Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "geleia"

Receita com physalis

19 de março de 2012 2

Reprodução site Jardim das Flores

Depois de vários dias sem postar e morrendo de saudade do bloguinho, estou de volta, e com uma receitinha nova de geleia.

Há pouco tempo, umas frutinhas diferentes começaram a aparecer cada vez com mais frequência nos supermercados de Florianópolis. Uma delas é physalis. Parecendo microlaranjinhas, elas são geralmente utilizadas para decorar doces finos. Mas existem outros fins. Um deles, é a geleia (ou confiture, para usar o termo correto, já que a polpa da fruta também é usada).

Reprodução blog Chocolatria

O sabor da physalis é levemente ácido, uma qualidade excelente no caso de geleias. A receita leva maçã verde, o que dribla o problema de seu rendimento baixo, já que as frutinhas são mesmo muito pequenas.

A physalis é uma novidade no Brasil. As sementes começaram a chegar ao país há apenas uma década. Seu preço também era bem alto. m,as repararam que começou a baixar? Isto porque Santa Catarina também já está cultivando physalis. Assim como o mirtilo, que é produzido aqui e no Rio Grande do Sul.

Quanto ao quesito saúde, os nutrientes da physalis são considerados atuantes na prevenção de problemas cardiovasculares e no combate ao colesterol.

No Norte e no Nordeste do Brasil, a physalis é conhecida como joa-de-capote e camapum. Seu nome foi abrasileirado para físalis.

Chega de tanto blá blá blá physalístico e vamos à receita:

Foto Márcia Feijó

 



Confiture (geleia) de physalis


Ingredientes:

1 caixinha (100g) de physalis limpas

250 g de açúcar cristal

suco de 1 limão

1 maçã verde

1 colher (sopa) de pectina em pó


Como fazer:

Bater a physalis no liquidificador, levemente, de véspera. Colocar num recipente e cobrir com metade do açúcar. Deixar na geladeira. Assim, a fruta irá soltar seu suco.

Descascar e picar a maçã em pedaços bem miúdos. Acrescentar a polpa da physalis que ficou na geladeira com açúcar. Colocar na panela e deixar ferver.

Abaixar o fogo para acrescentar o suco do limão. Misturar a pectina ao restante do açúcar e colocar também na panela. 
Cozinhar por mais dez minutos, mexendo de vez em quando.

Verificar o ponto. Se estiver ok,  desligar o fogo e colocar ainda quente em potes esterilizados. Deixar esfriar antes de vedar.


Rendimento: 250g de confiture


Dica: a physalis é uma fruta rica em pectina. Então, você não precisa exagerar na quantidade do produto na receita.



Receita de geleia de morango, cereja e vinho branco

05 de dezembro de 2011 2

Há um tempinho eu não fazia geleia. Neste final de semana experimentei uma receita nova com morango, cereja e vinho branco. Na verdade, uma confiture (já que foram usadas frutas em pedaços, e não somente o suco), mas não me acpstumo a usar este termo. Bom, de toda forma, ficou uma delícia!

Foto Márcia Feijó


Geleia de morango, cereja

e vinho branco


Ingredientes:

1 bandeja de morangos

1 bandeja de cerejas

1/4 copo e vinho branco

1/2 copo de calda de pêssego

110g de açúcar cristal

2 colheres (sopa) de pectina ou 1 colher (sopa) de 4 Minutos (leia mais aqui)


Como fazer:

Misture a pectina com 10g de açúcar cristal. Reserve.

Lave bem as frutas e corte em pedaços bem pequenos retirando as sementes das cerejas. Colque-as numa panela e cubra com 100g de açúcar cristal. Despeja o vinho e a calda de pêssego na panela e leve ao fogo até que as frutas desmanchem bem. Acrescente então a mistura de pectina e açúcar. Mexa com colher de pau ou plástico até começar a ficar espessa. Desligue o fogo e coloque ainda quente nos vidros previamente esterilizados. Se for guardar por algum tempo, vede com filme plástico e deixe esfriar bem antes de colocar a tampa e levar à geladeira.

A geleia pode ser consumida assim que estiver fria.


Veja mais receitas de geleia de vinho, de rosas e de mirtilos.

