Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "santa catarina"

Campanha incentiva teste de visão e óculos para crianças

20 de outubro de 2015 0
Foto: Site Óticas Carol, reprodução

Foto: Site Óticas Carol, reprodução

Com o slogan Toda criança tem o direito de enxergar o mundo mais bonito, a rede Óticas Carol, líder no segmento com 850 lojas no Brasil, lançou a campanha Pequenos Olhares. O objetivo é despertar para os problemas de visão na infância e oferecer óculos a preço acessível.De acordo com o presidente da empresa, Ronaldo Pereira, 30% das crianças têm algum tipo de dificuldade para enxergar, o que dificulta muito o aprendizado. A campanha começou em 20 lojas no país, mas em 2016 chegará a todas. Em Santa Catarina, a unidade que já participa é a da rua Felipe Schmidt, no Centro de Florianópolis. A criança de menor renda ganha uma armação e as lentes podem ser adquiridas por R$ 49 à vista ou por 10 vezes de R$ 4,90. A foto acima integra as imagens da campanha no site da marca.

Leia as últimas notícias

Casan mantém grau de investimento

19 de outubro de 2015 1

Enquanto boa parte das empresas perde o grau de investimento em função da crise, a Casan manteve o seu. A agência Fitch reavaliou o rating da estatal de Santa Catarina este mês. Passou de AA- para A- (reduziu duas posições) mas explicou que a empresa segue em condições de pagar suas dívidas e financiamentos.

Leia as últimas notícias

Efeitos da mudança do clima no Brasil

13 de outubro de 2015 0

O Plano Nacional de Adaptação à Mudança do Clima (PNA) é um extenso trabalho elaborado por diversos ministérios com liderança da pasta do Meio Ambiente para reduzir a vulnerabilidade do Brasil às mudanças climáticas. Foi lançado na última semana e está aberto para consulta pública. Envolve os setores de agricultura, recursos hídricos, segurança alimentar e nutricional, biodiversidade, cidades, gestão de risco aos desastres, indústria e mineração, infraestrutura, povos e populações vulneráveis, saúde e zonas costeiras.

Vale observar que, apesar de o Brasil ser o número um em patrimônio ecológico considerando florestas, uso de energia limpa e outros itens, o país não está preparado para enfrentar mudanças climáticas. Prova disso é o caos vivido por São Paulo na falta de água. Santa Catarina registra, com frequência, secas no Oeste, tempestades, chuvas intensas, ciclones e outros problemas. A consulta pública está aberta desde quinta. Para quem quer opinar, o basta entrar no site do Ministério do Meio Ambiente.

Leia as últimas notícias

Avanço do setor náutico projeta vocação de SC

07 de outubro de 2015 0

Com empresas criativas e belíssimos 500 quilômetros de costa, Santa Catarina atingiu a liderança nacional na indústria náutica nos últimos anos e, agora, consolida esta posição que promete um ciclo ainda mais dinâmico. Na São Paulo Boat Show, maior feira de náutica da América Latina, que se encerrou ontem (06), dos 25 estaleiros presentes, 12 eram catarinenses, 48% do total, apurou o administrador do Projeto Polo Náutico do Sebrae/SC, Roberto Tavares. Segundo ele, isso reforçou a nova posição do Estado identificada no primeiro mandato do governador Raimundo Colombo, em 2012, quando a Secretaria de Desenvolvimento (SDS), na época comandada por Paulo Bornhausen, passou a pesquisar a nova economia e apurou crescimento de 106% da receita do setor frente ao ano anterior, 2011, somando mais de R$ 1 bilhão.

Esse resultado foi alcançado em função dos estaleiros já instalados, como pioneiro Schaefer, fundado por Márcio Schaefer; o Fibrafort e outros; e, também, os multinacionais que vieram com apoio do governo de Luiz Henrique, como Azimut, Brunswick e Sasse Marine. Todos marcaram presença no SP Boat Show. A mostra teve, ainda, as participações do FS Yatchs e Singular Boats, além dos cinco apoiados pelo Sebrae: Gamer Náutica, M1 Yachts, Brasboats. Mastro D’Ascia e Sec Boats. Conforme Tavares, em 2013 SC contava com 48 estaleiros de todos os portes que geravam 1.293 empregos diretos em 2013. Mais dois, de pequeno porte, estão fazendo contato para se instalar no Estado.

