Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Coluna DC - quinta-feira - 4/10

04 de outubro de 2012 2

Fair play

Criciúma e Ceará se encontram amanhã no jogo da volta de um duelo que marcou a campanha do Tigre nesta Série B. O famoso jogo em que o Ceará não devolveu a bola jogada para fora pelo goleiro Douglas porque o lateral direito Robert estava caído. O Ceará seguiu o jogo e empatou num chute de fora da área do meia Rogerinho. O Criciúma reclamou que não houve fair play e toda a confusão se formou depois do gol.

O que quero dizer, resgatando tudo isso, é que deve haver um clima diferente nas arquibancadas do Heriberto Hülse. Mas que o Criciúma responda com gols. Vencer o Ceará é a melhor resposta para qualquer discussão que houve no Presidente Vargas. E o Tigre tem bem mais time do que o adversário. Fair play, sim! O tempo inteiro! E muita bola pra cima do adversário.

Administração competente

Qual o time catarinense de maior sucesso dentro de campo na temporada nacional (estou falando de Campeonato Brasileiro)? A resposta é rápida e clara: o Criciúma. O futebol é, acima de tudo, resultado em campo. O Criciúma tem time e vai subir pra Série A. Mas o que foi feito no Criciúma administrativamente merece ser observado.

Desde o final do Catarinense, com a limpeza no grupo de jogadores, até a entrada no Brasileiro, com a contratação deste time que está aí, o Tigre formou uma base sólida para crescimento financeiro. É que praticamente todo o time titular do Criciúma pertence, com altos percentuais, ao próprio clube. Quando terminar a temporada, muitos virão atrás de Lucca, Marlon, Kléber, Ezequiel e até mesmo Zé Carlos. Pois terão que pagar ao Tigre e encher os cofres do Heriberto Hülse. Isso é administrar de forma competente! Que não haja desmanche, mas, se houver, que o Criciúma lucre com isso e não outras empresas e parceiros.

Sempre quase

O Avaí de 2012, com seus defeitos, é o Avaí 2012, com seus defeitos. Não era o Avaí do Hemerson Maria que não ia chegar. Não é o Avaí do Argel que vai ou não chegar. Falta ao Leão, e faltou na Série B inteira, aquele algo a mais que as equipes que estão chegando têm.

O Avaí tinha Cleber Santana, que era um trunfo, mas não soube oferecer ao meia, no mínimo, a parceria de um goleador. E como faz falta ao Leão um artilheiro! Não que o clube não tenha tentado trazer. Tentou, mas não teve acerto nas escolhas. Essa é umas das razões pelas quais o time está “sempre quase”: se aproxima da briga, mas nunca entra efetivamente no sonhado G-4.

Aloisio

O atacante Aloisio negou ontem, aqui no DC, que esteja acertado com o São Paulo. Realmente não há acordo fechado ainda, mas desde o final do Catarinense já há entre ele e o empresário dele um acerto para que um dos grandes paulistanos seja o caminho futuro do atacante na temporada 2013 _ Palmeiras, Corinthians ou São Paulo.

Bastava a Aloisio que fizesse a parte dele em campo durante o Brasileirão. A parte dele está feita, não está? Com gols neste returno e belas atuações para o Brasil inteiro assistir, o atacante já construiu o que tinha que construir. Portanto, por mais que haja a negativa agora e que o acordo não esteja assinado, apostaria nisso ao final do Brasileirão.

Comentários (2)

  • João Otávio (CEC) diz: 4 de outubro de 2012

    Não sei o PC Gusmão vai vir pra cá, mas ele chegou até ameaçar entrar na justiça contra o Lucca, pois o chamou de vagabundo. Aqui em Criciúma estamos todos querendo revidar da melhor forma. Um show de bola e mais uma vitória do Criciúma para cada vez mais perto do acesso.
    E vai haver gritos aqui da torcida chamando o PC Gusmão de vagabundo mesmo, pois ele que disse para seus jogadores não devolverem a bola.
    Vencer Ceará sexta, BOA fora, ABC em casa e já estaremos com 1 pé e meio na Série A 2013.

  • Samir Oséas Saad diz: 4 de outubro de 2012

    Sou do tempo que não existia este maldito cartão amarelo e vermelho, assistiamos os jogos do Campeonato Catarinense ou ouviamos pelo rádio, pois não existia televisão, o jogo começava com onze jogadores e terminava com onze, éra coisa rara estes incompetentes do apito expulsarem um jogador, começava e terminava o campeonato com no máximo uma ou duas expulsões. Gostaria de saber quando a imprensa que tem a força de mudar, digo imprensa local, nacional e até mundial, vai tentar modificar esta robalheira que está ocorrendo nos campeonatos de futbol e interpretações equivocadas: exemplo: dentro das quatro linhas, todas as vezes que a bola bate na mão, ou mão na bola, os árbitros dão falta e muitos até aplicam o maldito cartão e, na grande ou pequena área criaram ou inventaram a roubalheira de interpretação do árbitro. Ora, se nas quatro linhas é falta e não há interpretação, porque na grande área inventou-se a maldita interpretação. Está ai a sugestão para imprensa tentar acabar com isto, mão na bola ou bola na mão na grande área é falta como é nas quatro linhas do campo e consequentemente penalti.
    Atenciosamente.

Envie seu Comentário