Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Ex-panicat, Renata Molinaro assume que usou anabolizantes e fala sobre arrependimento

15 de fevereiro de 2017 4

A modelo e ex-panicat, que trabalhou no programa humorístico de 2012 a 2015, Renata Molinaro, era uma das assistentes de palco consideradas mais ‘naturais‘ pelos internautas.

Foto: Reprodução/Instagram

Foto: Reprodução/Instagram

Porém, em recente entrevista, a musa revela que já fez uso de anabolizantes como oxandrolona, um esteroide oral muito famoso pela sua baixa toxidade e poucos efeitos colaterais durante o ciclo.

“Já tomei oxandrolona e fiquei cheia de espinha. Aí nunca mais tomei nada nem que parecesse anabolizante. Tenho muita tendência a acne até com suplemento, o que tenho que tomar cuidado. O que melhor me adaptei foi um beef protein, proteína da carne”, revelou. 

Foto: Reprodução/Instagram

Foto: Reprodução/Instagram

Entre uma revelação e outra, ela conta que também colocou 215ml de silicone nos seios: “Coloquei por pressão da agência de modelo que trabalhava na época. Tive infecção hospitalar por erro médico quando coloquei e por isso foi um sofrimento. Coloquei, tive que tirar e ficar três meses sem as próteses para colocar novamente. Agora não mexo em mais nada. Chega!”, finalizou entre risadas. 

The following two tabs change content below.

Comentários (4)

  • SINCERO diz: 15 de fevereiro de 2017

    Fico imaginando essa tipinha “mexendo, mexendo, mexendo…”

    kkkkkkkkkkkkkkk

  • Guilherme diz: 16 de fevereiro de 2017

    Espetáculo!

  • Sergio Roberto diz: 22 de fevereiro de 2017

    Fico pensando: Não é atriz, não é cantora, não faz nenhum tipo de apresentação publica(TVT, radio,…) que possa, ainda que de longe, ser lembrada por este feito. Porque a entrevista de alguém absolutamente anônimo e com conteúdo que interessa somente a ela mesmo? Pensem…..

  • Fabio Dozza de Miranda diz: 22 de fevereiro de 2017

    Deveria ter tentado proteina vegetal, pois proteina de carne causa câncer, independente da quantidade, dependendo de como organismo consegue eliminar essas células malucas. Dados da OMS.

Envie seu Comentário