O clima na SP Boat Show foi de otimismo, mas o organizador Ernani Paciornic disse que as vendas poderão ser iguais a da edição de 2014 ou até 10% menores, o que não é ruim diante da crise. O setor de carros recuou cerca de 30%.

Leia as últimas notícias

Outubro Rosa mais forte em Santa Catarina

06 de outubro de 2015 0
Divulgação

Divulgação

Mês de alerta para fazer exames visando prevenção de câncer de mama, outubro gera uma onda cada vez mais forte em Santa Catarina, envolvendo trabalho voluntário, investimentos em saúde e impulsionando vendas. Em Florianópolis, a campanha Outubro Rosa é liderada pela Associação Brasileira de Portadores de Câncer (Amucc) – seccional da região, presidida por Leoni  Margarida Simm, e tem como lema  Mais tempo a meu favor (#maistempoameufavor). O lançamento será nesta quarta-feira à tarde, em frente à Catedral Metropolitana, com simultânea de mais de 300 vozes de corais da cidade, sob a regência do maestro Robson Medeiros Vicente.

A maioria das cidades do Estado realiza suas campanhas, o que está contribuindo para identificação de casos da doença com antecedência e melhorando as condições de tratamento, afirma Leoni Simm. Ela é uma das voluntárias mais ativas desse movimento. Chegou a participar de eventos da ONU, em Nova York, representando as mulheres portadoras de câncer de mama.

Divulgação

Divulgação

A camiseta da campanha tem desenho criado pelo artista plástico Luciano Martins , que também criou produtos na cor rosa para a Condor, de São Bento do Sul. Outra empresa que entrou nessa onda é a Deluria, de Florianópolis.Lançou camisetas e mais itens para o período. O lançamento será hoje (07) à noite. A Dudalina, de Blumenau, sempre aproveita o mês para oferecer uma variedade de camisas em tons rosa e outros produtos. A 2Rios, de Joinville, oferece lingerie na cor da campanha e doa parte dos recursos para a Rede Feminina de Combate ao Câncer do município.

Hospital de Joinville promove campanha de doação de lenços para tratamento contra o câncer
Rede Feminina de Jaraguá arrecada mais de R$ 30 mil com pedágio solidário

Raimundo Colombo lança CPESC Saúde e outros destaques desta terça

06 de outubro de 2015 0

Beleza

O Boticário, lançou o Eau de Parfume Elisée, sua nova aposta para o mercado de fragrâncias femininas. Além dos três anos investidos em pesquisas de produtos, a marca também prestou especial atenção à identidade do produto, vendido como joia.

Design

A Faculdade de Tecnologia nova Palhoça (Fatenp/Unigranrio) realiza desde ontem (05) até quinta a 3ª Semana do Design, organizada pelo curso de design de interiores. palestras, exposições e oficinas estão na programação. Estilista da Karsten, Janaína Amadori vai falar sobre processo criativo. A Docol também participa.

Cpesc saúde

Administradores de hospitais do Estado terão, a partir de hoje, cartões de crédito para o pagamento de pequenas despesas. O governador Raimundo Colombo lança o CPESC Saúde com o objetivo de qualificar o gasto público. Cada cartão terá limite de até R$ 8 mil por bimestre. Assim, serviços não precisarão ser interrompidos por falta de algum produto de baixo valor, explicou o secretário de Estado da Fazenda, Antonio Gavazzoni.

Tecnologia fácil de usar

Os aparelhos de celular, tablets e notebooks facilitam a vida das pessoas, mas é preciso saber usar. Atento a isso, o grupo Herval lança a rede de lojas Mistertech, que tem como foco explicar para o cliente como usar celular, tablet ou notebook. A primeira unidade especializada em traduzir o informatiquês será aberta sexta no Iguatemi Florianópolis. A empresa atua com uma série de marcas mundiais como HP, LG e outras.

