Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Despensa"

Espantalhos para alegrar a festa junina

02 de julho de 2012 1

Uma graça esses enfeites de festa junina da Rica Festa.

Deixam qualquer decoração mais alegre.

As lojas ficam em São Paulo (veja enderço abaixo), mas têm venda pela internet.


Fotos divulgação

 Onde você encontra:

Rica Festa

Mais informações pelo site:

www.ricafesta.com.br

info@ricafesta.com.br 

SAC: 11 3040-4290

MegaStore Rica Festa Itaim

Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 273, Itaim, SP, (11) 3040-4290

Horários de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h30min às 19h; aos sábados, das 9h30min às 18h

 MegaStore Rica Festa Pompéia

Avenida Pompéia, 2060, Pompéia, SP, (11) 3873-8098

Horários de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h30min às 19h; aos sábados, das 9h30min às 18h

Receita da Tainha Fresca

14 de maio de 2012 4

Este post é do ano passado, mas em tempos de tainha, vale a pena repetir:

Foto Márcia Feijó

- A minha é das grandes, com ova, viu moço?

- Eu quero duas menores. Tem da limpa?

- O senhor pode tirar a cabeça? Mas eu quero levar junto, pro pirão.

O Mercado Público de Florianópolis fervilhava, ao fim da manhã do último sábado, com o povaréu todo tentando garantir a tainha do final de semana. Com ova, sem ova, limpa, com escama, grande ou pequena. A preferência do freguês varia na hora de escolher o peixe.

No momento de fazer, mais ainda. Bastou postar aqui, dias atrás, umas dicas sobre como preparar a tainha, e vários leitores contriburam com propostas mais ou menos ortodoxas.

Na verdade, nem era só o Mercado que fervilhava, todo o Largo da Alfândega era um grande convite ao paladar. Ao lado, havia a feira livre, com suas verduras, frutas, ervas, embutidos, biscoitos. E mais adiante, havia a Feira do Mel. Almoço e sobremesa garantidos, com produtos saudáveis e a preços menores.

Minha filha, nascida na era dos supermercados e que nunca havia presenciado este tipo de feira, achou tudo muito “medieval”, mas divertido. O caçula fez cara feia para um caldo de cana, de início, mas acabou cedendo à provinha e se esbanjando no líquido adocicado. Aproveitou já para petiscar umas bolachas coloniais. Eu e o Jacy matamos as saudades das feiras de nossa infância.

O resultado do passeio de sábado pelo Largo da Alfândega foi uma bela tainha assada, ontem, acompanhada de pirão, molho de camarão, arroz branco e salada verde. Já para a minha manezinha que não come tainha, um salmão grelhado especial, mas também lá do mercado.


Tainha Fresca*

Ingredientes:

1 tainha limpa (óbvio)

folhas de louro secas

alfavaca fresca

tomilho seco

manjericão seco

sal temperado com alho (ou sal + um dente de alho)

limão


Para o pirão:

1 cabeça da tainha

4 copos de água

extrato de tomate

sal a gosto

farinha de mandioca


Como fazer:
Temperar a tainha, regar com o sumo do limão e reservar. Forrar a assadeira com papel alumínio. Retirar a cabeça da tainha (guardar para fazer o caldo do pirão) e colocá-la na assadeira. Levar ao forno cuidando de tempos em tempos para não deixar secar demais.

Gente, o leitor Carlos me alertou que a explicação de como temperar o peixe não está clara. Então, é o seguinte: pode simplesmente espalhar os temperos (louro, alfavaca, tominho e manjericão) e sal no peixe, depois regar com o sumo do limão por cima. Ou, como eu gosto de fazer, misturar temperos e sal num potinho, adicionar bastante suco de limão e depois regar o peixe, por dentro e por fora, com este caldo temperado.

Nos primeiros minutos, gosto de deixar um pedaço de papel alumínio sobre o peixe também. Mas depois de meia hora, é preciso tirá-lo para permitir que a pele seque e fique douradinha.

Leva cerca de 1 hora para assar em fogo médio, se a tainha tiver um tamanho de médio a grande (o tempo vai depender da potência do forno).


Como fazer o pirão:

Coloque a cabeça do peixe para ferver em cerca de 4 copos de água. Depois que estiver cozida, adicione sal e uma colher de extrato de tomate ao caldo. Retire a cabeça da panela e reserve o caldo.

Deixe para finalizar o pirão  quando a tainha estiver prestes a ir para a mesa. Com o fogo ligado, despeje a farinha de mandioca aos poucos mexendo vigorosamente para não embolotar.

