Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de janeiro 2011

Festa em preto e branco: faça você mesmo

31 de janeiro de 2011 8

Sabe aquela festinha em casa (ou no salão do condomínio), cheia de amigos queridos, que a gente curte promover? Ela precisa ser muito prática, principalmente quando há apenas uma semana para organizar tudo. Se você for este tipo de kamikaze, vai encontrar dicas que podem ser úteis, neste post.

Primeiro, a decoração/tema – em preto e branco - já foi escolhida para facilitar. É bem fácil encontrar itens para festas (embalagens, bandejas, forminhas, wrapers, louça, acessórios, balões etc..) nestas cores. E basta bem pouco para ficar tudo “très Chanel”, como diria minha amiga Marie.


O que servir? Um buffet de finger food (coisinhas que você pode comer sem talheres) é uma opção fácil para quem não vai contratar serviço de garçom, não possui louça suficiente e não quer passar a festa lavando pratos e talheres.

Se você conta com um aparador – ou mesmo uma mesa que pode fazer as vezes de aparador – pode dispor os seus petiscos em bonitos pratos.

Dica: já deixe os pratos montados na geladeira. Assim você facilita a reposição. Se não tiver muito espaço na geladeira, procure usar pratos não muito pequenos, para não ter que repor muito seguido.

Não esqueça de deixar muitos palitinhos e guardanapos à disposição.

Quer fazer um charminho extra? Enfeite os palitinhos com laços de fita mimosa.

Eles servem para espetar alguns dos acepipes, como os sanduíches fechados e também já enfeitam a mesa colocados em pequenos copinhos – estes são para brigadeiro de colher.



Oferecer finger food não quer dizer servir mais do mesmo. Descobri com a minha irmã Cristiane Feijó – culinarista de primeira que trabalha no ramo em Porto Alegre e é a responsável pelas delícias que você está vendo nest post – que há uma infinidade de sabores desconhecidos a serem explorados. E que podem ser produzidos por uma ou duas pessoas apenas, com um pouquinho de organização – claro.

Dica importante: não deixe para comprar os ingredientes na última hora. garanta com pelo menos dois dias de antecedência tudo o que não precisa ser fresco, como os temperos e frutas secas, por exemplo.

O cardápio destas fotos inclui fatias de pão (italiano e de sanduíche temperado e levemente tostado) com pastinhas (chutney de frutas, queijo gorgonzola e maçã com wasabi), espetinhos de tomates cereja com queijo de cabra (lá no cantinho), sanduíches fechados com pasta de frango e maçã), batatinhas assadas com molho romesco e damascos recheados com gorgonzola, alho assado com creme de ricota e manjericão e guacamole com nachos (Doritos).



Havia ainda um prato típico de festas dos anos 1970 sugestivamente chamado Sacanagem (enroladinho de mortadela Ceratti e cream cheese) – em alguns são colocadas tirinhas de pimenta Dedo de Moça (é bom avisar aos convidados de que se trata, realmente, de uma sacanagem).

No próximo post dou algumas dicas sobre as opções de doces, que fiaram sob a minha responsabilidade.


Para matar a sede com sofisticação

26 de janeiro de 2011 0

As águas aromatizadas têm ganho cada vez mais adeptos. Matam a sede, deleitam o paladar e a visão também, principalmente quando servidas em belas garrafas.

Por conta deste novo hábito, começam a parecer no mercado várias opções de garrafas de vidro: coloridas ou transparentes, com design moderno ou vintage.

Estas opções hermeticamente fechadas são da loja Syga Verde, de Florianópolis. Foto Mariana Boro

Elas também servem para outras finalidades: como acondicionar licores, azeites ou vinagres aromatizados. Ou substituem bem os vasos de flores tanto na decoração da sua casa quanto na de uma festa.

Se a sua opção é por usar para algo que precise ser guardado, dentro e fora da geladeira, o melhor é adquirir uma garrafa com bom sistema de vedação. Se for só para servir ou abrigar flores, não é necessário este cuidado.

