Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Jardinagem"

A mudança da jabuticabeira

14 de novembro de 2011 12

Foto Márcia Feijó

No último verão, ao retornar das férias, minha família cometeu uma loucurinha. Trouxemos conosco, no carro abarrotado, uma pequena jabuticabeira. Nascida na cidade de Ampére (PR), onde as jabuticabeiras ainda guardam o sabor da infância, ela veio parar dentro de um vaso, numa sacada de São José. Em princípio, sentiu muito a mudança. Perdeu todas a folhas. Ficou nua. Chegamos a pensar que ela morreria.

Naquela sacada, o vento castiga. O sol é forte durante as tardes. E, por maior que seja o vaso, não parece o suficiente para uma jabuticabeira. Mesmo achando que ela não resistiria, continuamos a regar. Colocamos o vaso numa posição onde o vento não era tão forte, mas o sol continuava generoso. Enfim, as adaptações necessárias e possíveis.

A alegria foi geral, há poucos meses, quando minúsculas folhas voltaram aos poucos a brotar. Há quatro semanas, alguém observou que pequenas florzinhas também surgiram em seu tronco.

E, há quatro dias, num olhar meio apressado, encontrei uma bolinha verde, firme e forte, agarrada no tronco, onde antes havia uma florzinha. Se vierem outras – e eu acredito que virão – nossos filhos também terão a oportunidade de sentir o sabor da infância da terra onde o pai deles viveu a sua, nem que seja na sacada do apartamento.



Conheça as flores de maio

19 de maio de 2011 0

Reproduções internet

Quem disse que friozinho chegando não é sinônimo de casa florida? Assim como a Poinsétia vira estrela no mês de dezembro, a flor-de-maio torna-se uma das mais procuradas nas floriculturas nesta época do ano, que coincide com sua floração. Débora Balão, gerente da Casa Verde Kobrasol, explica que os fãs dessa planta geralmente a colecionam e gostam de ter um exemplar de cada cor em casa. De modo semelhante como ocorre com as violetas.

Alguns detalhes ajudaram a torná-la popular. A flor-de-maio é fácil de cultivar e tem ótima adaptação em apartamentos – ou dentro de casa. Ela se dá bem em vasos, gosta de local protegido de chuva e de sol forte, de acordo com Débora. Pertence à família dos cactus e suas folhas suculentas retém líquido, exigindo pouca rega.

Ela também é conhecida como flor-de-seda, devido a suas pétalas quase transparentes. As cores mais comuns são branco, rosa, vermelho e tons amarelados, como o champagne. A floração tem boa duração – praticamente todo o inverno.

Outra peculiaridade da flor-de-maio é a facilidade com que se reproduz. De acordo com Débora, a muda pega a partir de qualquer folhinha. Justamente devido a esta reprodução farta, é bom mantê-la num vaso um pouco maior do que o seu tamanho. Quando perceber que ela já ocupou o espaço de sobra, é bom separar as mudas. E que tal presentear as amigas com elas?

Como regar as plantas corretamente

17 de janeiro de 2011 0

 

 

 

As férias acabaram e estou de volta à redação do Diário Catarinense. Cheia de novidades aprendidas neste período de descanso, claro.

Uma delas é relacionada à jardinagem. Eu tinha o hábito de molhar as plantas colocando água no pratinho. Em dezembro fiz uma entrevista com a engenheira agrônoma Patrícia Batista, da Floricultura Eden Garden, e aprendi que o método é equivocado. Se a planta não tiver raiz comprida esta não irá chegar até à água.

O certo, de acordo com a Patrícia, é colocar a água diretamente na terra do vaso evitando molhar as folhas, para que não apodreçam.

Mas sempre verifique antes se a planta precisa de água, mesmo nestes dias de muito calor. Como verificar? Coloque o dedo na terra e perceba se ela ainda está úmida. Se estiver, ainda não precisa ser regada.




 

 

 

Floricultura Eden Garden

Onde: Rodovia Admar Gonzaga, 3715, Itacorubi, Florianópolis

Fone: (48) 3334-3810

E-mail: floriculturaedengarden@hotmail.com



Até o Natal do ano que vem

28 de dezembro de 2010 0





Foto Márcia Feijó


No começo do mês mostrei como cuidar da Poinsétia (popularmente conhecida como Bico-de-papagaio, Estrela ou Flor de Natal), planta ornamental que ganhou bastante espaço na decoração natalina, no Brasil. Mas saiba que você não precisa se desfazer dela quando acaba a florada ou os sinos de Natal se calam.

Ela é uma planta perene, com ciclo de vida indeterminado. Ou seja: com algum cuidado, você terá uma Poinsétia renovada no Natal do ano que vem. Para isto, a engenheira agrônoma Patrícia Batista, da Floricultura Eden Garden, ensina alguns truques.

- Se for mantê-la no vaso, é preciso renovar o substrato com terra nova, rica em matéria orgânica, e adubar com NPK rico em Fósforo.