Se por acaso a farinha embolotar, um jeito de recuperar o pirão é usar um mixer de mão para desmanchá-la. Retire o pirão da panela, bata levemente num recipiente plástico e retorne-o à panela.


* A receita ganhou o nome de Tainha Fresca porque foi temperada com várias ervas. E a tradição local manda que a tainha seja temperada apenas com sal e limão.


Quer mais dicas sobre tainha? Confira aqui.

 

Floripa Quilt foi um sucesso

08 de maio de 2012 2

Fotos divulgação

Consegui chegar na feira Floripa Quilt, realizada em Florianópolis de 3 a 6 de maio (último final de semana), aos 45 do segundo tempo. Ou seja, a feira fechava às 18h de domingo e cheguei às 17h (enquanto a bola já rolava solta no clássico Avaí e Figueira). Pensei que ia encontrar os estantes já fechados e dois gatos pingados circulando pelos corredores. Que nada! Ainda estava o maior agito por lá. As quiltadeiras da Capital pelo jeito souberam valorizar a ótima iniciativa.

Embora um pouco distante, o Sesc de Cacupé mostrou-se um local excelente para este tipo de evento. Com bastante gramado para que a criançada, papais e vovôs brincarem, sem pressa para ir embora, deixando as mamães, titias e vovós se concentrarem nos tecidos e linhas.

A feira também foi dividida entre um espaço de vendas de produtos para artesãos e outro dedicado ao comérico de artigos prontos. Mais um ponto para a organização.

Adorei e senti pena de não ter acompanhado alguma oficina. Agora é torcer para o Floripa Quilt entrar definitivamente para o calendário. Já soube que a intenção dos organizadores é fazer uma feira por ano. Que ótimo!


Artesanato com etiqueta personalizada

02 de abril de 2012 0

No mês passado descobri um serviço muito legal para quem trabalha com artenato. A Haco Etiquetas, de Blumenau, é uma empresa que eu já conhecia do tempo em que acompanhava as semanas de moda brasileiras – Fashion Rio e São Paulo Fashion Week – por suas criações para os principais estilistas do país. O que eu não sabia é que elas agora têm um serviço voltado também para pequenos produtores.

O Haco Virtual é um site muito bacana, onde você pode customizar e encomendar produtos personalizados. Caiu na minha caixa de e-mails bem quando o meu estoque de etiquetas da Casa da Feijó estava chegando ao fim.

Experimentei e gostei muito. Há uma boa quantidade de opções de formatos, desenhos, fontes e cores mo site. Você pode optar entre etiquetas termocolantes ou para costurar na peça.

Quando fiz as minhas, não havia opção de utilização de logo próprio. Mas agora já tem. Também há apliques termocolantes em fomatos de escudo, redondos, quadrados, retangulares. E uma seção especial para os petmaníacos.

Ah! Importante: o site é bem fácil de navegar. E a customização, autoexplicativa, é “Mumu com Fanta”.

Foto Márcia Feijó

Me cadastrei no site, fiz a compra, paguei com cartão e recebi tudo direitinho. Inclusive recebi e-mails de acompanhamento do pedido no correio. O preço também não é nada de assustar.

O endereço é www.hacovirtual.com.br.

Outra boa utilidade dessas etiquetas, mamães, é colocar nos uniformes e material escolar da garotada. Eu, como assídua frequentadora do Achados e Perdidos do colégio do meu pequeno, estou pensando em adotá-las.



Receita de catchup caseiro (servido em embalagem monstruosa)

23 de fevereiro de 2012 1

Foto Márcia Feijó

 

Cachorro quente com catchup é algo que passa pela nossa mesa pelo menos uma vez a cada 10 dias. Principalmente naquelas noites de sexta-feira ou domingo, quando não sobrou energia para preparar um jantar cpmpleto. Em 80% das vezes, o molho do cachorro é feito em casa. E agora, o catchup também. Nunca imaginei que fosse tão simples fazer.

Ingredientes:

1 lata de 340g de extrato de tomate (de preferência que seja bem consistente)

1/2 medida da mesma lata de vinagre de vinho tinto

1/2 medida da mesma lata de açúcar

1 colher (café) de sal

1/4 colher (café) de pimenta do reino (ou mais, se preferir)

1 colher (sopa) de molho de pimenta vermelha

1 colher (sopa) de curry

 

Como fazer:

Misture todos os ingredientes numa vasilha.

Passe água quente em um recipiente e encha com o catchup.

Está pronto para usar.