Maça da China

A Comissão de Agricultura da Câmara realiza hoje à tarde uma audiência pública para debater a entrada de maçã chinesa no mercado brasileiro. A Associação Brasileira dos Produtores de Maçã, com sede em Santa Catarina, alerta sobre os riscos econômicos, sanitários e de saúde caso o Brasil realmente abra o mercado para o ingresso das frutas chinesas. O país asiático produz 50% da maçã mundial.

 Leia as últimas notícias

Com realismo tarifário, preços sobem mais rápido

01 de outubro de 2015 0

Muitos ficaram surpresos com o anúncio do reajuste de combustíveis terça à noite pela Petrobras, mas como a eleição municipal está longe, a companhia pôde seguir o realismo tarifário, ou seja, a prática de transferir logo aos preços as altas de custos. No caso do combustível, a pressão vem do dólar, que subiu 52% de janeiro a agosto deste ano. Apesar do susto, esta alta vai acrescentar cerca de 0,2 ponto percentual na inflação oficial. Além disso, dia 16 será incluído o ICMS sobre esse reajuste, o que elevará mais os preços ao consumidor.

O peso maior do realismo tarifário por parte do governo federal ocorre no setor energético. No caso da conta de luz, Santa Catarina já acumula reajuste próximo de 50% este ano, incluindo bandeira tarifária. Por isso a inflação oficial, o IPCA, caminha para fechar o ano em dois dígitos, acima de 10%, o que é demais especialmente num período recessivo. A soma do dólar mais os combustíveis e outros reajustes não dão trégua para a inflação, que resulta da alta generalizada de preços.

Dolár abre outubro em queda e é cotado abaixo de R$ 4 nesta quinta
Pagamento de FGTS para trabalhadores domésticos passa a ser obrigatório

A crise derrubou a venda de bens de alto valor, como imóveis, automóveis e eletrodomésticos, mas o consumo de combustíveis praticamente se mantém no Estado. É isto que mostram os dados da Secretaria de Estado da Fazenda. No mês de agosto frente ao mesmo período de 2014, a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis teve uma alta nominal de 8,44%, o que significa estabilidade porque quase empata com a inflação. Isso também fica claro no acumulado de janeiro a agosto, quando a arrecadação do tributo pelo setor cresceu 6,36% frente aos mesmos meses do ano passado. Os engarrafamentos nas cidades também confirmam isso. Apesar do combustível mais caro, as pessoas não estão deixando os automóveis em casa.

Apesar desse novo aumento de combustíveis e de outros custos devido ao dólar, a expectativa dos analistas é de que a inflação será menor em 2016. É que os preços represados em anos anteriores já foram absorvidos.

Leia as últimas notícias

Estado vai aprovar incentivo para produção de gado precoce

01 de outubro de 2015 0

Programa estadual que apóia a criação e abate de bovino precoce vai ganhar novos parâmetros. O objetivo é melhorar a qualidade da carne com um novo incentivo tributário. Atualmente, recebem retorno de ICMS produtores que entregam a frigoríficos bovinos ou bubalinos (búfalos) com até 30 meses de idade, máximo de quatro dentes incisivos e com carcaça que pesa no mínimo 240 quilos para machos e 210 quilos no caso de fêmeas. Essa vantagem vai continuar, mas o produtor ganhará incentivo maior se entregar animais ainda mais precoces, conforme prevê o novo projeto, que ganhou emenda do deputado Gabriel Ribeiro (PSD).

