Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Um pouco mais de masculino

01 de agosto de 2012 2

foto: divulgação / FIVB

Ontem consegui assistir além do jogo do Brasil, a quase todo Polônia x Bulgária e Argentina x Itália.

Para muitos torcedores e comentaristas a vitória da Bulgária sobre a Polônia foi uma surpresa e um indicativo de que a Polônia não está tão bem. E ouvi e li até gente dizendo que vencer a Liga Mundial não é parâmetro para os Jogos Olímpicos.

Meus caros leitores, vão aqui algumas considerações a respeito. Em primeiro lugar, quem venceu a Liga Mundial em 2008 e em 2004, ano das duas últimas Olimpíadas? O campeão olímpico venceu também a Liga Mundial?

Então isso não serve de parâmetro para indicar quem está jogando melhor a duas ou três semanas dos Jogos Olímpicos?

Segunda questão, os búlgaros são de longa data conhecidos pelo seu poderoso saque e seu temperamento inconstante. Podem vencer qualquer time num dia e no outro tomar um 3×0, seja qual for seu adversário.

E foi o que aconteceu, os búlgaros sacaram demais. Além disso, a Polônia, ainda não descobri o porquê, jogou com o levantador Zagumny e Zygadlo ficou no banco o tempo todo. E vendo Zagumny jogar deu para entender a razão de ter deixado de ser o titular. A sua grande jogada no jogo foi uma bola de segunda de toque. Pois, os seus levantamentos foram ruins o jogo inteiro.

No outro jogo que assisti, entre Itália e Argentina, o que vi foi a talentosa garotada Argentina lutando, mas lhe faltam algumas coisas que outros tem e isso faz muita diferença: centrais realmente altos e fortes e um oposto de respeito. E por isso os italianos mesmo perdendo um set não encontraram dificuldades para vencê-los.

Nos outros jogos, parece que os americanos estão babando, jogando com muita agressividade e usando a força de sua camisa. Os alemães, ao contrário, que como os Sérvios parecem que foram a passeio ou então estão sucumbindo a maior experiência e tradição dos demais times.

Aliás, aqui cabe uma pergunta, o que acontece com a Sérvia que conquistou no ano passado o campeonato europeu masculino e feminino e agora nos Jogos de Londres correm risco de serem eliminados na primeira fase?

Bookmark and Share

Comentários (2)

  • Vinícius Crevilari diz: 1 de agosto de 2012

    Continuo discordando veementemente que a Polônia é favorita ao ouro olímpico (e reforço algo que já comentei há alguns posts. Voleibol se joga na quadra e favoritismo e previsões não quer dizer muita coisa.
    Os campeões da Liga Mundial de 2004 e 2008 foram campeões olímpicos. E daí? O que isso prova? Que a Polônia também vai ganhar em 2012? Discordo. A Itália ganhou em 2000 e não foi campeã (a Iugoslávia ganhou o ouro e ficou em 4o na Liga Mundial daquele ano). O mesmo país ganhou em 1992 e sequer chegou às semifinais.
    Quem acompanhou a Liga Mundial esse anos sabe que a Rússia não veio com o time tirular e no máximo jogou com uma equipe “mista” nas últimas rodadas, a Itália sequer colocou os “medalhões” em quadra, o Brasil jogou com uma equipe ruim fisicamente (e não por falta de preparo e sim, por lesões que foram frutos de competições passadas), a Bulgária jogou com a equipe ainda em crise interna pela saída do Kaziyski e do levantador Zhekov (este, abandonou a equipe ainda durante a LM) e os EUA esqueceram o voleibol em Anaheim.
    A Polônia, numa ótima fase, não deu chances às zebras e faturou o título inédito. Agora as coisas são diferentes. Olimpíada é diferente. E continuo achando a Polônia uma equipe forte o suficiente para faturar uma medalha, mas discordo com essa história de “grande favorita ao ouro”, que a imprensa e analistas insistem em enfiar goela à baixo dos telespectadores. Se os polacos forem campeões, ótimo. Fizeram por merecer. Mudaram o seu voleibol com a vinda dos italianos, cresceram e atingiram um patamar que os credenciaram a brigar pelo ouro. Mas não será surpresa alguma se eles perderem na final par russos, americanos ou brasileiros.

Envie seu Comentário