilha, Divulgação

Fabio Quintanilha, Divulgação

Belezas de Florianópolis encantaram o francês Christophe Lillet (C), diretor geral da Salin, empresa que há mais de 200 anos seleciona e vende vinhos da região de Bordeaux, França, para 40 países. Ele esteve em SC para apresentar cinco tipos de vinhos para venda exclusiva no Imperatriz Supermercados, a partir de outubro.

A Salin é uma das cinco maiores empresas do segmento em Bordeaux. Essa parceria com importação direta da França vai permitir preços acessíveis para vinhos boutique, elaborados em pequenas propriedades do interior francês. Littet foi recepcionado pelos diretores do Imperatriz, os irmãos Júlio (E) e Vidal Lohn (D).

Leia as últimas notícias

Empresários da Iltália se surpreendem com vinhos catarinenses e mostram interesse em parceria

04 de setembro de 2015 0
Roger Bittencourt, divulgação

Roger Bittencourt, divulgação

Italianos que fizeram palestras no seminário internacional do vinho, na última quinta-feira (03) em Videira, ficaram impressionados com a estrutura da vinícola Villaggio Grando, de Água Doce. Foram recepcionados pelos empresários Maurício e Guilherme Grando. O italiano Claudio Fenocchio mostrou interesse em parceria para a vinícola de Santa Catarina fazer vinhos na Itália. Na foto (E) Domenico Calabria, Guilherme Grando, Mauricio Grando e Claudio Fenocchio.

Leia as últimas notícias

5º Simpósio Catarinense de Vinhos Finos de Altitude e outros destaques deste sábado

29 de agosto de 2015 0
Fábio Lima / Dibulgação

Fábio Lima / Dibulgação

São muitos os avanços da vitivinicultura e do enoturismo na Serra e no Meio-Oeste de SC, mas pelos poderosos presentes no 5º Simpósio Catarinense de Vinhos Finos de Altitude, quinta (27), em São Joaquim, tudo indica que esses setores crescerão mais. Participaram o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte (E); industrial Vicente Donini, que acaba de investir em vinícola no município; secretário de Desenvolvimento, Carlos Chiodini; presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt; e o superintendente do Sebrae/SC, Guilherme Zigelli. Palestrante do evento, Donini afirmou que o potencial turístico da região precisa ser mais explorado com serviços de qualidade no roteiro de neve e vinhos.

Em Jaraguá

Um dos anfitriões do economista e ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, em Jaraguá do Sul, quinta (27) à noite, foi o senador Paulo Bauer. A falta de teto no aeroporto de São Paulo e o engarrafamento da BR-280 em Santa Catarina causaram atrasos, mas a programação não foi alterada. Após a palestra, Bauer foi cobrado sobre a aprovação do reajuste da tabela do Simples.

Um dos que pediram atenção foi o diretor distrital da Federação das CDLs, Neivor Bussolaro.

PELO SOCIAL

O ICom, de Florianópolis, participou de intercâmbio de experiências e de práticas de gestão com outras duas fundações comunitárias, a uruguaia Fondo Région Colonia e a brasileira Instituto Rio. Estiveram lá as coordenadoras Renata Machado e Mariane Maier.

Leia as últimas notícias

Villaggio Grando vai lançar vinhos top e avança no enoturismo

24 de agosto de 2015 0
Foto: Estela Benetti

Foto: Estela Benetti

A Villaggio Grando, vinícola de altitude de Água Doce, Meio-Oeste de SC, inova com o lançamento de  vinho em copo e linha top feita com variedades pesquisadas na propriedade. Também cresce no enoturismo, afirma o presidente  Guilherme Sulsbach Grando.

Quantos hectares de vinhedos a Villaggio Grando cultiva? 
São 50 hectares. É a maior área de SC. Como focamos qualidade, precisamos de um vinhedo grande para produzir pouco. As uvas que não atingem o padrão, a gente exclui ou vende para terceiros.

