Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Christiane F., 53 anos, bate no cachorro e morde uma mulher

23 de julho de 2015 6

Foto: Marcel Mettelsiefen/AFP

A história real de Christiane F. ganhou fama mundial em livro e filme

A história real de Christiane F. ganhou fama mundial em livro e filme. Ela nunca se recuperou do vício

Desde minha época de escola eu sei quem é a Christiane F. Se você tem mais de 30, provavelmente sabe de quem estou falando e fez, ao menos alguma vez na vida, uma piada (sem graça!) sobre o título do livro em que ela é protagonista: Eu, Christiane F., 13 anos, drogada e prostituída. Trata-se da história de uma menina negligenciada pela família, viciada em heroína e que vivia nas ruas de Berlim, na década de 70, se prostituindo para sustentar o vício.

Pois bem, o livro é alemão e foi publicado como suplemento da revista Stern em 1978. O nome por aqui não tem NADA a ver com isso. O título original é Wir Kinder vom Bahnhof Zoo (em uma tradução livre, nós crianças da estação do Zoológico). Pelo título fica claro onde a história se passa. Na época da Berlim dividida não existia a estação central de trem (que foi feita para a Copa de 2006!) e cada parte da cidade – oriental e ocidental – tinha uma estação importante: a Alexanderplatz de um lado, a estação do Zoológico do outro. Se visitar Berlim, certamente vai passar pelas duas.

Pelos arredores da Bahnhof Zoo, as ruas por onde circulava Cristiane F. mudaram: mas muitas das locações do filme lançado em 1981 e que catapultou o livro à fama internacional ainda podem ser observadas.

Christiane F. vivia pelas ruas no entorno da Bahnhof Zoo, que foi cenário do filme de 1981

Christiane F. vivia pelas ruas no entorno da Bahnhof Zoo, que foi cenário do filme de 1981

Mas agora que apresentei a Christiane F. do filme, voltemos à vida real. A personagem retrata alguém de verdade: uma mulher que ainda hoje vive em Berlim. O livro e o filme contam a vida de Vera Christiane Felscherinow, que atualmente mora no bairro Neuköln. O livro foi baseado em entrevistas que ela deu a dois jornalistas que investigavam o narcotráfico na década de 70 em Berlim. Apesar da fama – e do livro ter sido mundialmente usado em campanhas contra as drogas em escolas –, as idas e vindas para clínicas de reabilitação nunca livraram Christiane completamente do vício.

Com o uso de drogas injetáveis, ela contraiu hepatite C e, em declarações recentes, disse que usa metadona, maconha e que bebe muito. Chegou a afirmar que, não fosse a fama, não teria tido dinheiro para sustentar tantos vícios por tanto tempo e ainda hoje vive da renda dos direitos autorais de sua história. Ela teve um filho e sempre declara aos jornalistas que sabe que vai morrer cedo.

Os passos da viciada em heroína mais famosa da cidade são seguidos de perto pela imprensa alemã e cada vez que seu nome aparece nos registros policiais, ela retorna às manchetes. Isso não é tão raro de acontecer. Essa semana, novamente. Foi um daqueles momentos em que eu duvidei profundamente da minha capacidade de entender o que estava lendo em alemão, tamanha a bizarrice do caso.

A senhora Christiane F., de 53 anos, bateu no cachorro e, quando repreendida pelos maus tratos ao animal, mordeu a mão de uma mulher negra que interveio e desferiu insultos racistas. Acabou levada pelos policiais. Como a gente aprende desde o primeiro dia da faculdade de jornalismo: se o cachorro morde alguém, pode valer um registro no canto da página, mas se alguém morde o cachorro, é notícia. Agora quando uma situação envolve duas pessoas, um cachorro e alguém sai mordido, é bem fácil acreditar em quem colocou os dentes para fora. Menos nesse caso.

Comente

comentários

Comentários (6)

  • Isabel diz: 23 de julho de 2015

    Triste! Que ela consiga sair dessa vida pelo menos agora que está adulta. E a estação central de trem foi feita para a Copa de 2006! Será que os alemães reclamaram tanto de sediar a Copa como os brasileiros reclamaram e acabamos não curtindo o evento como deveríamos curtir por causa da gritaria contra?

  • Aline Lima diz: 23 de julho de 2015

    Nossa, lamentável que ela não tenha conseguido largar o vício… :/

  • Denise diz: 23 de julho de 2015

    Fica a dica pra ler o novo livro que saiu sobre ela! É bem interessante pra quem leu o primeiro lá… Muito triste a história dela…

    Não, eu não lembro do título, mas está em todas as livrarias, aqui no Brasil tb…

  • Mari Pinheiro Andrello diz: 23 de julho de 2015

    Sua história chamou muito minha atenção. pois, li esse livro há muitos anos e achei interessante o fato de que a fama e o sucesso alimentaram os vícios da Christiane F. Lamentável, só se livra dos vícios quem quer se livrar de verdade. Muito bom gostei bastante, abraços!!!!!!!!!!!! Mari

  • Rita Rhenns diz: 23 de julho de 2015

    Oi!
    Li o livro citado quando ainda era adolescente, fiquei surpresa depois de tanto tempo a autora ser motivo de comentários e notícia.
    Gosto da maneira que você escreve.
    Valeu!!

  • Giselle Andreolla diz: 24 de julho de 2015

    Berlim é a melhor cidade do mundo! Adoro seus posts!

Envie seu Comentário