Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Vexame padrão Fifa

31 de maio de 2015 1
Foi uma semana bombástica para o futebol mundial e pode ter sido um marco para que muita coisa mude. Mas não é o que o caminho indica. Em meio a todo processo, entre prisões, denuncias, investigações, declarações e acusações, o processo eleitoral correu na Fifa como se nada houvesse. E todos se perguntam quem poderia ser alternativa de poder ao que está estabelecido há mais de 40 anos na entidade máxima do futebol – se contarmos João Havelange e Joseph Blatter, um sucessor do outro.
E se perguntavam também quem era o concorrente de “oposição”, o príncipe da Jordânia, Ali Bin Al-Hussein. Pois bem, é um jovem de 39 anos, que tem uma carreira recente como cartola no Oeste da Ásia, surgindo como um contraponto ao então presidente da Confederação Asiática de Futebol, Bin Hamman, que está banido do futebol depois que foi flagrado tentando comprar votos dentro do Comitê Executivo. É um cartola de carreira, que não tem história no futebol e que começou apoiando Blatter. Como muitos outros na Fifa e no futebol pelo mundo, é mais um que parece ter visto no futebol uma plataforma para promoção pessoal, social e até financeira. Este parece ser o verdadeiro padrão Fifa tão comentado sempre.Espelho no Brasil O ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, era, em 1989, quando assumiu a Confederação, alguém estranho ao mundo do futebol. A credencial dele à época era ser genro do então presidente da Fifa, João Havelange. Depois de Teixeira, que durou 23 anos no cargo, Marin assumiu – outro estranho no ninho. E agora temos Marco Polo Del Nero, que vem dos tribunais de Justiça Desportiva. Gostaria de ver gente do futebol comandando, como ocorre na Alemanha, que transforma ídolos em dirigentes, como Franz Beckenbauer, Karl-Heinz Rummenigge e Paul Breitner.
O Brasil tem campeões que poderiam ser expoentes como lideranças nacionais e internacionais, como Raí e Leonardo. Mas esses não têm espaço, pois as federações e a confederação estão dominadas há anos, com aceitação dos clubes, que também têm seus “donos”. É uma espécie de confraria, onde a causa final nunca é o crescimento do futebol, mas sim o benefício próprio.

Comentários (1)

  • EDUARDO FURACÃO diz: 1 de junho de 2015

    A COISA ESTÁ ASSIM :

    B-vai : já é o segundo jogo que consegue ganhar com gols IRREGULARES…E estão se achando, já já irão cair na real, estarão na ZONA DE REBAIXAMENTO pra não sair mais… é bola que sai, é bola levada com a mão, vale tudo…..aguardem…
    chapecoense :Normal, perder fora de casa, mas pelo menos está ganhando em casa…
    Criciúma: Vai ser muito difícil subir, tem que melhorar muito…
    JEC : Este aí agora está vendo o que é SÉRIE “A”, vai ser o saco de PANCADA além de VICE NO CATARINENSE…Hémerson Maria vai cair já já,….e o Presidente NEREU está provando do seu próprio veneno, disse que torceria para o FIGUEIRENSE cair, o tiro está saindo pela CULATRA, e vai até o fim assim….
    FIGUEIRENSE : ESTE É O MAIS ACOSTUMADO À SÉRIE “A” ,já está se ajeitando e vai fazer um bom campeonato,…e não adianta secarem …

Envie seu Comentário