Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Eletrosul"

Carvão, tecnologia e outros destaques desta quarta-feira

26 de agosto de 2015 0

Ao assumir na terça-feira (25) a presidência da Frente Parlamentar do Carvão Mineral, o senador Paulo Bauer planejou ações de apoio ao setor na Região Sul. Segundo ele, o ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, disse que o país precisa ampliar a geração a carvão e que vai agendar visita ao Sul de SC. E o ministro do Trabalho, Manoel Dias, contou que trabalhou no setor quando criança e destacou o avanço do Centro Tecnológico de Carvão Limpo, em Criciúma.

Armínio em jaraguá

O economista Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central que também foi o nome escolhido pelo candidato Aécio Neves para ser ministro da Fazenda, faz palestra nesta quinta-feira (27) à noite no 59º Encontro Empresarial de Jaraguá do Sul. O evento é organizado pela Acijs e o tema será A nova visão da economia brasileira. Interessados podem participar do eventomediante inscrição.

Apólice única

Gigante de geração e distribuição de energia, a Eletrosul decidiu unificar os seguros de todos os seus bens. O diretor administrativo da empresa, Paulo Afonso Evangelista Vieira, reúne corretores e resseguradoras amanhã para apresentar o projeto de unificação das apólices da companhia. Um dos objetivos da contratação única é reduzir os custos do serviço.

Índice positivo

Pesquisa da Pnad do IBGE que aponta desocupação de 3,9% dos trabalhadores em Santa Catarina, o menor índice do Brasil, comprova que o modelo econômico do estado está correto. A busca de ocupação cresce no país porque durante a crise mais pessoas saem para procurar trabalho.

Involves

Longe da crise, a Involves Tecnologia, do setor trade marketing, informa que vai contratar 30 profissionais até o final do ano para as áreas de desenvolvimento, suporte ao cliente, vendas e administração. Essa é a segunda expansão em menos de um ano e, após concluirmos o processo, chegaremos a 70 colaboradores, quase o dobro do que temos disse André Krummenauer, diretor da empresa.

Lei as últimas notícias

Encontro em Brasília garante reforço na transmissão de energia para Santa Catarina

12 de agosto de 2015 0

Por Julia Pitthan*

A novidade para Santa Catarina no Programa de Investimento em Energia Elétrica (Piee) anunciado na última terça-feira (11) pela presidente Dilma Rousseff, em Brasília, é o reforço no sistema de transmissão do Estado. Dois lotes com o objetivo de revigorar as redes de SC, PR e RS serão leiloados em agosto, com investimentos de R$ 1,4 bilhão. Segundo Djalma Berger, presidente da Eletrosul que acompanhou o lançamento em Brasília, o projeto terá prazo de execução de 48 meses.

Em outubro, o leilão de uma segunda linha de transmissão está prevista no Estado (de Blumenau a Curitiba Leste). De acordo com Berger, o investimento garante a ligação do sistema de geração do Sul com o Sudeste, principal região consumidora do Brasil.

Na geração de energia, Santa Catarina aparece com potencial para a construção de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) – a apresentação do Ministério de Minas e Energia não assinalou iniciativas para usinas fotovoltaicas (solares) ou eólicas na região. No leilão que será realizado no dia 28 de agosto, o Estado teve seis projetos de PCHs habilitados, com uma oferta de 57MW.

No total, o governo federal anunciou investimentos de R$ 186 bilhões até 2018 em energia elétrica, considerando empreendimentos já planejados e anunciados anteriormente. Até 2018, são R$ 81 bilhões e R$ 105 bilhões a partir de 2019.

Alívio

Na lista de boas notícias sobre energia, a indústria também comemorou terça-feira (11) a suspensão da bandeira tarifária vermelha, que vigorava desde janeiro. A estimativa é de um desconto de 15% a 20% no atual valor, que é de r$ 5,50 para cada 100 kilowatts-hora consumidos.

