Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Quem será o Campeão no domingo?

12 de abril de 2013 22

Agora é para falar sério.

Individualmente, vejo uma vantagem para o Sada/Cruzeiro. Que pode tornar-se um empate técnico. Senão vejamos:

- William x Bruninho. O levantador do time mineiro tem mais mão, é mais experiente, porém, dá prejuízo ao sistema defensivo em relação à sua altura coisa que Bruno não dá. Bruno saca melhor, também tem certa rodagem, quatro títulos da Superliga, um Mundial…vejo ligeira vantagem para o Mago. Bruno com o passe na mão é uma coisa, sem nem as bolas de ponta saem.

- Wallace x Theo. Aí não dá para comparar pela últimas duas temporadas. Wallace voa, Theo morre durante o jogo.

- Os centrais. Lucão é o melhor do Brasil, se bobear hoje o melhor do mundo. Rogério fez incrível Superliga. Estaria na minha seleção do campeonato, e merece estar na Seleção Brasileira. Riad e Douglas…um ataca muito, o outro bloqueia mais. A vantagem nos centrais é do time carioca.

- Ponteiros. Filipe e Leal são melhor dupla de ponteiros que Dante e Thiago Alves, hoje. Ainda que Marcelo Mendez coloque Maurício no lugar de Leal. Mas, se o Sada não conseguir passar e o RJX sim, ainda assim vejo empate técnico. Portanto, aqui vantagem para o time mineiro.

- Serginho x Mario Jr. Serginho é um Líbero mais completo do que Mario Jr. O carioca sempre comete erros de recepção no final dos sets, defende muito. Já o mineiro é mais equilibrado.

- Mendez x Fronckowiak. Apesar de reconhecer no argentino o excepcional trabalho na estrutura de jogo desenvolvida, gosto mais durante os jogos de Fronckowiak. O problema é que o treinador do time mineiro tem um pouco mais de banco do que o do time carioca. Então, a maioria das ações de Fronckowiak ficam limitadas a suas instruções. Mas, ambos são extraordinários treinadores.

Portanto, tecnicamente, vejo vantagem para o time do Sada/Cruzeiro. Mas, em jogo único, o dia pode mudar toda essa história.

Taticamente, com certeza Marcelo Mendez vai apostar na mesma estratégia usada pelo Minas: sacar para tirar Lucão do jogo. Caso não consiga, não queimar com ele. Se Lucão fizer 20 pontos, tudo bem. O que não pode é Theo, Dante e Thiago fazerem mais de 10 cada um.

Do lado carioca, a estratégia do saque forçado também será repetida para tirar o passe da mão de William, que com Douglas na rede joga muito com ele, sem Douglas a marcação é pelas extremidades.

O jogo de gato e rato começa pelo saque. Mas, o da marcação de bloqueio será interessante. Jogar ou não sem queimar com Lucão. Queimar ou não com Douglas para deixar Wallace e Leal no um contra um.

Vai ser um jogaço.

Mas, na minha opinião, Sada vencerá. E não é torcida por Minas Gerais e contra o Rio de Janeiro, viu, bairristas de plantão! Atenção: Sou gaúcho, moro em Santa Catarina.

Bookmark and Share

Comentários (22)

  • mateus diz: 12 de abril de 2013

    Na minha opinião, se fosse possível, torceria para perder os dois !!! ha ha ha …

    Apesar de achar o Sada um time muito marrento e achar o Filipe um baita dum bobão e arrogante, fico com os mineiros.

    Chega desse trololó de Bernardinho e Bruninho. É essa dupla que faz o voleibol brasileiro empacar no tempo. Tente contabilizar quantos títulos perdemos devido ao afastamento de Ricardinho. Pura vaidade do NABA do Bernardo.

    Fora família Rezende.

    Dá-le Minas.

  • Matheus de Oliveira diz: 13 de abril de 2013

    “Bruno com o passe na mão é uma coisa, sem nem as bolas de ponta saem.” resumo do que eu falo todo dia e ou xingado…não tenho nada contra o bruninho, como pessoa acho um cara muito gente boa, agora tendo Rapha, Ricardinho, Marlon e principalmente o William que desde o tempo de Intelbras joga muito e evolui muito nas 4 temporadas que passou com o Weber virando o Mago… sou novo, só 21 anos, mas me lembro do bruninho começando como reserva do Bruno Caxeta, Alexandre Oliveira e acho que que o Marlon ou Marcelinho, n me recordo, já dava pra ver que não seria nada demais… permita-me discordar dos ponteiros pois Thiago e Dante são ponteiros da seleção e não de hoje, Dante não ganha 2 milhões por ano a toa, se bem q em um time com orçamento de 15Mi e bruninho recebendo 100 pau por mes n duvido de nada, por isso tbm discordo do blogueiro na questão do ranking, pois n quero uma superliga de 4 equipes (Sada, Minas, Sesi, RJX)…Para terminar como levantador do ciclo olimplico ainda acho q seria uma motivação p william, e aposto muito no Murilo Radke, joga fácil e tem 3 anos ainda pela frente…

