Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Mestre das massas

29 de junho de 2013 1

FOTO: VANDERLEI ALMEIDA/AFP

O técnico Luiz Felipe Scolari sabe muito de futebol e o currículo dele mostra isso. Com pior ou melhor fase, todos sabem que ele pode reverter qualquer quadro negativo de qualquer equipe. Mas o que Felipão faz com maestria é isso que ele acaba de fazer com a Seleção Brasileira e a relação do time com a torcida. Scolari é um mestre na arte de conduzir as massas. Compra algumas brigas, usa o conflito em determinadas situações e traz o torcedor para o lado dele e do time que dirige. A espantosa mudança do comportamento da torcida durante a Copa das Confederações tem muito a ver com esse jeito do técnico brasileiro e com a forma como ele sabe conduzir o torcedor.

O momento mais crítico

Entre todos os jogos e momentos dentro destes jogos, a situação mais crítica aconteceu no Mineirão, na semifinal de quarta-feira. A Seleção havia voltado para o segundo tempo com a vantagem de 1 x 0 no placar e deu aquela entregada para que o Uruguai empatasse o jogo. Foi um momento de tensão dentro de campo, com o time preso, e fora do campo, nas arquibancadas, com um silêncio que poderia começar a virar reclamação. Foi então que o mestre das massas tirou Bernard da cartola e colocou no lugar de Hulk. Além de ganhar em qualidade e movimentação na partida, Felipão ganhou a torcida mineira. Trazendo os torcedores de volta pro lado do time, Scolari bloqueou qualquer clima ruim que fosse refletir em campo e, ao contrário disso, teve a resposta imediata e a união entre torcida e time que foi fundamental e está sendo ressaltada por todos.

A pessoa certa

Quem acompanha minhas análises me ouve falar desde que saiu Dunga que o profissional certo para comandar a Seleção Brasileira numa Copa do Mundo jogada no Brasil, era Felipão. Nada contra Muricy, nem contra Mano Menezes, ou qualquer outro de ponta do futebol brasileiro. É tudo uma questão de respaldo. Felipão tinha esse respaldo do torcedor brasileiro. Não quer dizer que vá ganhar a Copa no ano que vem, nem a Copa das Confederações neste domingo, mas ele sabe e soube fazer aquilo que era necessário pra se jogar dentro de casa.

Comentários (1)

  • krall Bolshoi diz: 29 de junho de 2013

    Se o cara não vai ganhar a copa das confederações, nem a copa do mundo, está fazendo o que lá, oh analista de… de… qualquer coisa? Que ridículo, o comentário.

Envie seu Comentário