- Também é possível mudá-la para o jardim, após sua florada. Mas para isto, ela deve ser acostumada a ficar diretamente sob o sol aos poucos.

- A Poinsétia permite ainda propagação por estaquia.

- Plantada direto na terra, a Poinsétia pode chegar a cerca de 3 metros de altura.

Floricultura Eden Garden

Onde: Rodovia Admar Gonzaga, 3715, Itacorubi, Florianópolis

Fone: (48) 3334-3810

E-mail: floriculturaedengarden@hotmail.com







Poinsétia, uma opção de decoração natural

10 de dezembro de 2010 2




Foto Márcia Feijó





Ela pertence  à família das Euphorbiaceae Pulcherrina e é conhecida como Poinsétia, pois foi descoberta e disseminada por Joel Poinsett. No Brasil, é popularmente chamada de Bico-de-papagaio, Estrela de Natal ou Flor de Natal. Nesta época do ano, costuma ganhar visibilidade nas floriculturas (naturais) e lojas de decoração (artificiais).

Com sua coloração vermelha, a Poinsétia vem ganhando cada vez mais espaço entre pinheiros, presépios e outros enfeites natalinos. Mas uma das primeiras coisas a se ter em mente, conforme alerta a engenheira agrônoma Patrícia Batista, é que trata-se de uma planta tóxica. O leite (um líquido branco) que verte do caule pode causar problemas se houver ingestão; e em contato com a pele, pode gerar coceira e vermelhidão. Portanto, é bom mantê-la longe do alcance das crianças pequenas e tomar cuidado mesmo na manipulação feita por adultos.

Bem cuidada, a Poinsétia natural dá um toque especial à decoração de Natal, inclusive na mesa da ceia. A foto acima é de um arranjo especialmente preparado por Patrícia como sugestão para os leitores do Feito em Casa.

Cuidados com a Poinsétia

A água não deve ser exagerada. O melhor indicativo é testar a umidade da terra com o dedo indicador. Ela deve estar levemente úmida.

A Poinsétia é sensível ao frio.


Ela precisa de ambiente ventilado e iluminado com luz natural.


Curiosidades a respeito de espécie

Suas folhas vermelhas são chamadas brácteas. Elas modificaram-se naturalmente para chamar a atenção dos insetos e garantir a polinização, já que suas flores são muito pequenas.

Ela é parente da seringueira.

Existem outras cores além do vermelho, como a branca e a Poinsétia pintada.


Patrícia Batista é proprietária da Floricultura Eden Garden

Onde: Rodovia Admar Gonzaga, 3715, Itacorubi, Florianópolis

Fone: (48) 3334-3810

E-mail: floriculturaedengarden@hotmail.com





Horta com potes de sorvete

27 de novembro de 2010 2

Em setembro fiz um post falando sobre hortas caseiras. Um leitor, Alexandre da Silva Vieira, deixou seu comentário contando que transforma potes de sorvete em vasos para sua pequena horta. Uma ideia excelente que é um ótimo exemplo de reciclagem, além de dar um fim aos potes que se acumulam na despensa nesta época do ano.

O Alexandre mandou para mim a foto de sua horta. Para usar os potes, basta fazer furinhos na parte inferior.

Da esquerda para direita: tomilho, hortelã, tomilho, pimenta, manjericão (2), manjericão roxo (2), alecrim (2) e tomilho. Foto arquivo pessoal

Crianças no jardim e na horta

10 de novembro de 2010 0
 Cada vez mais, a criançada recebe informações sobre ecologia e boa alimentação na escola. Reforçar estes conceitos em casa é bem importante. Uma forma de unir o útil ao agradável é cooptá-las para cuidar do jardim e da horta.

Com este foco, a fabricante Bellota lançou uma linha completa de ferramentas de jardinagem para crianças. Produzidas em material especial, elas são mais leves, e as tesouras não têm pontas.

A coleção inclui pulverizador, tesoura para colheita e poda, enxadinha, transplantador e vassoura plástica. 

Saiba mais no site www.bellota.com.br.

 



 



Kalanchoe, a planta com mil e uma utilidades

07 de outubro de 2010 0

As minhas companheiras de redação. Foto Roberto Scola

A Kalanchoe é outra plantinha muito prática de cuidar e bonitinha para enfeitar ambientes internos. Delicada na forma, com cores variadas e intensas, ela alegra qualquer espaço. Inclusive seu espaço de trabalho.

Logo que a primavera chegou, comprei quatro vasinhos, e tons variados. Dois deles, trouxe aqui para a a redação. Eles ficam logo atrás da minha mesa.

Uma dica sobre as kalanchoes: elas adoram sol. O ideal é mantê-las perto de alguma janela. A rega é tranquila. Observe a terra ou o pratinho sob o vaso. Se estiver seco, regue. Se não, espere mais um pouco. Quando estão floridas, elas costumam pedir mais água.

As kalanchoes são bem resistentes. Depois que acabar a floração, não as jogue fora. Cuide da folhagem porque em breve ela irá florir novamente.