Já enviou sua receita de geleia? Ela vale prêmio

05 de junho de 2011 0

Fotos Márcia Feijó

Acaba amanhã de manhã a promoção Minha Receita de Geleia.

Basta clicar aqui e enviar aquela sua receita de geleia que todo mundo adora.

Quem enviar a opção mais interessante receberá 6 embalagens do produto Quatro Minutos, que ajuda a dar às geleias aquela consistência especial.

O segundo lugar também ganha prêmio: quatro embalgens do Quatro Minutos.


Saiba mais sobre o Quatro Minutos aqui e assista aos vídeos ensinando receitas de geleias.


Mais tempo para participar da promoção

31 de maio de 2011 0

Devido a problemas técnicos, que impediram o bom andamento da promoção, decidimos aumentar o prazo para concorrer na promoção Quatro Minutos. 

Escolha a sua receita de geleia preferida e entre aqui para enviar. A receita mais criativa receberá 6 envelopes do produto, que serve para dar a uma textura especial à geleia. O segundo lugar receberá 4 envelopes.

Quer saber mais sobre o Quatro Minutos? Clique aqui.

 

Sua receita de geleia vale prêmio

23 de maio de 2011 2

Foto Márcia Feijó

Você tem uma receita diferente de geleia? Então que tal participar da nossa promoção?

A receita mais criativa ganha 6 embalagens do produto Quatro Minutos, que serve para dar à geleia aquela consistência especial.

O segundo lugar ganha 4 embalagens de Quatro Minutos.


Entre aqui e participe. Ou leia aqui mais sobre a promoção.

E que tal conferir a geleia de rosas que já mostramos aqui para se inspirar?

Geleia fácil com Quatro Minutos

16 de maio de 2011 2

No mês de março apresentei aqui o produto Quatro Minutos, à base de pectina, que possibilita fazer geleias (somente com o suco da fruta) e confitures (onde se usa a polpa) com maior rapidez e facilidade.

Para quem não sabe, é a pectina que dá a esses dois tipos de guloseimas aquela consistência gelatinosa. O Quatro Minutos facilita totalmente o processo, reduzindo-o exatamente ao tempo que lhe dá nome.

Foto Márcia Feijó

Você gostaria de experimentar? Pois a empresa ArRiVer, que produz o Quatro Minutos, ofereceu 10 embalagens para realizarmos uma promoção.

Para participar, basta entrar no link de promoções do www.diario.com.br, fazer o cadastro e deixar uma receita de geleia bem criativa. O autor da receita mais bacana (ela pode ser diferente nos ingredientes, no modo de fazer ou mesmo no modo de apresentar a receita),  ganha seis embalagens de 40g do Quatro Minutos. O autor da segunda receita mais criativa, ganha quatro embalagens de 40g do Quatro Minutos.

As duas receitas vencedoras serão compartilhadas aqui no blog.

Mais informações sobre o Quatro Minutos você encontra no site da ArriVer.

Para incentivar,  vai aqui a receitinha que eu fiz neste final de semana.

 

Confiture de damasco com hortelã

Ingredientes:

200g de damasco seco

500 ml de água

suco de 1 limão

220g de açúcar cristal

1 colher (sopa) de Quatro Minutos (cerca de 1/3 da embalagem de 40g)

um punhado de folhas de hortelã lavadas e picadas

 

Como fazer:

Picar bem o damasco, colocar numa panela, despejar a água, o suco de limão e deixar cozinhar por cerca de 20 minutos (até desmanchar bem as frutas). Cuidar para não  secar. Se precisar, acrescentar mais um pouco de água. 

Em separado, misturar a quantidade de Quatro Minutos a 3 colheres de sopa de açúcar.

Quando as frutas estiverem quase desmanchando, acrescentar as folhas de hortelã picadas e o restante do açúcar.

Por fim, despejar a mistura do açúcar com Quatro Minutos na panela, com fogo baixo, mexendo sempre e deixando ferver por 4 minutos.

Desligar e colocar em vidros devidamente higienizados (ferver, retirar do fogo com uma pinça e não tocar nas bordas ou dentro deles).