Rendimento: 2 potes

 Foto Márcia Feijó

As divertidas tampas dos frascos, para catchup e mostarda, eu encontrei no Empório Casa em Florianópolis (a loja fica logo depois do elevado Angeloni Capoeiras, antes de passar por baixo do túnel que leva à São José). São importadas, da marca Evriholder. Mas cuidado, pois elas não se encaixam em qualquer frasco. A Ketchup Kritter entrou na embalagem da marca Hemmer. Já a Mustard Monster, mais larga, só coube naquelas do tipo bisnaga.

 
Empório Casa:
Av. Gov. Ivo Silveira, 3290 – Capoeiras – Florianópolis – Santa Catarina – (48) 3244 1600
Horário de funcionamento: de segunda à sexta-feira das 9h às 19hs; aos sábados das 9h às 14hs
Site: www.lojaemporiocasa.com.br

Pesquisando na internet achei mais modelos, mas estes ainda não encontrei à venda por aqui.

  

 

Reprodução internet

 

Reprodução internet

Paris, a cidade dos macarons

06 de janeiro de 2012 8

Como hoje é dia de macarons no caderno Gastronomia, aqui vai o repeteco de um post que fiz em outubro, sobre os deliciosos docinhos franceses:

Macarons da Biscuiterie de Montmartre

Nestas breves férias, fui conhecer de perto um personagem constante aqui do blog: os macarons. São várias as casas onde você encontra este docinho colorido feito com farinha de amêndoas. A maior parte delas dedicada-se também à produção de chocolate.

Os macarons ficam nas vitrines nos chamando com suas cores lindas. E quando você prova um, da vontade de provar todos. Os sabores são os mais variados. As formas, delicadas e lisinhas.


O problema é o preço deles. Os bons custam em média de 1,70 euros. Há opções mais baratas como os macarons do McDonalds (oui, há macarons até no Mc), a 1 euro. Os da famosa casa Ladurée, que possui a fama de ser a casa mais tradicional de macarons, são bem mais caros. A casa de chá principal da Ladurée fica na chiquérrima avenida Champs-Elysées, a uma quadra da loja da Louis Vuitton.

Em frente à famosa, chiquérrima e caríssima Ladurée

Também tem um quiosque fofinho em forma de carruagem no aeroporto de Orly. Mas quando você chegar lá, talvez a imensa loja da Ladurée no aeroporto já esteja inaugurada.

 

 O quiosque da Ladurée no aeroporto de Orly

O tapume da loja da Ladurée em construção já é uma delícia


Experimentei os macarons da Maison Georges Larnicol (o de bergamota é ulalá) no Boulevard Saint-Germain, os da Dalloyau (na loja do Boulevard Beaumarchais, na Bastille) e os da Pierre Hermé na loja que fica no andar dos sapatos, na Galeries Lafayette. Aliás, no espaço gastronômico da Lafayette Gourmet tem dois ou três quiosques que vendem macarons.

Também passei pela Biscuiterie de Montmartre, mas infelizmente não cheguei a entrar.

 Na vitrine da Biscuiterie de Montmartre

Elegi o macaron de rosas o meu favorito. Apesar de ter amado o de mirtilos.

Saboreando um Pierre Hermé de rosas

No último dia em Paris, descobri que a farinha de amêndoas é vendida bem baratinho nos supermercados Franprix. Cerca de 1,90 euros o pacote com 125g (suficiente para uma receita que rende uns 40 macarons). Já fiz o primeiro pacote. Agora só falta um.

Um conselho para quem vai fazer a peregrinação do macaron: coma todos na hora e guarde o sabor na lembrança. Os macarons das duas caixinhas que comprei chegaram no hotel já destroçados. No Brasil, eram só farelos. Farelos deliciosos, diga-se de passagem.

Então, aqui vai uma ajudinha para quem pretende seguir o Caminho dos Macarons em Paris.


Dalloyau

Saint-Honoré
101, rue du Faubourg Saint-Honoré – 75008 Paris
Metrô: Saint-Philippe du Roule, Miromesnil, Franklin Roosevelt
Aberto diariamente de 8h30 à 21h
Tel. :  01 42 99 90 00

Lafayette Gourmet
48-52, boulevard Haussmann – 75009 Paris
Metrô:Havre-Caumartin, Chaussée d’Antin, Auber
Aberto de 8h30 à 21h30 – fechaqdo aos domingos
Tel. :01 53 20 05 00

Luxembourg
2, praça Edmond Rostand – 75006 Paris
Metrô:Luxembourg, Cluny La Sorbonne, Odéon, Saint-Michel
Aberto diarioamente de 9h à 20h30
Salão de chá: de 9h à 19h30
Tel. :  01 43 29 31 10

