Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Falando de Moda: A era da simplicidade, com Abraão Ferreira!

04 de dezembro de 2012 1

Abraão Ferreira, conhecido como Abe, mora em Buenos Aires. Consultor de moda e luxo credenciado junto à Câmara Francesa de Moda e diretor internacional da Argentina Fashion Week, ele também tem um blog (www.abefabulous.blogspot.com). O paraense, que já trabalhou para grandes marcas nacionais e morou dois anos em Paris, cursou MBA em Marketing du Luxe and International Management no Institut Superieur de Marketing du Luxe (ISML), considerada a melhor formação do setor no mundo. Atualmente, divide o tempo entre Buenos Aires e Paris, cidades onde trabalha como consultor criativo para marcas de moda e luxo, além de ministrar cursos e palestras em universidades e eventos de moda no Brasil e América Latina. Quando o conheci em São Paulo, no Spot, me apaixonei na hora. E é ele que fala de moda hoje sobre um assunto pra lá de atual: a era da simplicidade.

“A moda e o luxo, assim como a vida atual, passam por uma fase de transformação. Entramos na era da simplicidade. O oposto do movimento ostentatório vivido nos anos 90 com a invasão das marcas de luxo e proliferação da logomania. Esta época de exageros teve como capitão o estilista inglês John Galliano que, ao receber o cargo de diretor artístico da maison Dior, criou espetáculos nunca antes vistos no exclusivo mundo da moda e da recém nascida indústria do luxo.

O que era Christian Dior virou Dior para rejuvenescer a marca. E foi preciso um make-over total para criar imagens que estimulassem um público mais jovem _ leia-se os jovens japoneses, novos milionários e menos conhecedores de produtos de luxo, mas ávidos por fazer parte deste mundo de sonho.

Mas com a crise financeira iniciada em 2008/2009, as grandes marcas foram obrigadas a estudar as estratégias para manter os fiéis clientes que começaram a comprar com mais cautela. E se nos anos 1990 foi a entrada de John Galliano que marcou o início de uma época, hoje, na moda, ocorre uma verdadeira revolução com a chegada de Raf Simmons na Dior. Amante de uma estética pura, o estilista belga cultiva a beleza e elegância da simplicidade. É possível reconhecer o legado de Monsieur Dior em um smoking, peça-fetiche do guarda-roupa da mulher francesa chique criada por Yves Saint Laurent nos anos 1970, reinterpretado por Raf Simmons.

A moda francesa se alimenta de seus criadores que hoje servem de inspiração para os estilistas atuais. E sempre de olho no comportamento da pariense que sempre será a melhor embaixadora da moda francesa. Para fechar este texto, deixo uma máxima que li durante minha visita à exposição O Impressionismo e a Moda no Museo Orsay em Paris: “A mulher francesa não está na moda, ela é a moda”.

Dê sua opinião

comentários

Comentários (1)

  • Katia rocha diz: 20 de julho de 2014

    Olá adorei sua entrevista na TV argentina na semana passada. Parabéns. Pena que durou pouco.bj

Envie seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: