Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

4 em 1

23 de August de 2012 0

Hoje à noite, às  21h15min, no Memorial do Rio Grande do Sul, o 6º FestFotoPoa abre espaço na sua programação oficial para o lançamento e sessão de autógrafos de quatro novos livros fotográficos.

Pegando carona, o Focoblog aproveita para contar um pouco sobre cada um deles!

Pommerland: a saga pomerana no Espírito Santo reúne uma vasta documentação dos quase 100 anos de história dos imigrantes pomeranos e seus descendentes. O livro revela, por meio de uma rica narrativa visual, a ocupação dos imigrantes europeus que chegaram ao Brasil e ocuparam o interior do Estado, pelas lentes de quatro fotógrafos: Ervin Kerckhoff, Emilio Schultz, Rogério Medeiros e Apoena Medeiros.

Ao resgatar um importante capítulo da história da fotografia brasileira, o livro Fotoclubismo no Brasil – o legado da Sociedade Fluminense de Fotografia, de Ângela Magalhães e Nadja Peregrino dá visibilidade a um percurso de quase sete décadas de atuação da SFF e traça, também, paralelos com o movimento fotoclubista internacional em sua intensa prática pelo reconhecimento da fotografia artística ao final do século XIX.

O título remete à psicanálise. As imagens toscas foram captadas por webcan. O tema,
relações virtuais na rede, segue em direção ao sexo/voyerismo. E o projeto gráfico cria
interessantes situações/metáforas para envolver o leitor. Tudo somado torna mais que
instigante Pulsão escópica, livro do fotógrafo mineiro João Castilho.

Por fim, e não menos importante, o livro Imagens do Povo traz registros do cotidiano de espaços populares feitos através do olhar humanista dos fotodocumentaristas da Escola de Fotógrafos Populares. As imagens contidas nessa publicação são produto do enlace das histórias dos fotografados com a reflexão que os fotógrafos provocam sobre identidade territorial e cultural, lançando luz sobre esses personagens do dia-a-dia, fazendo-os serem vistos como parte integrante da engrenagem que move a cidade e buscando estimulá-los para que eles também se reconheçam neste movimento.

A proposta é que todos nós, ao vermos essas fotografias, possamos refletir sobre o papel que cada um de nós desempenha na construção de uma cidade mais igualitária, nos reconhecendo no outro, através da superação dos estigmas e preconceitos.

Nos encontramos por lá!

Bookmark and Share

Envie seu Comentário