Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Jovens tricoteiras

11 de junho de 2012 4

Reprodução

Olá turma das agulhas!

Estamos procurando jovens (entre 18 e 30 anos) que gostam de tricotar, para uma matéria do cadreno Donna, do Diário Catarinense.

Se você se encaixa no perfil, escreva aqui para a gente. Ou mande seu contato para marcia.feijo@diario.com.br.

Cursos de culinária

08 de junho de 2012 0

Com esss friozinho, não dá vontade de ir para a cozinha e preparar alguma delícia para receber os amigos? Ou mesmo para aquecer o próprio estômago? Se você pretende aderir á turma do forno e fogão mas ainda não se defende muito bem entre batedeiras e liquidificadores, há bons cursos rápidos de culinária sendo realizados na cidade. Alguns contemplam os cozinheiros amadores.

Aqui vão duas dicas: a Oficina Culinária, que oferece calendários mensais com grande variedade de temas, e o chef Vilmar Turnes.

Oficina Culinária

Contato: Valderez Costa

Local: Avenida Buriti, 327, Itacorubi, Florianópolis

Fone: (48) 3334-0372

E-mail: contato@oficinaculinariafloripa.com.br

Site: www.oficinaculinariafloripa.com.br

Calendário de Junho

11/06 – Macarons – 14h ou 19h

12/06 – Cupcakes – 14h

12/06 – Doces finos – 19h

13/06 – Tortas tradicionais – 14h

13/06 – Culinária vegetariana e light – 19h

16/06 – Risotos – 10h às 12h30min

18/06 – Tortas salgadas – 10h

18/06 – Bem-casados tradicionais – 19h

19/06 – Doces finos (para iniciantes) – 10h às 17h

20/06 – Cakepop – bolo no palito – 14h

20/06 – Culinária do dia-a-dia – 19h

26/06 – Bolos simples – 10h

26/06 – Sobremesas – 19h

27/06 – Sopas e Cremes – 19h

30/06 – Doces finos (avançado) – 10h

Cursos chef Vilmar Turnes

Local: SCA Mobiliário Contemporâneo (Av. Mauro Ramos, 1690, Centro, Florianópolis)

Fone: (48) 9622-4547

Site: www.vilmarturnes.com.br

Horário das aulas: sempre às 19h

2/07 – Risotos exóticos e seus segredos

9/07 – Pratos de festas (incluindo sobremesa)

16/07 – Preparação de pescados e frutos do mar

23/07 – Massas e molhos diferenciados

30/07 – Sopas e cremes

06/08 – Saladas de inverno

13/08 – Receitas famosas portuguesas

20/08 – receitas do Mediterrâneo (Espanha e Itália)

27/08 – Confeitaria básica

Pão é a arte da fermentação

17 de maio de 2012 3

Sempre que você experimentar um pão daqueles com casquinha crocante e miolo macio, saboroso, pode estar certo que acabou de devorar uma obra de arte. Segundo o francês Fred Mougel, o pão é a arte da fermentação e o metier do padeiro é guardar o ar dentro do pão.

As frases demonstram a paixão de Mougel por uma profissão que no Brasil não desperta muito interesse. Mas que na França, de acordo com ele, está entre as mais admiradas. Isto por que ser padeiro é sinônimo de total devoção, noites e noites despertas preparando aquele que é o astro da primeira refeição de todos os demais.

Por 11 anos, Mougel entregou-se a esta devoção. Ele desenvolve pães especiais e orgânicos e atualmente, morando em Florianópolis, presta consultoria para estabelecimentos comerciais e também oferece oficinas. Desde ontem, ministra também um minicurso na Aliança Francesa.

Divulgação

 

Eu participei da primeira aula, entre profissionais, curiosos e estudantes de panificação. Aprendi mais coisas interessantes sobre química do que em três anos de Segundo Grau (Ensino Médio). Sobre pães, nem se fala. Este, realmente, é um alimento que não pode faltar no meu dia a dia.

Quando entrei no curso, ontem, ainda lamentava a falta da minha panificadora, que estragou. Hoje, já nem sei se irei comprar outra. Fiquei com tanta vontade de colocar a mão na massa… de verdade… que quase comprei uns cinco quilos de farinha na volta para casa.

