Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

A erva mate que embeleza e energiza

28 de janeiro de 2012 0

Que os homens estão investindo em beleza, isso o mercado de cosméticos já descobriu há alguns anos. O segmento
masculino já representa quase 20% do público consumidor
da maior fabricante de produtos de beleza do país, a Natura.
Tanto que, linhas antes exclusivamente dedicadas a mulheres, agora recebem lançamentos para homens.
A mais recente investida neste mercado foca ainda mais no Sul do país, já que a base dos produtos é feita a partir da erva mate – linha chamada mateverde e que promete efeitos energizantes.
Homens já não falam mais em cosméticos somente para efeito de higiene ou o uso mais tradicional, o de produtos para fazer a barba. Agora o foco é sim, sem vergonha, a beleza.

Loredana Mariotto, diretora de negócios da Natura, esteve em Porto Alegre apresentando a nova linha masculina. Estilo Próprio conversou com ela sobre como as empresas estão mapeando e atendendo o consumidor masculino. A matéria na íntegra está na Zero Hora dominical

Estilo Próprio – A erva mate tem todo este potencial para uma linha exclusiva de produtos de beleza?
Loredana Mariotto – É, sim, uma substância com efeitos energizantes, revigorantes, tudo comprovado cientificamente.
Estamos dando voz, ampliando uma linha que a gente já possui, dentro de um potencial muito maior.

EP – Existe um claro interesse em atrair este público masculino. Pelo conhecimento de vocês, o que mais agrada o consumidor, o homem brasileiro no mercado de beleza?
Loredana – É um público que a gente tem trabalhado muito. Para fazer este desenvolvimento da linha mate verde, a
gente precisou conhecer muito o público masculino.
Além da higiene, o homem de hoje já incorporou cuidados pessoais. Por exemplo: ele quer um xampu só para ele e
um sabonete só para ele. Para os artigos de barba, já existe um cuidado incorporado na higiene do dia a dia, o que começa a ocupar um território que a gente chama de vaidade mais aceitável. Quer dizer que é mais aceitável pelos outros não para o ele (o consumidor). Assim, o homem já pode falar sobre isso.

EP– Quanto por cento do público da Natura é de homens?
Loredana – Ele já representa por volta de 20%.

EP – Existe algum tipo de produto que é usado no Exterior e que aqui, no mercado interno, seja rejeitado pelo consumidor nacional?
Loredana – A aceitação está muito mais ligada a fragrâncias do que em produtos propriamente dito.

EP – Vocês trabalham com a venda direta por meio de representantes. O público masculino aceita bem esta proposta ou são as mulheres que compram para maridos, filhos e namorados?
Loredana – Boa parte das vendas vem via mulher. Vemos em outras indústrias o mesmo comportamento.
A mulher, muitas vezes acaba influenciando, determinando a compra de produtos específicos. Neste caso, ela acaba apresentando ao seu parceiro, amigo ou marido esses novos produtos. Mas temos este público masculino comprando
diretamente na venda direta, em escritórios, por exemplo, quando eles ouvem os amigos comentar. Sabemos também de casos bem interessantes, como o de pessoas que vendem em postos de gasolina, focando absolutamente neste público masculino.

Envie seu Comentário