Outras opções:

 

Você também pode se engajar na equipe de cuidados com o planeta e optar por reutilizar garrafas de vidro usadas. Ou, ainda, dar um toque pessoal decorando-as com alguma técnica artesanal. 

Geleia de rosas e vinho rosé

25 de janeiro de 2011 3

Foto Márcia Feijó

 

Desde que vi uma geléia de rosas para vender em uma delicatessen passei a me perguntar que sabor ela teria.

Meses depois encontrei a receita em um livro. Fiquei tentada a experimentar.

A dificuldade é que a lista de ingredientes inclui pétalas de rosas cultivadas sem agrotóxicos. Algo raro de se encontrar por aqui.

Mas durante as férias, não teve um dia que despregasse o olho das roseiras da minha sogra. Na volta, claro, trouxe comigo uma boa quantia de pétalas.

A receita é bem simples e segue praticamente as mesmas dicas da geléia de vinho tinto que apresentei aqui há um tempinho. Porém, demanda um outro ingrediente nada comum de achar nos mercados de Floripa: água de rosas. Pesquisei na internet e até encontrei sites que vendem o produto. Mas acabei produzindo a minha própria água de rosas.

A geléia ficou excelente. Tem um sabor suave, ideal para passar sobre uma torradinha e acompanhar um chá da tarde.

Ingredientes:





750 ml de vinho rosé

800g dea çáucar cristal

2 colheres (sopa, rasa) de pectina em pó

4 colheres (sopa) de água e rosas

1 punhado de pétalas de rosas cultivadas sem nenhum agrotóxico

 

Como fazer:

Lave bem as pétalas de rosas (deixe de molho com gotas de limão, vinagre ou produto usado para higienizar frutas e legumes). Lave novamente e reserve, Misture a pectina ao açúcar numa panela. Acrescente o vinho e leve ao fogo brando até que a mistura esteja bem dissolvida. Aumente um pouco o fogo e ferva por cerca de 2 a 3 minutos. Se formar espuma, retire usando uma colher. Retire do fogo, acrescente a água de rosas e leve novamente ao fogão, deixando cozinhar por mais uns 10 minutos até que esteja no ponto de geleia. Coloque no vidro esterilizado previamente e acrescente as pétalas, misturando delicadamente com a colher para que elas se espalhem.

 

Dicas: inspirada por um comentário do meu amigo Fabiano Moraes, que assim como meus outros colegas aqui de DC acharam um abuso desperdiçar vinho em geleia, usei um vinho Chalise. Aos enófilos de plantão: não debochem, para o caso ele revelou-se uma excelente opção.

Para esta receita, foram usadas pétalas de rosa em tom bem claro. Você também pode usar o vinho tinto doce.

 

Atenção: certifique-se de que não foi utilizado agrotóxico ans rosas e que as pétalas foram bem higienizadas




Suporte para cupcakes

24 de janeiro de 2011 0

No último sábado pela manhã, eu e minha amiga Janaína saímos à caça de ingredientes e acessórios para culinária fofa – coisa que nós duas curtimos (ela também tem um blog, o Feito Casulo, muuuuuito legal).

Fomos direto à Xandoca, no bairro estreito. Mas na hora de ir embora, a Jana resolveu procurar uma outra loja da qual tinha ouvido falar, a poucos metros dali (Rua Tereza Cristina).

Bendita ideia! Eu e ela fomos parar na Toque Final, um outro pequeno paraíso para quem curte cupcakes, bolos decorados, chocolates e tudo mais.

Encontrei uam porção de coisinhas que eu ando vendo na internet há tempos e não encontrava por aqui, como embalagens para cupcakes. Tem pasta americana de várias cores, prontinha para ser usada. E tinha até o meu sonhado suporte para cupcakes (dessert stand).

