Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Perfil de Marco Coelho

28 de janeiro de 2017 0
Marco Coelho- foto divulgação

Marco Coelho- foto divulgação

 

O empresário Marco Coelho nasceu em Itajaí em 23 de maio de 1971 e é um dos exemplos de que morar no exterior pode dar certo, e muito.

Filho da dona de casa Annalice e do empresário itajaiense Afonso Coelho, começou a trabalhar aos 13 anos como office-boy na loja do pai, a tradicional e conhecida Irmãos Coelho, que este ano completa 58 anos no mercado.

Com 15 anos foi morar nos Estados Unidos, trabalhando como lavador de pratos, garçom e barman, experiência que lhe trouxe uma ideia.

Retornou ao Brasil em 1988 e então abriu com um amigo o Café São Rock em Itajaí, na época um dos hotspots do estado, frequentado por toda a região.

Mas as saudades da América bateram e então ele voltou para lá, desta vez para ficar. E lá se vão 23 anos.

Hoje, “Ddy” como é chamado pelos amigos e família, se consolida com seus restaurantes, crescendo e chamando a atenção da crítica gastronômica americana.

Ele está à frente diariamente do badalado Lola 41, que fica na ilha de Nantucket, região da Nova Inglaterra, a menina de seus olhos. O espaço sempre recebe destaque na imprensa internacional e foi recomendado recentemente por Consuelo Pascolato Blocker, filha de Costanza Pascolato, na revista de Joyce Pascowitch.

Neste ano ele inaugura o Lola 42 em Boston, no badalado Seaport e já virou notícia na cidade.

Ele sempre vem ao Brasil visitar os amigos e a família e também recebe os amigos por lá. Recentemente quem esteve no restaurante foram Cinthia Canziani e Luis Felipe Sousa, que voltaram encantados.

Para quem ficou curioso em conhecer um pouco do local, o site do restô é lola41.com e seu o Instagram é @lola41nantucket.

Muito bacana ver o sucesso de catarinenses pelo mundo.

- Hobby: pedalar.

- Lugar inesquecível: Côte de Nuits, na França.

- Música: Progress of house.

- Mania: de limpeza.

- Filme: Reservoir Dogs.

- Luxo: ter tempo para mim, para me divertir e estar com a família no Brasil e com meu cachorro Lobo em Nantucket.

- Não vive sem: o meu cachorro Lobo.

- Sonho: morar metade do ano em Barcelona, metade em Nantucket.

- Caos: o Estado Islâmico, tão impiedoso e cruel.

- Comida preferida: carne assada da minha mãe, Dona Annalice.

- Cidade onde moraria: Barcelona.

- Por que escolheu a America para viver? Sempre foi um sonho, por afinidade aos hábitos e costumes. Minha alma é americana.

- Café São Rock: uma grande experiência e uma lição para minha vida pessoal e profissional.

- Família: vivo longe deles, mas estou sempre perto. É meu exemplo de vida, em especial meu pai, seu Afonso, que cedo me ensinou a ser homem e encarar a vida de frente, sem choro nem corpo mole.

- Todos os seus restaurantes têm uma pegada cool e reúnem pessoas bonitas e descoladas. Qual o segredo do sucesso? O segredo é a paixão de toda uma equipe. Trabalhamos duro para que tudo fique o mais próximo da perfeição. Somos especialistas em surpreender os clientes: no atendimento, ambientação, música e apresentação dos pratos. Sou um líder extremamente exigente, que cobro da minha equipe o melhor. E também faço o meu melhor: cuido de todos os detalhes e sempre estou em um dos restaurantes, recebendo pessoalmente clientes e convidados. Não abro mão disso.

- Existe algum plano de voltar a viver no Brasil, embora você diga que sua alma é americana? Não. O Brasil é um lugar em que vivo momentos maravilhosos com meus amigos de uma vida inteira e minha família. Pelo menos uma a duas vezes por ano estou aqui. Mas voltar a morar aqui não faz parte dos meus planos. Meus negócios são na América, minha vida acontece e está baseada lá. Não abriria mão de tudo o que construí nos Estados Unidos, afinal, o país e seus americanos foram muito generosos comigo e me acolheram. Mas tenho meus investimentos no Brasil e faço questão disso.

- Tantas redes de fast food, grandes cadeias de restaurantes, comidas prontas nos balcões de supermercados, em especial nos EUA, não tornam a concorrência mais difícil? Não vejo isso como um problema nem me amedronto. Cada rede, cada cadeia de restaurantes, os fast foods e as comidas de supermercados, os pequenos e charmosos restaurantes… Há espaço e público certo para cada um deles. Cada negócio atende a um perfil de cliente, a uma exigência e um paladar diferente. Cada um supre as necessidades de um grupo, num determinado momento. O que importa, de fato, é fazer o seu, com seriedade, competência, paixão e maestria. Aí, não tem erro.

- Conselho: quando começar algo, termine.

- Frase: sim, eu errei na vida, porque a vida não vem com manual de instrução.

 

Dê sua opinião

comentários

Envie seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: