Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Torcida pressiona, Finlândia engrossa, mas Brasil vence por 3-0

06 de setembro de 2014 0
Foto: FIVB

Foto: FIVB

Sidrônio Henrique, de Katowice

A partida entre Brasil e Finlândia, hoje, pela terceira rodada do grupo B do Campeonato Mundial de vôlei masculino, foi realizada em Katowice, na Polônia, e terminou com vitória brasileira por 3-0 (27-25, 25-21, 26-24). Mas quem estava na Spodek Arena sentiu-se como se estivesse em Helsinque ou outra cidade finlandesa. Os cinco mil torcedores da Finlândia, empurrando sua seleção aos gritos de “Suomi” (o nome do país em finlandês), aqueceram o que era para ser uma partida sem grandes emoções na campanha do Brasil em busca do tetracampeonato mundial.

O Brasil soma agora nove pontos, isolado na liderança da chave, que tem ainda Alemanha, Cuba, Coreia do Sul e Tunísia. Os brasileiros ainda não perderam nenhum set na competição e já haviam vencido Alemanha e Tunísia. Os alemães estão em segundo lugar no grupo com seis pontos. Os finlandeses somam cinco. Alemanha e Finlândia se enfrentam amanhã, em uma partida que deve decidir o segundo lugar da chave. O Brasil enfrenta a Coreia do Sul neste sábado e Cuba no domingo, sempre às 15h15 (horário de Brasília).

No primeiro set, os brasileiros pareceram sentir a pressão da torcida, adaptavam-se ao ambiente e também ao levantador Raphael, que substituiu Bruno – o titular recupera-se de um trauma na mão direita, ocorrido no final da partida anterior, contra a Tunísia, quando mergulhou para uma defesa. Ainda no set inicial, era possível ver algumas bolas um pouco fora de tempo ou da trajetória normal. No final daquela parcial, o time de Bernardinho resolveu no saque e ainda se impôs tecnicamente nos ralis decisivos.

Veio o segundo set e a Finlândia continuou oferecendo resistência. Com o passe na mão, o habilidoso levantador Eemi Tervaporti pode deixar seus atacantes à vontade, especialmente o oposto Olli-Pekka Ojansivu. Somente depois do segundo tempo técnico, numa sequência de saques de Lucarelli, o Brasil se distanciou dos finlandeses no placar.

No terceiro set foram os finlandeses quem encaixaram seu saque e chegaram a ter cinco pontos de vantagem (16-11 e 18-13), mas a seleção brasileira se recuperou por meio do seu saque e bloqueio. Foi com um block de Vissotto, que havia entrado no lugar de Raphael para bloquear, que o Brasil empatou em 22-22. Na sequência, Lucarelli converteu um contra-ataque para fazer 23-22, mas os finlandeses viraram novamente nos dois ralis seguintes. Outra vez no saque de Lucarelli, que terminou a partida com seis aces, o Brasil se impôs para fechar o set e a partida – primeiro com um ace e na sequência com um contra-ataque após uma bola de graça que o saque do ponteiro proporcionou.

Apesar da grande atuação de Lucarelli no saque, esse fundamento funcionou esporadicamente do lado brasileiro. O bloqueio foi inconstante também. “O maior inimigo de um bom bloqueio é a ansiedade. Os nossos bloqueadores tentavam adivinhar para onde o oposto deles, que é muito bom, ia atacar e isso não pode acontecer. Nós nos movemos demais no bloqueio, faltou consistência”, disse o técnico Bernardinho.

O treinador destacou ainda a experiência de jogadores como Murilo, Lucão, Sidão e Raphael para se impor nos momentos decisivos. “Os finlandeses também têm jogadores experientes, mas esses nossos têm mais, e isso foi importante, pois a Finlândia teve set points no primeiro e no terceiro set”, observou.

Bruno Rezende
O levantador Bruno Rezende, que estava na lista dos 12 jogadores para a partida, mas não entrou em quadra em razão da contusão na mão direita, disse que espera voltar em dois ou três dias. “Quero estar 100%, mas o Raphael me substitui à altura”.

O substituto Raphael Oliveira afirmou que sentiu um pouco no início, pois não joga muito tempo com os titulares, mas que foi se ajustando e que gostou da partida. “Eu torço para que o Bruno volte o mais rápido possível”, completou.

FIVB falha
Bola fora em Katowice da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), que meia hora depois do jogo ainda não tinha os dados estatísticos à disposição dos jornalistas – normalmente essas informações são fornecidas em menos de cinco minutos. A FIVB alegou “problemas técnicos” e depois da entrevista coletiva ainda pediu mais uma hora aos repórteres. Por causa dessa falha, os jornalistas não puderam informar, por exemplo, as estatísticas nos diferentes fundamentos.

Equipes

Brasil: Wallace, Raphael, Murilo, Lucarelli, Lucão, Sidão, Mario Jr e Felipe. Entraram: Vissotto e Lipe.

Finlândia: Olli-Pekka Ojansivu, Eemi Tervaportti, Olli Kunnari, Antti Siltala, Konstantin Shumov, Matti Oivanen e Lauri Kerminen. Entraram: Mikko Esko, Niklas Seppanen, Jukka Lehtonen e Mikko Oivanen.

Bookmark and Share

Envie seu Comentário