A nova opção é pagar ao produtor o montante relativo ao ICMS que o frigorífico deixa de recolher ao Estado de Santa Catarina por entregar animais com até 20 meses, no máximo dois dentes incisivos e que tenham peso mínimo de 210 quilos no caso de machos, e de 180 quilos, para fêmeas. Para animar os pecuaristas, os autores do projeto informaram que um frigorífico devolveu aos produtores, de janeiro a agosto, R$ 1,5 milhão relativo a ICMS que não foi para o Tesouro estadual.É uma cifra motivadora, especialmente para pequenas propriedades rurais. Imaginem duas dezenas de frigoríficos com retornos assim. Mas para ter animais precoces,.é preciso gestão, ou seja, investir em boa genética e pastagens. Caso o produtor não tenha conhecimento, pode pedir ajuda à Epagri ou cooperativa da sua região.

Leia as últimas notícias

SC abre portas para mais negócios com empresas alemãs

23 de setembro de 2015 0
Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS

Apesar de profundas, as crises política e econômica do Brasil não ofuscaram o maior Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA) já realizado no país, que se encerrou ontem (22), em Santa Catarina. Empresas, instituições e o setor público catarinenses se aproximaram mais de seus pares no gigante europeu. Parcerias já foram encaminhadas e negócios deverão ser firmados a partir de agora, se estendendo para os próximos anos. Pontos para os anfitriões que não mediram esforços para convidar os alemães: o presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiesc), Glauco José Côrte, o prefeito de Joinville Udo Döhler; o executivo estadual com as participações do governador Raimundo Colombo e o secretário de Assuntos Internacionais Carlos Adauto Virmond, além de outras lideranças. Entre as parcerias fechadas está uma sobre fotônica, firmada pelo presidente do conselho da Fundação Certi Carlos Schneider, com região de Berlin. Outras foram abertas com o governo a Thuríngia.Döhler diz que foi o maior encontro porque este, ao invés de 130 vieram 200 empresários alemães.

Complicado
Um dos painéis de ontem (22) foi o que tratou da norma de proteção no trabalho, a NR 12. Essa medida está reduzindo a venda de máquinas industriais no Brasil. Hermann Wegner, diretor da VDMA, a associação dos fabricantes de máquinas da Alemanha, que foi um dos painelistas, disse que o ideal seria que o Brasil adotasse o padrão europeu de máquinas. A Ásia aceita e os EUA pedem alguma mudança, às vezes. O consultor jurídico da Fiesc, Carlos Kurtz também defende essa mesma solução.

Longo prazo
Uma das lições que os empresários alemães deixaram ao Brasil nesse evento foi a visão de longo prazo. Isso ficou claro na fala do ministro de Economia, Ciência e TEcnologia Digital da Turingia, Wolfang Tiefensee, ao convidar os brasileiros para o próximo EEBA, no seu Estado, em 2016. A presidente da Câmara de Comércio Exterior da Fiesc, Maitê Bustamante, enfatizou a ênfase na inovação e na qualidade da educação em todas as fases, mostrada pelos alemães no encontro.

O que o Brasil pode aprender com o sistema de ensino alemão
Alemães mostram confiança no Brasil e na recuperação política e econômica

Greve dos fiscais agropecuários afeta exportações de SC

22 de setembro de 2015 0

Mais uma vez, os fiscais agropecuários que atuam em portos, agroindústrias e fronteiras cruzaram os braços. Segundo o diretor do Sindicato das Indústrias de Carnes de Santa Catarina, Ricardo Gouvêa, o movimento começou sexta (18), as empresas já acumulam cargas, estão perdendo exportações e o setor está tentando, de todas as formas, convencer o governo federal a negociar com a categoria. O superintendente do Ministério da Agricultura em Santa Catarina, Jacir Massi, diz que os fiscais solicitam reajuste de 5% este ano e em 2016. A partir de amanhã, os técnicos administrativos também vão parar. Empenhado em viabilizar o fim da greve em função do momento difícil da economia, ele pediu apoio para a ministra da Agricultura, Kátia Abreu.

O agronegócio do Estado vem perdendo receita de exportação, justamente agora que o dólar está alto. A preocupação é tanta que Gouvêa foi para Brasília. Nesta terça, em nome do setor, pediu apoio para a Frente Parlamentar Catarinense presidida pelo deputado Mauro Mariani (PMDB) para que os deputados e senadores pressionem o governo federal por uma solução imediata. O pleito não é elevado, não chega ao total da inflação, mas o Ministério do Planejamento, que tem a caneta na mão, não está disposto a negociar e aceitar pressões, até porque não tem dinheiro.

