Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Trabalho e tranquilidade

06 de dezembro de 2014 0
Renato Pasquali foto Gilmar Souza

Renato Pasquali foto Gilmar Souza

O advogado Renato Medina Pasquali começou cedo na profissão: nos dois primeiros anos da faculdade já trabalhava com seu querido e saudoso pai, o juiz João Paulo Pasquali.
Quando se formou, em 1988, já tinha planos de fundar um escritório junto com ele, que em seguida se aposentou como juiz. Em 1990, fundaram a Pasquali Advogados Associados, sempre com foco no Direito Empresarial. Hoje o escritório conta com uma equipe técnica de 25 profissionais, motivo de muito orgulho para ele.
Renato nasceu em Chapecó, mas desde criança mora em Blumenau. Ele já foi tesoureiro e membro do Conselho de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil e hoje, além das suas atividades profissionais, é o presidente do Tabajara Tênis Clube, cargo que assumiu para fazer diferença e marcar seu nome com inovações.
Renato é casado há 25 anos com a doce Inara, e o casal não esconde sua paixão. Eles têm dois filhos: Lorenzo e Isabella. Ele conta que não abre mão de estar com a família e os amigos. Ama esportes, principalmente surf, e também é apaixonado por culinária e pela sua casa de praia em Mariscal, em Bombinhas.
Querido por todos, com um supercarisma e determinação, ele leva a vida como deve ser. Com responsabilidade e juventude na alma. Admiro muito.

Hobby: surfar e cozinhar.

Lugar inesquecível: Ilhas Mentawai, Indonésia.

Música: as que têm melodia.

Mania: siesta após o almoço. Quando dá, é claro.

Filme: me marcaram muito Blade Runner e O Último dos Moicanos, principalmente pela fotografia e pelos diálogos.

Livro: estou lendo um ótimo que ganhei de minha mãe com um nome bem sugestivo: Te Cuida, do renomado cardiologista Cláudio Domênico. Muito bom para os cardiopatas.

Não vivo sem: a Inara, o Lorenzo e a Isabella.

Herói: na minha opinião, é todo ser virtuoso, que se doa e deixa marcas pelos seus atos. Humildemente cito meu saudoso pai.

Sonho: muitas vezes pode se transformar em meta de vida.

Caos: gostaria de fugir desta resposta, mas não tem jeito – para mim é o descaso (em todas as áreas) da administração pública para com o contribuinte.

Luxo: ter saúde para desfrutar a vida em sua plenitude.

O que irrita: os ignorantes que se julgam sábios e os cínicos que sabem o valor de tudo, mas não sabem o valor de nada.

Lugar preferido de férias: em Mariscal, junto com a família.

Esporte: momento de reflexão, não vivo sem.

Por que escolheu o direito e a advocacia? O direito por vocação, a advocacia porque é uma profissão que, apesar do estresse, é desafiadora e intrigante. Tem que ter muita dedicação, jogo de cintura e paciência.

É grande o número de causas ambientais? Sim, atualmente são inúmeras as consultas e litígios nesta área. A legislação ambiental brasileira, apesar de complexa, é uma das mais avançadas do mundo, mas ao mesmo tempo é retrógrada por não respeitar as características e peculiaridades da cada região.

O sistema judiciário no Brasil: evoluindo, mas ainda sofre uma séria crise existencial. O problema é que a demanda pela procura da justiça é infinitamente maior que o poder de absorção pelo sistema judiciário. Além disso, a própria legislação ultrapassada também é um obstáculo ao bom funcionamento do judiciário. Também temos que cultuar uma tendência mundial de um enxugamento da legislação, da livre negociação e da autorresolução dos conflitos.

Se não fosse advogado seria: não me vejo fazendo outra coisa, mas quem sabe um cozinheiro despretensioso.

Desafio maior como presidente do clube: administrar as pessoas.

Conselho: talvez aos mais jovens possa aconselhar a ter uma vida saudável, rica em verdadeiras amizades, em educação (em todos os sentidos), e focada em objetivos de vida.

z Frase: “O homem deve almejar a honra, não a honraria”, de Guicciardini.

 

Dê sua opinião

comentários

Envie seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: