Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Vôlei Futuro impôs seu jogo sobre o Sesi de Murilo

02 de dezembro de 2012 0

Ricardinho comandou a vitória do VF. Foto: divulgação/CBV

Todo o favoritismo do Sesi na Superliga masculina está sendo colocado de lado e os adversários vão perdendo o respeito e provavelmente o time vai acabar perdendo a confiança.

Está certo que ainda são apenas três rodadas. Mas três derrotas é muito para o elenco milionário de Giovane.

Colocar as derrotas na conta das lesões é querer usar uma cortina de fumaça. Não ouvi, ainda, ninguém dizer isso. Mas não pode.

Até porque quando um time se lesiona demais é preciso também olhar para dentro da comissão técnica.

Ontem, fiquei muito surpreso quando Giovane antes da partida anunciou que estava sem oposto, mesmo com Leozão em quadra, e que iria improvisar Mão na posição.

Meu primeiro pensamento foi: ele não aprendeu com a temporada passada?

Logo em seguida pensei que a escolha foi equivocada, se fosse para usar um dos ponteiros como oposto eu usaria Cléber. Que é mais de força do que o Mão. E usaria um ponteiro mais passador para jogar contra um adversário que usaria o Saque como arma para equilibrar a partida.

Para Giovane deu tudo errado. Para o time de Araçatuba, deu tudo certo. O Vôlei Futuro sacou muito, não pelos seis pontos diretos, mas pela quantidade de vezes que quebrou a recepção adversária.

Depois de vencer o primeiro set, o Sesi não teve mais o jogo na mão. O 3×1, da forma como foi, foi natural.

Apesar de errar algumas bolas, Ricardinho faz a diferença no Vôlei Futuro. Fosse outro o levantador seria um time medíocre que não ganharia de um adversário do peso do Sesi.

Quero também fazer uma menção especial ao líbero Polaco, que na minha opinião jogou muita bola. Polaco tem bola para mais e até aspirar um lugar na Seleção. Não entendo o segundo plano a que é relegado.

Para finalizar o comentário sobre o jogo, Giovane precisa acordar. Já perdeu para três equipes que estariam abaixo de seu time.

Perder para RJX e Sada seria normal, na composição inicial do campeonato. Mas perder para São Bernardo, Medley e Vôlei Futuro pode complicar sua vida mais a frente.

Essas vitórias que citei do pelotão intermediário sobre o Sesi, podem também complicar a vida de equipes que brigam para ficar entre as oito. Pois, tirar pontos dos times que estarão lá na frente fará a diferença no final.

É o caso do Super Imperatriz que foi à Minas e roubou ponto do Vivo/Minas e ontem fez um 3×2 contra o Sada/Cruzeiro.

O time catarinense fez 2×0, mas depois, apesar de fazer um jogo equilibrado não conseguiu segurar o cubano Leal. Que foi o destaque do jogo. E anotem, será um dos grandes destaques da Superliga.

Esses dois pontos conquistados pelo Super Imperatriz em Minas Gerais foram importantes. Porém, não farão diferença se o time não vencer seus adversários diretos pela classificação entre os oito, como a derrota por 3×1 para o Canoas, por exemplo.

Nos outros jogos da rodada, o São Bernardo mostrou que pode incomodar ao vencer o Medley por 3×1 (já venceu o Sesi e agora o Medley); O RJX venceu o Volta Redonda por 3×0 e lidera o campeonato com três vitórias por 3×0; e o Funvic/MidiaFone venceu a UFJF por 3×1.

Hoje ao meio-dia o Vivo/Minas recebe o Canoas com transmissão do Sportv.

Larguem seus almoços de família porque o Sportv decidiu que horário de voleibol é na hora do almoço de domingo. Como diria um narrador de quem gosto muito do próprio canal: Que beleza!

Bookmark and Share

Envie seu Comentário