Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Nas mãos de Fabíola o Brasil segue vencendo no Japão e será campeão antecipadamente - de novo

15 de novembro de 2013 4
Foto: Divulgação - FIVB

Foto: Divulgação – FIVB

Nessa madrugada, o Brasil venceu mais uma partida pela Copa dos Campeões no Japão, dessa vez frente à República Dominicana, por 3×1.

Não assisti ao jogo. Fabíola foi eleita a melhor em quadra e para o bem do voleibol é melhor que continue sendo.

Digo isso porque na partida entre Rússia e Estados Unidos, que aconteceu na sequência ao jogo do Brasil (esse sim eu consegui acordar), as duas levantadoras Alisha Glass e Ekaterina Pankova deram um show de distribuição de Jacas. Para quem não sabe o que é, no voleibol chamamos Jaca um levantamento imperfeito. E levantadoras Jaqueiras aquelas que distribuem suas jacas. E nisso ambas deram um show.

Foram inúmeras bolas nas quais as atacantes foram obrigadas a largarem ou empurrarem a bola para o outro lado em função disso. Mas, ao espectador menos atento, isso não aparece pelo ângulo da câmera. Por vezes o que aparece é o bloqueio, mais em função de que a atacante nenhuma opção tinha senão dar no meio do block para ver se passava.

Para completar o quadro, deram o troféu de melhor em quadra para Glass. A japonesada está com padrões baixos, bem baixos.

Sobre o jogo em si foi equilibradíssimo. Um 3×2 para os Estados Unidos decidido em dois erros de ataque em sequência da  jovem Malykh, no momento do quinto set no qual Sokolova estava no fundo de quadra.

O problema da Rússia durante o jogo todo foi a Recepção – é de chorar como passam mal. Sokolova jogou muito, manteve o time no jogo o tempo todo, rodou bolas importantíssimas. Quando o quinto set estava 12×13 rodou a bola de empate mas teve que ir para o saque; a Rússia teve o contra-ataque para passar na frente, mas como escrevi Malykh atacou para fora e na bola seguinte a péssima levantadora Pankova insistiu com a menina de 19 anos que atacou de novo a mesma bola paralela pela saída para fora.

Agora há pouco o Japão venceu a Tailândia por 3×0 e recuperou a vice-liderança da competição.

O time tailandês até joga direitinho, porém é difícil compreender esse campeonato asiático disputado em setembro no qual essa equipe apenas mediana venceu a China e o Japão.

Na próxima madrugada, Estados Unidos enfrentará a Tailândia (1:10); o Brasil joga contra a Rússia (5:10) e o Japão enfrentará a Rep. Dominicana (8:10).

Bookmark and Share

Comentários (4)

  • Samantha diz: 15 de novembro de 2013

    Sinceramente não compreendo o critério para o melhor em quadra, no primeiro jogo do Brasil a Sheilla não rendeu tanto para ser a melhor, no segundo concordo que Adénizia jogou bem, como você não vi o jogo desta madrugada então não posso falar deste jogo mas nos outros a Fabíola não estava levantando lá essas coisas não, acordei para ver o jogo da Rússia x EUA e concordo que os levantamentos estavam jacas.
    Uma Sokolova só não faz uma seleção, e as duas levantadoras não renderam o esperado pela Rússia.
    Já pelos EUA quando começam a trabalhar a organização das jogadas se saem melhor.
    Abraço

  • Eduardo P diz: 15 de novembro de 2013

    Fabiola levantou cada jaca tambem! Nao achei que foi a melhor.

  • Paulo diz: 15 de novembro de 2013

    Também não achei esse jogo todo da Fabíola, mas jogou melhor que nos jogos anteriores. Ainda acho que ela pode ser nossa segunda levantadora, mas precisa calibrar mais a mão. Que ela use essa temporada pra aprimorar um pouco mais a precisão.

  • Nei diz: 16 de novembro de 2013

    A Fabíola também não está tão bem assim. Muito imprecisa também e não se acerta com a Sheilla nunca. Quem não levanta jaca são as as levantadoras Nakamishi e Nootsara Tonkom (não sei se os nomes estão escritos corretamente) do Japão e da Tailândia. Essas sim arrasam.

Envie seu Comentário