Para o diretor do Sindicarnes/SC, as reivindicações são legítimas, mas a greve ocorre em momento errado, quando o país passa por uma profunda crise e precisa das receitas e impostos da atividade do agronegócio, uma das poucas que estão conseguindo exportar.

- As fábricas estão com estoques elevados e perdendo embarques, o que compromete contratos internacionais e causa elevadas perdas a toda a cadeia produtiva. O juiz concedeu liminar exigindo que os fiscais emitam os certificados independente de números, mas eles estariam emitindo somente 30% – diz Gouvêa.
Na opinião dele, os profissionais deveriam negociar os pontos do acordo sem entrar em greve, considerando o momento difícil da economia brasileira.

Leia as últimas notícias

Livro lançado no Encontro Brasil-Alemanha busca inovação nas empresas

22 de setembro de 2015 0

divulgação

Um dos eventos do Encontro Brasil-Alemanha foi o lançamento do livro Qualidade da Inovação – Sobre o valor do novo. A publicação é alemã, mas ganhou um capítulo brasileiro, escrito pelo IEL de Santa Catarina, em projeto liderado pelo superintendente da instituição, Natalino Uggione, em parceria com a Steinbeis School of International Business and Entrepreneurship (Sibe). O livro propõe um método para qualificar a inovação praticada nas empresas. Executivos da Steinbeis ressaltaram que, para uma economia ter sucesso, é preciso inovação, inovação e inovação. A apresentação da obra é do presidente da Fiesc, Glauco José Côrte.

Também foram lançados em parceria um mestrado e um MBA em Gestão Internacional. Na foto, Uggioni (E) com Wolfgang Wolf (D), diretor da Associação das Indústrias de Bandenwürtenderg, e Franziska Kococh, da Sibe.

Leia as últimas notícias

Thuringia, no coração da Alemanha, será estado irmão de Santa Catarina

22 de setembro de 2015 0

 

Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Estado que vai sediar a edição 2016 do Encontro Econômico Brasil-Alemanha, a Thuringia já começou uma sólida aproximação com Santa Catarina. Foi assinado ontem (21) no evento, em Joinville, pelo governador Raimundo Colombo (no Centro, à esquerda) e o ministro da Economia, Ciência e Segurança Digital do Estado da Turíngia, Wolfang Tiefensee (no Centro, à direita), um acordo para que Thuringia seja estado irmão de SC. Também participaram do evento o  embaixador da Alemanha no Brasil, Dirk Brengelmann, o presidente da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), Glauco José Côrte, o presidente da Assembleia Legislativa Gelson Merisio e o prefeito de Joinville, Udo Döhler. 

A parceria visa aproximação nas áreas econômica, cultural, esportiva e outras. Situada no coração da Alemanha, a Thuringia é a terra das famosas lentes Zeiss, detém um polo líder mundial em fotônica, e em seu território foi feita a primeira BMW.

É uma região rica, com patrimônios histórico e arquitetônico únicos. Conta com 2,2 milhões de habitantes, PIB de 54,3 bilhões de euros, indústria com receita de 32 bilhões de euros, suas exportações, no ano passado, somaram 13,1 bilhões de euros e conta com 10 instituições de ensino superior. Se destaca nos setores automotivo, eletrônica, ótica, engenharia de precisão, tecnologia médica, ciências biológicas, logística e engenharia renovável. Sua capital é Erfurt, mas sedia cidades importantes como Gera, Jena (sede da Carl Zeiss) e Weimar

Socorro ao JEC
Na reunião com lideranças de Joinville como o prefeito Udo Döhler e o presidente do Joinville Esporte Clube (JEC) Nereu Martinelli  foi acertada a primeira parceria com a Thuringia. O técnico do clube daquele estado alemão, Peter Schreiber, vai prestar consultoria para o JEC. O trabalho começa esta semana, aproveitando a presença dele na cidade. 