Vedar com filme plástico, principalmente se o consumo não for ocorrer logo; e , depois de amornar a confiture, fechar com a tampa.

OBS.: Ao retirar os vidros da água fervente, não coloque-os direto no mármore, para que não trinquem. Coloque-os sobre um suporte de panelas de madeira, sizal ou tecido.

Rendimento: 2 potes com cerca de 250g

 

 



Geleia gostosa em Quatro Minutos

03 de março de 2011 11


No mês de janeiro, entrou no blog o comentário de um leitor contando que estava fabricando um produto que substitui a pectina no preparo de geleias, e o ofereceu para um teste. O produto, chamado Quatro Minutos, foi enviado pelo correio e no último final de semana eu fiz meus experimentos.


Produção de gelais para testar o produto Quatro Minutos. Foto Márcia Feijó

Usei o Quatro Minutos, que é composto de dextrose, pectina e ácido cítrico, em dois tipos de geleia: de maracujá e de uva. Ambas foram feitas com o suco das frutas. O produto, de origem natural, fabricado pela empresa gaúcha ArRiVer mostrou pontos positivos e negativos em relação à pectina em pó, ingrediente que eu geralmente uso. Mas, em termos gerais, aprovei.

Em primeiro lugar, a pectina em pó é difícil de encontrar. A proposta da Arriver é inserir o Quatro Minutos em supermercados, o que o torna bem mais acessível. Por enquanto ele já pode ser encomendado pelo e-mail sac.arriver@gmail.com. Ou entre no blog do Quatro Minutos para mais informações.

Um dos problemas da pectina em pó é o fato de que ela é difícil de utilizar. Misturada em líquido, tanto frio quanto quente, ela embolota. É preciso misturá-la ao açúcar da geleia para acrescentá-la à fruta. Mesmo assim, é preciso misturar bem o conteúdo para que não forma bolotas. O Quatro Minutos também deve ser misturado no açúcar antes de acrescentar a geleia, mas ele não embolotou.

Sobre a consistência do produto, percebi que foi preciso uma quantidade maior do que a indicada na embalagem  para que dê aquela textura gelatinosa. Mas é questão de ir experimentando e adequando. Assim como a pectina em pó pura é preciso ter muito cuidado ao acrescentar, para que a geleia não endureça demais.

Geleia de maracujá com Quatro Minutos. Com 500 ml de suco e meio saquinho, ficou muito mole e precisou acrescentar mais um pouquinho.

Se você gosta de uma consistência mais firme, é só acrescentar mais um pouco de Quatro Minutos.  

Mas tome cuidado ao acrescentar mais Quatro Minutos ou pectina. Leve em consideração que a geleia vai ficar ainda mais firme depois de fria. Esta passou do ponto.



Geleia de uva feita com Quatro Minutos.

 Geleia de uva feita com pectina em pó

Não sei se é impressão minha, mas achei que a geleia de uva com o Quatro Minutos preservou mais o sabor da fruta, não ficando tão doce quanto à versão feita com pectina em pó. Se usarem, depois me digam se concordam.

O Quatro Minutos vem embalagens de 40g. Conforme a indicação do rótulo, cada pacote rende de 2 a 3 quilos de geleia. O fabricante me informou que pretende mudar a embalagem, subdividindo o total do produto pela metade. Assim você pode fazer uma quantidade menor de geleia por vez.

Por fim, a embalagem traz instruções bem claras de preparo com as mais diversas frutas, com tabelas de quantidades e outras dicas. E ainda explica a diferença entre geleia e confiture. Aqui no Brasil costumamos chamar tudo de geleia (ou diferenciamos como geleia e doce). Geleia, na verdade, é feita com o suco de frutas, enquanto confiture inclui a polpa. Tem ainda a compota de frutas… Mas este já é um outro post…

Em tempo: o nome Quatro Minutos refere-se ao tempo gasto para cozinhar a geleia. É vapt vupt.

Como fazer geleia com Quatro Minutos (conforme indicação na embalagem):

Coloque os frutos ou suco numa panela sobre o fogo.

Numa xícara, misture o conteúdo do saquinho com 3 colheres de sopa de açúcar e vire essa mistura sobre os frutos (ou suco) mexendo com uma colher de pau.

