Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Raul Cabral deve fazer o simples no Avaí

12 de novembro de 2015 1

A missão de Raul Cabral no Avaí é complicada, mesmo com o respaldo que teve do grupo de atletas. Raul não é salvador, muito menos mágico. É hora de fazer o simples, de minimizar os erros. Sem invenções ou mudanças drásticas, mas com substância e coerência naquilo que faz. Fundamental perceber – pelo relato dos repórteres presentes – que o clima já estava mais leve na manhã desta quarta.

Leia mais sobre o Avaí
Confira a classificação da Série A

O novo comandante azurra é um profissional preparado, inteligente e estudioso. Com as experiências que teve, já deve ter adquirido maturidade para comandar o vestiário num bom tom com os jogadores – entre a firmeza que o comandante tem que ter e a abertura que ele pode dar aos atletas. Mas o mais importante é que todos estão num mesmo barco, que a pressão aumentou, que a cobrança vai ser grande e que é possível manter o Avaí onde está, que é na Série A.

Dois jogos fundamentais
Os dois próximos jogos do Avaí são para ganhar e dar passos decisivos para a permanência na Série A. Primeiro a partida contra o Joinville, um confronto direto dentro de casa. É a típica obrigação de três pontos para uma equipe que pretende se manter na elite. A mobilização da torcida pode fazer muita diferença. A iniciativa da diretoria – de fazer R$ 30 o preço para os dois ingressos casados dos jogos contra JEC e Ponte Preta – é ótima. Mas antes da Ponte quero salientar aqui que o encontro com o Fluminense, que deve ser no Espírito Santo, também é uma partida para vencer. O Flu já está com a cabeça em 2016. Não é que vá facilitar algo, mas o foco é diferente de quem ainda compete na tabela e de quem só está cumprindo a sequência de jogos. Se vencer estas duas partidas o Avaí dá um salto rumo ao objetivo final.

Comentários (1)

  • edmilson gilson gonçalves diz: 19 de novembro de 2015

    Faraco, o que vimos ontem entre AvaixJEC, não foi nada do que planejou nosso treinador, pois surpreendeu na escalação, colocando Claudinei, pra neutralizar o jogo aereo do JEC, pura babozeira, armou o meio, com mais o Buia, o Eduardo Neto, esse sem qualidade alguma no passe, a não ser os para o adversário, pros contra ataques, especialidade dele e mais o Renan Oliveira, com aquela vontade toda, para garantia da posse de bola, nada do que foi visto ontem… Faltou-nos foi coragem e atenção para nosso momento na tabela, pois jogava-mos com o lanterna, dentro de casa e armamos aquele circo de horrores, um time retrancado, sem qualidade no toque de bola, sem nenhuma agressividade, apenas com jogadas contundentes do Anderson Lopes, tivemos foi muita sorte!!! Abre o olho Cabral e põe o time mais ofensivo…

Envie seu Comentário