O que faz em inovação?
Temos um dos maiores laboratórios das Américas hoje. São 103 variedades plantadas e em teste. A Embrapa, Epagri, e o Instituto  San Michelle (da Itália)  em parceria com a UFSC, fazem pesquisas na empresa. A gente cedeu para que a vinícola seja um local de pesquisa. A gente ajuda o setor e a pesquisa nos ajuda. Muitos vinhos que começamos a fazer, inclusive um top de linha que vamos lançar no ano que vem, são com uvas que a gente descobriu nessas pesquisas.

Quanto vocês lançarão o vinho em copo?
Após dois anos de pesquisas, desenvolvemos uma taça e um lacre pretos. Vamos lançar um merlot nas próximas semanas. Esta linha será voltada para praia, estádios e eventos que excluem vidro.

Que outros lançamentos estão planejando?

Este ano, a gente laçou safras novas de vinhos já existentes. A gente está produzindo um champenoise para lançamento este ano ou no ano que vem. Estamos elaborando uma linha top,  acima do denominado de além mar, vamos continuar com vinhos de qualidade e terão mais. São vinhos com 200% de barrica, todos comandados pelo enólogo português Antonio Saramago. Uma grande novidade para o ano que vem será um um produto estilo vinho do Porto, com uvas e receitas do Douro, um conhaque com 10 anos de barrica e o licoroso branco que levará o nome da minha irmã. Serão três vinhos de sobremesa, dois licorosos, um conhaque e mais o tinto. Todos para 2 mil garrafas, 500 garrafas, vai ter uma agenda para comprar. Também lançaremos um pinot noir daqui a um ano e meio, nos moldes da Borgonha. Manteremos quantidades dentro do nosso perfil, de vinícola boutique.

Como vai o projeto do malbec na Argentina?

Fizemos um arrendamento de um vinhedo que é controlado desde a uva até a garrafa final. É o único produto que elaboramos no exterior e vem pronto. A produção varia de 5 mil a 7 mil garrafas por ano. Este ano, a produção será de sete mil.

O segmento de sucos está em alta. Vocês estão aderindo a ele?

Entramos no suco agora. Fizemso a primeira venda esta semana. Terceirizamos o pedaço de uma indústria para essa produção. É um outro mercado, outra legislação. A gente vai aprender. A idéia é até o final do ano ter uma presença boa em suco. A uva será não vinífera e 100% integral. Temos um pequeno vinhedo de Isabel, que é uva usada para suco. Também usaremos uvas da região (Caçador e Videira), num processo de terceirização.

De que forma a crise econômica e o dólar alto estão afetando a vinícola?
Com a crise, estamos tendo que investir muito mais para expandir as vendas. No primeiro semestre, nossa venda de vinhos cresceu 4%, dentro da média nacional. Nos espumantes, avançamos 23%. Com o dólar alto, estamos conversando com importadores do Leste Europeu e, talvez, também vamos voltar a exportar aos EUA. Estamos atentos inclusive em alguns mercados da África.

Como está o enoturismo?  
Vai muito bem. O ticket médio do turista é até quatro vezes maior do que o de quem vai numa loja. Todos os dias passa gente pela vinícola. Aos sábados e domingos, são cerca de 300 pessoas de diversas regiões do Brasil. A gente está a 60 quilometros de qualquer cidade. Agua doce tem 5 mil habitantes. Por mês, recebemos de 2 mil a 3 mil pessoas. Os turistas estão vindo para o Oeste do Estado. Ficam em Treze Tílias, Fraiurgo e Caçador e visitam a vinícola. Por isso a nossa idéia é oferecer hotel e restaurante premium na vinícola. Também projetamos um condomínio e campo de golfe.

Que outros investimentos estão previstos?

No futuro, vamos fazer uma vinícola com alta tecneologia. Como é um investimento elevado, por enqunto parte da elaboração do nosso espumante é feita  no Rio Grande do Sul. Fazemos o  fazemos o vinho base e só levamos para o RS para a segunda fermentação (toma de espuma) e o engarrafamento. Terceirizamos uma etapa da produção com receita nossa.