Foto Márcia Feijó

Não resisti, claro… Agora ele está só esperando um certo dia desta semana, quando ficará cheio de bolinhos coloridos.

Na Toque Final também são ministradas oficinas, algumas práticas e outras não. Já virei freguesa, com certeza.

Volta às aulas de culinária

21 de janeiro de 2011 0

 


 


 

A Oficina Culinária, em Florianópolis, está retomando a sua programação de cursos após as férias.

Confira o que está agendado para os próximos dias:

31/01 – Doces finos para iniciantes – das 10h às 18h

01/02 – Cupcakes recheados – das 14h às 17h30min.

01/02 – Doces finos inéditos – das 19h às 22h

02/02 – Bem-casados, bem-comemorados e bem-vividos – das 14h às 17h30min

02/02 – Macarons – das 19h às 22h

03/02 – Doces finos 3 – das 14h às 17h30min

03/02 – Culinária – o filé mignon – das 19h às 22h

04/02 – Salgadinhos finos 2 – das 9h às 12h30min

05/02 – Chocolate nobre – bombons e trufas – das 9h às 12h30min

Contatos:

www.oficinaculinariafloripa.com.br

(48) 3334-0372

A Oficina Culinária fica na Av. dos Buritis, no Parque São Jorge.




As múltiplas finalidades do capim-limão

20 de janeiro de 2011 3

Ando enamorada pelo capim-limão (tanto que plantei uma muda em um vaso da minha mini-horta de sacada). Não nada mais refrescante para os dias de calor.


Dias atrás postei aqui a receita de um suco maravilhoso usando esta erva. E agora testei uma receita muito legal de massa para cupcake, que peguei no livro O Mundo dos Cupcakes, de Carole Crema.

Não caprichei muito na cobertura (usei apenas corante verde limão num glacê real básico), mas o sabor ficou excelente.

Foto Márcia Feijó


Hoje andei lendo mais um pouco sobre o capim-limão e descobri que não é exatamente a mesma coisa que a erva-cidreira, como eu havia falado no post sobre o suco. Apesar do uso, aroma e formato semelhante, a cidreira teria um sabor um pouco mais acentuado, conforme o que apurei.

Conforme o Guia A-Z de Plantas – Condimentos, de Paula Negraes (editora BEI), o capim-limão é originário da Índia; popular na culinária da Tailândia, Vietnã, Camboja e das ilhas da Indonésia. É usado para temperar aves, peixes, frutos do mar e saladas. Para a saúde, seria calmante e digestivo, ajudando a eliminar gases.

No Guia Horta & Pomar, da Casa Dois Editora, descobri que ele também serve para aliviar cólicas menstruais e gripes. Apesar de, nestes casos de saúde, eu sempre recomendar muuuuita cautela.

O guia Segredo das Ervas, da Nova Cultural, explica que sachês com folhas de capim-limão picadas perfumam armários e afastam os insetos.

Rapunzel é uma alface

19 de janeiro de 2011 3

Enrolados, novo longa de animação da Disney, é um a fofura. Mas a trama do filme deixou de lado uma parte bem interessante da versão que eu conheço deste clássico.

Quando era criança, ouvi a história de que a filha do rei e da rainha havia sido levada pela bruxa, ainda bebê, em troca de uma planta que a primeira dama do reino desejou comer, ao fim da gravidez, e que só havia na horta da malvadona. Esta planta chamava-se Rapunzel, nome que depois foi dado à garota.

Muitos anos depois, descobri que rapunzel é palavra pela qual um tipo de alface é conhecido na Alemanha.  Lá, ela também é chamada de feldsalat. Na França, seu nome é mâche ou doucette. Em inglês, vira corn salad ou lamb’s lettuce (alface de cordeiro). Em italiano, é dolcetta, songino ou valerianella.

Imagem do site  www.garten-informationen.de

Pela imagem que encontrei, ela se parece bastante com o que conhecemos aqui no Sul como radiche, parte fundamental no cardápio das famílias de descendentes de italianos.

