Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Área de serviço"

Vovó sabe tudo

13 de junho de 2012 2

Mesmo com perfil no Facebook e a caixa de e-mails bombando, as avós de hoje ainda são guardiãs da sabedoria popular. Elas sempre têm na manga um truque para se livrar daquela mancha que não sai. E na maioria das vezes o resultado é bem melhor do que o dos milhares de produtos que lotam as prateleiras do supermercado.

A escritora Lee Faber, avó dos novos tempos, resolveu compilar o que aprendeu com outras representantes da classe. A Sabedoria das Avós é o livrinho ideal para quem está se tornando responsável pelo seu próprio lar e ainda não se defende muito bem em questões de limpeza e organização. Mas também pode ser útil para quem já está na profissão “do lar” há mais tempo. Sempre é bom ter este tipo de publicação por perto (eu os guardo na cozinha, junto com os de culinária), para consultas de emergência, quando um cálice de vinho vira sobre o sofá ou uma xícara de café cai no tapete.

O livro é dividido nos seguintes capítulos: Dicas para o Lar, Remédios, Culinária e cozinha: o básico, Receitas, Plantas e animais de estimação, conselhos sobre crianças, As famílias e o convívio diário. Os dois últimos são os mais diferentes em relação a este tipo de publicação. Lee extrapola a tríade cozinha/limpeza/plantas e entra na seara dos conselhos pessoais. O texto parece muito com aquele papo de chá da tarde que rola quando uma mulher procura a sua mãe (ou outra mulher mais experiente) para saber o que fazer em situações que repetem geração após geração.

Meu subtítulo preferido, o último do livro, é Fazendo presentes artesanais. Tudo a ver aqui com o bloguinho e com a minha própria concepção de ser avó.

Reprodução

A Sabedoria das Avós – Dicas eternas para facilitar seu dia a dia, de Lee Faber. Trad. Marcela Miller. Casa da Palavra, 160 págs. R$ 29,90

Como separar o lixo reciclável

06 de janeiro de 2012 0

Reprodução internet

Na quarta-feira postei aqui uma dica sobre lixeiras diferenciadas para separar o lixo reciclável. Pois há um detalhe muito importante sobre este assunto. As categorias Metal, Vidro, Plástico, Papel paracem muito claras. Mas no dia a dia, nem sempre a gente consegue perceber o que é realmente reciclável e o que não é. Encontrei esta listinha no Guia de Limpeza Urbana distribuído pela Prefeitura de São José que ajuda muito na definição:

Metal - lastas de alimentos e bebidas, tampinhas, arames, pregos, fios, objetos de chumbo, cobre, alumínio, bronze, ferro e zinco

Vidro -  garrafas, potes, jarros, vidros de conserva, vidros de produtos de limpeza, frascos em geral

Plástico - garrafas, tubos, potes, frascos, baldes, bacias, brinquedos, isopor (EPS), canos, saquinhos de leite

Papel - jornais, listas telefônicas, folhetos, revistas, folhas de rascunho, cadernos, papéis em ebrulho, caixas de papelão, caixas de leite e sucos

 

Dicas importantes:

Vale lembrar que este material deve passar por uma higienização básica antes de ser colocado no lixo reciclável. Retire os restos de alimentos e outros detritos orgânicos.

Objetos cortantes ou perfurantes devem ficar dentro de embalagens seguras ou embrulhados em jornal.

 

O que não é reciclável:

embalagens de aerosol, esponjas de aço, latas de material misto, cristais, lâmpadas fluorescentes, espelhos, cerâmicas, tubos de TV, porcelanas, tomadas, cabos de panela, embalagens laminadas de alimentos, carbono, guardanapos, celofane, adesivos, fotografias e papel higiênico

 


Separe seu lixo adequadamente

04 de janeiro de 2012 2

Começou 2012 e é hora de colocar a vida em ordem. Que tal começar pelo seu lixo?

Há cerca de 10 anos, ter duas latas de lixo na cozinha ou na área de serviço, para separar material descartado orgânico e reciclável, era uma novidade. Hoje, infelizmente ainda não se pode nem dizer que este hábito esteja totalmente disseminado, mas ele já não basta. É necessário dar um passo adiante na questão. E parece que um novo hábito já começa a entrar nas nossas casas.

Há pouco tempo encontrei, no supermercado que costumo frequentar, uma série de recipientes para o lixo doméstico, em cores diversificadas e com a indicação de conteúdo a que se destinam estampada: orgânico, papel, plástico, metal e vidro. A intenção é usá-los para uma separação mais minuciosa do lixo, já dentro de casa.

Há poucos meses, também, o síndico do condomínio onde moro distribuiu uma circular informando sobre a adaptação do prédio à Lei 12.305, de 2010, instituindo a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A legislação trata, inclusive, do lixo doméstico, passando a ser obrigatória a separação dos resíduos sólidos, e sua disponilização adequada para coleta. Portanto, esta separação, como bem disse o síndico na cartinha, precisa começar dentro dos apartamentos.

Andei pesquisando e encontrei na internet uma série de outros recipientes apropriados para fazer a separação adequada do descarte. Em tamanhos menores e mais práticos do que o que já se vê em locais públicos.

Então, aqui vai uma galeria de opções.

 



 



 


 




E, claro, se a ideia é preservar, você também pode adaptar as próprias lixeiras que já tiver em casa. Basta colar nelas um adesivo com a nomenclatura.

Para ajudar, o colega Lucas Abreu criou para nós algumas opções que você pode imprimir, adesivar e depois colar nas suas lixeiras.