  • Tadeu diz: 13 de abril de 2013

    O ranking realmente não impede as bizarrices e ainda atrapalha as equipes intermediárias. A NBA foi obrigada a usar tetos salariais pra haver um equilíbrio.
    Com relação aos salários, por mais que sejam altos pra nossa realidade, se tem quem pague o que eles pedem, acho justo. Não estão roubando. Assim como no futebol, a grana não é apenas o suor do cara, é quantas camisas ele vende, quantos pontos ele dá de audiência, tá tudo embutido. Acho errado é que se pague isso e a equipe termine em seguida por falta de aporte. E também acho que se “vende” pouco o vôlei. Tem a seleção, tem as finais em tv aberta, mas cadê os produtos, revistas só de vôlei, camisas de treino à venda, nego com tênis personalizado, álbum de figurinha, cards colecionáveis?
    Parece estranho, mas o Rodrigo deve lembrar, na época do repatriamento, tinha tudo isso. E só tinha vôlei em outra emissora. Pelo menos 4 jogos semanais. E não se admirava só os da seleção. Havia outro Dentinho, havia o Cristal, ambos em Suzano. Havia Paulo Porto em Maringá, Chiquita em Chapecó, Pezão no Palmeiras. Não digo que sejam melhores do que temos hoje, mas eram conhecidos. E não passavam nem perto do Esporte Espetacular.

  • Tadeu diz: 13 de abril de 2013

    Benhur tá certo.
    O Handebol taí pra provar, uma das modalidades mais praticadas na base, capaz de jogos emocionantes e de jogadas plásticas, nunca teve o alto nível pra servir de espelho e vai correr atrás um tempão.
    Imitar o Xandó, a comemoração do Carlão, as jogadas do Maurício, aprender a dar viagem…
    Acho que todo mundo começou imitando alguém. É da idade. E contamina pra sempre.

  • Bento diz: 13 de abril de 2013

    Para lembrar…o Murilo Radke tem 24 anos…apenas 2 menos do Bruno….e Bruno é ANOS LUZ na frente dele…..pelo amor chega de recalque, Bruno é o unica aposta de talento para Rio 2016.

  • Guga diz: 13 de abril de 2013

    Gustavaoo, sei q nao tem muito a ver com o post… Mas qual critério eh considerado na escolha de um jogador ser Ponteiro ou Oposto? por ex, vejo Opostos que ataca melhor na Entrada, e Ponteiros que sao bons de ataque e pessimo de passe…

  • Tadeu diz: 13 de abril de 2013

    E mais, é melhor a base se coçar pra apresentar novos nomes.

  • Joel diz: 13 de abril de 2013

    Não acho o Bruninho o melhor levantador do momento. Tem o Rapha e o William pedindo passagem aliás, prontos.. Não lembro bem, mas o Bruninho foi pentacampeão da Superliga, como 3º reserva da Unisul e 4 x na Cimed e na Unisul, o Weber já apostava nele, pela garra, pelo interesse (estudo/estatística) no decorrer de uma partida, na capacidade de liderança, na técnica, ainda não apurada e nunca por ser filho do Bernardinho. Ele assumiu a liderança de uma equipe recém-formada – Cimed, com atletas rodados em seleções juvenis/adultas e equipes e foi, em 5 anos anos, 4 x campeão. podemos até alegar que nestes anos, não tinha o Ricardinho, William e alguns deles o Marcelinho. Que dos levantadores selecionáveis apenas o Marlon estava presente. Mas, ele desempenhou seu papel de forma excelente. Como aponta nosso blogueiro, ele não tem precisão nos levantamentos na entrada e saída (muito devido a velocidade que gosta de imprimir aos mesmos) mostra uma falha a ser corrigida se for ele o levantador de 2016. Temos o Murilo, excelente levantador, preciso, ousado, mas não sabe impor-se em uma equipe. Precisa aprender a ser líder em quadra.Fora os dois, em 2016 teremos quem? Tanto o William quanto o Rapha, terão 38/39 anos. A pergunta é: isto é impedimento para um atleta diferenciado?

  • Joel diz: 13 de abril de 2013

    Atualizando e corrigindo matéria do DC sobre os catarinenses na Final Masculina da Superliga e, ainda pode não estar completa a relação:

    Atletas catarinenses:
    RJX: Thiago Sens (4) – Bumenau, Unisul
    Rafael Koeter (6) – Blumenau, Unisul, Cimed

    Atletas que jogaram em equipes catarinenses:
    RJX:
    Bruninho (1) – Unisul, Cimed
    Bernardo Roese (2) – Cimed
    Théo (8) – Cimed
    Thiago Alves (11) – Unisul, Cimed
    Ualas (14) – Unisul
    Riad (15) – Unisul
    Lucão (16) – Cimed
    Mário Jr. (19) – Unisul, Cimed

    Sada:
    Daniel (2) – Unisul
    William (7) – intelbrás
    Rogério (14) – Unisul
    Felipe (18) – Cimed

  • Bento diz: 13 de abril de 2013

    Desculpa….mas Murilo não é preciso e nem ousado. Eu vi Raphael contra Bruninho na Liga italiana no 2011 e o Raphael não é melhor dele nem hoje. O volei italiano é completamente diferente E Bruno foi muito melhor dele com uma equipe muito inferior.

  • Wagner Vieira diz: 13 de abril de 2013

    Hoje o Bruno é sim o melhor levantador da superliga, digo que um levantador não é somente a mão que ele tem no levantamento, mas sim um conjunto de qualidades que faz com que ele se torne completo.. Antigamente ele pecava demais por vibrar muito e isso o cansava mais, porém ele conseguiu sanar esse problema e se conter mais. Eu joguei no Infanto/Juvenil da Unisul juntamente com o Bruno, participava também dos treinos da equipe adulta, cujo o Bruno também sempre estava, o que me surpreendia na época, era ele sendo um moleque ali no meio dos caras já consagrados como André Heller, Dirceu, Marcelinho.. Era ele dando esporro nos caras, puxando eles, exercendo desde já a sua liderança… ele na minha opinião é sim o melhor levantador e o cara para ser titular em 2016.

  • Joel diz: 13 de abril de 2013

    Oi, o Riad esteve na Unisul em parte da temporada 2005/6. Depois foi para a Itália, quando o central do Trentino machucou-se e, realmente ele veio do Flamengo para o Blumenau. Bem lembrado. Pena que as contribuições ao volei catarinense perdem-se com o tempo e não temos uma memória (museu) na FCV.

  • Tadeu diz: 14 de abril de 2013

    Joel, uma vez pra uma pesquisa pra universidade pedimos à Fesporte as escalações/fotos das finais do vôlei no JASC.
    A resposta simpática foi: Pra que ficaríamos juntando mais tralha?
    Diz muito.
    Wagner, tem coisas que nascem com o cara.
    O primeiro treino do Weber na Unisul foi um verdadeiro incêndio.
    Ele parou o aquecimento dizendo que quem deixa cair bola no ataque e defesa também deixa cair no jogo, falou uma dúzia de palavrões, gritou o tempo todo, e o resultado foi imediato. Teve “estrela” que não curtiu, mas quem pegou firme foi até o fim.
    Com outros treinadores, tava cheio de nego de corpo mole.
    Essa galera perdeu muito espaço.
    Com relação a novos levantadores no ciclo, só jogando e como titulares, pra introduzir outros nomes. Botar no time sem ter feito um período é inútil.
    Pegamos um dos melhores do mundo e não deu brilho, ano passado.
    E, honestamente, só chama quem estiver fisicamente 100%.
    Até pra preservar a memória de alguns ídolos.
    Homenageia com placa e estátua, nome de rua…
    Homenagear com o uniforme é dose…
    Boa final pra todos.
    Ainda acho que dá SADA, mas não boto dinheiro.
    Continuo achando que se o RJX incendiar o jogo, fica mais ao gosto de Bruno, Riad, Fronckoviak.
    E será uma surpresa/decepção se o SADA cair nesta arapuca.

  • Tadeu diz: 14 de abril de 2013

    Foi quando ele decidiu jogar e virar técnico ao mesmo tempo.
    Foi na semana q o Pacheco veio.
    O Pacheco tava dando treino, eles nem tavam saltando ainda, bem no início.
    Nery e Alemão já tinham ido.
    O q subiu na cabeça do Javier era que tinham perdido títulos e tava cheio de “risadinha” na quadra, qdo ele subiu do DM, tratando a panturrilha que veio machucada da selecao.
    E o aquecimento tava beeeeeem devagar.
    Ele começou o bate bola e a risadinha não parava.
    Ele deu a chamada.
    Repetiu.
    Aí foi pro meio da quadra e soltou os cachorros.
    Sem traumas, mas já serviu de cartão de visitas.
    E pra quem tá acostumado com esporte, foi um esporro normal.
    O que ele queria é mudar o espírito daquele time. Mudou, vc bem sabe.
    Quando citei esse caso pro Wagner é justamente pq tem gente que quer jogar “profi” mas não quer ser cobrado. E outros que cobram geral pq dão exemplo.
    Não precisa publicar, se não quiser.
    Abraço

Envie seu Comentário