Ah! Tem outras máximas importantes de Mougel. Embora ele não desdenhe do pão brasileiro e afirme que podem ser tão bons quanto os franceses, abomina a adição de açúcar e gordura (pecado que costumamos cometer, sem falar em todas as outras coisinhas que os pães industrializados têm). Para ele, pão francês é água, farinha, sal e fermento. E se não tiver glúten, é bolo!

O curso na Aliança Francesa (que é ministrado em português, não se aflijam!) segue pelas próximas quartas-feiras: dias 23 e 30 de maio e 6 de junho. Eram 15 vagas e a oficina superlotou, por isto foi aberta uma segunda turma, que terá aulas nos dias 22, e 29 de maio, 5 e 6 de junho. O preço por todo o curso é R$ 90. Por oficina individual, R$ 30. A Aliança Francesa fica na Avenida Visconde de Ouro Preto, 282, no Centro de Florianópolis – fone (48) 3222-8925.

Aqui vai o programa:

Le Pain – História, fabricação e degustação – aulas das 18 às 20h

16/05 e 22/05

O pão na França – palestra ilustrada com apresentação geral e história do pão francês

23/05 e 29/06

Do grão até o pão – palestra ilustrada sobre as etapas da panificação

30/05 e 5/06

Fazer um pão francês (parte I) – receita básica para fazer pão francês em casa: os ingredientes, bater a massa, a importância do tipo de fermentação (com degustação)

6/06

Fazer um pão francês (parte II) – receita básica para fazer pão francês em casa: fermentar, modelar, assar, degustar e reconhecer um pão bem feito (com degustação)

 

Se você quiser saber mais sobre o trabalho de Fred, ele tem um blog.

Aliás, ontem, na França, foi comemorado o dia de Saint Honoré, o padroeiro dos padeiros, e por consequência, o dia destes profissionais. Até 20 de maio, acontece por lá a Festa do Pão.

Receita da Tainha Fresca

14 de maio de 2012 4

Este post é do ano passado, mas em tempos de tainha, vale a pena repetir:

Foto Márcia Feijó

- A minha é das grandes, com ova, viu moço?

- Eu quero duas menores. Tem da limpa?

- O senhor pode tirar a cabeça? Mas eu quero levar junto, pro pirão.

O Mercado Público de Florianópolis fervilhava, ao fim da manhã do último sábado, com o povaréu todo tentando garantir a tainha do final de semana. Com ova, sem ova, limpa, com escama, grande ou pequena. A preferência do freguês varia na hora de escolher o peixe.

No momento de fazer, mais ainda. Bastou postar aqui, dias atrás, umas dicas sobre como preparar a tainha, e vários leitores contriburam com propostas mais ou menos ortodoxas.

Na verdade, nem era só o Mercado que fervilhava, todo o Largo da Alfândega era um grande convite ao paladar. Ao lado, havia a feira livre, com suas verduras, frutas, ervas, embutidos, biscoitos. E mais adiante, havia a Feira do Mel. Almoço e sobremesa garantidos, com produtos saudáveis e a preços menores.

Minha filha, nascida na era dos supermercados e que nunca havia presenciado este tipo de feira, achou tudo muito “medieval”, mas divertido. O caçula fez cara feia para um caldo de cana, de início, mas acabou cedendo à provinha e se esbanjando no líquido adocicado. Aproveitou já para petiscar umas bolachas coloniais. Eu e o Jacy matamos as saudades das feiras de nossa infância.

O resultado do passeio de sábado pelo Largo da Alfândega foi uma bela tainha assada, ontem, acompanhada de pirão, molho de camarão, arroz branco e salada verde. Já para a minha manezinha que não come tainha, um salmão grelhado especial, mas também lá do mercado.