E o projeto do malbec na Argentina?

Fizemos um arrendamento de um vinhedo que é controlado desde a uva até a garrafa final. É o único produto que elaboramos no exterior e vem pronto. A produção varia de 5 mil a 7 mil garrafas por ano. Este ano, a produção será de sete mil.

O fato de o vinho ser considerado bom para o coração está ajudando nas vendas e isso pode levar a uma tributação menor?

No Brasil, ainda se vende mais vinho pelo glamour. Mas foi feito um Globo Repórter sobre os benefícios do vinho para a saúde e reportagens sobre isso citando o tanat do Uruguai. Nas semans que se sucederama esses programas, deu um boom de vendas. O vinho ainda não está na cultura da maioria, ainda, mas quando as pessoas são informadas, consomem mais. A questão de sofisticação, mostrada em novelas e jornais, e a gastronomia ajudam muito. Hoje, no Brasil, se consome uma garrafa per capita a mais do que 10 anos atrás. A gente sabe que o vinho cresceu bastante. E outra coisa que cresceu muito foi o contrabando. Temos todas as dividas abertas no Sudeste e no Sul. Hoje entra muma porcentagem gigantesca de vinho do Chile e Argentina. Todas as noites, de contrabando.

Quanto está a carga tirbutária?

Cada estado tem uma, mas já se fala em um valor de 53,6% a 54% de impostos. Na Espanha e EUA se paga imposto único, 7% num lugar, 4% mais 3% ou 8% num outro. Estamos falando em imposto de alimentos. A Espanha foi pioneira em colocar o vinho como alimento em função dos benefícios à saúde. Para eles, é cerca de 4%. Para nós, cairia para 15% já é uma tributação gigantesca para os governos e é um valor que você consegue competir, porque estaria o dobro de outros países. Não é o dólar, o grande negócio é a equiparação tributária.

Leia as últimas notícias

 

 

Decanter promove degustação de vinhos

28 de julho de 2015 0

Como o inverno favorece o consumo de vinhos, a Decanter realiza nesta quarta-feira (29) o Wine Day com degustação de 80 vinhos de 15 países. Será às 18h, no restaurante Central, em Florianópolis.

Vinho azul é lançado na Espanha

23 de julho de 2015 0
Reprodução, Facebook

Reprodução, Facebook

Convencidos de que a milenar indústria do vinho precisa de inovação, seis jovens com cerca de 20 anos, da cidade de Bierzo, região basca, na Espanha, criaram um vinho azul, o Gik Vino Azul. Conforme o site The Olive Press, eles pesquisaram dois anos com apoio de uma universidade e do Departamento de Comida Basca. A nova bebida é feita com uvas brancas e vermelhas, corante azul e adoçantes. A garrafa custa 10 euros no site da marca, o gik.blue

Leia as últimas notícias

Cervejas artesanais, vinhos e outras bebidas no Simples

08 de julho de 2015 0

Diante da importância crescente das cervejarias artesanais, cachaças, licores e outras bebidas para a economia e o turismo, a Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresa fará uma reunião sexta, na Fiesc, para discutir a inclusão desses produtos no Simples nacional. Presidente da frente, o deputado catarinense Jorginho Mello vai coordenar o evento.

Amor por São Joaquim e difusão dos vinhos

13 de maio de 2015 0

Entre os órfãos do senador e ex-governador Luiz Henrique estão os produtores de vinhos de altitude porque perderam o seu principal garoto-propaganda. A secretária regional de São Joaquim, Solange Pagani, que participou do velório em Joinville, contou que ligou sábado para ele com o objetivo de saber como estava sua saúde e contou que fazia um belo sol na Serra. Ela contou que ele disse que estava ótimo, estava feliz e afirmou: “Eu amo São Joaquim. Gostaria de estar aí”.
Maurício Grando, sócio da Villaggio Grando, de Água Doce, que também esteve em Joinville, disse que o vinho de Santa Catarina avançou com o apoio de Luiz Henrique.
-Ele levava garrafas dos vinhos catarinenses para apresentar, sempre que podia – afirmou.