Recomenda-se usar a valerianella em saladas verdes cruas, temperadas com azeite de oliva extravirgem e um pouquinho de suco de limão. A dica é regar primeiro com o óleo e depois com o limão (ou vinagre) para impedir que a acidez danifique as folhas.


Chá de mate gelado com limão

18 de janeiro de 2011 6

Foto Márcia Feijó

Desde o verão passado, a turminha lá de casa trocou o suco de frutas e a água de coco em caixinha (caríssimos atualmente) pelo chá gelado. Primeiro passamos a comprar opções em garrafa. Mas com o aumento do consumo, resolvemos produzir nosso próprio chá de mate gelado. Um costume que aprendi, aliás, com meu amigo carioca Claudio. Não poderia ser mais simples e refresca até a alma.

Ingredientes:

3 saquinhos de chá de mate

1 xícara de água fervida

750 ml de água gelada

2 ou 3 rodelas de limãos

açúcar a gosto

Como fazer:

Faça um chá forte com a xícara de água fervida e os saquinhos de chá. Deixe curtir bem. Quando esfriar, coloque numa jarra maior e acrescente a água gelada. Adoce e acrescente as rodelas de limão. Tampe e deixe na geladeira por algumas horas. Sirva bem gelado.

Dica: você pode aproveitar o chá gelado de um dia para o outro, guardando-o na geladeira, mas retire as rodelas de limão, para que não o deixem amargo demais.

Como regar as plantas corretamente

17 de janeiro de 2011 0

 

 

 

As férias acabaram e estou de volta à redação do Diário Catarinense. Cheia de novidades aprendidas neste período de descanso, claro.

Uma delas é relacionada à jardinagem. Eu tinha o hábito de molhar as plantas colocando água no pratinho. Em dezembro fiz uma entrevista com a engenheira agrônoma Patrícia Batista, da Floricultura Eden Garden, e aprendi que o método é equivocado. Se a planta não tiver raiz comprida esta não irá chegar até à água.

O certo, de acordo com a Patrícia, é colocar a água diretamente na terra do vaso evitando molhar as folhas, para que não apodreçam.

Mas sempre verifique antes se a planta precisa de água, mesmo nestes dias de muito calor. Como verificar? Coloque o dedo na terra e perceba se ela ainda está úmida. Se estiver, ainda não precisa ser regada.




 

 

 

Floricultura Eden Garden

Onde: Rodovia Admar Gonzaga, 3715, Itacorubi, Florianópolis

Fone: (48) 3334-3810

E-mail: floriculturaedengarden@hotmail.com



Pipoca com sabor especial

14 de janeiro de 2011 1

Foto Márcia FeijóDepois de um dia inteiro de agito na praia, uma pipoquinha com filme no final de tarde até que cai bem, não? Principalmente se você têm crianças em férias em casa.

E se você está cansado de pipocas de micro-ondas sempre com o mesmo sabor, vai aqui uma dica de pipoca à moda antiga, estourada na panela e muito saborosa.

Pipoca doce com limão

Ingredientes:

milho de pipoca

1 xícara de açúcar mascavo (ou branco, se preferir)

suco de 1 limão

1 colher (sopa) de água

1 colher (sopa, rasa) de óleo


Como fazer:

Estoure o milho com um pouco de óleo na panela e reserve.

Numa caneca de alumínio ou panela pequena coloque o açúcar mascavo (ou branco, se preferir) e a água. Leve ao fogo e enquanto estiver fervendo, derrame na mistura o suco de limão.

Jogue esta calda sobre a pipoca e misture bem.

O limão dá um toque especial à pipoca doce.


Dica: use uma panela grande ou coloque a pipoca numa bacia grande antes de adicionar a calda. assim vcocê tem bastante espaço para mexer a pipoca e fazer com que a calda grude em toda os grãos estourados.