Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Charlie Sheen, um homem meio fora do sério

13 de março de 2011 0

A novela Charlie Sheen parece longe de acabar. Futuro da série Two and a Half Men é incerto

Por Camila Saccomori

Sexo, drogas e demissão. Se a vida de Charlie Sheen fosse um seriado, a atual temporada estaria longe de ser uma sitcom light como Two and a Half Men. A classificação mais precisa, aliás, para a série de escândalos vividos pelo ator de 45 anos seria dramédia, um mix de drama e comédia (e censurada para menores, é claro). Desde o início do ano, o artista mais bem pago da televisão americana exibe um comportamento errático que surpreende fãs, colegas de profissão, amigos e familiares. Não há dia em que uma declaração polêmica proferida pelo astro não vire notícia. Tanto “causou” que perdeu o milionário emprego no início desta semana.

Não que antes ele fosse um santo. A já lendária festa de 36 horas de duração em janeiro – animada por prostitutas, atrizes pornôs e uma mala de cocaína, que o levou direto para a reabilitação -, estopim da briga com seus chefes na emissora CBS, foi apenas um dos muitos eventos polêmicos no currículo de baixarias da vida pessoal do ator. Sheen tem histórico de tudo que de mais farrento se possa imaginar: vício em drogas, álcool, violência doméstica e agora, até, poligamia. Ele está morando com a ex-mulher Brooke Mueller, com a namorada e com a amante sob o mesmo teto da mansão nababesca.

Dono de um estilo de vida extravagante, com contracheque semanal de US$ 1,2 milhões na conta, Charlie Sheeen interpreta na TV o solteirão e beberrão Charlie Harper, ou seja, um mulherengo com reflexos de sua própria personalidade na vida real. Na trama, ele é um bon-vivant que sempre se dá bem, enquanto o irmão se atrapalha para criar o filho adolescente, Jake, que completa os “dois homens e meio” do título. Two and a Half Men é atualmente a comédia de maior audiência dos Estados Unidos, com público de 14 milhões de espectadores, há oito temporadas no ar. No Brasil, a série é exibida pelo Warner Channel e SBT.

O pai da bem-sucedida atração é o judeu Chuck Lorre, a quem Sheen ofendeu publicamente chamando de “verme” e outros insultos. Os executivos da Warner Bros não perdoaram: em documento de 21 páginas, os estúdios anunciou a demissão do astro. Alegam que Sheen estava tendo “uma conduta perigosa de autodestruição” e que ele parecia estar “muito doente”.  Desde então, o baderneiro passou a dar entrevistas descontroladas para vários sites, rádios, jornais e canais de TV. Não recusa quase nenhuma entrevista e fala o que pensa sem censura, o que levou seu assessor de imprensa a pedir demissão por incapacidade de gerenciar a crise dde imagem. Já sobrou pra todo mundo: de Chuck Lorre, o criador da série, até Jon Cryer. Poupado mesmo só o “meio homem” do título da série, o adolescente Angus Jones (por enquanto).


A novela Charlie Sheen ocupa o posto que já foi de Mel Gibson e Lindsay Lohan como “casos do momento”. Escândalos envolvendo celebridades são cíclicos na mídia. O que surpreende é que o enredo tragicômico da vida real de Sheen anda durando tanto tempo. Especialistas discutem, inclusive, se a sequência de surtos seria sintoma de transtorno bipolar, resultado do abuso de drogas ou até uma torta estratégia de marketing do ator por conta própria. E olha que esta última opção pode não estar errada. Tendo na internet seu grande circo midiático, Sheen criou uma conta de Twitter (sucesso absoluto de seguidores, tanto que entrou para o Guinness) e um programa caseiro transmitido por videostreaming, Sheen’s Korner. Seu nome está em primeiro lugar nas mídias sociais, à frente de marcas como iPad e gente como Obama e Lady Gaga. Lançou ainda um livro de poesias, já promete uma autobiografia para o fim do ano e não para de receber convites como o de dirigir filmes pornôs. Enquanto os viciados em cultura pop e internet não se cansaram de ler sobre o ator, Charlie Sheen seguirá um fenômeno mesmo fora da tela.

FAMÍLIA
Nascido Carlos Irwin Estevez em 1965 em Nova York, Charles Sheen é filho de Martin Sheen, 70 anos, e irmão de Emilio Estevez, 48 anos, ambos atores. O pai tem histórico de uso de drogas, tal como o filho mais novo. Em 1979, nas Fillipinas, Martin filmava Apocalypse Now quando teve um ataque cardíaco devido a excessos químicos/etílicos. Charlie estava presente no set, inclusive. O pai se manifestou sobre o problema de Charlie: “É preciso uma dose igual de preocupação, amor e apoio, então é isso que fazemos por ele”. Já Emílio, agora diretor de cinema, anda fora do radar da mídia.

VÍCIOS
O ator contou em entrevista à CNN que não se considera um viciado e explicou porque não frequenta as reuniões dos Alcoólicos Anônimos: “Você tem que sentar lá naquela sala e ficar se lamentando. Eles são um bando de perdedores e eu sou um vencedor”, disse. Revelou ainda que na última vez que usou drogas tomou “mais do que alguém poderia sobreviver”. “Eu fumava sete pedras de crack por dia”, contou Sheen. “Sobrevivi porque tenho uma constituição diferente.” O ator divulgou ainda que recebeu conselhos de atores que já tiveram problemas com drogas, como Sean Penn, Mel Gibson e Collin Farrell, mas que eles são “muito radicais”. Para aumentar a polêmica, disse que ficou sóbrio por cinco anos e que foi um tédio. “É uma coisa falsa, não sou eu”

PANCADARIA
Noite nada feliz: Charlie Sheen passou a noite de Natal de 2009 na prisão, acusado de violência doméstica. Segundo fontes, ele teria batido na mulher, Brooke Mueller, com quem tem dois meninos gêmeos. O casal está em processo de divórcio desde 2010. O ator já tinha histórico: foi acusado de agredir a ex-mulher, a atriz Denise Richards, no processo de divórcio, em 2005. Sheen foi acusado também de atirar acidentalmente na ex-namorada Kelly Preston, atual mulher de John Travolta.

CRONOLOGIA 2011: UM BAFO POR DIA
27 de janeiro – A produção de Two and a Half Men é suspensa depois de Sheen ter sido convencido a buscar ajuda, após uma festa de 36 horas com drogas e garotas de programa em sua casa ter terminado com sua internação hospitalar
15 de fevereiro – Quando tudo indicava que a produção seria retomada, Sheen lançou uma série de insultos voltados a Chuck Lorre, o criador do programa, em entrevista a uma rádio americana
24 de fevereiro – A produção da série é, então, cancelada pelo resto da atual temporada
28 de fevereiro – O ator pede aumento publicamente: “Topo até fazer a 10ª temporada, mas neste momento, por causa de sofrimento psicológico, terá que ser US$ 3 milhões por episódio”
1º de março – Paparazzi são chamados para registrar uma foto da família: Sheen posa ao lado de dois dos cinco filhos e das duas namoradas em sua mansão em Beverly Hills, na Califórnia. Ele está em um relacionamento com a atriz pornô Bree Olson e a babá Natalie Kenly
2 de março – A polícia de Los Angeles retira filhos da casa de Sheen. Brooke Mueller, mãe dos gêmeos Max e Bob, de dois anos, conseguiu ordem judicial para afastá-los do pai
3 de março – Sheen entra para o Guinness como o usuário que atingiu a marca de 1 milhão de seguidores no Twitter em menos tempo. Com a conta @charliesheen, ele conseguiu a proeza em 25 horas e 17 minutos
7 de março -  A Warner Bros. demite o ator Charlie Sheen e divulga comunicado à imprensa. Sheen disse que não foi procurado pelo estúdio antes do anúncio. “Soube por mensagem de celular. Esses caras são baratas tão covardes que nem tiveram a decência de me ligar.”
8 de março – Para “celebrar” a demissão, o ator foi ao alto de um prédio em Beverly Hills, onde se encachaçou, fumou cigarro e exibiu um facão. “Finalmente estou livre”, disse
8 de março (à noite) – Sheen fez uma transmissão ao vivo por oito minutos na web declarando guerra a Chuck Lorre, a quem chamou de “pequeno verme”. Os insultos seguiram: “Onde você está se escondendo palhaço bobo?” “Pense em mim sempre, perdedor. Pense em mim enquanto você reza ao deus dos Alcóolicos Anônimos. Você pode cheirar sua alma? Você pode cheirar as mentiras? Cheira como malária”, disse.
9 de março – Em entrevista, o ator xinga Jon Cryer, que interpreta Alan, seu irmão na série. “Ele é um traidor. Quando eu estiver em um filme milionário e ele precisar de emprego, direi: ‘Você me deixou sozinho com toda sua estupidez”.
10 de março – Charlie Sheen entra com um processo contra a Warner Bros pedindo indenização pelos salários que não serão recebidos após o cancelamento da série.

VÍDEO
Com a participação desta que vos escreve, confira um vídeo com comentários sobre a atual fase de Charlie Sheen

Envie seu Comentário