Quem se habilita ser o garoto-propaganda?
Agora, quem se habilita a difundir os vinhos catarinenses? O governador Raimundo Colombo, que é da Serra Catarinense, pode ter o papel principal. Além disso, temos os três senadores com razões para atuarem junto nesse desafio. Paulo Bauer é apreciador de vinhos e espumantes, Dário Berger é natural de Bom Retiro, uma das terras produtoras de vinhos, e Dalirio Beber é um empresário que sabe da importância da vitivinicultura para dinamizar a economia de parte do Estado.

Vinhos de SC para a Estônia

08 de maio de 2015 0

EstôniaEntusiasmado com o potencial do enoturismo no Estado e com a qualidade dos vinhos, o secretário de Turismo, Cultura e Esporte, Felipe Mello (D), aproveita visitas de estrangeiros para divulgar os produtos locais. Ao receber ontem Mart Tarmak (E), embaixador da Estônia no Brasil, apresentou rótulos do Estado para ele conhecer e divulgar em seu país. A Estônia é uma ex-colônia da Rússia às margens do Mar Báltico, no Norte da Europa, com população em torno de 1,266 milhão de habitantes e PIB de US$ 35,4 bilhões (estimativa de 2014).
A divulgação dos vinhos de SC faz parte de projeto da secretaria em parceria com a Associação Catarinense de Produtores de Vinhos Finos de Altitude (Acavitis) para fortalecer a vitivinicultura e o turismo. O trabalho será em eventos de promoção turística estaduais, nacionais e internacionais.

Secretário de Estado de Turismo recebeu embaixador da Estônia e apresentou rótulos de vinhos de SC

08 de maio de 2015 0

Empenhado em difundir o enoturismo e vinhos de SC, o secretário de Estado de Turismo, Felipe Mello, recebeu ontem o embaixador da Estônia, Mart Tarmak e aproveitou para apresentar alguns rótulos. Sugeriu que levasse também para o seu país, na Europa.

::: Leia mais sobre enoturismo

Vinho vai ganhar um templo na França. SC representou o Brasil em evento

01 de maio de 2015 0

Vinho1Bela e promissora iniciativa. A ONU está apoiando a construção de um modernista templo dos vinhos, o Cité des civilizações du vin num dos berços do milenar produto: Bordeaux, França. Para obter fundos, realizou ontem um evento em Nova York com vinhos de 60 países produtores. E por talento e sorte de Santa Catarina, o Brasil foi representado apenas pelo vinho Innominabile Lote IV, da Vinícola Villaggio Grando, de Água Doce, Meio-Oeste do Estado.

Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

 

O complexo, que será inaugurado ano que vem, terá 14 mil metros quadrados e visa atrair cerca de 500 mil pessoas por ano, apresentando toda a diversidade da bebida que tem 5,5 mil anos de história e é produzida nos cinco continentes. A forma arredondada da construção permite várias leituras e tem como objetivo causar emoção num percurso multimídia do ambiente. No final, o visitante subirá na alta torre de vidro para contemplar os vinhedos de Bordeaux.

Essa arrecadação de fundos está sendo promovida pela ONU porque o projeto arquitetônico, feito pelo renomado escritório de Paris X-Tu, ficou mais caro. O objetivo é inaugurar em março do ano que vem e a novidade vai aquecer a economia da cidade que é considerada a capital mundial do vinho. As projeções são de que vai gerar receita de 40 milhões de euros por ano e gerar 250 empregos diretos.

Na imagem abaixo, o vinho catarinense oferecido no evento para artistas e lideranças do mundo todo. 