Tainha Fresca*

Ingredientes:

1 tainha limpa (óbvio)

folhas de louro secas

alfavaca fresca

tomilho seco

manjericão seco

sal temperado com alho (ou sal + um dente de alho)

limão


Para o pirão:

1 cabeça da tainha

4 copos de água

extrato de tomate

sal a gosto

farinha de mandioca


Como fazer:
Temperar a tainha, regar com o sumo do limão e reservar. Forrar a assadeira com papel alumínio. Retirar a cabeça da tainha (guardar para fazer o caldo do pirão) e colocá-la na assadeira. Levar ao forno cuidando de tempos em tempos para não deixar secar demais.

Gente, o leitor Carlos me alertou que a explicação de como temperar o peixe não está clara. Então, é o seguinte: pode simplesmente espalhar os temperos (louro, alfavaca, tominho e manjericão) e sal no peixe, depois regar com o sumo do limão por cima. Ou, como eu gosto de fazer, misturar temperos e sal num potinho, adicionar bastante suco de limão e depois regar o peixe, por dentro e por fora, com este caldo temperado.

Nos primeiros minutos, gosto de deixar um pedaço de papel alumínio sobre o peixe também. Mas depois de meia hora, é preciso tirá-lo para permitir que a pele seque e fique douradinha.

Leva cerca de 1 hora para assar em fogo médio, se a tainha tiver um tamanho de médio a grande (o tempo vai depender da potência do forno).


Como fazer o pirão:

Coloque a cabeça do peixe para ferver em cerca de 4 copos de água. Depois que estiver cozida, adicione sal e uma colher de extrato de tomate ao caldo. Retire a cabeça da panela e reserve o caldo.

Deixe para finalizar o pirão  quando a tainha estiver prestes a ir para a mesa. Com o fogo ligado, despeje a farinha de mandioca aos poucos mexendo vigorosamente para não embolotar.

Se por acaso a farinha embolotar, um jeito de recuperar o pirão é usar um mixer de mão para desmanchá-la. Retire o pirão da panela, bata levemente num recipiente plástico e retorne-o à panela.


* A receita ganhou o nome de Tainha Fresca porque foi temperada com várias ervas. E a tradição local manda que a tainha seja temperada apenas com sal e limão.


Quer mais dicas sobre tainha? Confira aqui.

 

Floripa Quilt foi um sucesso

08 de maio de 2012 2

Fotos divulgação

Consegui chegar na feira Floripa Quilt, realizada em Florianópolis de 3 a 6 de maio (último final de semana), aos 45 do segundo tempo. Ou seja, a feira fechava às 18h de domingo e cheguei às 17h (enquanto a bola já rolava solta no clássico Avaí e Figueira). Pensei que ia encontrar os estantes já fechados e dois gatos pingados circulando pelos corredores. Que nada! Ainda estava o maior agito por lá. As quiltadeiras da Capital pelo jeito souberam valorizar a ótima iniciativa.

Embora um pouco distante, o Sesc de Cacupé mostrou-se um local excelente para este tipo de evento. Com bastante gramado para que a criançada, papais e vovôs brincarem, sem pressa para ir embora, deixando as mamães, titias e vovós se concentrarem nos tecidos e linhas.

A feira também foi dividida entre um espaço de vendas de produtos para artesãos e outro dedicado ao comérico de artigos prontos. Mais um ponto para a organização.

Adorei e senti pena de não ter acompanhado alguma oficina. Agora é torcer para o Floripa Quilt entrar definitivamente para o calendário. Já soube que a intenção dos organizadores é fazer uma feira por ano. Que ótimo!


Tecidos importados com estampas especiais

30 de abril de 2012 3

Em março, pesquisando tecidos com estampas relacionadas aos Beatles – que eu pensava em utilizar na almofada do post anterior -, encontrei um site norte-americano muito bacana. Chama-se Creative Quilt Kits. Quem gosta de Dr. Seuss e Halloween vai se esbaldar. Também há muita coisa criada por designers e ilustradores conceituados.

Nele, também havia bem mais do que procurava sobre Beatles. Tinha tecidos com a logotipia do fab four e também com ilustrações retiradas do desenho animado Yellow Submarine. Me apaixonei na hora.

A encomenda chegou neste final de semana, exatamente um mês depois da compra (este é o prazo médio par encomendas normais enviadas dos EUA). Mas nem sinto pena que não tenham vindo antes de Sir Paul fazer seu show por aqui. Afinal, restou muito pouco tempo para o patchwork nos últimos dias.

