Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Levei a Rainha da Oktoberfest para a feira em Berlim. Ou quase isso!

25 de setembro de 2015 2
De dia, frutas e verduras. A noite, um dos programas mais divertidos da cidade

De dia, frutas e verduras. A noite, um dos programas mais divertidos da cidade

Nada de Oktoberfest para mim este ano. Nem em Munique e menos ainda em Blumenau. Soa triste, mas é a vida. Ando com mil coisas para fazer e festa, infelizmente, é a última prioridade. Estava chateada com isso, mas ontem a noite fiquei feliz de novo. Tive um pouquinho de Oktoberfest só para mim!

É que a fofíssima rainha da festa de 2015, a Tamiris Ficht, está na Alemanha divulgando a festa blumenauense. Ela, o Rolf Geske, que é da área de Eventos e a engenheira Marli Rupp, os dois da Vila Germânica. A prefeitura mandou para cá um trio de simpatia! E mesmo depois de uma viagem bem corrida, acharam um tempinho na agenda para me encontrar. Eles foram conhecer os pavilhões da Messe Berlin, o parque de exposições aqui da cidade que é grande, muito grande. Devem ter andado quase uma maratona lá dentro, mas ninguém se queixou de cansaço ou dor nos pés!

Pude decidir o lugar do nosso encontro e levei eles para andar mais um pouquinho, em uma parte menos turística da cidade. Paramos para uma foto em uma das minhas vistas favoritas de Berlim, no bairro de Friedrichsheim, que já foi um dia Alemanha Oriental. De lá, fomos a Kreuzberg em um dos muitos mercados públicos da cidade para que eles conhecessem um pouco da ideia: na verdade, bem interesseira, queria mostrar para eles uma das coisas que eu adoraria ver em Blumenau.

O lugar é um galpão fechado – mas como em Blumenau o frio não é tão grande assim, imagino a nossa feira ali na Humberto de Campos… – onde de dia funciona uma feira de frutas, verduras, legumes e afins, como a nossa. Mas a noite, todas as quintas-feiras, o Markt Halle Neun se transforma. As mesmas estruturas que estavam cheias de batatas e cebolas são tomadas por gente que vende comida do mundo todo em um festival de “Street Food”. É basicamente um festival de food truck sem os trucks: muito, muito mais divertido e sem complicações.

Nos fundos do galpão há uma cervejaria. Bom, é basicamente um balcão que vende cerveja artesanal da melhor qualidade. Na verdade, a minha favorita de Berlim: se chama Heiden Peters. Mas ela não é a única opção. Algumas barraquinhas vendem cerveja em garrafa, outras vendem vinho em copo, café, tudo assim, bem descomplicado. Há umas mesas por lá também, mas a maioria das pessoas fica mesmo em pé, circulando pelas barraquinhas de comida: tem salsichas, hambúrgueres, tacos, sopas, empadas, sushi, ostras, tábuas de frios, pães com as “schimias” mais variadas, potinhos com doces, bolos em fatias… hmmmm! Fiquei com fome outra vez e nem citei a metade.

Na minha vista favorita da cidade, Marli, Tamiris, eu e Rolf

Na minha vista favorita da cidade, Marli, Tamiris, eu e Rolf

O fato é que levei a rainha e o pessoal da Vila Germânica lá e, pelo ritmo que engatamos o papo, acho que gostaram também. E eu tenho certeza absoluta que você também ia gostar e muito. Que Blumenau ia gostar e ganhar uma opção bem mais bacana (me avisem se essa gíria me faz parecer velha demais! Eheheh) do que levar a família, os amigos ou os parceiros para comer em uma rede sem graça de fast food. E melhor que isso: em vez do dinheiro parar na contabilidade de grandes corporações, é uma forma de incentivar a economia local, de dar a chance para as pessoas da cidade (que se inscrevem antecipadamente por um site e pagam um valor por isso) de venderem seus quitutes e de resgatar aquelas receitas maravilhosas das nossas Omas e que agora jazem no fundo de alguma gaveta.

A Oktoberfest de Blumenau (perdão Munique e Kitchener, no Canadá, que tem as maiores!) é a mais alegre e bonita do mundo, mas não pode ser a única coisa divertida da cidade! Claro que Blumenau já se diversificou: tem Festitália, Sommerfest, Festival de Cerveja, Botecos, Food Trucks e afins. Mas a gente pode mais, muito mais. E precisa de bem pouco para fazer isso e eu acredito muito que transformar a feira livre em um espaço para noites alegres seja uma ótima ideia!

E quanto a festa, bom, confesso que depois da visita da rainha fiquei com um gostinho de quero mais! Descobri uma Oktoberfest aqui em Berlim e vai ser essa mesmo! Se você que está lendo isso e não é de Blumenau, não perca a chance de conhecer a nossa festa!  E no fim das contas, acho que a coisa, já está no sangue! Quando decido que não vou a Oktoberfest, a Oktoberfest vem até mim!

Comente

comentários

Comentários (2)

  • Guilherme Benno Guenther diz: 25 de setembro de 2015

    Oi Ivana, primeiramente obrigado por ciceronear nossa equipe tão bem!!!

    Sobre a Oktoberfest de Kitchner, no Canadá… o representante da Oktoberfest canadense, nosso amigo Vic, esteve em Blumenau durante o Festival Brasileiro da Cerveja. Conheceu toda a infraestrutura da nossa festa, mostrou como acontecia a deles… lá, o evento é pulverizado em vários locais, especialmente em clubes de atiradores, e que não existe um controle de público como o nosso, então as informações são estimativas.

    Ao final da nossa conversa comigo, ele afirmou: “Realmente, a Oktoberfest de vocês é MAIOR que a nossa”. Confirmou depois para o Ricardo Stodieck e para o Rafael Althoff, nosso gerente de marketing.

    Firmamos uma parceria, que levará não só a Tamiris para lá, como também teremos a presença do presidente da Oktoberfest canadense aqui.

    Diante disso, fico com a versão que a Oktoberfest de Blumenau, além de ser a MELHOR do mundo (rs) é também a segunda maior.

    Guilherme Guenther
    Diretor Financeiro/ Administrativo
    Parque Vila Germânica

Envie seu Comentário