Leia as últimas notícias 

* A colunista Estela Benetti está em férias até dia 19 de agosto, neste período a jornalista Julia Pitthan assume como interina.

Chuvas reduzem o preço da energia

29 de julho de 2015 0

Enquanto o cenário atual é de tarifa de energia nas alturas, com projeção de alta de quase 95% para os consumidores da Celesc caso o reajuste do mês que vem seja aprovado, o preço da energia começa a cair no curto prazo. A boa notícia foi destacada pelo presidente da Tractebel Energia, Manoel Zaroni, antes do evento de posse da Eletrosul, ontem, e foi confirmada também pelo presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, e pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério das Minas e Energia, Altino Ventura Filho, que representou o ministro Eduardo Braga no evento. Conforme Zaroni, o preço da energia no mercado, que estava em R$ 388 por MWh, já está em R$ 170. Isto em função da queda da carga e melhor nível de chuvas (hidrologia). Esse cenário deve continuar, informou o empresário.
A coluna apurou que, com essa redução de preço, o consumidor poderá pagar um pouco menos em agosto porque a bandeira tarifária, ao invés de ser vermelha, poderá ficar amarela. Quando é amarela, a conta de luz sobe R$ 2,50 a cada 100 kWh consumido. Se for vermelha, sobe R$ 5,5 a cada 100 KWh utilizados. O presidente da Eletrobras também ressalta a queda do preço da energia. Segundo ele, com as condições de hidrologia melhorando, o preço começa a cair. Ele acredita que em 2016 e 2017 será possível voltar ao normal, com o desligamento das térmicas temporárias.
– Estamos num período muito difícil. A notícia boa é que o sistema está tão bem preparado que numa das maiores crises hídricas da história do Brasil não será necessário fazer racionamento – disse Carvalho Neto.
Conforme Ventura, o preço da energia vai cair também em função da conclusão de obras, como novas usinas e linhas de transmissão, e da entrada de cerca de 30 usinas no regime de cotas.

Regime de cotas

O esforço da Federação das Indústrias do Estado (Fiesc) para viabilizar distribuição maior de energia do regime de cotas (aquela mais barata) para a Celesc, relativa a contratos já realizados não será fácil. Altino Ventura, do Ministério das Minas e Energia, diz que esse equilíbrio está sendo seguido. A Fiesc disse que esse critério não foi obedecido no passado e vê nessa mudança uma chance de reduzir a tarifa.

Eletrosul empossa novos diretores

28 de julho de 2015 2
Hermínio Nunes, Eletrosul, divulgação

Hermínio Nunes, Eletrosul, divulgação

Com as arestas políticas já aparadas, foi em clima amistoso as posses na Eletrosul, na manhã de terça-feira. O engenheiro civil e ex-empregado da empresa, Djalma Berger, assumiu a presidência; o ex-deputado Claudio Vignatti, a diretoria Financeira; e Antonio Vittori, a diretoria de Operações. Em seu discurso, Berger ressaltou os números gigantes da estatal. Lembrou que até 2016, a empresa vai alcançar geração de 2 GW (gigawatts) com usinas hidrelétricas, eólicas e fotovoltaicas. Além disso, também vai crescer 52% em transmissão com lotes de 2,1 mil quilômetros de linhas e outras obras que somam mais de R$ 3,2 bilhões em prazo de 36 meses.

– Os números, por si só, demonstram o enorme desafio que temos pela frente, na conclusão dos projetos em andamento, bem como da viabilização dos que ainda temos que iniciar – afirmou Djalma Berger.

A posse foi realizada pelo presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto e teve a participação do secretário de Planejamento do Ministério das Minas e Energia, Altino Ventura. Paulo Afonso Vieira segue na diretoria de Administração e Ronaldo Custódio, na diretoria de Engenharia. Na foto, Vittori (E), Altino, Carvalho, Berger e Vignatti.

