Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Economia"

Caminhão do Peixe amplia circulação

02 de abril de 2011 1

O Caminhão do Peixe de São José (saiba mais aqui) está sendo um sucesso. Em uma semana de atividades, foram vendidos 3.134 kg de pescado, superando em 74% a expectativa da Fundação Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

 “Inicialmente, tínhamos programado vender 300 kg por dia, mas a média desses primeiros dias foi de 522 kg diariamente”, segundo a superintendente Maria Teresa Kretzer Brandenburg.

 O Caminhão fica no ponto programado das 7h30min às 12h. Acorde cedo, escolha o seu pescado e aproveite mais uma sugestão de receita enviada pela Fundação, no pé deste post.

 

Quer dicas de como escolher um bom peixe? Olhe aqui.


Confira o calendário do Caminhão do Peixe:


Hoje - Loteamento Vila Formosa – Forquilhas (driver do Arthur)

 

Dia 5- Potecas (em frente ao Mercado Baratinho)

 

Dia 6 – Picadas do Sul (em frente ao Ginásio Municipal)

 

Dia 7 – Centro Histórico (em frente ao Ginásio Municipal)

 

Dia 8 – Avenida Beira-Mar (pátio do Cati)

 

Dia 9 – Fazenda Santo Antônio (em frente ao Ginásio Municipal)

 

Dia 12 – Campinas (pátio da Igreja Santo Antônio)

 

Dia 13 – Kobrasol (em frente ao Colégio Maria Luiza)

 

Dia 14 – Avenida Beira-Mar (estacionamento Fundação de Esporte e Lazer)

 

Dia 15 – Procasa (pátio da Igreja Católica)

 

Dia 16 – Bela Vista (em frente ao Centro de Saúde do Bela Vista)

 

 


 

Moqueca

Ingredientes:

2 posta(s) de badejo

1 dente(s) de alho

1 unidade(s) de tomate em rodelas

1/2 unidade(s) de pimentão verde em rodelas

1/2 unidade(s) de cebola em rodelas

1 colher(es) (sopa) de azeite

1/2 xícara(s) (chá) de leite de coco

quanto baste de coentro

quanto baste de sal

1 unidade(s) de limão

quanto baste de glutamato monossódico

3 colher(es) (sopa) de azeite de dendê

 

Como fazer:

Lavar o peixe com limão, socar o alho, um pouco de coentro, o glutamato, cebola e sal a gosto. Em uma panela coloque o peixe já passado neste tempero. Regar com azeite de oliva e o leite de coco e deixar descansar por 30 minutos . Decorar com cebola, tomate, pimentão (em rodelas) e coentro picadinho. Levar ao fogo para ferver, quando ferver colocar o azeite de dendê e tampa, deixa cozinhar por 20 minutos.

Servir quente de preferência com arroz, farofa e pirão, ou como preferir.



 




Torta rápida com recheio aproveitado

29 de março de 2011 0

Foto Márcia Feijó

A massa que ensinei a fazer aqui há alguns dias, para tortinhas de maçã, revelou-se muito versátil.

Na noite de quinta-feira passada, na hora de esquentar a janta para a galera lá de casa, constatei que não havia pedaços de frango suficientes para todo mundo. O que fazer? Daí que lembrei daquela massa fácil e rápida (veja a receita) e mandei brasa.

  

1. Acrescentei um pouco a mais de sal temperado (pode substituir por  1/2 colher de chá de sal mais pitadas de temperos desidratados, como orégano, manjericão, salsa e cebolinha). Pronta a massa, coloquei num saco plástico e deixei na geladeira enquanto preparava o recheio.

2. O frango que havia, eu desossei, piquei, misturei com molho de tomate e um pouquinho de espinafre triturado (ambos eu tinha no freezer) e levei ao fogo. Acrescentei umas quatro azeitonas cortadas em tirinhas finas e temperei o molho com sálvia desidratada.

3. Cozinhei um ovo, piquei e reservei.

4. Cortei a massa em duas partes (2/3 do total numa e 1/3 em outra parte). Estiquei a parte maior - numa mesa enfarinhada – e com ela forrei a base de uma forma pequena de fundo removível, cobrindo as laterais também. Coloquei o recheio e joguei por cima queijo ralado e o ovo picado.

5. Estiquei  a parte menor da massa, cortei uma rodela no tamanho da forma e com ela fiz a tampa da torta. O excesso das bordas eu dobrei por cima da tampa, prendendo bem. Com as sobrinhas de massa ainda deu para fazer uns coraçõezinhos e enfeitar a torta.

6. “Colei” os corações com gema de ovo e aproveitei para pincelar com ela toda a tampa. Assim a massa fica com uma cor mais boitinha. Depois fiz furos na massa da tampa, para o ar sair enquanto a torta assava. Alguns minutos no forno e estava pronto um jantar reciclado muito gostoso.

A narrativa parece longa, mas o processo todo durou uma meia hora. E o prato é uma boa opção para um jantar a dois ou mesmo como sugestão de single food de que falei aqui.

Em tempo: a confecção da torta teve a ajuda do filhote Nicolas, co-autor da receita reciclada e meu grande parceiro na cozinha.


Para matar a sede com sofisticação

26 de janeiro de 2011 0

As águas aromatizadas têm ganho cada vez mais adeptos. Matam a sede, deleitam o paladar e a visão também, principalmente quando servidas em belas garrafas.

Por conta deste novo hábito, começam a parecer no mercado várias opções de garrafas de vidro: coloridas ou transparentes, com design moderno ou vintage.

Estas opções hermeticamente fechadas são da loja Syga Verde, de Florianópolis. Foto Mariana Boro

Elas também servem para outras finalidades: como acondicionar licores, azeites ou vinagres aromatizados. Ou substituem bem os vasos de flores tanto na decoração da sua casa quanto na de uma festa.

Se a sua opção é por usar para algo que precise ser guardado, dentro e fora da geladeira, o melhor é adquirir uma garrafa com bom sistema de vedação. Se for só para servir ou abrigar flores, não é necessário este cuidado.

Outras opções:

 

Você também pode se engajar na equipe de cuidados com o planeta e optar por reutilizar garrafas de vidro usadas. Ou, ainda, dar um toque pessoal decorando-as com alguma técnica artesanal. 

Chá de mate gelado com limão

18 de janeiro de 2011 6

Foto Márcia Feijó

Desde o verão passado, a turminha lá de casa trocou o suco de frutas e a água de coco em caixinha (caríssimos atualmente) pelo chá gelado. Primeiro passamos a comprar opções em garrafa. Mas com o aumento do consumo, resolvemos produzir nosso próprio chá de mate gelado. Um costume que aprendi, aliás, com meu amigo carioca Claudio. Não poderia ser mais simples e refresca até a alma.

Ingredientes:

3 saquinhos de chá de mate

1 xícara de água fervida

750 ml de água gelada

2 ou 3 rodelas de limãos

açúcar a gosto

Como fazer:

Faça um chá forte com a xícara de água fervida e os saquinhos de chá. Deixe curtir bem. Quando esfriar, coloque numa jarra maior e acrescente a água gelada. Adoce e acrescente as rodelas de limão. Tampe e deixe na geladeira por algumas horas. Sirva bem gelado.

Dica: você pode aproveitar o chá gelado de um dia para o outro, guardando-o na geladeira, mas retire as rodelas de limão, para que não o deixem amargo demais.

Embalagem grande ou pequena? Eis a questão!

01 de outubro de 2010 0

A gente geralmente tende a achar que comprar a embalagem grande um produto sai mais barato do que comprar duas pequenas. Mas se pensarmos melhor, nem sempre isto corresponde à verdade.

No caso de produtos de limpeza, por exemplo, há uma questão que a gente nem nota. Quando temos uma embalagem grande de um produto de limpeza, a tendência é usarmos uma quantidade maior de cada vez. Já quando temos uma embalagem menor, a “mão” segura mais na hora de despejá-lo. Isto serve tanto para nós mesmos quanto para a pessoa eventualmente contratada para fazer o serviço de limpeza.

E muitas vezes o preço de uma embalagem de 1 litro não sai por muito menos do que duas de 500 ml. Se você fizer o cálculo direitinho, com todos os R$ 0,99  que os supermercados tendem a usar, a economia é de uns R$ 0,02.

O certo mesmo seria usar um copo ou colher medidora, para saber a quantidade. Mas quem tem tempo para isto, não é mesmo?

Bananas pelo dobro do tempo

19 de setembro de 2010 0

Olhem só a dica preciosa enviada pela minha amiga Ilma Godoy, que ela aprendeu com a mãe de um coleguinha do filho.

Corte as bananas bem rente ao caule, uma por uma, cuidadosamente, usando uma tesoura. Tente não “quebrar” a extensão que une a banana ao caule. A extensão irá secar, como um cordão umbilical.

Desta forma, as bananas deverão durar o dobro do tempo assim. A Ilma acrescenta que esta é uma ótima dica para quando chega o verão.

Eu adorei e resolvi testar a dica, porque as bananas que comprei no supermercado já estavam pra lá de maduras! Ao longo da semana conto o quanto elas duraram.

Pimeiro dia da banana: caule cortado. Foto Márcia Feijó