Innominabile (4)

Foto: Felipe Lazzaroto, divulgação

 

 

Treze Tílias na rota do vinho

31 de março de 2015 0

00ac71f2
Foto: Krantz, Divulgação

O empresário Walter Kranz (foto), fundador e sócio da Vinícola Kranz, foi o anfitrião da Vindima em Treze Tílias. Ao som de banda de música austríaca, em sintonia com a colonização local, recebeu visitantes na vinícola que fica no centro da cidade. Além de vinhos e espumantes, a Kranz produz sucos naturais de frutas e geleias.

Brinde aos vinhos de Santa Catarina

27 de março de 2015 0

00ac56e9
Foto: Júnior Duarte, Divulgação

A 2ª Vindima de Altitude, festa da colheita da uva, levou dezenas de autoridades e vitivinicultores para a Serra de SC. O governador Raimundo Colombo e o prefeito de São Joaquim, Humberto Luiz Brighenti (PMDB), brindaram a futura safra com vinho reconhecido pela qualidade elaborado na região. A festa oferece degustação gratuita em diversas cidades e projeta o setor.

Vinhos projetam a Serra de SC

15 de março de 2015 0

00abbe0d
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Entre paisagens de campos e araucárias, a Serra Catarinense conta com 35 vinícolas que consolidaram a região como produtora de vinhos de qualidade. Por isso, a Associação Catarinense dos Produtores de Vinhos Finos de Altitude (Acavitis) realiza de 26 a 29 deste mês a segunda vindima, a festa da colheita. O vice-presidente da associação, Ernani Garcia (foto), Médico oftalmologista e vitivinicultor, é um dos que investem com paixão na atividade.

Quais são as expectativas para a vindima deste ano?
Ernani Garcia –
É uma oportunidade para a Serra catarinense ampliar o turismo. O vinho, por meio do projeto da Acavitis, traz para o nosso Estado grandes benefícios. Ele projeta as belezas naturais da região que estavam um pouco esquecidas, incluindo municípios como São Joaquim, Urubici, Urupema, Lages, Água Doce e outros. Faltam opções de hotéis e restaurantes. A vitivinicultura chegou nos últimos 15 anos e evoluiu muito, com vinhos e espumantes maravilhosos. Não é mais uma aventura, é um fato, constituiu um conceito de um excelente produto. A Acavitis conseguiu trazer para esse projeto uma filosofia de trabalho mais ou menos parecida desde a seleção de mudas de variedades francesas e italianas até a produção em pequenas vinícolas. Os investidores são empresários dos setores madeireiro, cerâmico, metalúrgico, têxtil, saúde e outros. O futuro será ainda mais promissor.

O que os visitantes vão encontrar na festa deste ano?
Garcia -
Uma evolução muito grande em relação à primeira edição. Há mais vinícolas com a estrutura bem preparara para receber os turistas. Além disso, com o apoio do Ministério da Cultura, está sendo possível trazer apresentações de música e dança. A Escola do Ballet Bolshoi vai se apresentar na Vinícola Pericó, um dos locais mais bonitos da região. Vai ter degustação aberta ao público na praça de São Joaquim. Ano passado, as pessoas que foram à vindima se surpreenderam. Este ano será melhor. Os eventos serão em três núcleos: São Joaquim, Campos Novos – Tangará e Água Doce.

O que é necessário para o enoturismo avançar na Serra?
Gracia -
Mais infraestrutura hoteleira. Precisamos de um bom hotel que atrairá outros. Falta os empresários acreditarem no ramo da hotelaria porque o negócio do vinho já está sólido e as belezas naturais estão aí. A nossa Serra tem mais belezas naturais do que Gramado e Canela no RS. O governador disse que será criada a rota turística dos vinhos de SC. Ele também está otimista com a futura rodovia Caminhos da Neve, que ligará as serras de SC e RS.