Leia as últimas notícias

Luxo para a cozinha: sem crise

18 de setembro de 2015 0
Whirlpool, divulgação

Whirlpool, divulgação

Quem nunca desejou ter a bela batedeira vermelha que está em quase todas as cozinhas de luxo de mostras de decoração? Ou um produto da mesma linha? Estes eletroportáteis da KitchenAid , a marca Premium da Whirlpool, empresa também dona da catarinense Consul e da Brastemp, seguem com vendas em alta apesar da crise – com expansão de 10% ao ano. Para atender melhor o consumidor catarinense, a empresa passou a oferecer os produtos com versão também em 220V, além dos 110V.
- O nosso objetivo é atender as necessidades dos diversos consumidores brasileiros, em todas as regiões do País, sempre entregando a qualidade premium dos nossos produtos para promover transformações e experiências excepcionais na cozinha dos amantes da nossa marca – explica Renata Herz, gerente da KitchenAid. Liquidi2
Além de Santa Catarina, Tocantins, Goiás e diversas regiões com menor densidade demográfica do Brasil têm oferta de energia com voltagem de 220V.
Agora, também estão disponíveis nessa voltagem batedeira, batedeira mixer, processador, mixer de mãos e liquidificador. Os produtos são fabricados nos EUA, agregam alta tecnologia, mas alguns têm design clássico que não muda em função do conceito desejado pelo mercado. É o caso da batedeira. Outras informações no site da marca.

Leia as últimas notícias

Crise brasileira preocupa empresários alemães

17 de setembro de 2015 1

 

Rafael Paulo, Secom, divulgação

Rafael Paulo, Secom, divulgação

Os desempenhos econômicos de Santa Catarina e do Brasil estão no radar de investidores alemães que vão participar do 33º Encontro Econômico Brasil-Alemanha de domingo a terça, em Joinville. Em visita prévia ao Estado ontem (16), o representante do Estado da Baviera no Brasil, Martin Langewellportt, disse que os empresários do seu país estão otimistas com o perfil da economia catarinense e a projeção de crescimento de 1,5% este ano, mas a crise política e econômica brasileira sem previsão de término preocupa muito. 

- Santa Catarina está na contramão, está crescendo. Mas o Brasil está em crise e o Encontro Econômico será no meio da crise. Para investir no país é preciso ter expectativa de crescimento. Sem isso, dá medo. Se o crescimento não volta, algumas empresas têm que fechar as portas – alertou o executivo durante reunião com o secretário de Assuntos Internacinais de SC, Carlos Adauto Virmond Viera, na qual tratou de uma visita de deputados bávaros a Florianópolis em novembro e de missão de SC para a Baviera ano que vem.

 Governo terá dificuldade para aprovar CPMF, diz Cunha
Planalto suspende concursos, adia reajustes a servidores e prepara nova CPMF

Martin Langewellpott afirmou que é grande a expectativa de empresários alemães se vai sair um acordo político no Brasil que viabilize solução para o problema fiscal a partir do próximo ano. A expectativa é de que a situação melhore um pouco a partir de 2017. Segundo ele, atuam no Brasil 1,4 mil empresas alemãs, das quais mais de 600 são da Baviera. Algumas têm até que pedir apoio da matriz para sobreviver. As que registram crescimento são ligadas à agricultura, medicina e energias renováveis. 
Na avaliação do representante da Baviera, SC registra crescimento porque tem uma economia mais parecida com a da Alemanha. Conta com players globais como a Tupy, Tigre, Docol e outros, e também muitas médias e pequenas empresas competitivas. 

- Essa estrutura catarinense ajuda a passar por crises, gera mais estabilidade e permite crescer na contramão do país -avaliou.

No final do encontro com executivos da área internacional do Estado, o secretário Carlos Adauto Virrmond (D) presenteou Langewwellportt com um livro sobre atrações turísticas de SC.

