Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Brasil será campeão antecipadamente

29 de agosto de 2013 5

BRAJAP1

O título do post é até provocativo em face do que escrevi antes sobre o que esperava das finais – esperava equilíbrio e que o campeão não seria invicto.

Mas, a diferença entre o voleibol apresentado pelo Brasil e o dos outros é tão grande que sugere isso: o título antes do jogo contra a China. Sim, porque o equilíbrio realmente há entre as outras.

Então o que o Brasil fez de diferente, ou melhor, está fazendo de diferente?

Vou primeiro pontuar as coisas positivas. O Brasil tem a melhor central do mundo – Thaisa. Uma levantadora e uma ponteira que ganharam muita moral com o título olímpico e jogam envergando essa superioridade, adquiriram essa maturidade.

Além disso, José Roberto Guimarães resolveu colocar um time com volume. Somado esse volume a grande fase de Fernanda Garay para rodar as bolas. Assim, o time está voando em comparação aos outros.

O ruim é que o time não está propriamente renovado em relação a Londres, os outros sim. Esse era o momento de testar jogadoras que efetivamente poderão estar num Mundial e numa Olimpíada. Monique mesmo que dê nesse momento menos prejuízo não é a oposta dos sonhos e dificilmente encontrará lugar no time quando e se o time estiver completo no ano que vem.

Mas, hoje, já deu lugar à Sheilla pelo que vi no P2.

Mesmo que houvesse prejuízo agora, testar e colocar em quadra jogadoras altas e com talento para estarem em quadra em 2016 e depois seria o melhor.

Numa reflexão mais aprofundada, de que adianta o time americano ter vencido o Grand Prix em 2010, 2011 e 2012 e não ter vencido nem o Mundial e os Jogos Olímpicos?

Os outros prepararam-se melhor, portanto.

Esse é meu ponto de vista em relação a ser um ano de preparação. Porém, um título será sempre um título e o Brasil tem diante de si uma grande oportunidade de recuperar o do Grand Prix.

Nessa madrugada o blogueiro que vos escreve não assistiu a jogo algum para recuperar-se da noite anterior e tampouco ao jogo do Brasil pois dá aulas nesse horário.

Entretanto, na próxima madrugada diante da Itália prometo inclusive comentários no Twitter (@FalandodeVolei)

O Brasil venceu o Japão por 3×0, parciais de 25×21/25×22/25×17.

Nos outros jogos da última noite a Sérvia venceu os Estados Unidos por 3×1 e a China venceu a Itália por 3×2.

Na próxima madrugada, China e Estados Unidos (1:30); Brasil e Itália (3:30); Japão e Sérvia (7:10).

Bookmark and Share

Comentários (5)

  • Samantha diz: 29 de agosto de 2013

    Adoro os teus comentários!!!
    Pois bem, observo que se a Garay treinar (melhorar) um pouco a recepção ela sera melhor do mundo em sua posição. Adoro a Monique mas ela realmente não da para ser a oposta numa seleção aonde muitas se destacam em suas posições, porem não acredito que esse nome sera tampouco a Tandara (jogador da qual gosto de ver jogando), não sei se realmente existe isso mas algumas jogadoras parece que não se encaixa na seleção. Tandara como a Monique são ótimas no clube mas para a seleção precisa de um diferencial, coisa que a Thaisa demonstra de maneira incrível, vi os dois jogos e ela foi ótima nos dois.
    Falando de centrais, o que acontece com a Fabiana em algumas vezes no jogo?? parece que ela esta dispersa, que esta preocupada com algo, não sei… e devemos mesmo esquecer de Jucyele (otima mas não vai adiante na seleção)
    E por ultimo mas não menos importante se Gabi continuar jogando assim não vamos ver Pri Daroit em ação, uma pena pois acho que poderia render algo
    Ps.: você acha que Ze Roberto esta querendo cansar a Gabi para a Superliga ou não tem nada a ver??? (estou com maldade em meu coração?????) so acho que esta querendo dar muito destaque a ela ou estudando para o futuro…
    Ps.: A Rosamaria e oposta ne??? Podia ser testada… ou já estou colocando o carro na frente dos bois…

  • jerry diz: 29 de agosto de 2013

    Realmente Rodrigo, o Brasil está sobrando nessa competição, até mesmo não podia ser diferente, pois o Brasil com relação aos outros é o menos renovado. Apesar que temos ainda três jogos, mas não devemos ter surpresas, acho também que tínhamos que ter mais jogadoras novas para dar mais experiências, contra o Japão a Gabi demonstrou que veio pra ficar, é impressionante a segurança dela no ataque, parece uma veterana.
    Rodrigo quando a Jaqueline voltar na sua opnião, quem deverá sair?, e tem alguma central nova que pode ser trabalhada pra substituir Taisa ou Fabiana?, ja de olho no ciclo Rio 2016?
    Valeu!

  • Guga diz: 29 de agosto de 2013

    Fica dificil achar um critério para fazer analogias dessas seleções… Renovação passou longe do Brasil, só a Gabi mesmo, e olhe lá pq quando voltar Jaqueline, Natalia e Tandara a mesma ira rodar… Prefiro ter um time renovado, com jogadoras em ascensão e q tenha oportunidades, do que levar o time completo, vencer um torneio com equipes meia boca e ficar achando q esta tudo bem.

Envie seu Comentário