Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "culinária"

Stop motion mostra como nascem os cupcakes

27 de junho de 2012 5

A dica foi o meu colega de RBS Marcelo Nunes e não podia ter mais a ver aqui com o bloguinho.

O vídeo abaixo, Como Nascem os Cupcakes, foi produzido por Elaine Borges e Louise Fernandes, alunas da 5ª fase de Mídia Eletrônica das Faculdades Assesc.

Eu simplesmente adorei! E tenho certeza que qualquer um que goste dos bolinhos enfeitados também ficará apaixonado, por isto compartilho aqui:

 

PS.: Ei! Meninas, queremos mais! Que tal: Como Nascem os Brigadeiros?

Cupcake de paçoca para festa junina

25 de junho de 2012 0

Conheço um senhor porto-alegrense que adora amendoim, principalmente em doces como paçoca, rapadura e pé de moleque. Ele chega a ter um pequeno estoque numa parte pouco usada do armário de louças da sua casa. Logo que vi uma receita de cupcake de paçoca de amendoim no livro O Mundo dos Cupcakes, da Carole Crema, pensei nele.

É uma opção diferente e bem interessante para os festejos desta época do ano. Resolvi testar a receita, mas fiz algumas alterações tanto nos ingredientes quanto no modo de preparar. O resultado ficou bem legal e compartilho aqui com vocês. A receita abaixo não é a original, mas indica o jeito como preparei.

Foto Márcia Feijó

 

Cupcake de paçoca de amendoim 

Ingredientes para a massa:

80g de manteiga sem sal em temperatura ambiente

3 ovos (Carole indica 2 ovos e 1 gema, mas achei que a massa ficou muito seca)

1,5 xícara de paçoca de amendoim desmanchada (despedace com as mãos até ficar sem pedaços embolotados)

3/4 de xícara de farinha de trigo peneirada

1/2 xícara de açúcar

1 colher (chá) de fermento em pó

1/2 colher (chá) de sal

 

Ingredientes para a cobertura – ganache fino

100g de chocolate meio amargo

1 colher (sopa) de manteiga sem sal

3 colheres (sopa) de creme de leite

1 xícara de paçoca de amendoim desmanchada

Dica: a receita do livro de Carole Crema para ganache fino indica usar glucose de milho, mas eu não usei

 

Como fazer a massa:

Numa tigela, misture a paçoca desmanchada, a farinha de trigo peneirada, o fermento e o sal. Reserve.

Em outra tigela, desmanche bem a manteiga. Acrescente os ovos, o açúcar  e bata até ficar homogêneo.

Junte as duas misturas e bata novamente até ficar homogêneo.

Preaqueça o forno a 180 graus.

Enquanto isso, coloque as forminhas de papel dentro das formas de alumínio ou silicone.

Depois, preencha as forminhas até cerca de 3/4 do volume total.

Leve ao forno por cerca de 20 minutos até que a massa tenha crescido e esteja dourada.

Dica:

Procure não abrir o forno nos primeiros 10 minutos. Mas depois que a massa estiver crescida, se tiver dúvida se ela está pronta ou não, abre o forno e espete um dos bolinhos com um palito de madeira (de dente). Se o palito sair seco, é porque o bolinho está assado.

 

Retire os bolinhos das formas de alumínio (ou silicone) e coloque para esfriar.

Depois de completamente frios, você pode aplicar a cobertura.

 

Como fazer a cobertura:

Pique o chocolate em pedaços pequenos e coloque numa tigela de cerâmica com a manteiga.

Numa panela pequena ou caneca, leve o creme de leite ao fogo e aqueça até ferver.

Jogue o creme de leite fervendo sobre o chocolate e misture vigorosamente até que os pdeaços e a manteiga estejam bem desmanchados, tornando-se uma calda grossa.

Esparrame ganache sobre a superfície do cupcake e depois polvilhe com paçoca de amendoim desmanchada.

Se quiser deixar seus cupcakes juninos ainda mais bonitinhos, use wrappers de cartolina com estampa xadrez para envolvê-los.

 

Veja aqui como transformar seu cupcake de milho verde num miniarraial.

 

 

 

 

 

 

Cada cupcake vira um miniarraial

22 de junho de 2012 2

Hoje há vários bolinhos nas páginas centrais do caderno Gastronomia do Diário Catarinense, editado por mim. Para acompanhar, vai aqui uma receita de cupcakes bem apropriada para a época, para relembrar:

 Fotos Márcia Feijó

Que tal tornar a mesa de Festa Junina ainda mais divertida transformando cada cupcake num miniarraial? O trabalho maior é fazer as bandeirinhas e florzinhas de pasta americana, mas a receita dos bolinhos de milho verde não tem segredo algum.