E como o amor pelos Beatles não se esgotou – mesmo com a quantidade de matérias sobre eles que eu editei - vou pensar logo em algo para fazer com eles (se alguém tiver uma dica, pode enviar).

Abaixo, as imagens das estampas que comprei.

 

 

 


Yesterday foi um dia memorável! Agora eu quero um Help!

26 de abril de 2012 1

Os últimos dias foram tão corridos, com a cobertura do show de Paul McCartney em Floripa, que acabei não postando aqui no bloguinho o que eu fiz para relaxar durante este período.

Então, como um presente de despedida, vai a imagem da minha mais nova almofada de patchwork. Acho que vou usar para dar uma descansadinha nos próximos dias.

 Foto Márcia Feijó

 

Na galeria tem o molde das silhuetas para você fazer a sua.

 

 


Crianças de São José cantam Hey Jude

21 de abril de 2012 0

Como o blog é Feito em Casa e entre as crianças desse vídeo há uma feita por mim :0), compartilho aqui com vocês.

O vídeo faz parte da série All We Need is Paul, apresentada no site especial www.diario.com.br/paulemfloripa, com versões das músicas dos Beatles.

Eles fazem parte da cobertura do show de Paul McCartney na cidade.

Sou suspeita, eu sei, mas fique apaixonada pelo resultado deste, em especial.

No caderno Donna deste domingo você encontra mais detalhes sobre como foi a gravação.

E amanhã os bastidores serão mostrados no Estúdio SC, às 23h, na RBSTV SC.

Fica aqui também meu agradecimento especial às diretoras do Colégio Gardner, Nadir e Érica, e especialmente às crianças e aos professores Jaqueline Klava (artes músicas), Jeison Freitas (inglês) e Nilcéia Junckes (coordenadora pedagógica). O mérito é todo deles.



Cupcake Marmalade Skies, um pouco de Beatles na cozinha

18 de abril de 2012 0

“Picture yourself in a boat on a river

with tangerine trees and marmalade skies”


Estre trecho da lisérgica canção Lucy in the Sky With Diamonds sempre me intrigou. Que diabos seriam árvores de tangerina e céus de marmelada?

Pois no final de semana passado, abrindo a geladeira, tive um vislumbre do que seriam marmalade skies. Olhei um pedaço de marmelada que eu tinha comprado para alguma receita que ficou só no pensamento e imaginei um cupcake recheado com ela e que tivesse um pedaço de céu – ou seja, glacê azul clarinho – como cobertura. para deixá-lo um pouco menos doce, usei limão siciliano na massa.

Aí está a receita. Espero que a sua Lucy interior aprecie. Quem sabe você não faaz alguns para degustar antes de partir para o show do Paul McCartney, no dia 25?


Vou ficar devendo as tangerine trees. Mas já tenho uma vaga ideia de como elas seriam gostosas.

Foto Márcia Feijó

Cupcake Marmalade Skies

Ingredientes:

1 pedaço de marmelada

200g de açúcar

200g de farinha de trigo peneirada

100g de manteiga sem sal

2 ovos

1 colher (sopa) de casca de limão verde

150 ml de suco de limão siciliano

1 pitada de sal

2 colheres  (chá) de fermento

240 ml de leite

 

Como fazer:

Misture a farinha, o sal, o fermento e reserve.

Despeje uma colher de sopa de farinha de trigo numa vasilha. Corte a marmelada em cubos de cerca de 2cm X 2cm e coloque dentro da vasilha. Mexa um pouco para que a superfície da marmelada fique enfarinhada.

Deixe a manteiga amolecer um pouco. Coloque-a na vasilha da batedeira como o açúcar e bata até formar um creme. Inclua os ovos sem parar de bater. Acrescente as raspas e o sucod e limão. Neste ponto, a massa vai parecer desandar um pouco. Vá acrescentando aos poucos a mistura de ingredientes secos, alternando com o leite. O ponto da massa de cupcake não deve ser muito mole. Se precisar, acrescente mais farinha de trigo peneirada.