Como o senhor ingressou no mundo do vinho?
Garcia -
É um projeto pessoal. Estudei na UFSC e faço Medicina de maneira intensa. Meu pai era camponês e tinha uma pequena distribuidora de bebidas em Biguaçu. Sempre gostei de campo, da música, das paisagens. Quando fui para São Paulo fazer residência em oftalmologia, estudei com filhos de fazendeiros e a gente visitava as fazendas. Voltei para Florianópolis porque aqui não havia ainda estrutura forte para cirurgia oftalmológica. Em 2000 comecei a investir em campo. Comprei área em Campo Belo do Sul, na Serra, para pecuária. Plantei as primerias videiras em 2006.

Como foi a decisão da plantar videiras europeias?
Garcia -
Como a terra era fértil e a região tinha baixo IDH, pensei em começar a mudar este perfil econômico, gerar oportunidade de trabalho (são 20 empregos diretos). Como na Medicina a gente sempre cria coisas novas, decidi fazer o mesmo no campo. Busquei parceria com a universidade (UFSC). Convidei o professor Aparecido Silva, experiente em forrageiras e gramíneas, para melhorar as pastagens. Num dia de campo um professor falou que a região poderia ter um vinhedo porque havia muito sol e clima seco. Iniciamos um projeto pequeno com uvas merlot, malbec, cabernet sauvignon e chardonnay. Plantamos em 2006 e fizemos a primeira colheita em 2008. Convidamos o PhD em vinhos da Epagri, Jean Pierre Rosier para fazer microvinhos e ele concluiu que poderíamos apostar no setor. Abrimos a vinícola Abreu Garcia (a marca leva os sobrenomes do casal Janaína Abreu e Ernani Garcia).

O que a Abreu Garcia oferece ao mercado?
Garcia -
Temos uma pequena vinícola própria, fazemos seleção manual da uva e focamos qualidade. Já lançamos dois espumantes brut, um branco e outro rosé elaborados pelo método champenoise, um vinho rosé, um sauvignon blanc, um chardonnay e dois tintos, um corte cabernet/merlot e um pinot noir. Abrimos loja exclusiva no centro de Florianópolis, estamos reforçando a comercialização no Brasil e vamos iniciar o enoturismo na vinícola em Campo Belo do Sul.

Vinho aumenta a longevidade?
Garcia -
Isso reforçou ainda mais meu empenho pelo setor. Muitos artigos destacaram a influência do vinho no aumento da sobrevida das pessoas. Trabalhos nos EUA mostram que o consumidor de vinho tem menor risco de desenvolver degeneração macular, que é uma doença degenerativa na retina. Cardiologistas recomendam para seus pacientes uma taça após as principais refeições porque melhora o fluxo sanguíneo e o bem-estar. Isso tudo tem a ver com nossos projetos: medicina e vinho.

Inovações para vinhos

06 de dezembro de 2014 0
Foto: Heraldo Carnieri, divulgação

Foto: Heraldo Carnieri, divulgação

Os vencedores do Prêmio Stemmer Inovação 2014 foram a Vinícola Panceri; a TNS Nanotecnologia, de Gabriel Nunes, em Florianópolis, que criou um antimicrobiano com nanopartículas; e a Brasil Materiais, de Fabiana Lima, em Palhoça, que fez um clareador dental com nanopartículas.

Celso Panceri disse que é difícil inovar em vinho, um produto milenar, mas a vinícola dele criou processo de elaboração de vinho licoroso com desidratação de uvas a frio, usou maceração carbônica em merlot e abriu um museu. Ele recebeu o prêmio na presença do presidente da Fapesc, Sergio Gargioni (E), do professor Marcelo Stemmer e de Glauco José Côrte (D), da Fiesc.

Com vinho e música

29 de agosto de 2014 0

Em ritmo de comemoração dos seus 17 anos, os supermercados Hippo realizam um outlet com 30 rótulos de vinhos importados. O evento se encerra hoje na loja da rua Almirante Alvim, no Centro de Florianópolis. A empresa também surpreende os clientes com apresentações de coral infantil nas lojas do Centro e do Passeio Pedra Branca.