Nova função
Ex-presidente da Eletrosul, Eurides Mescolotto atua, agora, como diretor da SPE Irapuru, dona de linha de transmissão nova no Oeste do Paraná.
O capital da unidade é 70% da Eletrosul e 30% do fundo dos empregados da estatal, o Elos.

Leia as últimas notícias

Eletrosul: Djalma Berger afirma que não estão descartados projetos de geração a carvão

23 de julho de 2015 0

Ao falar sobre novos investimentos da Eletrosul, o novo presidente da companhia, Djalma Berger disse que as energias limpas estão recebendo atenção maior, mas não estão descartados projetos de geração a carvão.

Segundo ele, as tecnologias de controle de emissões avançaram muito no mundo. Adiantou que vai falar sobre o assunto com a Satc, instituição de ensino de Criciúma que avança em pesquisa de novas tecnologias nessa área.

Leia as últimas notícias

Eletrosul está com as finanças equilibradas, dizem novos diretores

22 de julho de 2015 2

Maior estatal do Sul do país, a Eletrosul acaba de mudar a diretoria em função de mais um acordo político. Na sua primeira entrevista coletiva, ontem, o novo presidente da companhia, Djalma Berger, e o novo diretor financeiro, Claudio Vignatti, informaram que a empresa está com as finanças equilibradas e a maioria das obras em andamento está dentro do cronograma. Uma boa notícia foi a decisão da Aneel de excluir 560 dias do cronograma da gigante usina Jirau, relativos ao período em que sofreu dois incêndios criminosos. A Eletrosul é dona de 20% da hidrelétrica do Madeira que, agora, não vai ter que comprar energia cara para compensar esse atraso na construção.
Conforme Vignatti, as obras em andamento envolvem mais de R$ 1 bilhão em recursos atualmente. Há atrasos pontuais em função de licenças ambientais. Um dos planos dos dois diretores é visitar os governadores dos quatro Estados em que a Eletrosul atua – Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul. Além de falar sobre os projetos, a intenção é fazer contato com órgãos ambientais para dar mais atenção às licenças atrasadas.
Sobre novos investimentos, Djalma Berger falou que as energias limpas estão recebendo atenção maior, mas não estão descartados projetos de geração a carvão. Disse que as tecnologias de controle de emissões avançaram muito e que vai falar sobre o assunto com a Satc, instituição de Criciúma que pesquisa novas tecnologias na área.

Megawatt Solar

24 de outubro de 2014 1

Empresas interessadas em participar do leilão de venda da energia da Usina Megawatt Solar, baseada nas coberturas da Eletrosul, devem se inscrever até as 18 horas de segunda-feira. O leilão será no formato eletrônico, no dia 30 deste mês. Um dia antes haverá uma simulação. O edital e o termo de adesão estão disponíveis no site da Eletrosul.

Energia sustentável na ONU

14 de outubro de 2014 0

A Organização das Nações Unidas (ONU) lança amanhã, em Santiago, Chile, a Década da Energia Sustentável para Todos na América. O evento reúne governos, bancos de fomento e agências que incentivam o setor. O presidente do Instituto Ideal, Mauro Passos, vai apresentar dois projetos: o Megawatt Solar da Eletrosul e o projeto de pesquisa da Tractebel em energia fotovoltaica, coordenado pelo diretor do Ideal, Ricardo Ruther.

Eletrosul fecha primeiro semestre com lucro superior ao do mesmo período em 2013

14 de agosto de 2014 0

A Eletrosul fechou o primeiro semestre do ano com lucro líquido de R$ 185,1 milhões, 69% superior ao do mesmo período de 2013, que somou R$ 109,5 milhões. Ajudaram no resultado positivo mais receitas com geração, reversão parcial de contratos onerosos e receitas de Sociedades de Propósitos Específicos.