As lições que aprendi com o empresário Eggon da Silva

13 de setembro de 2015 0

eggon

Como jornalista, entrevistei Eggon João da Silva diversas vezes nos últimos 25 anos. Entre as dezenas de lições que aprendi, eu gosto de registrar duas que ele recomenda para que uma empresa tenha sucesso: “fazer produtos de qualidade e cumprir o prometido. Numa entrevista mais longa, em 2004, que está no meu livro A visão da Indústria, o empresário disse que quando os três fundaram a WEG, em 16 de setembro de 1961, ele não imaginava que a empresa seria esse gigante.

— Tanto que nós começamos num prédio alugado. Mais tarde, compramos um terreno para construir a primeira fábrica própria e não escolhemos o maior. Mas sempre pensamos grande. Primeiro, queríamos ser a maior indústria de motores elétricos de Jaraguá do Sul; depois, de SC; mais tarde, a maior do Brasil e, agora, do mundo. Hoje, entro na fábrica e fico estarrecido, até me embarga a voz quando vejo esse monumento, essa força de trabalho que representa a WEG — disse Eggon.

Um adeus em sintonia com a vida de Eggon, sócio da WEG

13 de setembro de 2015 0

As homenagens de despedida para Eggon João da Silva foram em sintonia com a sua vida. Centenas de pessoas se despedem de Eggon João da Silva, um dos fundadores da multinacional Weg. Muito amor da família e dos amigos, reconhecimento de lideranças, aplausos, músicas religiosas e de amizade. Uma orquestra acompanhou toda a solenidade, desde o velório na Recreativa WEG até o cemitério, no Centro de Jaraguá do Sul.

Desde menino ele sempre gostou de música, de praticar esportes – foi jogador dos três times de Jaraguá e atleta olímpico -, de dançar e de uma roda de amigos. Seu sucesso nos negócios tem muito a ver com a sólida formação familiar. Com pai de origem portuguesa e mãe descendente de imigrantes húngaros e alemães, ele herdou a disciplina alemã e características de outras culturas. Fez o ensino fundamental incompleto porque era o que tinha em Jaraguá na época. Mas foi muito além como autodidata. Lia livros e notícias de economia, o que o tornou um grande estrategista nos negócios.

“Empresa no céu”
Entre as curiosidades do velório, uma contada pela nora do empresário, Denise da Silva, merece registro.
- Estão dizendo que, agora, o Sr. Eggon vai se reunir no Céu com o outro fundador da WEG, o Geraldo Werninghaus
(que faleceu de acidente de carro em 1999), tomar umas cachacinhas e vão fundar uma empresa por lá – contou.
Apreciador de cachaça, o empresário mandava produzir com sua marca e presenteava amigos e familiares. Esse legado ele passou para a Denise.

Para sócio Werner Voigt, honestidade era principal marca de Eggon da Silva

13 de setembro de 2015 0

werner

Companheiro de Eggon João da Silva desde a função da WEG, há quase 54 anos, o sócio fundador Werner Voigt disse ontem que uma das características principais do colega era a honestidade. Era uma pessoa totalmente confiável. Werner trabalhava na empresa ao mesmo tempo, mas em áreas diferentes. Eggon era administrador e ele, eletricista.

Centenas de pessoas se despedem de Eggon João da Silva, um dos fundadores da multinacional Weg
Werner Voigt se despede de sócio em Jaraguá do Sul

Exportações de SC têm queda acumulada de 13,7% de janeiro a agosto

09 de setembro de 2015 0

Com forte impacto da queda de exportações de soja em função da sazonalidade (-38,3%) e de motocompressores (-23,7%), Santa Catarina registrou recuo acumulado de 13,7% nas vendas externas no período de janeiro a agosto. Segundo dados divulgados pela Fiesc nesta quinta-feira (10), os setores que tiveram maiores altas nas exportações foram madeira 9+26,1%) e móveis (+8,4%). As importações via portos de SC tiveram queda de 13,2% no mesmo período.