Cupcake arraial

Ingredientes:

400g de milho verde (se for em lata, corresponde ao conteúdo de 2 unidades)

1/2 copo de água

1/2 xícara de óleo

1 lata de leite condensado

3 ovos

260g de farinha de trigo

3 colheres (sopa) de coco ralado

1 colher (sopa) de fermento em pó


 

 

 

Como fazer:

Bater o milho com a água no liquidificador. Coar e retornar o creme ao aparelho. Bater novamente acrescentando o óleo, o leite condensado e os ovos.

Transferir o conteúdo para um recipiente fundo e acrescentar a o coco ralado, a farinha e o fermento. Bater à mão até a massa ficar bem homogênea.

Forrar formas de alumínio próprias para cupcake com as forminhas de papel e despejar a massa em cada umja até encher cerca de 3/4 de cada uma.

Assar durante cerca de 25 minutos. Deixar esfriar bem antes de montar a cobertura.

Rendimento: 24 bolinhos


 

 

Como montar o arraial:

Corte pedaços de tecido de 3cm X 1,5 cm, aproximadamente. Dobre-os ao meio formando dois quadrados unidos e corte as pontas transformando-os em bandeiras. Passe pedaços de linha de pesponto ou de crochê em cada duas bandeirinhas. Enrole os dois lados da linha que estiverem sobrando em palitos de madeira, que farão as vezes de mastros. Dê nós para que a linha não se solte.

A grama a as flores são feitas de pasta americana.

Para a grama, abra a pasta americana verde com um rolo de massa e corte círculos usando a boca de um copo, no tamanho do topo de seus bolinhos.

Para fazer as flores, una cinco bolinhas pequenas de pasta americana vermelha (ou cor-de-rosa), formando as pétalas, e coloque no centro uma outra bolinha de pasta laranja (ou amarela).

Coloque os círculos de grama sobre o bolinho, espete os mastros com as bandeirinhas e acrescente a flor ao pé de um dos palitos.

Dica: se quiser que a pasta americana seque, você deve fazer a grama e as flores com dois dias de antecedência e guardar fora da geladeira. Na hora de colar a flor sobre a grama, a umedeça um pouquinho na parte inferior e pressione levemente.

****************************************************************

 Se você não quiser fazer a cobertura, pode ter certeza que só os bolinhos assados em forminhas coloridas já deixam a mesa da Festa Junina mais divertida.


Cookies com gosto de mistério

20 de junho de 2012 2

São três ingredientes: suspense, romance e receitas. Com eles, a escritora Joanne Fluke cria uma boa distração para os dias de frio. O Mistério do Chocolate é o primeiro livro de uma série protagonizada por Hannah Swensen lançado no Brasil, pelo selo Lua de Papel.

Reprodução internet

Neste volume, Hannah é apresentada como a proprietária de uma loja de cookies em uma pequena cidade dos Estados Unidos. Um dos moradores é encontrado morto dentro de um veículo, coberto por seus biscoitos, nos fundos do seu estabelecimento. Movida por sua curiosidade e perspicácia, ela começa a investigar o caso por conta própria.

Os capítulos são permeados por receitas de cookies que geralmente têm algum vínculo com aquela parte da história – Hannah tem o hábito de usar suas delícias para extrair confissões ou acalmar as pessoas – ou estão relacionados com personagens em evidência no capítulo. Como não se trata exatamente de um livro de culinária, recomendo alguma cautela ao tentar reproduzir as receitas. Testei algumas e percebi certos probleminhas como ingrediente que não está na descrição do modo de fazer. Mas nada que atrapalhe muito o resultado final.

Ao final do livro, você encontra um aperitivo do próximo volume, ainda não lançado no Brasil.

A minha dica é a seguinte: faça a massa. Coloque no forno. Enquanto espera assar, tome uma xícara de chá e saboreie o livro.

O Mistério do Chocolate, de Joanne Fluke, Lua de papel, 256 págs., R$ 29,90

 

 Foto Márcia Feijó

 

Cookies de chocolate

Ingredientes

1 xícara de manteiga

1 xícara de açúcar refinado

1 xícara de açúcar mascavo

2 colheres (chá) de bicabornato de sódio

1 colher (chá) de sal

2 colheres (chá) de baunilha

2 ovos batidos (pode ser batidos com garfo)

2,5 xícaras de farinha de trigo (sem peneirar)

2 xícaras de flocos de milho esmigalhados (simplesmente esmigalhe com as mãos)

1 a 2 xícaras de gotas de chocolate

Como fazer

Preaqueça o forno a 190ºC.

Derreta a manteiga, acrescente os açúcares e mexa.

Adicione o bicabornato de sódio, o sal, a baunilha e os ovos batidos. Misture bem.

Acrescente, então, a farinha de trigo e mexa.

Acrescente os flocos de milho e as gotas de chocolate e misture tudo muito bem.

Modele a massa com os dedos em bolas do tamanho de nozes e coloque-as numa forma besuntada (de manteiga) (cabem até 12 numa forma de tamanho padrão).

Aperte-as ligeiramente com uma espátula besuntada ou com farinha de trigo.

Asse os cookies a 190ºC por 8 a 10 minutos.

Deixe-os esfriar na forma por dois minutos, depois remova-os para um suporte aramado (o suporte é importante – faz com que fiquem torradinhos).

Dica: use uma assadeira na altura média no forno.

Comentário: testei a receita sem os flocos de milho. São estes cookies aí da foto. Deu certinho também.

Valdir Agostinho ensina a fazer prato de festa junina

14 de junho de 2012 0

O caderno Gastronomia desta semana traz uma receita ensinada pelo artista plástico, músico e tradicionalista de Florianópolis Valdir Agostinho.

Ele mostra como era preparada a batata-doce e o aipim com melado, do jeitinho como sua mãe fazia. A dupla, segundo Agostinho, fazia sucesso nos festejos tradicionais.

Confira as dicas no vídeo abaixo e a receita no Gastronomia, que é publicado toda sexta-feira.


Um agradecimento especial ao pessoal do Atelier Vinícus Basso, em Jurerê Internacional, onde o vídeo foi gravado.

Vovó sabe tudo

13 de junho de 2012 2

Mesmo com perfil no Facebook e a caixa de e-mails bombando, as avós de hoje ainda são guardiãs da sabedoria popular. Elas sempre têm na manga um truque para se livrar daquela mancha que não sai. E na maioria das vezes o resultado é bem melhor do que o dos milhares de produtos que lotam as prateleiras do supermercado.

A escritora Lee Faber, avó dos novos tempos, resolveu compilar o que aprendeu com outras representantes da classe. A Sabedoria das Avós é o livrinho ideal para quem está se tornando responsável pelo seu próprio lar e ainda não se defende muito bem em questões de limpeza e organização. Mas também pode ser útil para quem já está na profissão “do lar” há mais tempo. Sempre é bom ter este tipo de publicação por perto (eu os guardo na cozinha, junto com os de culinária), para consultas de emergência, quando um cálice de vinho vira sobre o sofá ou uma xícara de café cai no tapete.

O livro é dividido nos seguintes capítulos: Dicas para o Lar, Remédios, Culinária e cozinha: o básico, Receitas, Plantas e animais de estimação, conselhos sobre crianças, As famílias e o convívio diário. Os dois últimos são os mais diferentes em relação a este tipo de publicação. Lee extrapola a tríade cozinha/limpeza/plantas e entra na seara dos conselhos pessoais. O texto parece muito com aquele papo de chá da tarde que rola quando uma mulher procura a sua mãe (ou outra mulher mais experiente) para saber o que fazer em situações que repetem geração após geração.

Meu subtítulo preferido, o último do livro, é Fazendo presentes artesanais. Tudo a ver aqui com o bloguinho e com a minha própria concepção de ser avó.

Reprodução

A Sabedoria das Avós – Dicas eternas para facilitar seu dia a dia, de Lee Faber. Trad. Marcela Miller. Casa da Palavra, 160 págs. R$ 29,90

Um Espumante de Café para o seu amor

12 de junho de 2012 0

Recebi esta dica da Melitta hoje. Não testei mas me pareceu bem interessante.

Que tal testá-la hoje e me contar se você aprovou?

 Divulgação

 

ESPUMANTE DE CAFÉ

Ingredientes

½ xícara (chá) de creme de leite fresco (105 g)

1 xícara (chá) de leite integral (120 ml)

8 colheres (sopa) de açúcar mascavo (80 g)

300 ml de café coado Melitta

150 g de biscoito amaretto triturado

Modo de fazer

Leve para ferver em uma panela o creme de leite com o leite e o açúcar mascavo. Retire do fogo, despeje em uma cremeira e junte o café Melitta. Bata até obter uma espuma leve. Distribua os biscoitos em taças e despeje a bebida.

Rendimento: 4 porções

Cursos de culinária

08 de junho de 2012 0

Com esss friozinho, não dá vontade de ir para a cozinha e preparar alguma delícia para receber os amigos? Ou mesmo para aquecer o próprio estômago? Se você pretende aderir á turma do forno e fogão mas ainda não se defende muito bem entre batedeiras e liquidificadores, há bons cursos rápidos de culinária sendo realizados na cidade. Alguns contemplam os cozinheiros amadores.

Aqui vão duas dicas: a Oficina Culinária, que oferece calendários mensais com grande variedade de temas, e o chef Vilmar Turnes.

Oficina Culinária

Contato: Valderez Costa

Local: Avenida Buriti, 327, Itacorubi, Florianópolis

Fone: (48) 3334-0372

E-mail: contato@oficinaculinariafloripa.com.br

Site: www.oficinaculinariafloripa.com.br

Calendário de Junho

11/06 – Macarons – 14h ou 19h

12/06 – Cupcakes – 14h

12/06 – Doces finos – 19h

13/06 – Tortas tradicionais – 14h

13/06 – Culinária vegetariana e light – 19h

16/06 – Risotos – 10h às 12h30min

18/06 – Tortas salgadas – 10h

18/06 – Bem-casados tradicionais – 19h

19/06 – Doces finos (para iniciantes) – 10h às 17h

20/06 – Cakepop – bolo no palito – 14h

20/06 – Culinária do dia-a-dia – 19h

26/06 – Bolos simples – 10h

26/06 – Sobremesas – 19h

27/06 – Sopas e Cremes – 19h

30/06 – Doces finos (avançado) – 10h

Cursos chef Vilmar Turnes

Local: SCA Mobiliário Contemporâneo (Av. Mauro Ramos, 1690, Centro, Florianópolis)

Fone: (48) 9622-4547

Site: www.vilmarturnes.com.br

Horário das aulas: sempre às 19h

2/07 – Risotos exóticos e seus segredos

9/07 – Pratos de festas (incluindo sobremesa)

16/07 – Preparação de pescados e frutos do mar

23/07 – Massas e molhos diferenciados

30/07 – Sopas e cremes

06/08 – Saladas de inverno

13/08 – Receitas famosas portuguesas

20/08 – receitas do Mediterrâneo (Espanha e Itália)

27/08 – Confeitaria básica

Receita da Tainha Fresca

14 de maio de 2012 4

Este post é do ano passado, mas em tempos de tainha, vale a pena repetir:

Foto Márcia Feijó

- A minha é das grandes, com ova, viu moço?

- Eu quero duas menores. Tem da limpa?

- O senhor pode tirar a cabeça? Mas eu quero levar junto, pro pirão.

O Mercado Público de Florianópolis fervilhava, ao fim da manhã do último sábado, com o povaréu todo tentando garantir a tainha do final de semana. Com ova, sem ova, limpa, com escama, grande ou pequena. A preferência do freguês varia na hora de escolher o peixe.

No momento de fazer, mais ainda. Bastou postar aqui, dias atrás, umas dicas sobre como preparar a tainha, e vários leitores contriburam com propostas mais ou menos ortodoxas.

Na verdade, nem era só o Mercado que fervilhava, todo o Largo da Alfândega era um grande convite ao paladar. Ao lado, havia a feira livre, com suas verduras, frutas, ervas, embutidos, biscoitos. E mais adiante, havia a Feira do Mel. Almoço e sobremesa garantidos, com produtos saudáveis e a preços menores.

Minha filha, nascida na era dos supermercados e que nunca havia presenciado este tipo de feira, achou tudo muito “medieval”, mas divertido. O caçula fez cara feia para um caldo de cana, de início, mas acabou cedendo à provinha e se esbanjando no líquido adocicado. Aproveitou já para petiscar umas bolachas coloniais. Eu e o Jacy matamos as saudades das feiras de nossa infância.

O resultado do passeio de sábado pelo Largo da Alfândega foi uma bela tainha assada, ontem, acompanhada de pirão, molho de camarão, arroz branco e salada verde. Já para a minha manezinha que não come tainha, um salmão grelhado especial, mas também lá do mercado.


Tainha Fresca*

Ingredientes:

1 tainha limpa (óbvio)

folhas de louro secas

alfavaca fresca

tomilho seco

manjericão seco

sal temperado com alho (ou sal + um dente de alho)

limão


Para o pirão:

1 cabeça da tainha

4 copos de água

extrato de tomate

sal a gosto

farinha de mandioca


Como fazer:
Temperar a tainha, regar com o sumo do limão e reservar. Forrar a assadeira com papel alumínio. Retirar a cabeça da tainha (guardar para fazer o caldo do pirão) e colocá-la na assadeira. Levar ao forno cuidando de tempos em tempos para não deixar secar demais.

Gente, o leitor Carlos me alertou que a explicação de como temperar o peixe não está clara. Então, é o seguinte: pode simplesmente espalhar os temperos (louro, alfavaca, tominho e manjericão) e sal no peixe, depois regar com o sumo do limão por cima. Ou, como eu gosto de fazer, misturar temperos e sal num potinho, adicionar bastante suco de limão e depois regar o peixe, por dentro e por fora, com este caldo temperado.

Nos primeiros minutos, gosto de deixar um pedaço de papel alumínio sobre o peixe também. Mas depois de meia hora, é preciso tirá-lo para permitir que a pele seque e fique douradinha.

Leva cerca de 1 hora para assar em fogo médio, se a tainha tiver um tamanho de médio a grande (o tempo vai depender da potência do forno).


Como fazer o pirão:

Coloque a cabeça do peixe para ferver em cerca de 4 copos de água. Depois que estiver cozida, adicione sal e uma colher de extrato de tomate ao caldo. Retire a cabeça da panela e reserve o caldo.

Deixe para finalizar o pirão  quando a tainha estiver prestes a ir para a mesa. Com o fogo ligado, despeje a farinha de mandioca aos poucos mexendo vigorosamente para não embolotar.

Se por acaso a farinha embolotar, um jeito de recuperar o pirão é usar um mixer de mão para desmanchá-la. Retire o pirão da panela, bata levemente num recipiente plástico e retorne-o à panela.


* A receita ganhou o nome de Tainha Fresca porque foi temperada com várias ervas. E a tradição local manda que a tainha seja temperada apenas com sal e limão.


Quer mais dicas sobre tainha? Confira aqui.

 

Cupcake Marmalade Skies, um pouco de Beatles na cozinha

18 de abril de 2012 0

“Picture yourself in a boat on a river

with tangerine trees and marmalade skies”


Estre trecho da lisérgica canção Lucy in the Sky With Diamonds sempre me intrigou. Que diabos seriam árvores de tangerina e céus de marmelada?

Pois no final de semana passado, abrindo a geladeira, tive um vislumbre do que seriam marmalade skies. Olhei um pedaço de marmelada que eu tinha comprado para alguma receita que ficou só no pensamento e imaginei um cupcake recheado com ela e que tivesse um pedaço de céu – ou seja, glacê azul clarinho – como cobertura. para deixá-lo um pouco menos doce, usei limão siciliano na massa.

Aí está a receita. Espero que a sua Lucy interior aprecie. Quem sabe você não faaz alguns para degustar antes de partir para o show do Paul McCartney, no dia 25?


Vou ficar devendo as tangerine trees. Mas já tenho uma vaga ideia de como elas seriam gostosas.

Foto Márcia Feijó

Cupcake Marmalade Skies

Ingredientes:

1 pedaço de marmelada

200g de açúcar

200g de farinha de trigo peneirada

100g de manteiga sem sal

2 ovos

1 colher (sopa) de casca de limão verde

150 ml de suco de limão siciliano

1 pitada de sal

2 colheres  (chá) de fermento

240 ml de leite

 

Como fazer:

Misture a farinha, o sal, o fermento e reserve.

Despeje uma colher de sopa de farinha de trigo numa vasilha. Corte a marmelada em cubos de cerca de 2cm X 2cm e coloque dentro da vasilha. Mexa um pouco para que a superfície da marmelada fique enfarinhada.

Deixe a manteiga amolecer um pouco. Coloque-a na vasilha da batedeira como o açúcar e bata até formar um creme. Inclua os ovos sem parar de bater. Acrescente as raspas e o sucod e limão. Neste ponto, a massa vai parecer desandar um pouco. Vá acrescentando aos poucos a mistura de ingredientes secos, alternando com o leite. O ponto da massa de cupcake não deve ser muito mole. Se precisar, acrescente mais farinha de trigo peneirada.

Coloque as forminhas de papel dentro das formas de alumínio para cupcake. Despeje duas colheradas de massa em cada uma. Coloque um cubo de marmelada em cada uma e coimpleta até 3/4 da forminha com mais massa.

Leve ao forno preaquecido em 180 graus e deixe crescer. Depois de pronto, deixe os bolinhos esfriarem. Faça o glacê usando um pouquinho de corante azul (veja aqui como fazer) e cubra usando um bico de confeitar. Polvilhe glitter comestível pérola ou açúcar cristalizado azulado sobre a cobertura.



Dica: você encontra o glitter comestível em casa de artigos de culinária ou de festas.

As forminhas foram feitas com cartolina decorada que comprei na Papelaria Kobrasol (Av. Central do Kobrasol)