Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O Brasil apresentou suas armas na Liga Mundial

10 de junho de 2013 11

Foto: divulgação FIVB

Diante do campeão do ano passado, a Seleção Masculina fez a sua estreia na Liga Mundial em grande estilo. Lá na Polônia, lascou duas vitórias para cima do time do técnico italiano Andrea Anastasi e abriu o campeonato dividindo a liderança de seu grupo com a Bulgária.

Foi sem dúvida, em termos de resultados, uma grande conquista, já que nessa edição da Liga Mundial não haverá confrontos de volta. Isso mesmo, o Brasil não receberá a Polônia. Os campeões do ano passado agora só se for na fase final – um abraço.

Em relação à atuação, primeiro gostaria de opinar sobre os poloneses, que abriram a Liga Mundial no ano passado numa forma física diferente da apresentada nesse final de semana. Bartman, por exemplo, voava. E me lembro bem de ter comentado sobre a dúvida do oposto chegar naquela forma em Londres. Agora, parece que aprenderam a lição e periodizaram melhor.

Sobre o Brasil, só posso comentar sobre o jogo de ontem. O jogo de sexta não assisti.

Vi grande atuação de Vissotto, Bruno e Dante. Eder, foi muito bem. E Lucão, foi o grande jogador do time até sentir a contusão que o tirou do jogo a partir do intervalo do primeiro para o segundo set.

Isac, que desde a temporada passada eu comento ser um jogador a altura da Seleção, entrou e não comprometeu. Para quem fez o seu debut na Seleção principal na Liga Mundial ele foi bem. Mas, está longe de ameaçar a posição de Eder e Lucão.

Lucarelli que pelo que li foi destaque na primeira partida não foi tão bem no segundo jogo. Porém, se continuar evoluindo é sim uma ameaça a qualquer um dos ponteiros – Dante e Murilo.

Mário Jr. eu sempre escrevo que é melhor defensor que passador, e ontem deu diversos pontos na recepção.

Quem me surpreendeu positivamente foi Vissotto. Não pela atuação, pois já vi grandes partidas dele. Mas pela imposição, pela liderança e pelo ímpeto de bloquear que demonstrou. Bem diferente da maioria de suas performances.

Depois de ter feito 2×0 o Brasil baixou a guarda e os poloneses sacaram melhor conseguindo empatar a partida. No quinto set, valeu a melhor estrutura tática e, na minha opinião, a gritante diferença entre os dois levantadores. Bruno soube distribuir o jogo. Zygadlo, não.

Acho que a Seleção masculina está num bom caminho para classificar para as finais. Se conseguir vencer os dois jogos na Argentina nesse final de semana, acredito até numa campanha invicta na primeira fase.

Nos outros confrontos do grupo A, o grupo do Brasil, a França recebeu a Bulgária e perdeu as duas partidas – 2×3 / 0×3; Os americanos que receberam os argentinos, perderam o primeiro jogo por 1×3, mas deram o troco e venceram o segundo por 3×1.

No grupo B, a Rússia recebeu o Irã e venceu os dois jogos – 3×0/3×1; a Itália recebeu a Alemanha e também venceu os dois 3×0/3×2; Cuba recebeu a Sérvia e perdeu os dois jogos por 1×3.

No Grupo C, o Canadá recebeu Portugal,  venceu a primeira por 3×0 e perdeu a segunda por 1×3; a Coreia do Sul recebeu a Finlândia e perdeu os dois jogos 0×3/2×3; e a Holanda recebeu o Japão e venceu as duas partidas 3×1/3×0.

Bookmark and Share

Comentários (11)

  • Fabio diz: 10 de junho de 2013

    Só uma coisa …. eu jamais gostei do Bruninho … mas devo admitir que, neste último ano melhorou muito.

  • Fernando diz: 10 de junho de 2013

    Respeito muito seus comentarios já algum tempo, mas colocar o Dante como um dos destaques na sofrida vitoria de ontem.Não mesmo…. Aliás só Eder se salvou ontem , com ressalvas ao Bruno .

  • GUga diz: 10 de junho de 2013

    Isaac tambm foi muito bem no saque, de inicio complicou no ataque, mas se sentindo mais a vontade, seria um bom nome

  • Vinícius diz: 11 de junho de 2013

    A Polônia sofre com a falta de um levantador talentoso. Zygadlo é limitado.

    Em alguns momentos, percebi a ausência do fator-surpresa que um levantador precisa para fazer a diferença – por exemplo, num passe um pouco afastado da rede, o bloqueio brasileiro já se posicionava próximo à posição 4 do time polaco. Se Zygadlo tivesse uma sensibilidade e técnica mais apuradas, poderia forçar um levantamento no meio, para Mozdzonek. Este ficaria livre (ou no máximo com um bloqueio simples e quebrado) para realizar o ataque.

    A saída do Zagumny, que já foi eleito o melhor levantador do Mundial de 2006, fará com que os atacantes poloneses (muito talentosos) sofram mais para escaparem dos bloqueios pesados das equipes favoritas à disputa do título da Liga Mundial.

  • Emanuella diz: 11 de junho de 2013

    Zygadlo jogou muito mal no 5 set. Horrivel. Bruno jogou muito bem. Ta melhorando muito nesse ano. a Bola na entrada de rede que ele sempre sofreu já melhorou bastante.
    Polonia tinha era que ser treinada pelo Bernardo. Anastasi não mexe no time nunca. Tinha que ter trocado o levantador.

  • Joel diz: 11 de junho de 2013

    Fico com tua análise. Também devemos considerar a temporada passada (desgastante) dos atletas. Eles se superaram com exceção do Mário Jr. (mas será que temos outras alternativas de líbero hoje? O Mário as vezes deixa a desejar em bolas “fáceis”).

  • Emanuella diz: 12 de junho de 2013

    gente mas não era o Zagumny no banco de reserva?? porque ele não colocou o cara para jogar?? ta machucado é??

  • Emanuella diz: 14 de junho de 2013

    kkk to cegueta mesmo, jurava que tinha visto ele. acho que foi no dia que estava vendo pela internet.

Envie seu Comentário