Elas são vendidas em vasos de diversos tamanhos, das mini às maxi.

Como são baratinhas, as kalanchoes também servem como alternativa de decoração para uma festa, mesmo caseira. E depois do encontro, você pode ofertá-las como presente de agradecimento aos convidados. Enfim, kalanchoes têm mil e uma utilidades.

Para não dizer que não falei de flores

23 de setembro de 2010 0

Laelia Purpurata. Reprodução internet.

A primavera chegou. E com ela, uma vontade de florir a casa. Então, vou unir o agradável ao mais agradável ainda falando da estação mais bela do ano por meio da flor que eu considero a mais bela de todas: a orquídea.

As orquídeas florescem e ficam lindas nesta época do ano. Seu tons fortes enfeitam as casas e os jardins. E Florianópolis, que é simbolizada pela orquídea da espécie Laelia Purpurata, também.

Orquídea não é fácil de cuidar. Requer atenção e dedicação. Mas quando chega esta época do ano, as flores surgem e sua casa é inundada por um cheirinho adocicado, vem a sensação de valeu a pena.

Aqui vão algumas dicas que estão no site A Orquídea. Você encontra várias outras informações lá.

Coloque uma camada de pedra no fundo do vaso (2 a 3 dedos) para permitir a rápida drenagem do excesso de água. Complete com xaxim desfibrado. Se houver pó, jogue o xaxim num balde com a água para dispensar o pó. Jamais use o “pó de xaxim” vendido no comércio. As raízes necessitam de arejamento.

Certas orquídeas progridem na horizontal (rizoma), Laelia e Cattleya, por exemplo, e vão emitindo brotos um na frente do outro. Para esse tipo de planta, deixe a traseira encostada na beira do vaso e espaço na frente para dar lugar a novos brotos. Comprima bem o xaxim para firmar a planta, (não enterre o rizoma, somente as raízes) a fim de que, com o vento ou um jato d’água, ela não balance, pois a ponta verde da raiz irá roçar o substrato, secar e morrer. Para saber se a planta está fixada está fixada bem firmemente, levante o vaso segurando pela planta. Se o vaso não desprender e cair, está firme. Se necessário, coloque uma estaca para melhor sustentação.

Há orquídeas que dificilmente se adaptam dentro de vasos. Nesse caso, o ideal é plantar em tronco de árvore ou casca de peroba ou palito de xaxim, protegendo as raízes com um plástico até a sua adaptação.

Orquídeas que crescem na vertical (monopodias) devem ser plantadas no centro do vaso ou colocadas em cesto sem nenhum substrato. Nesse caso exigem um cuidado especial todos os dias. Deve-se molhar não só as raízes mas também as folhas com água adubada bem líquida. Por exemplo, se a bula de um adubo líquido recomenda diluir um mililitro desse adubo em um litro de água ao invés de um litro, dilua em 20 litros ou mais e borrife, cada duas ou três horas, principalmente em dias quentes e secos.

Inicie sua coleção pelos híbridos. São mais resistentes. Agüentam até transplantes fora de época. Sobrevivem mesmo quando o dono viaja e esquece que tem plantas em casa para regar.

A maior parte das orquídeas pode ser plantada em vasos de barro ou plástico de tamanho compatível com o da planta. É aconselhável o replante anual, ou pelo menos a cada dois anos, em virtude da decomposição ou deterioração do material.

Dia de cuidar de árvores e da felicidade

21 de setembro de 2010 1

Foto Julio Cavalheiro

Comemoramos hoje o Dia da Árvore. E, para entrar no clima da primavera que se aproxima, mesmo com essa chuvinha batendo na janela, o Feito em Casa vai falar de plantas. Mais precisamente da Árvore-da-felicidade (Polyscias fruticosa), uma espécie que muita gente tem em casa e que envolve um interessante mito. Você certamente já ouviu dizer que ela não deve ser comprada e sim recebida de presente, para que realmente traga a felicidade para dentro do lar.

Acreditando ou não no mito, cuidar de uma Árvore-da-felicidade requer um pouco de dedicação. Mas nada que jardineiros amadores não consigam dar conta.

Em primeiro lugar, é bom mantê-la protegida da poluição e da fumaça de cigarros. O melhor local é aquele cantinho próximo a uma  janela (de face norte ou leste).

A planta tolera até 10 graus de temperatura, mas a ideal é entre 18 e 27 graus.

As regas não são regulares. Não regue se a superfície do solo ainda estiver úmida. É recomendável adubar a cada dois meses.

Seu crescimento é lento. Ela chega a aproximadamente 1,5 metros se colocada no interior da casa.

Se você ganhar a planta ainda quando muda, passe para um vaso maior assim que você sentir que o atual está pequeno demais. Use mistura de solo com 50% de matéria orgânica.

Se as folhas começarem a escurecer e cair, regue com mais frequência.

As informações são do livreto Essencial - Um Guia Prático para Cuidar das Plantas, publicado pela editora Nova Cultural.