Convention
69, rue de la Convention – 75015 Paris
Metrô:Boucicaut, Javel, Charles Michels
Aberto diariamente de 9h à 20h
Salão de chá: de 11h à 19h
Tél. : 01 45 77 84 27


Ladurée

Champs Elysées

75, avenue des Champs Elysées – 75008 Paris

Tel : 01.40.75.08.75


Royale

16, rue Royale – 75008 Paris

Tel :01 42 60 21 79


Bonaparte

21 rue Bonaparte – 75006 Paris

Tel : 01.44.07.64.87


Printemps de la Mode Haussmann

64, boulevard Haussmann, 75009 Paris – France

Tel :+ 33 1 42 82 40 10


Roissy – Aeroporto Charles de Gaulle

Charles De Gaulle, 2 F 1:

Diariamente de 6h à 20h30

Nas quinats e sextas até 21h

 

Charles De Gaulle, 2 F 2:

Diariamente de 6h30 à 20h30

 

Charles De Gaulle, 2 E:

Área pública: diariamente de 6h30 à 21h


Aeropoto Orly – terminal oeste

Área pública: diariamentede 6h30 à 20h30


Maison Georges Larnicol

Saint-Germain

 132, boulevard Saint-Germain, 75006 Paris

Tel. +33 (0)1 43 26 39 38

Métro: Odéon


Rivoli

14, rue de Rivoli, 75004 Paris
Tel. +33 (0)1 42 71 20 51      
Métro: Saint-Paul
Hora: segunda a sábado das 9h às 18h


Pierre Hermé

Galeries Lafayette

40 boulevard Haussmann 75009 Paris

Espaço de calçados (primeiro andar)

Espaço Criadores (primeiro andar)

Tel : +33 (0)1 43 54 47 77


Bonaparte

72 rue Bonaparte 75006 Paris

Tel : +33 (0)1 43 54 47 77


Vaugirard

185 rue de Vaugirard 75015 Paris

Tel : +33 (0)1 47 83 89 96


Cambon

4 rue Cambon 75001 Paris

Tel : +33 (0)1 43 54 47 77


Paul Doumer

58 avenue Paul Doumer 75016 Paris

Tel :  +33 (0)1 43 54 47 77


Ópera

39 avenue de l’Opéra 75002 Paris

Tel :  +33 (0)1 43 54 47 77


Publicisdrugestore

133 avenue des Champs-Elysées 75008 Paris

Tel :  +33 (0)1 43 54 47 77


Biscuiterie de Montmartre

16 rue Norvins – Montmartre – 75018 Paris

Tél. : +33 (0) 1 42 52 50 37


La Maison du Chocolat

225, rue du Faubourg Saint Honoré – 75008 Paris

52, rue François 1er – 750008 Paris

8, boulevard de la Madaleine – 75009 Paris

19, rue de sèvres – 75006 Paris

1210, avenue Victor Hugo – 75116 Paris

Printemps Haussmann – 75009 Paris

Carrousel du KLouvre – 99, rue de Rivoli – 75001 Paris

Roissy – Aeroporto Charles de Gaulle – terminal 2E – 95742 Paris

Roissy – Aeroporto Charles de Gaulle – terminal 2F1 – 95742 Paris

Aeroporto Orly – terminal oeste hall 2 – 91550 Paris



Separe seu lixo adequadamente

04 de janeiro de 2012 2

Começou 2012 e é hora de colocar a vida em ordem. Que tal começar pelo seu lixo?

Há cerca de 10 anos, ter duas latas de lixo na cozinha ou na área de serviço, para separar material descartado orgânico e reciclável, era uma novidade. Hoje, infelizmente ainda não se pode nem dizer que este hábito esteja totalmente disseminado, mas ele já não basta. É necessário dar um passo adiante na questão. E parece que um novo hábito já começa a entrar nas nossas casas.

Há pouco tempo encontrei, no supermercado que costumo frequentar, uma série de recipientes para o lixo doméstico, em cores diversificadas e com a indicação de conteúdo a que se destinam estampada: orgânico, papel, plástico, metal e vidro. A intenção é usá-los para uma separação mais minuciosa do lixo, já dentro de casa.

Há poucos meses, também, o síndico do condomínio onde moro distribuiu uma circular informando sobre a adaptação do prédio à Lei 12.305, de 2010, instituindo a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A legislação trata, inclusive, do lixo doméstico, passando a ser obrigatória a separação dos resíduos sólidos, e sua disponilização adequada para coleta. Portanto, esta separação, como bem disse o síndico na cartinha, precisa começar dentro dos apartamentos.

Andei pesquisando e encontrei na internet uma série de outros recipientes apropriados para fazer a separação adequada do descarte. Em tamanhos menores e mais práticos do que o que já se vê em locais públicos.

Então, aqui vai uma galeria de opções.

 



 



 


 




E, claro, se a ideia é preservar, você também pode adaptar as próprias lixeiras que já tiver em casa. Basta colar nelas um adesivo com a nomenclatura.

Para ajudar, o colega Lucas Abreu criou para nós algumas opções que você pode imprimir, adesivar e depois colar nas suas lixeiras.



 

 

 


Mais doces enfeites de Natal

10 de dezembro de 2011 2

Há uns dias postei aqui várias sugestões de enfeites de Natal com formas e cores de doces. Inclusive com um vídeo que mostra como fazer um cupcake de tecido para decorar o pinheiro de Natal.

 

Aqui vão as imagens de mais alguns artigos da Rica Festa que reforçam a ideia de que a decoração com guloseimas, brinquedos e outras temáticas que remetem à infância é uma das principais tendências deste ano.

Fotos divulgação

 

 

  

Contatos da Rica Festa

Site: www.ricafesta.com.br

E-mail: info@ricafesta.com.br 

SAC: (11) 3040-4290


Bazar de Natal

25 de novembro de 2011 0

Tem mais bazar de Natal neste final de semana, em Florianópolis.

Foto divulgação

Amanhã, sábado e também nos dias 3 e 4 dezembro, a cake designer Carla Machado e a empresa Singulare apresentam seus produtos em Jurerê. O bazar será das 15h às 21h, na Rua da Baleia Franca, 275. A entrada é gratuita.

Decoração de Natal deliciosa

22 de novembro de 2011 3

 

 Fotos Márcia Feijó



 


Os doces invadiram a decoração de Natal neste ano. Cupcakes, biscoitos, algodão doce, sorvetes aparecem pendurados nos pinheiros, nas guirlandas e em outros enfeites típicos desta época do ano, tornando-a ainda mais deliciosa.

Há objetos de plástico e outros materiais industrializados, com esta temática, mas os que ganham maior destaque são aqueles com jeitinho (mesmo que o método de produção não seja) de artesanal.

A empresária Rosa Rigon, proprietária da loja Roka, relaciona a preferência pelos doces, com outra tendência:

- A decoração que teve incremento maior em termos de variedade foi a infantil – afirma ela.

Neste ano, estes artigos vêm em cores alegres e suaves quem lembram o algodão doce: azul, branco, verde lilás. Estes tons candy fogem um pouco o uso do vermelho, verde, dourado e prateado tradicionais. Embora não os exclua.

- O nude com azul é outra tendência – explica Rosa.

Além dos doces, casinhas, bonecas do de neve, ursinhos, pinguins e bonecos de gengibre dividem espaço com Papai e Mamãe Noel, renas e duendes. Os brinquedos, que até andavam meio esquecidos nas decorações natalinas, também voltaram à vida na forma de carrinhos e trens, entre outros.

Quanto ao adianto na preparação das casa para o natal, Rosa opina:

- Antigamente as árvores eram naturais e, se eram montadas muito antes, acabavam murchando até o Natal. Hoje não há mais este problema. A decoração de Natal é uma mudança no clima da casa, traz alegria. Acredito que isto motive as pessoas a fazerem esta decoração cada vez mais cedo. Desta forma, as lojas especializadas estão começando este comércio cada vez mais cedo também.

No pé deste post você encontra uma galeria de fotos com alguns exemplos destas tendências.

Para ajudar você a entrar no clima doce deste Natal, o blog Feito em Casa ensina como fazer um pingente para o pinheiro em forma de cupcake. Afinal, esta delícia tão marcante entre as receitas que apresentamos aqui, não poderia faltar também nas nossas festas de final de ano.





 



 

Você vai precisar de:

pedaços de tecido (há estampas que lembram o glacê dos cupcakes, inclusive com confeitos coloridos, e outras listradinhas que podem ser usadas para representar as forminhas de papel)

pedaços de manta acrílica (para o recheio)

linha em cores semelhantes ás dos tecidos que você escolher

tesoura

agulha

fita de cetim fina

guizos (ou botões vermelhos para fazer as vezes de cereja)

moldes com formato de forma e merengue do cupcake (se preferir um tamanho maior ou menor, amplie ou diminua o molde)



Confira aqui a galeria de fotos:


 


 



 

Com exceção do pingente de pinheiro ensinado neste post, os demais produtos que aparecem na galeria de fotos são da loja Roka de Natal instalada no Shopping Iguatemi Florianópolis.