Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Sollys venceu, Unilever terminou em primeiro e vamos aos playoffs no feminino

23 de fevereiro de 2013 3

Aprendi durante o tempo em que fui jogador e treinador: uma coisa é o 3×0 acontecer naturalmente; Outra coisa é a obrigação do 3×0.

Numa partida incrivelmente equilibrada o Sollys/Nestlé abriu 2×0, teve a chance de fechar o jogo em 3×0 e ultrapassar o time carioca na classificação, o Unilever foi buscar o jogo e no quinto set o time paulista acabou vencendo e deixando em todos nós a expectativa de uma grande final que certamente estará por vir.

Esperava um nível de saque mais agressivo pelo lado do time de Osasco, conforme vinha fazendo, até porque a recepção do Unilever não é aquelas coisas. Porém, a ansiedade ou a estratégia adotada mudaram a forma do time paulista sacar.

No final do terceiro set, a arbitragem teve influência no resultado, sim, quando não deu uma bola tocada no chão de uma largada de Sheilla que daria a vantagem ao time de Osasco em 23×22.

Entretanto, faltou tranquilidade ao time de Luizomar para matar o jogo já que teve um contra-ataque com Garay no 30×29 e ao perder o saque, Jaqueline recebeu os dois ataques subsequentes com Fofão a sua frente e não conseguiu rodar – pura ansiedade.

Agora, algumas observações são importantes:

- O time do Unilever é Sarah Pavan Voleibol Clube.

- Se Sheilla tivesse feito uma partida no ataque um pouco melhor o jogo poderia ter acabado antes.

- Natália definitivamente não é mais a mesma. Parece que perdeu a confiança. Marcar três pontos num jogo de cinco sets desse nível é pouco para ela.

Assim, os confrontos serão:

Unilever (primeiro) x Rio do Sul (oitavo) e o vencedor do confronto enfrentará quem passar de Banana Boat/Praia Clube (quarto) x Sesi (quinto).

Na outra chave, o Sollys/Nestlé (segundo) x Usiminas/Minas (sétimo) e quem passar enfrentará o vencedor do confronto entre Amil/Campinas (terceiro) x Pinheiros (sexto).

-

Bookmark and Share

Comentários (3)

  • Paulo diz: 23 de fevereiro de 2013

    Quando cheguei em casa estava 25×24 pro Rio no 3º Set. Não vi as bolas duvidosas anteriores, mas parece que realmente tiveram influência no resultado final do jogo. Uma pequena avaliação dos times:
    - Unillever é Sarah Pavan e Gaby. Se elas rodam o time joga, se não ficam perdidas.Fofão está sentindo o peso da idade, depois de começar voando a SL, acho que ela não suporta mais o ritmo intenso de às vezes 3 partidas por semana. Fabi continua dando show na defesa, mas líbero também tem que passar, e nisso ela peca. Gabi com certeza é esperança para geração 2020, espero que não aconteça nenhum acidente de percurso que a deixe como uma eterna promessa, como aconteceu com a Natália. E usando de sua experiência a Régis vem rendendo no ataque quando entra no jogo. Juciele é o grande destaque do time, bloqueia bem, e ataca bem, como as principais selecionáveis devem descansar em 2013, espero que tenha chances novamente na seleção, só não entendi a provocação pra cima da Jaque quando recebeu o toco, e porque o arbitro não amarelou, nem ao menos advertiu, já que foi tão claro. Valesquinha não se destaca, mas também não compromete, acho que está ali mais pela experiência do que pelo voleibol apresentado, até porque quem o Bernardo colocaria em seu lugar?
    - Sollys: Fabíola reencontrou o seu jogo e tem concertado até passes ruins, ou seja, deixou de ser aquela levantadora que só joga com passe A. Thaísa segue sendo a melhor central do mundo, porém caiu um pouco de rendimento no bloqueio. Adenízia ainda não está 100%, mas está em visível evolução, gosto de como meche com a torcida. Garay é mais ataque do que passe, mas precisa aprender a usar mais técnica do que a força em alguns momentos, ontem ela levou alguns tocos desnecessários. Jaqueline está extremamente amadurecida, deixou de ser jogadora de composição e está virando bolas difíceis e importantes, embora leve alguns tocos ainda. Brait é a melhor líbero do Brasil há pelo menos 3 anos, indiscutível! Agora, por incrível que pareça, a Sheilla é o ponto fraco do Sollys, no jogo de ontem virou mais bolas do que o de costume, mas ainda não justificou o alto investimento da sua contratação, tirando o excelente desempenho do Mundial de Clubes, mas naquele campeonato, o nível dos times era no máximo um Sesi.

    Do jogo do 1º turno pra cá o Sollys evoluiu enquanto o Unillever acentuou a dependência de Pavan, por isso acredito que se Sheilla voltar ao seu ritmo ou ficar pelo menos 90% do que pode, aposto no bicampeonato do Sollys, se não, qualquer coisa pode acontecer.

    Mas uma das coisas que mais dá tesão no esporte é o fator surpresa, então vamos ver o que acontece.

  • Pedro diz: 26 de fevereiro de 2013

    Olá, fiquei dando f5 no sei blog esperando a análise do jogaço Sada X RJX ! Somos carentes de análises de quem entende como você. Por favor, não nos deixe na “mão”.

Envie seu Comentário