Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Perfil de Luiz Manoel Franco

03 de junho de 2017 2
IMG_5233

Luiz foto de Pedro Waldrich

Há pouco mais de meio século, Luiz Manoel Franco, carinhosamente chamado de Seu Luiz por todos que o conhecem, dedica seus dias a ensinar as crianças sobre o cuidado com o meio ambiente e o quanto estas práticas beneficiam o cotidiano social.

Colaborador da Escola Barão do Rio Branco há 51 anos, já ensinou centenas de estudantes sobre o plantio, como forma de estimular as novas e futuras gerações sobre as ações sustentáveis.

Aos 86 anos, ele ainda busca manter viva a cultura da jardinagem, tão tradicional na nossa região, deixada pelos antigos colonizadores.

Luiz é casado com Terezinha Rosa Franco, tem três filhos (Elenice, Luiz Roberto e Edna) e hoje divide seu tempo entre o trabalho e os netos. Começou como zelador na escola, viu gerações passarem pelos portões da instituição e também acompanhou toda sua transformação e crescimento.

A seguir conta um pouco de seu dia a dia, de suas saudades e de uma vida repleta de boas lembranças.

- Hobby: ouvir música.

- Lugar Inesquecível: Joinville, a cidade das flores e o lugar onde nasci.

- Música: Martinho da Vila e Jorge Lacerda.

- Mania: ouvir música para dormir.

- Filme: documentários sobre a natureza, plantas e animais.

- Luxo: ter uma chácara com terreno grande para plantar árvores frutíferas e ter uma horta.

- Não vive sem: minha casa, família e música.

- Sonho: conhecer a África e a França.

- Caos: falta de respeito e compreensão pelo próximo.

- Comida preferida: pescada.

- Cidade em que moraria: meus netos me levaram para tomar um café colonial em Pomerode, achei a cidade muito bonita e pacata.

- Como define sua história na Escola Barão: Dona Ilse me chamou para trabalhar como zelador da escola há mais de 50 anos. Vi a escola crescer, se transformar e evoluir. Foi uma caminhada de trabalho digno, paixão pelo trabalho e aprendizagem.

- Como é sua rotina lá? Eu cuido das plantas e árvores da escola, faço plantio e molhagem. Faço compostagem com as folhas secas e restos de frutas e verduras da cozinha da escola, para usar como adubo. Realizo a separação dos materiais para reciclagem. Tenho contato com os alunos quando fazem atividades relacionadas à natureza. Os estudantes gostam de vir ao meu cantinho para fazer o lanche na hora do intervalo.

- Uma saudade dos velhos tempos na instituição: dos colegas que já partiram, como a professora dona Maike Deeke, e a diretora dona Ilse Brunhilde Schmider.

- Hoje qual sua função na escola: sou o jardineiro da Escola Barão.

- Sente diferença de comportamento dos alunos de hoje para os de outras época? Antigamente os jovens eram mais respeitosos com as pessoas e com o patrimônio. Tinham disciplina para tudo.

- Se arrepende de algo ou faria algo diferente em sua vida? Eu teria estudado mais e seguido carreira no exército.

- Planos para o futuro: apenas trabalhar e ver os netos e bisnetos crescendo.

- Conselho: aumentar o diálogo religioso entre as famílias.

- Frase: “Eu temo a Deus e Ele é tudo na minha vida”.

Dê sua opinião

comentários

Comentários (2)

  • Luiz Carlos Nemetz diz: 4 de junho de 2017

    Não estudei na Barão. Mas me emocionei várias vezes, lendo este lindo testemunho de vida. Parabéns à Fernanda, ao “Santa”, à Barão e principalmente ao senhor Luiz. Quanta humanidade e quanta sabedoria!

  • Nirceia Regina Lopes diz: 5 de junho de 2017

    Um ser sem igual. Parabéns pela bela homenagem Sr. Luiz merece!

Envie seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: