Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Está aberta a temporada dos... aspargos! E os alemães enlouquecem com isso

15 de abril de 2015 5
É quase impossível fugir das tendas de aspargos nessa época

É quase impossível fugir das tendas de aspargos nessa época

O Google me avisou hoje cedo que está começando a temporada do aspargo. A empresa programar um Doodle (logo comemorativo) em sua versão alemã para falar do tema mostra que, por aqui, aspargo é coisa séria. Mas nem precisava anunciar assim, oficialmente, porque só essa semana recebi dois convites para restaurantes sazonais que servem somente aspargos.

Eu gosto deles, pode ter certeza. Comi mais aspargos na minha primeira primavera na Alemanha do que havia comido na minha vida inteira no Brasil.  O que eu ainda não consegui foi entender essa fixação alemã pelo prato. E não são simplesmente os aspargos verdinhos que a gente encontra no mercado ai no Brasil. Por aqui, os alemães gostam deles brancos. Para isso, a técnica de cultivo é um pouco diferente. Eles crescem literalmente enterrados, sem contato com a luz e, por isso, ficam branquinhos.

As cidades de Norte a Sul se rendem a iguaria e, em pouco tempo, todas as ruas ficam cheias de barraquinhas vendendo os talinhos brancos. O preço varia pelo formato e pela cor: quando mais gordinhos e mais branquinhos, mais caros. Em média, na alta temporada, custam três euros o quilo.

São essas mesmas barraquinhas que, em poucas semanas, vão perfumar as ruas de morangos e cerejas. Ah, que delícia. Essa parte da cultura não precisa de muita explicação: se banana, manga, abacaxi e afins não tem gosto de nada por aqui (são importadas e por isso colhidas muito verdes), se os mamões chegam a custar cinco euros a unidade, são as frutas vermelhas que fazem a vida valer a pena. E os aspargos, talvez.

Nessa época do ano as fazendas de aspargos contratam mão-de-obra sazonal – especialmente do Leste europeu. Muitas viram atrações turísticas, já que nada pode ser mais alemão do que sair de bicicleta pelo interior, almoçar em um restaurante pop-up (que abre só alguns dias do ano!) e voltar pra casa com a cestinha cheia de aspargos frescos, comprados direto do produtor.

Os alemães comem aspargos de muitas formas, mas a favorita é bem simples. Um prato de aspargos cozidos, arranjados como um buquê de flores, envoltos em presunto cozido e molho holandês, que é uma mistura suuuuupeeeerrrrrr gordurosa de ovos e manteiga. Para acompanhar, batatas, claro. Já conheceu algum alemão que sobrevive sem batatas!?

Aliás, além de cozinhar a coisa – que eu nem sabia que tinha que descascar –, aprendi que algumas pessoas têm uma reação física diferente quando comem aspargos. Isso porque elas possuem uma enzima capaz de liberar uma molécula chamada metanotiol durante o processo digestivo. É a mesma substância que confere o odor característico dos gambás. Como essa molécula é bem volátil, pode-se sentir o cheiro na urina. Há quem diga que se parece com cheiro de repolho podre, outros que parece um pum. Mas levei sorte nessa.

Além de não produzir a enzima, estou no grupo de pessoas que é incapaz de sentir o cheiro dela, mesmo que alguém que produza tenha acabado de usar o banheiro e deixado o ar mais pesado, por assim dizer. Mas mesmo quem não teve essa sorte, não pode usar como desculpa para não comer aspargos: o efeito é passageiro e por aqui é quase tão obrigatório quanto visitar o Portão de Brandemburgo. Aliás, se você disser a um alemão que nunca comeu aspargos, ele não vai achar isso uma simples diferença cultural: é capaz de ele pensar que você vem de outro planeta.

Essa foi a homenagem do Google ao início da temporada dos aspargos

Essa foi a homenagem do Google ao início da temporada dos aspargos

Comente

comentários

Comentários (5)

  • Felipe diz: 15 de abril de 2015

    Ivana, estou virando seguidor ferrenho do seu blog, haha. Quando vi esse texto nao pude deixar de comentar: desde a semana passada comecaram a brotar aspagos em todos os supermercados daqui. Como eu só tinha comido isso há muitos anos atrás e no Chile, resolvi tentar de novo. Gostei, mas passei dois dias inteiros com minha urina cheirando a amonia + acetona + tudo de ruim!! O cheiro é péssimo! Estou vendo ainda o que farei o com resto que ainda está na geladeira, vc nao quer nao? :P

  • Thais diz: 15 de abril de 2015

    Ivana, percebi isto claramente quando estive aí em Abril de 2014. As pessoas estavam felizes por ser época do aspargo, eu até provei e achei tipo “nada de mais” rsrsrsrs, No ano passado fui na época das frutas vermelhas, esta até que gostei! Tão diferente das que encontramos no Brasil, as daí são mesmo muito mais saborosas!

  • José Roberto Tillmann diz: 16 de abril de 2015

    Ivana, eu pessoalmente gosto e tive a oportunidade, em 2011, durante o Caminho à Santiago de Compostela, de passar por plantações de aspargos, e felizmente a mim não acontece a “reação”. Abraços.

  • Carla diz: 27 de abril de 2015

    Adooooro essa temporada! Acho aspargos uma delícia!
    Mas com certeza os morangos e demais frutas vermelhas são encantadoras nas feirinhas e nos campos!
    A primavera é maravilhosa por aí…

Envie seu Comentário