Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A campanha do clássico

11 de junho de 2015 5

Em primeiro lugar é preciso entender que há muito mais torcedores que querem viver o futebol como ele é, com paixão, como esporte e um entretenimento. Isso nos leva a um entendimento de que é a minoria que tem estragado a história toda. Em segundo lugar é preciso refletir sobre o que aconteceu nos últimos clássicos, em que o estímulo para a bagunça veio de dentro do campo e dos dois clubes. Tendo o entendimento destes dois fatores a questão principal é atacar o foco central daquilo que faz com que o grande espetáculo seja prejudicado. Os clubes se uniram e vão lançar hoje a campanha conjunta pela paz nos clássicos da Capital. O que nos faz acreditar que a questão de dentro do campo está resolvida. O que é bom esperar pra ver durante os 90 minutos. Mas os clubes estão se responsabilizando, pelo menos naquilo que diz respeito ao que vai ocorrer dentro de campo. Serão muito cobrados por isso.

Silêncio constrangedor

A outra questão é mais complicada. Achar baderneiros e gente que se utiliza do futebol para outras práticas é um ponto chave. Os dois presidentes, de Avaí e Figueirense, estiveram no Debate Diário ontem e fiz questão de fazer essa pergunta: por que é tão difícil se atacar esse ponto chave? Houve um silêncio que chegou a ser constrangedor. Refiz a pergunta sendo um pouco mais contundente. Ouvi, e todos ouviram, uma resposta do presidente do Avaí, Nilton Macedo Machado, que tentava explicar as dificuldades, que realmente existem, de se aplicar o Estatuto do Torcedor, com penas e fiscalização. Ao final ele ainda fez a ressalva que não era tudo responsabilidade dos clubes – no que há de se concordar, apesar de se querer que os clubes estejam e tomem à frente do processo.

Comentários (5)

  • Chico Itapema diz: 11 de junho de 2015

    Esta certo o Avai em não querer, quem deve mostrar em ser humanos é o clube alvirosa, os maiores provocadores, não sabem receber clube visitante, torcida sempre envolvida em confusão, jogadores mau caráter, técnico agitador e podemos dizer, o principal.
    Então, que sejam os primeiros a mostrar em ser gente, na sua casa.

  • Alvinegro diz: 11 de junho de 2015

    Não é responsabilidade do Clube, “estória”.

    Estive em uma reunião no Clube e quem estava na 1ª fileira, com direito a vez e vós?

    Nada mais do que um integrante de torcida organizada, devidamente uniformizado e dando de dedo.

    Infelizmente os Clubes estão reféns desses caras e, quando tentam cortar o “cordão umbilical”, vem um processo de represálias que eles rapidamente voltam atrás.

    Enquanto “todos” não estiverem engajados nessa luta ela é inglória.

    Ao invés de “torcida mista”, porque não a luta para acabar de vez com organizadas “dependentes”.

  • Bernardo Figueira diz: 11 de junho de 2015

    Gostaria de parabenizar os envolvidos na adoção do novo método de vender meia entrada. Nem com carteirinha de estudante,carteirinha do ônibus e atestado de matrícula se pode comprar meia entrada agora.De uma hora pra outra decidiram que todos esses comprovantes não valem, só um bendito selo de não sei o quê. A estratégia de afastar o torcedor do estádio realmente está funcionando, afinal não poderei ir ao clássico por esse motivo. Acho que da pra entender a não lotação das arquibancadas em clássico, né?Mais uma vez, parabéns!

  • Dorcelino R. dos Santos diz: 11 de junho de 2015

    Faraco, assisto sempre o debate diário e tenho a dizer o seguinte, vocês lembram do craque Júnior, hoje comentaristas de esportes? uma vez ele disse o seguinte: antigamente o futebol era 80% técnico e 20% físico, e hoje é 80% físico e 20% técnico. Com isso quero dizer que vocês não estão vendo isso no Avai, O eduardo neto é um exemplo contrário do que o Júnior acha, ele não marca ninguém não corre atrás quando alguém passa por ele, e quando recebe a bola faz três coisas, para a bola e passa para o lado e para trás, dando tempo para o adversário se armar. tirando a chance dos contra ataques. Não acho o Pablo um craque, mas uma coisa de bom ele tem sua a camisa e joga para o time com raça. Quem ver o vídeo o eduardo neto que o seu empresário montou o Barcelona contrataria ele no ato.

  • Dan diz: 12 de junho de 2015

    Paz no futebol pq ao final sao todos irmaos, primos, vizinhos e amigos, que adianta tanta violencia, o que adianta e’ bola rolando.
    Pelos menos ja que a zoera e’ livre: Parabens figueira 94 anos 14 catarinense(jogo qntos campeonato com 4 times???) e titulo nacional tem? Criciuma tem, Joinville tem, Avai tem, Kindermman tem, e vc com 94 anos nao tem, hahha que discriminacao com idosos.

Envie seu Comentário