Quando levantar fervura conte 2 minutos e junte o açúcar e uma colher de chá de manteiga. Misture e depois que ferver novamente, conte mais 2 minutos mexendo sempre.

Desligue o fogo, retire a espuma (se houver) e distribua em vidros previamente fervidos.

 

 

Geleia de rosas e vinho rosé

25 de janeiro de 2011 3

Foto Márcia Feijó

 

Desde que vi uma geléia de rosas para vender em uma delicatessen passei a me perguntar que sabor ela teria.

Meses depois encontrei a receita em um livro. Fiquei tentada a experimentar.

A dificuldade é que a lista de ingredientes inclui pétalas de rosas cultivadas sem agrotóxicos. Algo raro de se encontrar por aqui.

Mas durante as férias, não teve um dia que despregasse o olho das roseiras da minha sogra. Na volta, claro, trouxe comigo uma boa quantia de pétalas.

A receita é bem simples e segue praticamente as mesmas dicas da geléia de vinho tinto que apresentei aqui há um tempinho. Porém, demanda um outro ingrediente nada comum de achar nos mercados de Floripa: água de rosas. Pesquisei na internet e até encontrei sites que vendem o produto. Mas acabei produzindo a minha própria água de rosas.

A geléia ficou excelente. Tem um sabor suave, ideal para passar sobre uma torradinha e acompanhar um chá da tarde.

Ingredientes:





750 ml de vinho rosé

800g dea çáucar cristal

2 colheres (sopa, rasa) de pectina em pó

4 colheres (sopa) de água e rosas

1 punhado de pétalas de rosas cultivadas sem nenhum agrotóxico

 

Como fazer:

Lave bem as pétalas de rosas (deixe de molho com gotas de limão, vinagre ou produto usado para higienizar frutas e legumes). Lave novamente e reserve, Misture a pectina ao açúcar numa panela. Acrescente o vinho e leve ao fogo brando até que a mistura esteja bem dissolvida. Aumente um pouco o fogo e ferva por cerca de 2 a 3 minutos. Se formar espuma, retire usando uma colher. Retire do fogo, acrescente a água de rosas e leve novamente ao fogão, deixando cozinhar por mais uns 10 minutos até que esteja no ponto de geleia. Coloque no vidro esterilizado previamente e acrescente as pétalas, misturando delicadamente com a colher para que elas se espalhem.

 

Dicas: inspirada por um comentário do meu amigo Fabiano Moraes, que assim como meus outros colegas aqui de DC acharam um abuso desperdiçar vinho em geleia, usei um vinho Chalise. Aos enófilos de plantão: não debochem, para o caso ele revelou-se uma excelente opção.

Para esta receita, foram usadas pétalas de rosa em tom bem claro. Você também pode usar o vinho tinto doce.

 

Atenção: certifique-se de que não foi utilizado agrotóxico ans rosas e que as pétalas foram bem higienizadas




Geleia de vinho

04 de novembro de 2010 10

Foto Márcia Feijó

Sabe aquele vinho do Porto que você abriu para receber os amigos ontem à noite, tomaram a metade e agora você não sabe o que fazer com o resto?

Ou aquela garrafa de Shiraz que seu marido ganhou de um amigo há séculos e não abriu ainda?

Existe um excelente destino para elas: fazer geleia.

Bom, talvez você  encontre alguma resistência por parte dos fãs de vinho; mas depois de pronta, aposto que eles serão os primeiros a comer até raspar o fundo do pote.

Geleia de vinho

Ingredientes:

400 ml vinho

suco de 2 limões

2 colheres (sopa) de pectina em pó (ou 125 g de pectina líquida)

500 g de açúcar cristal

Como fazer:

Colocar o vinho e o suco de limão na panela e deixar ferver. Misturar a pectina em pó com o açúcar cristal e acrescentar à fervura, misturando até dissolver bem. Cozinhar por mais uns 3 minutos, aproximadamente.

Cuide para que o conteúdo não suba além da bporda, mexendo de tempos em tempos.