Empresas se voltam à energia alternativa

23 de julho de 2014 0

A indústria do país pretende aproveitar mais oportunidades de geração de energia limpa com a instalação de usinas solares e eólicas em seus parques fabris. O tema será abordado hoje à tarde na reunião do Conselho de Política Industrial da CNI com palestra do presidente do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal), Mauro Passos, que foi convidado pelo presidente do Sistema Fiesc, Glauco José Côrte. As projeções apontam que as Américas vão investir nessas fontes alternativas cerca de US$ 1,3 trilhão até 2030, informa Passos com base em dados da Bloomberg. Só em energia solar serão 100 GW.

–A indústria quer conhecer melhor os cenários e as oportunidades porque a oferta de energia passa por uma fase de incertezas, diante de preços elevados – afirma Passos.

Segundo ele, as empresas podem instalar usinas solares ou aerogeradores. Isso reduz os custos e melhora a oferta. Além de empresas de diversos setores, cresce também o interesse do governo em investir no setor. Um impulso virá do leilão de outubro, que pretende acolher 860 MW em parques solares.

O Estado se destaca na geração solar. Tem a maior usina solar urbana, a da Eletrosul, e a maior em área aberta, no Sul do Estado, que tem entre os parceiros a Tractebel. A GM de Joinville tem usina solar e a Ciser planeja o mesmo. Uma unidade solar para residência custa de R$ 10 a R$ 15 mil e oferece retorno em oito anos. Além disso, aumenta numa maior média o valor de mercado do imóvel.

Clube das bilionárias ganha mais uma empresa

27 de março de 2014 0

A Portobello, maior indústria de revestimentos cerâmicos da América Latina, entrou no seleto clube das empresas catarinenses bilionárias. A companhia comandada por Cesar Gomes Junior atingiu receita bruta de vendas de R$ 1,05 bilhão no ano passado, 19% mais do que em 2012. O lucro líquido do período alcançou R$ 90 milhões, 38% superior ao do ano anterior. A empresa está investindo R$ 210 milhões em fábrica no Estado de Alagoas vai lançar a marca Pointer,de preço mais acessível para o mercado nordestino.

As bilionárias de SC
O clube citado pela coluna considera a receita bruta de vendas (faturamento). No ranking elaborado pela revista Amanhã e a consultoria PwC no ano passado, com base nas receitas de 2012, as bilionárias do Estado são: BRF, Bunge, Tractebel, WEG, Celesc, Eletrosul, Aurora, Tigre, Tupy, Hering, Angeloni, Casan, Cooperalfa, Chapecoense Geração, Ciser, Tuper, Enercan, Schulz e Dass. No ano de 2013, a Portobello entrou no clube. Mas há grupos catarinenses com diversas empresas que, pela forma de organização societária, não aparecem como bilionários, mas sua receita bruta ultrapassa R$ 1 bilhão. Nessa lista dá para citar a Havan, grupo Pereira (Comper e Fort Atacadista), Giassi Supermercados, empresas da família Weege (Malwee) e outras.

Atualização em 28 de março, às 2h

Em números

Empresas       Receita RLV ou RBV/ano  (em R$ bilhões)

Bunge                  38,4 (RLV-2012)

BRF                      30,5 (RLV-2013)

WEG                       6,8 (RLV-2013)

Aurora                  5,7 (RBV-2013)

Tractebel               5,6 (RLV-2013)

Celesc                      4,5 (RLV-2012)

Tupy                         3,1 (RBV-2013)

Tigre                       2,9 (RBV-2013)

Angeloni              2,2 (RBV-2012)

Eletrosul             1,9 (RBV-2012)

Cooperalfa           1,8 (RBV-2013)

Hering                 1,7 (RLV-2013)

Portobello           1,0 (RBV-2013)

Giassi                      1,0 (RBV-2012)

Havan*                  1,0 (RBV-2012)

Malwee*              1,0 (RBV-2012)

Tuper*                1,0 (RBV-2012)

Dass*                   1,0 (RBV-2012)

G. Pereira          4,0 (RBV-2014 – estimativa)

* Mais de R$ 1 bilhão

RBB=Receita Bruta de Vendas ou faturamento

RLV=Receita Líquida de Vendas