Leia as últimas notícias

Supersimples ampliado só em 2017 e outros destaques desta sexta-feira

04 de setembro de 2015 0

Em função do choro da Fazenda Nacional, Estados e municípios, a Câmara aprovou a ampliação do limite do Simples para pequena empresa de R$ 3,6 milhões para R$ 7,2 milhões só para 2017. Isto significa que em 2016 fica em R$ 3,6 milhões, igual a 2011, apesar da inflação alta. Quem fechava a loja no Natal para não ultrapassar o limite do Simples terá que fazer isso este ano e no ano que vem. Simples assim. Para 2018, o limite será R$ 14,4 milhões.

INOVAÇÃO PARA PORTAS
Startup catarinense de Videira foi destaque na 15ª Conferência Anpei de Inovação, em Pernambuco. Apresentou um sistema italiano exclusivo de isolamento para portas, o Vedaporta Casagrande. Consiste numa barra que, colocada em portas, adere ao chão, garantindo isolamento acústico, redução de consumo de energia e impedindo a entrada de insetos.

Os sócios da empresa são os engenheiros Giovani Rissi e Luciara Casagrande Parmagnani. A novidade já é oferecida em parceria pelas fabricantes de portas Veka (Biguaçu), Manoel Marchetti (Ibirama), Vert e Sincol (Caçador) e Madepar (Lages).

CATARINENSES NA FORBES
Acaba de sair a lista da Forbes Brasil com os 160 bilionários brasileiros que juntos somam fortuna de R$ 806,66 bilhões, 14% do PIB. Quatro deles são de Santa Catarina, o que coloca o Estado em oitavo lugar no ranking, ao lado de Pernambuco.

Os mais ricos de Santa Catarina são da WEG, indústria de motores elétricos e soluções de energia de Jaraguá. Os fundadores da empresa Werner Voigt, 84 anos, com fortuna de R$ 7,25 bilhões (21o do ranking), e Eggon João da Silva, 86 anos, com R$ 6,97 bilhões (25o), lideram; seguidos por Diether Werninghaus, 55 anos, filho do outro pioneiro da WEG, Geraldo Werninghaus, que tem R$ 6,10 bilhões (30o). O quarto catarinense mais rico é Itamar Locks, 60 anos, de São Ludgero. Ele se casou com Vera Maggi, filha de André Maggi, magnata da soja. Itamar tem fortuna de R$ 3,14 bilhões (67o) e preside o Grupo Amaggi. (Colaborou Julia Ayres)

TURISTAS
Graças ao feriadão da Independência, a rede hoteleira de Santa Catarina registra ocupação nas alturas. Maior hotel de Jurerê Internacional, o Il Campanario Villaggio Resort, que tem 288 apartamentos, ontem estava com ocupação de 88%. E o Jurerê Beach Village estava com 76% das 242 unidades ocupadas. A expectativa é que até amanhã chegue a 100%.

MONTE SUA PRANCHA
Os professores de atividade náutica Roberto Barddal e Marcelo Cadori, sócios da empresa Boat’n Box, lançam domingo, em Itapema, durante o 2º Festival de Stand Up Paddle, uma prancha de montar. Na linha do “faça você mesmo”, vão mostrar como a pessoa pode montar o produto e, assim, gastar bem menos.

Leia as últimas notícias
Como foi o PIB dos principais setores da economia brasileira

Empresários da Iltália se surpreendem com vinhos catarinenses e mostram interesse em parceria

04 de setembro de 2015 0
Roger Bittencourt, divulgação

Roger Bittencourt, divulgação

Italianos que fizeram palestras no seminário internacional do vinho, na última quinta-feira (03) em Videira, ficaram impressionados com a estrutura da vinícola Villaggio Grando, de Água Doce. Foram recepcionados pelos empresários Maurício e Guilherme Grando. O italiano Claudio Fenocchio mostrou interesse em parceria para a vinícola de Santa Catarina fazer vinhos na Itália. Na foto (E) Domenico Calabria, Guilherme Grando, Mauricio Grando e Claudio Fenocchio.

Leia as últimas notícias