Vinho de Brad Pitt e Angelina Jolie chega a SC

25 de agosto de 2014 5
Marival

Foto: Basilico, divulgação

O belo casal do cinema Brad Pitt e Angelina Jolie produz um vinho quase tão estrelado quanto eles. Trata-se do rosé Miraval, elaborado em um vale da vila Correns, região de Provence, França, que começa a ser vendido em SC. É oferecido na Pizzaria Basilico, da Lagoa da Conceição. A empresa conseguiu venda exclusiva no Estado. A vila Correns é a primeira aldeia orgânica da França. As videiras são cultivadas em terraços sem o uso de pesticidas ou produtos químicos que possam afetar as uvas e o vinho. Segundo a pizzaria, os consumidores que provaram o produto na Europa dizem que é espetacular. -A safra é de 2013 e foram produzidas apenas 2.398 garrafas, uma preciosidade – comentou Firmino Mariano, um dos sócios e responsável pela carta de vinhos da Basilico. O preço por garrafa é R$ 250. Não há venda fracionada por taça.

 

Angelina

Foto: Robyn Beck/AFP, 29/05/2014

Outlet de vinhos

22 de agosto de 2014 0

O Hippo, rede de supermercados da Grande Florianópolis, tem mais uma ação de aniversário. Realiza neste sábado, na loja da rua Almirante Alvim, no Centro, o evento Outlet Adega Hippo, com promoção de 30 rótulos importados. O outlet acontecerá de novo dia 28. Outra ação de aniversário de 17 anos é a série de apresentações de um coral infantil nas lojas da Capital e Pedra Branca este mês.

A propósito, as redes de supermercados estão com uma diversidade de vinhos porque reforçaram o estoque para o inverno, estação em que a bebida é mais consumida no Sul do Brasil.

Vinho único, gastronomia e show em Urussanga

11 de agosto de 2014 0

A região de Urussanga é a única do mundo a produzir vinhos e espumantes da uva Goethe. Foi com esses produtos exclusivos, pratos inovadores e música sertaneja que a cidade atraiu 65 mil pessoas para a 15ª Festa do Vinho, encerrada ontem. Um dos pontos altos foi o show do sertanejo universitário Luan Santana, que atraiu 14 mil pessoas na madrugada de sábado. A festa ofereceu pratos exóticos como o pastim (sanduíche de polenta com queijo e hambúrguer), balote calde (bolinho com calda de vinho) e chope de vinho.

Foto: Samira Pereira, Divulgação

Foto: Samira Pereira, Divulgação

Bodas de Vinho e longevidade

16 de junho de 2014 1

Karine8

O consumo de uma taça de vinho por dia colabora para a longevidade como mostram pesquisas e pessoas que vivem mais de 90 anos. Um novo exemplo disso é o casal Odilo (90 anos) e Maria Clotilde Wenzel (90), que comemorou sábado 70 anos de casamento – as Bodas de Vinho – em Cerro Largo, município de 15 mil habitantes e que está na Roda das Missões, no Rio Grande do Sul.

Odilo conta que ele e a esposa costumam beber um pouco de vinho diariamente. O cartorário aposentado e dona Clotilde tiveram 13 filhos (11 vivos atualmente) 25 netos e 14 bisnetos. Segundo eles, o segredo de todo esse tempo de vida em comum é a cumplicidade.

O casamento foi em 1943, um ano após o início do namoro para que ele não fosse convocado pelo Exército para defender o Brasil na Segunda Guerra Mundial. Outro fato marcante para ele foi ter registrado, também com o nome Odilo, o atual arcebispo Dom Odilo Scherer, que foi um dos cotados para papa.

A festa dos 70 anos de casamento de Odilo e Maria Clotilde foi sábado, com muito vinho para todos os familiares e amigos. E a lembrança aos convidados não poderia ser outra: uma garrafa de vinho tinto, o preferido de Odilo, com uma foto do animado casal. A propósito, as Bodas de Vinho são mais uma razão para os produtores da bebida difundirem seus benefícios para a saúde e, assim, atrair mais adeptos.