Coloque as forminhas de papel dentro das formas de alumínio para cupcake. Despeje duas colheradas de massa em cada uma. Coloque um cubo de marmelada em cada uma e coimpleta até 3/4 da forminha com mais massa.

Leve ao forno preaquecido em 180 graus e deixe crescer. Depois de pronto, deixe os bolinhos esfriarem. Faça o glacê usando um pouquinho de corante azul (veja aqui como fazer) e cubra usando um bico de confeitar. Polvilhe glitter comestível pérola ou açúcar cristalizado azulado sobre a cobertura.



Dica: você encontra o glitter comestível em casa de artigos de culinária ou de festas.

As forminhas foram feitas com cartolina decorada que comprei na Papelaria Kobrasol (Av. Central do Kobrasol)




Veja como fazer um porta-cd psicodélico

11 de abril de 2012 1

Se você é da velha guarda, como eu, e ainda curte comprar CDs – e carregá-los na mochila para ouvir por aí – aqui vai uma dica bacana: um porta-cd de tecido com estampa psicodélica.

Fotos Márcia Feijó

Assisti ao filme Across the Universe há poucos dias – quem me conhece sabe que estou mergulhada em Beatles até o último fio de cabelo crespo, por causa do show de Paul McCartney em Floripa – e quando vi a velha Kombi paz e amor num pedaço de tecido, não resisti.

Na parte de trás usei tecido tie die, no melhor estilo hippie. E na parte de dentro, com os compartimentos para encaixar os CDs, tecido liso. Tudo 100% algodão.


Você vai precisar de:

tecido de algodão (dois pedaços 20cm X 20cm estampados -usei um com estampa psicodélica e outro em tie die diferentes – e 50cm X 1,40cm do liso)

linha

tesoura

máquina de costura

alfinetes

manta acrílica

9 cm de fita de cetim (de largura um pouco maior do que a da fita mimosa)

Como fazer:

Corte o molde maior 2 vezes no tecido estampado (ou 1 vez no estampado e outro no tie die). Emende no lado reto formando uma peça com o formato de um “8″. Abra a peça e passe a ferro para esticar.

Faça uma tira dupla de tecido ou use uma fita de cetim (com 9cm) para fazer a alça que prenderá o botão.

Corte o mesmo formato da peça em “8″ na manta acrílica e no tecido liso.

Faça um sanduíche com a seguinte disposição: a peça de manta acrílica embaixo, a de tecido estampado sobre ela (com a estampa para cima) e o tecido liso sobre as outras duas camadas. Dobre a alça (ou fita) em duas e encaixe entre os dois tecidos de algodão, com a parte dobrada para dentro e as pontas para fora.

Costure o sanduíche pela borda, deixando um espaço de 6cm aberto. Desvire a peça através deste buraco, deixando a manta no meio, entre os dois tecidos. Depois, costure a parte aberta com pontos invisíveis, dobrando as bordinhas para dentro. Pronto, você já tem a capa do porta-CDs.

Corte agora os compartimentos da parte interna. Dobre o tecido liso ao meio e encaixe o molde sobre ele com a parte reta emparelhada com a dobra. Desta forma, corte mais peças em forma de “8″, um pouco menores do que a dimensão da capa do porta-cd.

Depois, corte 12 peças no tecido liso, usando o molde em formato de “D”.

Com o alfinete prenda dois “D” de cada lado das pontas do “8″ formando os bolsos para colocar os CDs. Na máquina de costura, faça zigue-zague (ou ponto de overloque) em toda a volta de cada peça.

Ajeite os compartimentos no interior da capa do porta-cd e faça uma costura no meio dos “8″, prendendo-os à capa.

À mão, costure um botão na parte da frente, na altura da alça.


Dica: se quiser um porta-cd com capacidade para mais discos, aumente na proporção de 4 peças em “D” para cada uma em “8″)


Aqui vão os moldes. Imprima e refaça em papelão, se for usar mais de uma vez.


Em tempo: no Across the Universe, o veículo não é uma kombi, mas um micro-ônibus antigo. Aqui vai o trecho, com participação especial de Bono Vox, para você curtir comigo.