Desligar, retirar um pouco da geleia com a colher e colocar num prato raso. Quando esfriar, testar o ponto. Se estiver com a consistência adequada, é só colocar nos potes esterilizados. Se não, levar à fervura por mais uns 2 minutos.

Pulo do gato: se a geleia for para consumo imediado, não é preciso vedar. Caso contrário, vede o pote com filme plástico e/ou papel manteiga, antes de fechá-lo, para garantir uma durabilidade maior.

Testei esta receita com um Shiraz argentino (Viejo Viñedo), cuja garrafa custa em torno de R$ 10. No lugar dele, pode ser usado qualquer vinho encorpado, como Porto e Madeira. O rendimento é de cerca de 400g.

OBS.: A pectina você encontra em casas especializadas em culinária e festas, mas por aqui não é muito fácil de achar. Em Florianópolis, encontrei na Xandoca (Rua Teareza Cristina, 355, Bairro Estreito – fone 48/3244-1529).

PS.: Este post é dedicado especialmente para o pessoal da Vinharada e do Le Vin au Blog.


Geleia de mirtilos e morangos (o teste da pectina - parte 1)

10 de setembro de 2010 5

Foto Márcia Feijó

Seguindo os posts anteriores, aqui vai mais uma receitinha envolvendo mirtilos. Dia desses encontrei à venda pectina em pó. Há tempos procurava este ingrediente para testar em meus doces de frutas – que eu nunca ousei chamar de geleia justamente por faltar pectina na composição, pois é ela que dá aquela consistência especial à mistura.

Resolvi então testar a pectina. Na primeira receita que fiz, optei por usar mirtilos. Como a frutinha vem em embalagens bem pequenas e tem um preço um pouquinho mais elevado, decidi misturar com morangos.

Me baseei nas dicas do livro Conservas e Compotas, de Thane Prince, lançado há poucos meses pela Publifolha. Mas não segui nenhuma receita específica, pois sou uma cozinheira meio kamikaze (muitas vezes vou jogando tudo na panela para ver no que dá).

No livro, é indicado o uso de pectina líquida. A que eu tinha era em pó. Tive dificuldades para desmanchá-la (embolotou tanto com água fria quanto com água quente) e depois de acrescentá-la à fervura, precisei dar uma forcinha à natureza com um batedor elétrico de mão. Preciso melhorar este quesito. Mas no fator sabor, hummmmmmmmm….

Então, a receita ficou assim:

Ingredientes:

3 bandejas de morango (cerca de 750g)

2 caixinhas de mirtilo (cerca de 200g)

suco de 1 limão

800 g de açúcar (o livro dizia para usar açúcar cristal, mas eu só tinha 400g dele, então usei meio a meio com o refinado)

pectina em pó

Modo de fazer:

Lavei e sequei bem as frutas (os morangos enrolei numa toalha, e o mirtilo, deixei no escorredor). Coloquei na panela as frutas, o suco de limão e o açúcar, e deixei ferver por uns 15 minutos em fogo brando (mexa constantemente para não deixar grudar no fundo da panela). Retirei as frutas, acrescentei a pectina e bati levemente o líquido, para as bolotinhas desmancharem. Retornei as frutas à panela e deixei ferver mais um pouco. Mas se você conseguir desmanchar bem a pectina, não precisar retirar a fruta e depois retorná-la. Achei outra receita que ensina a simplesmente colocar o pó na panela junto coma fruta e o suco de limão, e depois levar ao fogo.

Como o livro dizia, coloquei nos potes de vidro (bem lavados e passados na água fervente) a mistura ainda quente. Cobri as bocas dos potes com papel manteiga e filme plástico, passando um atilho ao redor da rosca para deixar bem firme. Depois de esfriar, fechei a tampa.

Rendimento: 5 potes de 200 g

Opinião minha: não gostei nada do fato do papel manteiga ter ficado todo grudado no pote quando abri o vidro.

Onde encontrar a pectina: no Estreito existe um “paraíso” chamado Xandoca, uma casa de material para festas onde você também encontra produtos para confecção de guloseimas. Foi lá que eu encontrei a tão sonha pectina.

Dica: se você não quiser usar pectina e deixar a consistência mais molinha, pode usar a receita como calda para sorvtes também. Fica ótimo.