Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Público nos estádios

18 de agosto de 2013 3

Uma discussão constante no momento é a questão da baixa média de público nos estádios brasileiros. Entre os catarinenses, Criciúma e Joinville são os líderes, com médias de 12 mil e 9,5 mil, respectivamente. Os torcedores de Avaí e Figueirense decepcionam, com 3,6 mil na Ressacada e 5 mil no Scarpelli. A Chapecoense está com 4,8 mil de média, que também não reflete a campanha da equipe na competição. É um caso a ser analisado pelas diretorias e os senhores de planejamento e marketing dos clubes. Tenho repetido que o que leva torcedor ao estádio é time, resultado e jogo. É claro que cada caso tem sua particularidade extracampo, como as dificuldades de trânsito na Ressacada e a bronca e a chateação do torcedor alvinegro, mas que é um desafio para os clubes, isso é.

Comentários (3)

  • Guilherme Quadros diz: 18 de agosto de 2013

    e….

    texto superficial

  • saudaDez diz: 19 de agosto de 2013

    Meu Caro, palavra de tocedores que iam ao Scarpelli nos anos anteriores e deixaram de ir este Ano:
    Primeiro, ninguem abandonou o Figueira!
    A maioria é de repúdio ao que fizeram aos nossos ídolos. A sa’da de Wilson, e principalmente Fernandes da forma que foi feita deixou muita gente triste, é uma ferida que não cicatriza tão cedo, e fazem um boicote silencioso. Como a “administração Profissional” do Clube é muito ruim, não fazem sequer uma simples pesquisa de opinião para detectar tal sentimento na torcida, estão deixando de ter, por baixo, mais de 2.000 sócios extras, só por utilizar nosso craque eterno, que ainda tem muita lenha para queimar. E te garanto que se fizessem uma camapnha utilizando Fernandes, muita gente voltaria ao estádio. O problema é conseguirem traze-lo. Mas garanto que ambos Fernandes e Torcida estão loucos para voltar.

    Segundo ponto, a torcida é parte do espetáculo para a torcida. Hoje nos estádios só temos expectadores (com excessão das Organizadas, que não gosto muito, mas incentivam o time), temos que trazer de volta a massa vibrante, a diversidade social. porque não utilizar o ocioso setor atras da trave sul para associados populares, Bolsa Ingresso mesmo… preço popular. Trazer o papel picado, o talco, e as bandeiras, que víamos há uma década.

    Terceiro ponto: Hoje é mais dificil pela buracracia, se associar ao “mais Querido” do que cancelar a carteirinha. me impuseram um absurdo de comprovates para conseguir me associar, quando fui entregar a carteirinha, logo após ao episódio da Despedida do Fernandes, haviam mais uma meia dúzia fazendo o mesmo. Fizeram em menos de um minuto! Como São burros! Amadores! o atendente com a maior cara de pastel, nem tentava demover os tercedores da idéia. Todos ali ficaram meio pasmos, e lá no fundo não queríamos sair, queríamos ser ouvidos, e eles Sequer perguntaram o motivo! Quem é esse diretor de marketing? pensa que marketing é propaganda?
    Pelo exposto acima (que é somente uma parte ínfima do problema), posso te dizer que o que afasta torcedor é o amadorismo, a burrice e a soberba, né wilfredão?

  • Silvio diz: 21 de agosto de 2013

    Média de publico da Chape na Arena Condá é bem maior que os 4,8 mil que você falou.
    Reveja isto. O Globoesporte também está errado.

Envie seu Comentário