Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Zoravia Bettiol por Chico Baldini

03 de abril de 2011 0

Zoravia Bettiol por Chico Baldini

Para mostrar uma das facetas da artista plástica gaúcha Zoravia Bettiol, a de aglutinadora de gerações de artistas, a coluna convidou Chico Baldini.

Chico é um artista multimeios e aceitou a ideia de fazer uma intervenção nas fotos de Zoravia, feitas por Ricardo Chaves.

O resultado, você vê nas páginas do caderno Donna de 3 de abril 2011 que reproduzo aqui.

O Chico também escreveu um texto sobre a Zoravia. Parte dele está no jornal. Na íntegra você confere aqui:

“Quando tocou o telefone e a Fernanda me fez o convite, nem pude acreditar, estava sendo convidado para uma gincana deliciosa. Retratar a Zoravia em dois dias!

Topei na hora.

Por aqueles acontecimentos que a gente não sabe se é destino ou coincidência, iria retratar uma grande amiga de minha família, amizade esta de longa data.

Meu avô e o pai de Zoravia foram muito amigos ao longo da vida, mesmo afastados por uma distancia física mas não de convicções e empatia. Seu pai era um homem de grande cultura, admirado por seu discurso bem estruturado, forte e cheio de ternura. Neste ambiente nasceu Zoravia e sua fome de viver.

Minha missão para esse retrato era uma delícia, trazer as multifacetas desta artista que está na batalha há tanto tempo. Zoravia é uma guerreira incansável. Então por que não retratá-la como uma doce e determinada Atena, a deusa guerreira e da sabedoria na mitologia grega, que foi tema de tantos dos seus trabalhos?

Sua irreverência e força são inspiradores.

Zoravia tem uma presença titânica com sua vontade de surpreender e ensinar, engajar e encorajar, escolher e protestar quando preciso. No meu retrato, vemos os anjos e flores tão presentes em seu trabalho. O céu estrelado nos leva ao ambiente noturno onde as traquitanas da mente de Zoravia estão a mil e é o momento quando nossa artista e todos nós sonhamos.

Sem sonhos a vida nossa vida fica vazia, sem perspectivas, nossa força vital fica fraca e não vamos além.

Sonhos não são o que falta na mente da nossa querida guerreira.”

*Por Chico Baldini

um dos fundadores da W3haus e artista multimeios

Envie seu Comentário