Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Glee"

Séries que empatam a balada

20 de julho de 2010 26

Para quem não é do Sul, um lembrete: aqui está muito frio. Sério, MUITO mesmo. Tão frio que é fácil abrir mão de compromissos sociais noturnos para ficar em casa no sofá embaixo das cobertas – e de preferência vendo seriados, hehehe.

PORÉM mesmo quando não está esse frio de rachar, há ocasiões em que a gente prefere ficar em casa vendo séries do que ir para uma festinha, um coquetel, um aniversário (sorry, amigos!) ou qualquer outro evento.

:: Estava de papo com uma amiga na internet e comentei que as minhas séries “empata-balada” são comédias como THE BIG BANG THEORY, MODERN FAMILY ou GLEE.
:: Antes delas, as que empatavam a balada 2x por semana eram 24 Horas e Lost (rest in peace), sem falar na velhuscas ARRESTED DEVELOPMENT ou a supermaratona de SUPERNATURAL que fiz no verão.

E vocês? Qual série costuma ter o efeito de fazer você desistir de sair ou adiar a saída de casa?

O sucesso do fenômeno GLEE por Ryan Murphy, o criador

14 de julho de 2010 4

Interessante essa reportagem do Correio Braziliense sobre a série GLEE.
Compartilho com vocês a íntegra da matéria (o CB é parceiro de notícias do Grupo RBS).

GLEE
Seriado fenômeno de audiência ganha caixa de DVDs e capítulos inéditos na tevê
Correio Braziliense

Glee é uma palavrinha eclética. No dicionário, ela aparece como sinônimo de alegria, contentamento, satisfação. Já na gramática musical, tem outras aplicações: é usada como um equivalente para canto de coral. Os tradicionais “glee clubs”, nos colégios dos Estados Unidos, reúnem meninos e meninas com gogó afinado. Mas, recentemente, as quatro letras ganharam um significado que periga se tornar mais conhecido do que todos os outros. É o nome de um seriado que, grudento feito refrão pop, está na ponta da língua do público norte-americano e já começa a invadir o Brasil. Não é exagero: Glee merece ser chamado de hit.

Com pouco mais de um ano de vida (o episódio-piloto foi exibido em maio de 2009 nos EUA), o programa de tevê, recém-lançado em DVD, passou por uma acelerada fase de crescimento. Em dezembro do ano passado, a audiência chegou a 8 milhões de espectadores. Nas rádios, a onda é tão impressionante quanto: em 2009, as músicas da série ocuparam 25 posições no ranking da Billboard. Um número que só não bateu o recorde dos Beatles, que emplacaram 31 canções em 1964.

Como explicar a origem desse furacão? Para Ryan Murphy, um dos três criadores da atração, Glee funciona tão bem porque se instala em um terreno abandonado na tevê americana, a comédia musical:

– Tudo está tão sombrio no mundo hoje. As séries mostram pessoas armadas, seres espaciais, advogados.

De fato, o universo do programa é tingido com as cores fortes de um especial da Disney. Mas que ninguém compre as comparações apressadas com High School Musical: a ingenuidade não está na grade curricular do colégio William McKinley, em Ohio.

É nessa escola fictícia (e conservadora) que vivem os prodígios do grupo vocal Novas Direções, que ensaia para concorridos campeonatos de canto. Eles cantam bem, mas são tratados como estudantes de segunda categoria. São nerds, geeks, losers, para usar um termo bem americanos. A musa dos renegados é uma adolescente narcisista com mania de sucesso. E o galã é um atleta de futebol que mal consegue elaborar frases com mais de três palavras. Além deles, o grupo (organizado por um professor de espanhol) é formado por um guitarrista paraplégico, uma cheerleader grávida, um soprano gay e uma adolescente gordinha e negra, vítima de discriminação.

Aparentemente, não há novidades nesse mix de cantoria e sentimentalismo. O elenco interpreta um repertório variado, que inclui as mais pedidas dos anos 1980 e sucessos recentes. Mas o que diferencia a série é o tom realista dos roteiros, que tocam em assuntos delicados da adolescência, como preconceito e crises de autoestima. Murphy e Brad Falchuk (que escrevem todos os textos com o outro produtor do programa, Ian Brennan) se inspiraram nas próprias experiências juvenis.

Deu certo. Os fãs do seriado, apelidados de “gleeks”, comentam os episódios no Twitter, consomem as músicas da série por iTunes e criam versões das cenas via YouTube (no Brasil, o fã-clube faz abaixo-assinado para trazer o show dos atores para o país). E artistas como Billy Joel e Rihanna fazem questão de embarcar no bonde. A “gleek” mais famosa, Madonna, cedeu todos os direitos de suas músicas para a série.

Assista
Em DVD – Caixa de quatro DVDs com os primeiros 13 episódios, Fox Films, R$ 79 (edição simples) e R$ 99 (caixa com DVD e trilha sonora ).
Na TV – Na Fox, às quartas-feiras, às 22h. Estreia de episódio inédito da primeira temporada, hoje, 22h.

Os segredos
Coro afinado
O elenco da série, além de carismático, não decepciona quando solta o gogó. Com o sucesso do programa, eles já se apresentaram até na Casa Branca.

Humor ácido
Na fórmula do seriado, a ironia é um dos ingredientes mais saborosos. Os personagens exagerados destilam veneno e, de leve, satirizam o conservadorismo americano.

Para toda a família
Glee não é exatamente destinado às crianças, mas a leveza pop da narrativa agrada tanto à meninada quanto aos adultos acostumados aos dramas da tevê.

Hits e oldies
O repertório interpretado pelos alunos do colégio William McKinley é amplo: vai de Rihanna a Vanilla Ice. Músicas de Beck, Queen, Lady Gaga e U2 já apareceram.

Fora de Série 11 de julho: CHUCK + CSI + GLEE

10 de julho de 2010 0

Amor rima com espionagem

Depois de correr grande risco de ser cancelada na sua segunda temporada e escapar por conta da intensa mobilização de seus fãs, CHUCK retorna nesta segunda, dia 12, às 22h no Warner. E como fez bem essa ameaça! A história tomou um gás incrível: a terceira temporada é a melhor até agora.

No episódio duplo de estreia, o “James Bond nerd” é desafiado a lidar com o Intersect 2.0 implantado em seu cérebro. Para que o brinquedinho funcione, Chuck precisa aprender a controlar suas emoções. Oi? E isso lá é tarefa fácil para o atrapalhado rapaz? Vamos combinar que uma colega de espionagem como Sarah deixaria qualquer cidadão confuso. Os personagens de Zachary Levi e Yvonne Strahovski (foto abaixo) têm altos e baixos – e a expectativa é ver o romance pegar fogo!

E tem novidade heroica no elenco: os atores Brandon Routh (Superman, O Retorno) e Kristen Kreuk (Smallville). Ela fica pouco, ele faz hora extra na pele de Daniel Shaw, provando que é possível alguém ser aliado e rival ao mesmo tempo.

WARNER, DIVULGAÇÃO

LOSERS EM ALTA

Acabou o recreio! Julho marca o retorno de novos episódios de GLEE no canal Fox. Os temáticos com músicas de Madonna e Lady Gaga são o máximo: mesmo quem já viu por outros meios deve rever. A gurizada do New Directions volta a soltar a voz a partir de quarta, às 22h, com o 14º episódio da primeira temporada. Quem ama a série ficará feliz de saber que outros artistas de peso já cederam canções para o coral interpretar! Estão na fila de produção algumas versões de hits de Coldplay, Kanye West, Avril Lavigne, Rolling Stones, Lily Allen e Beyoncé.

CRIMES EM BAIXA

A décima temporada de CSI terminou mal das pernas na segunda-feira no AXN. Fraquinho, o último ano da série de investigação não agradou muito quem é fã da turma da perícia. Pior é que já não se pode mais culpar a saída de um dos personagens principais, Grissom (William Petersen), até porque Laurence Fishburne (foto abaixo) faz seu papel direitinho. Trouxeram até Jorja Fox de volta para dar um “up”, mas sem sucesso. A crise é de criatividade por parte dos produtores da trama. O encerramento do “mistério” central pendente – a identidade do serial killer Dr. Jekyll – deixou a desejar. Oremos para que em setembro a 11ª temporada retorne com fôlego renovado.

AXN, DIVULGAÇÃO

* Publicado em Zero Hora deste domingo.

Comentários sobre as indicações ao Emmy

08 de julho de 2010 15

A Academia de Artes e Ciências da TV americana anunciou as indicações para o prêmio Emmy nesta quinta-feira. A cerimônia de premiação será no dia 29 de agosto.

THE PACIFIC, da HBO, lidera em número de indicações: foram 24. A comédia teen-musical GLEE vem em segundo lugar com 19 indicações. As papa-prêmios MAD MEN e 30 ROCK também estão entre as mais indicadas este ano: o drama levou 17 indicações, e a sitcom foi indicada 15 vezes.

:: Recorde quem venceu no ano passado

Vamos à lista completa comentada? Aguardo o seu palpite no espaço de comentários!

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA
30 Rock
Curb your Enthusiasm
Glee
Modern Family
Nurse Jackie
The Office
Qual é a situação: The Office não fez um bom ano, 30 Rock é a preferida dos críticos, mas a novata Glee pode roubar o posto de líder como já fez em outras ocasiões. Curb também é sensacional, mas não está entre as favoritas.

MELHOR ATOR – COMÉDIA
Alec Baldwin, 30 Rock
Steve Carrell, The Office
Larry David, Curb your Enthusiasm
Jim Parsons, The Big Bang Theory
Tony Shalhoub, Monk
Matthew Morrison, Glee
Qual é a situação: Baldwin normalmente ganha esse prêmio nessa categoria, mas se houver surpresa será por Tony Shalhoub (já que Monk terminou) ou ainda o competente Jim Parsons, revelação do gênero. Não é ano para Steve Carrell levar a estatueta.

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA

Edie Falco, Nurse Jackie
Toni Collette, United states of Tara
Tina Fey, 30 Rock
Amy Poehler, Parks and Recreation
Lea Michele, Glee
Julia Louis-Dreyfus, The New Adventures of Old Christine
Qual é a situação: Devido ao histórico da premiação, 30 Rock e Glee vão disputar o prêmio. Nurse Jackie e Old Christine não estão entre as favoritas. Uma provável vencedora além da dobradinha de Tina Fey e do coral seria Toni Collette, que já venceu no ano passado.

ATOR COADJUVANTE – COMÉDIA

Chris Colfer, Glee
Neil Patrick Harris, How I met your mother
Jesse Tyler Ferguson, Modern Family
Jon Cryer, Two and A half men
Eric Stonestreet, Modern Family
Ty Burrell, Modern Family
Qual é a situação: Nessa categoria três colegas de Modern Family disputam a estatueta. Certamente irá para um deles o prêmio. O garoto Chris Colfer é a revelação da categoria, mas não deve vencer. Jon Cryer levou no ano passado, pouco provável que repita este ano.

ATRIZ COADJUVANTE – COMÉDIA
Jane Lynch, Glee
Kristen Wiig, Saturday night live
Jane Krakowski, 30 rock
Julie Bowen, Modern family
Sofia Vergara, Modern family
Holland Taylor, Two and a half men
Qual é a situação: Não tem para mais ninguém este ano, por mais forte que sejam as concorrentes – é Jane Lynch e ponto final.

MELHOR SÉRIE – DRAMA
Breaking Bad
Dexter
Lost
Mad Men
The Good Wife
True Blood
Qual é a situação: Normalmente a categoria com disputa mais acirrada. Gostaria de ver a excelente Dexter saindo premiada. Breaking Bad é elogiadérrima pela crítica, pode vencer. E Lost, por ter sido o ano final, também tem chance muito forte de ganhar. Nas demais não apostaria.

MELHOR ATOR – DRAMA
Bryan Cranston, Breaking bad
Hugh Laurie, House
Kyle Chandler, Friday Night Lights
Jon Hamm, Mad Men
Matthew Fox, Lost
Michael C. Hall, Dexter
Qual é a situação: Onde está Kiefer Surtherland? Deixaram Jack Bauer de lado, então transfiro o posto de favorito para os sempre impecáveis Hugh Laurie e Michael C. Hall (dispenso Jon Hamm).

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Connie Britton, Friday Night Lights
Glenn Close, Damages
Julianna Margulies, The Good Wife
Mariska Hargitay, Law & order: Special Victims Unit
January Jones, Mad Men
Kyra Sedgwick, The Closer
Qual é a situação: Glenn Close faturou no ano passado, mas Juliana Magulies ameaça o posto (ela venceu o Globo de Ouro este ano). Connie Britton não leva de jeito nenhum. Mariska Hargitay concentra muita torcida nessa categoria.

MELHOR ATOR COADJUVANTE – DRAMA
Michael Emerson, Lost
Aaron Paul, Breaking bad
Terry O’Quinn, Lost
John Slattery, Mad men
Martin Short, Damages
Andre Braugher, Men of a certain age
Qual é a situação: Michael Emerson papou no ano passado a estatueta e pode repetir a façanha este ano, porém ninguém questiona que Terry O`Quinn é fortíssimo candidato! Minha aposta vai para o careca.

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – DRAMA
Sharon Gless, Burn notice
Christine Baranski, The Good Wife
Christina Hendricks, Mad Men
Rose Byrne, Damages
Archie Panjabi, The Good Wife
Elisabeth Moss, Mad Men
Qual é a situação: Pelo histórico da premiação, vence Christina Hendricks ou Elisabeth Moss, com Rose Byrne sendo outra boa aposta.

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Jeff Bridges, A Dog Year
Ian McKellen, The Prisoner
Dennis Quaid, The Special Relationship
Michael Sheen, The Special Relationship
Al Pacino, You Don’t Know Jack

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
Maggie Smith, Capturing Mary
Joan Allen, Georgia O’Keefe
Judi Dench, Return to Cranford
Hope Davis, The Special Relationship
Claire Danes, Temple Grandin

MELHOR ELENCO – COMÉDIA

Glee
Modern Family
Nurse Jackie
30 Rock
United States Of Tara
Qual é a situação: Glee ou Modern Family entre as favoritas.

MELHOR ELENCO – DRAMA
Big Love
Dexter
Friday Night Lights
The Good Wife
Mad Men
True Blood
Qual é a situação: True Blood merece! Será que ganha?

MELHOR MINISSÉRIE
The Pacific
Return To Cranford
Filme para televisão:
Endgame
Moonshot
The Special Relationship
Temple Grandin
You Don’t Know Jack

MELHOR REALITY SHOW
Antiques Roadshow
Dirty Jobs
Jamie Oliver’s Food Revolution
Kathy Griffin: My Life On The D-List
MythBusters
Undercover Boss

MELHOR REALITY SHOW DE COMPETIÇÃO
The Amazing Race
American Idol
Dancing With The Stars
Project Runway
Top Chef

MELHOR ANIMAÇÃO
The Ricky Gervais Show
Os Simpsons
South Park

Coldplay libera músicas para a série GLEE

17 de junho de 2010 5

Chris Martin voltou atrás na decisão de proibir as músicas do Coldplay na série GLEE.

Segundo o Hollywood Reporter, o cantor finalmente permitiu (após receber um belo pagamento) que o catálogo da banda seja usado na trama teen-musical da Fox americana.

Vamos combinar que o seriado ajuda qualquer banda a bombar ainda mais as músicas! O grupo Journey e a cantora Olivia Newton-John que o digam.

Além das canções de Madonna e Lady GaGa que já foram usadas no show, vem mais coisa por aí: Kanye West, Avril Lavigne, Rolling Stones, Lily Allen e Beyoncé autorizaram a cantoria de seus hits em GLEE. Show!

Season finale de GLEE é a coisa mais fofa do mundo

09 de junho de 2010 13

O final da primeira temporada de GLEE foi ao ar na noite de terça nos Estados Unidos e teve audiência total de 11 milhões de espectadores, um ótimo número para um show novato. A Fox americana comemora o aumento de 59% no total de fãs desde o início da temporada. E nós que vemos Glee sabemos o que ela tem de tão bom: é uma série light, divertida e muito carismática. Público-alvo além dos adolescentes? Qualquer pessoa que saiba curtir uma boa história.

Abaixo, rolando o post além da foto, estão os comentários sobre a aguardada season finale de Glee. Só leia se quiser saber spoilers ou então se já tiver assistido!

*** COMENTÁRIOS DE ACORDO COM A EXIBIÇÃO AMERICANA ***
* JOURNEY – EPISÓDIO 22 – GLEE *

Posso repetir aquela minha frase clássica de que Glee faz bem ao coração? Eu fico muito feliz quando assisto à série, mesmo quando são eventos tristes na tela. Já era esperado que o New Directions não fosse vencer a etapa final do concurso de corais, mas hey! Cantar é o que eles mais amam, então valeu a pena, como diz mister Schue. E foi lindo, lindo o medley de Journey com Anyway You Want, Lovin’ Touchin’ Squeezin’, Faithfully e Don’t Stop Believing, a mais clássica música da série. Como não se emocionar?

Enquanto um muitíssimo bem coreografado Vocal Adrenaline cantava Bohemian Rhapsody (Queen) no palco, outra queen, a Quinn, estava na sala de parto do hospital sofrendo. Palmas a quem escreveu, dirigiu e montou esse episódio: várias partes da música dialogavam com as cenas do nascimento de Beth. E que outro nome seria para a bebê do casal Quinn e Puck?

Tivemos ainda mais fofura na música To sir, with love (do filme Ao mestre, com carinho) cantada pelo Glee Club em homenagem ao professor Will no auditório. Cada integrante do coral compartilhou com os colegas sobre o que mudou em sua vida nos últimos nove meses. As histórias de Rachel, Finn, Puck, Quinn, Brittany, Santana, Kurt, Artie, Mercedes e até dos dois calados meninos Mike e Matt serviram de introdução para a bonita música de despedida do coral da escola.

Despedida? Nã-nã-ni-nã-não. Sue Sylvester revelou que por trás daquele abrigo Adidas também bate um coração (mesmo que ela não admita) e então o Glee ganhou mais um aninho de vida após a treinadora “chantagear” o tonto diretor Figgins.

Bora comemorar! A festa foi numa vibe fofinha com a versão mais bonita que existe de Somewhere Over the Rainbow (foto abaixo). Vou escutá-la muitas & muitas vezes até setembro enquanto a segunda temporada não começa logo de uma vez!

Os momentos cômicos, é claro, ficaram a cargo de Sue no papel de juíza do “Regionals” e todas as referências ao cabelo do mister Schue. O diálogo final dela com Will, inclusive, era tão comprido e complexo que a risada – garantida – vinha com delay!

Outros breves comentários sobre o final:

- Por mais que a gente goste do Glee Club, não dá pra ignorar que o Vocal Adrenaline fez uma apresentação perfeitíssima, tanto na coreografia maravilhosa quando na interpretação.
– O que dizer da mãe de Rachel adotando o bebê de Quinn? Trama promete para o fim do ano.
– Casais fofos bem encaminhados: Will se declarou e ficou com Emma de novo, enquanto Finn se declarou para Rachel e ela curtiu o “eu te amo”. Cúti-cúti! Mas nem é bom se empolgar porque obviamente alguma crise nova virá separá-los (série boa é série com conflito, não adianta questionar isso).

Do que você mais curtiu no fim de GLEE?

GLEE + GaGa + Kiss = Não tem como ser ruim!

30 de maio de 2010 17

Aguardadíssimo, o episódio de GLEE com músicas de Lady GaGa não tinha como ser ruim. E de bônus, uma música do Kiss interpretada pelos meninos do coral. Foi tão marcante quanto o episódio temático com músicas de Madonna, apropriadas para o que os personagens estavam sentindo. Vamos aos comentários da semana?

*** HÁ SPOILERS PARA QUEM NÃO VIU O EPISÓDIO **

** COMENTÁRIOS DE ACORDO COM A EXIBIÇÃO AMERICANA **

Episódio 20, primeira temporada, Theatricality

Para começo de conversa, um grande “uau” atrasado. Como que não percebemos antes que a diretora do Vocal Adrenaline era mãe de Rachel? Escalaram a premiada cantora Idina Menzel para o papel e não poderiam ser mais parecidas. Na foto abaixo, Lea Michele e Idina (que é casada com Taye Diggs, de Private Practice) mostram sua semelhança física:

Foram momentos emocionantes até para quem não vai com a cara de Rachel, o que não é o meu caso. Sim, ela às vezes é chatinha, mas como protagonista da série manda muito bem (tanto atuando como cantando). E vê-la contracenando com Idina é incrível. Só de lembrar da versão cantada por elas de Poker Face eu me arrepio! Levarei para sempre essa cena na memória quando falar da série.

YouTube na veia para dar mais emoção (é a terceira música, após Bad Romance e Beth):

O que dizer da versão Bad Romance da turma de Glee? Impecável! As roupas não podiam ser mais marcantes, imitando os figurinos memoráveis de Lady GaGa, com coreografia empolgante e com um gosto especial por ver Kurt brilhando tanto no palco incorporando a cantora.

Então os guris, incomodados que estavam com as gurias sempre tomando conta do setlist, resolveram atacar com algo mais masculino (apesar da maquiagem). O resultado foi lindo em duas ocasiões: Puck cantando a linda Beth para Quinn, mostrando que quer ser presente na vida dela e que ela não dê o bebê para adoção, e a apresentação coletiva de Shout it Out Loud no teatro. Os meninos ficaram quase irreconhecíveis com o look completo do Kiss (e em ambas as músicas os figurantes do coral foram meganecessários e eu me dei conta do quão poucos sabemos deles – sequer os nomes decoramos!).

Esse foi um dos raros episódios em que a música realmente foi muito mais importante que a história, já que pouco se avançou na trama geral (até Sue recuou um pouco) – e agora o objetivo é caprichar para os dois episódios finais da série (no dia 1º de junho e no dia 8, com a seleção das Regionais, que esperamos ser tão legal quanto foram as “Sectionals”).

P.S. 1: Que fim levou Jesse? Estão aproveitando muito mal o namoradinho de Rachel na história.
P.S. 2: Passei o episódio todo com agonia a cada vez que Quinn piscava com aqueles cílios rosas enormes!

:: Leia outros posts sobre Glee

Comemoremos! GLEE é renovada para a terceira temporada

25 de maio de 2010 2

Ué, como assim? A série GLEE mal está em sua primeira temporada e já foi renovada para a… terceira?

Pois é! O sucesso do seriado musical-teen-escolar é tamanho que a Fox americana já deu sinal verde para o show seguir por mais duas temporadas.

A notícia foi confirmada no domingo e ficou meio perdida em meio ao auê do fim de LOST, mas hey! Hora de comemorar!

Fiquei muito feliz com este anúncio porque GLEE faz bem ao coração.

Susan Boyle poderá participar da série GLEE

20 de maio de 2010 2

Lembram dela? Depois de fazer um sucesso absurdo no ano passado, Susan Boyle pode ter mais uns minutos de fama agora na TV americana.

Descoberta durante o Britain’s Got Talent, Susan foi aclamada pelo mundo todo e virou hit no YouTube. Passou por um momento pessoal bem dramático depois disso, um mix de ansiedade e depressão que a deixou com crises de pânico após tanto assédio.

Andou meio recolhida, reportam as agências internacionais. E agora a novidade é que a cantora poderá participar do seriado teen-musical GLEE.

Dúvida: será que ela vai repetir a clássica performance de I Dreamed a Dream (que inclusive já foi interpretada por Rachel no episódio desta semana) ou surgir com algo novo? O papel oferecido por Ryan Murphy, a mente por trás de Glee, foi de uma merendeira do colégio. Torcendo desde já para que ela aceite o convite!

Como será o episódio de GLEE com Neil Patrick Harris

17 de maio de 2010 0

O próximo episódio de GLEE – season 1, episódio 19, em 18 de maio – terá a presença mais que especial do ator Neil Patrick Harris, de HOW I MET YOUR MOTHER.

Por que é tão especial? Porque Neil é a alma de HIMYM e ele será meio que um “vilão” na série teen. Ele interpreta Bryan Adam, ex-rival do professor Will Schuester na época em que eram do Glee Club original. O personagem de Neil volta ao colégio para tentar acabar com o coral, movido por um desejo de vingança. Imperdível!

Hoje foram divulgadas algumas músicas do futuro episódio, que foi dirigido por… Joss Whedon! Chique, hein?

Ouvi a versão de “Bad Romance” (Lady GaGa) e curti ainda mais a música com a gurizada cantando. E neste link você ouve a canção Dream On, que batiza o episódio, na voz de Neil e Matthew Morrison (Will).

Aqui no vídeo abaixo, confira o promo liberado pela Fox:

Extra:

Não perca o vídeo com bastidores de como foi gravado o episódio, com direito a flagras dos ensaios de coreografia, gravação das músicas e a descontração do elenco (dá para espiar o camarim das roupas de Sue Sylvester e seus vááaários abrigos coloridos):

Como é boa a má reputação do GLEE Club!

08 de maio de 2010 5

*** COMENTÁRIOS DE GLEE DE ACORDO COM A EXIBIÇÃO AMERICANA ***

Enquanto muitos jovens certinhos querem manter sua reputação em dia para serem populares, nossos amigos losers do Glee Club só querem saber de ganhar uma má reputação. Com este gancho, o episódio Bad Reputation (season 1, episódio 17) se puxa nas metáforas musicais e pessoais para linkar as histórias.

Sei que muita gente acompanha GLEE só pelas músicas. Estes podem ter se decepcionado com o episódio, já que não tivemos nenhuma canção pop esta semana, e sim revivals. Músicas que eram legais, viraram bregas e deviam ser renovadas pelo New Directions como tema de casa.

Para variar, a história de Sue Sylvester rapou as fichas. O vídeo da treinadora dançando Physical caiu no YouTube e ela virou motivo de chacota. Cá entre nós: quem nunca dançou e cantou sozinho em casa que atire a primeira pedra. Após as risadas malignas dos colegas em slow motion na sala dos professores, Sue deu a volta por cima quando a própria Olivia Newton-John a salvou da humilhação e com ela regravou o clipe da pobre música cafona (com o mesmo clima do clipe original, sem os gordinhos, mas com a mesma tirinha no cabelo).

Já Rachel, irritada por estar em último posto no ranking “Glist” dos mais sexies, promoveu uma “ousadia” no seu projeto musical da semana. Ao chamar Puck, Finn e Jesse para gravar a canção no papel de namorado, a guria perdeu a admiração dos três… e o próprio namorado! E aí a mãe das músicas bregas de amor, Total Eclipse of the Heart, foi um prato cheio para minha amiga Rachel fazer suas caretas e sofrer o abandono do gatinho. Admito que adorei esta última parte e cheguei a rever em sequência.

Outros pitacos:
:: Muito bacana terem carimbado o Will Schuester como cafa (aliás, o episódio da semana passada com a April poderia ter rendido mais… achei as músicas bem paradinhas e sem brilho)
:: A cena de Emma peitando o professor foi muito bacana! Parecia outra mulher.
:: Quinn Fabray não desapareceu apenas na escola… A personagem está sendo deixada totalmente de lado!
:: Amo muito o personagem do @chriscolfer! Acho que não poderia ter ator melhor para o papel.
:: Quando Sue encontra sua irmã no asilo é a única ocasião em que notamos que ela tem um coração – e sempre comove a gente, mesmo quando no minuto seguinte ela volta a ser malvada

E aí, estão curtindo a atual fase de GLEE?

As próximas músicas que vão ser cantadas em GLEE

26 de abril de 2010 0

A Fox sabe que muita gente assiste GLEE só por causa dos shows musicais (definitivamente não é meu caso).

Anyway, a emissora divulgou hoje as músicas que farão parte do terceiro CD da série.

A data de lançamento é 18 de maio nos Estados Unidos.

Batizado “Showstoppers”, o álbum contará com as seguintes músicas interpretadas pelos membros do New Directions e seus anexos:

1. Hello Goodbye – The Beatles
2. Gives You Hell – The All American Rejects
3. Hello – Lionel Richie
4. A House Is Not a Home – Dionne Warwick
5. One Less Bell to Answer / A House Is Not a Home – Barbra Streisand
6. Beautiful – Christina Aguilera
7. Home – do musical The Wiz
8. Physical – Olivia Newton-John
9. Total Eclipse of the Heart – Bonnie Tyler
10. The Lady Is a Tramp – musical Babes in Arms
11. One – U2
12. Rose’s Turn – musical Gypsy: A Musical Fable
13. Dream On – Aerosmith
14. The Safety Dance – Men Without Hats
15. I Dreamed a Dream – musical Les Misérables
16. Loser – Beck
17. Give Up the Funk – Parliament
18. Beth – Kiss
19. Poker Face – Lady Gaga
20. Bad Romance – Lady Gaga

Que tal? Já quero logo ouvir todas!

O poder de Madonna faz bem a GLEE

21 de abril de 2010 5

Desde que começou a ser anunciado que GLEE teria um episódio inteirinho dedicado à diva, a expectativa só aumentava. Com o set list de músicas, já dava para prever que seria um episódio-pizza (ou seja, mesmo que fosse ruim seria bom). E foi exatamente isso que aconteceu. Mesmo sem avançar muito na história, apesar de bons momentos não-relacionados à cantoria, o episódio 15 – The Power of Madonna - cumpriu seu papel inicial: entreter e proporcionar alguns momentos bizarros. Com o próprio criador da série, Ryan Murphy, assinando a direção do episódio especial não poderia ser diferente. Já assistiu? Entã pode rolar a barra. Não viu ainda? Corre pra ver, menina! Até a própria Madonna deu sua aprovação e ainda comentou que “mister Schuester é bonitinho”. Ah, se a Sue Sylvester ouve isso! Vai arrancar os cabelos (dele).

*** COMENTÁRIOS DE GLEE DE ACORDO COM A EXIBIÇÃO AMERICANA ***

“Sempre foi o maior sonho da minha carreira homenagear Madonna, a mulher responsável pelo meu comportamento sem piedade e minha tendência de sempre procurar alguém chamada Susan.” Sue Sylvester, em GLEE – S01E15 Um momento mais impagável que outro de Sue neste episódio especial. Seja pela decisão de tocar as músicas da diva em todos os alto-falantes da escola mesmo durante as aulas ou de ordenar que suas cheerleaders imitassem o comportamento de Madonna o máximo possível (abolindo os sobrenomes e pegando garotos mais jovens), a treinadora mais peculiar da história foi quem mais nos arrancou risadas esta semana. Como não cair no papinho, inclusive, sobre o trauma do próprio cabelo? Ela é tão convincente – até mentindo a idade! – que quase senti pena dela por alguns segundos. Cada vez que Sue abre a boca para falar do cabelo de Will é uma frase mais cômica que a outra. Será que um dia vamos encher o saco disso? Duvido! Palmas para a pessoa que escreve estes diálogos. E por falar em diálogos, a cada nova introdução de música fomos brindados por mais exaltações à carreira de Madonna. Até o professor Schuester fez uma avaliação de como os meninos andavam tratando as garotas e embarcou na onda “Madge”. “Culturalmente, o legado de Madonna vai além da música. Suas músicas são sobre força, independência e confiança, não importa se você é homem ou mulher. Em geral, a mensagem musical de Madonna é sobre… igualdade.” Will Schuester

Nem é preciso dizer a quem viu o episódio que Will falou tais palavras também como mea culpa. E o que se seguiu a partir daí foi muito bem bolado: a perda da virgindade como forma de afirmação. Tanto o pouca-prática Finn quanto as virgens Rachel e Emma, com uma geração de diferença, sentiram-se tentados a deixar pra trás o passado “puro”. Desde o primeiro momento em que o assunto veio à tona já dava para prever que a trilha óbvia seria Like A Virgin. E aí rolou uma das cenas musicais mais bacanas: três casais em casas diferentes com propósitos – e dúvidas – iguais. Pena que tudo era só imaginação. As meninas não seguiram adiante, só Finn ‘se deu bem’. Rachel estava em alto conflito com Jesse, o infiltrado (que agora deve aparecer ainda mais após a saída do Vocal Adrenaline, algo que cheira a mentira a quilômetros de distância).

:: São estas historinhas musicadas como a de Like a Virgin que me fazem AMAR Glee! ::

Especificamente sobre Madonna, achei muito boa a escolha do repertório cantado pelo New Directions e por Sue, no já clássico clipe de Vogue. Foi demais ver Kurt e Mercedes com mais destaque no episódio, foi lindo ver a apresentação temática das cheerios, foi emocionante ver várias meninas vestidas como as várias fases de Madonna passando pelo corredor da escola e com certeza foi bonito ouvir a versão de Like a Prayer cantada no auditório com apoio de um coral de igreja. As músicas que tocaram no episódio (na trilha ou cantadas): :: Ray of Light :: Express Yourself :: Open Your Heart :: Vogue :: Like a Virgin :: 4 Minutes to Save the World : What It Feels Like for a Girl :: Like A Prayer :: De qual você mais gostou neste episódio?

Como foi o retorno de GLEE nos Estados Unidos

21 de abril de 2010 3

Definição curta para quem está com pressa: o retorno de GLEE foi morno.
Definição mais comprida para quem não está com pressa: leia abaixo.
E hoje vou assistir ao episódio novo e estou com altas expectativas. Espero não me decepcionar!
A propósito: GLEE ganhou ontem o prêmio do GLAAD Media Awards de melhor comédia. Durante o evento organizado por associações gays americanas, o criador da série, Ryan Murphy, anunciou que Kurt terá um namorado em breve! Achei o máximo!

*** COMENTÁRIOS DE GLEE DE ACORDO COM A EXIBIÇÃO AMERICANA ***

** EPISÓDIO HELL-O … EPISÓDIO 14 DA PRIMEIRA TEMPORADA **

Lembram de como terminou a série antes do hiato ou estava em Marte? Após um previously engraçadinho, Glee recomeçou com a disputa Sue x Schuster renovada. A treinadora chantageou o diretor da escola e conseguiu seu posto de volta à frente das cheerleaders. Sue – pra variar – foi a melhor coisa do episódio e promete ser a melhor coisa do episódio com músicas de Madonna.

Foi tudo muito rápido em Hell-O. Num minuto vimos Rachel infernizando Finn para encontros românticos e outros lances de namorinho pré-combinados, algo que deixou o guri meio tonto (e a audiência também). Porém bastou a loser ir para uma biblioteca-musical (amei aquilo!) e encontrar um gatinho, cantar com ele ao piano e PLUFT! Completamente apaixonadooooos. Me lembrou um pouco como eu era aos… 12 anos! Hahaha. Amores instantâneos, ok: tudo seria lindo se não fosse armado, pois mesmo querendo acreditar na paixonite dos pequenos cantores ficou óbvio demais que o engomadinho Jesse St James quer usá-la.

O professor Schuester dando uma de pegador em dose dupla é que foi hilário e meio inacreditável. Emma e a diretora gostosa do coral rival disseram que o cara precisa de um tempo sozinho para “se reencontrar”. Também é outro papinho meio clichê (mas que no caso dele é megaindicado). Torcia para que ele ficasse com a professora fresconilda, repleta de transtorno obsessivo-compulsivo, mas que graça teria a série se os casais finalmente ficassem felizes & juntos? Cantoria criativa precisa de drama.

Por falar em cantoria, que são sempre os grandes momentos da série, acho que faltou algo mais “tchan” neste episódio de retorno. A música do Lionel Ritchie é podreee de brega, mas serviu para o propósito de aproximar a rainha das caretas Rachel com seu novo amor. Hello, I Love You com a voz fraca de Finn também foi um pouco básica demais. A que realmente curti foi Hello, Goodbye (Beatles) em um arranjo novo que funcionou bastante. Gosto é gosto – e há quem não tenha gostado – mas realmente me arrepiei.

Jane Lynch interpreta Madonna em GLEE

14 de abril de 2010 6

Já viu o episódio? Eu ainda não! Psiu, sem spoilers!

Mas já dá pra degustar um trechinho de um dos próximos episódios de GLEE, que retorna esta noite nos EUA:

:: Ver Sue Sylvester (Jane Lynch) pagando de Vogue é um momento muito especial na vida do seriadomaníaco.

Gracias to @gabichanas, que tá sempre ligada no Perez Hilton (é de lá que veio o vídeo).

Amanhã é noite de rir no GNT com atores de GLEE e OFFICE

12 de abril de 2010 0

Fala sério: imperdível o LATE SHOW amanhã!

O GNT apresenta na noite de terça para quarta-feira (à 1h da madruga) o programa em que David Letterman bate um papo Jane Lynch (a hilária Sue Sylvester de GLEE) e Steve Carrell (o chefe mais tonto da história).

Carell, de THE OFFICE, divulga o filme “Uma Noite Fora de Série” – adorei o nome brasileiro da comédia, é óbvio – e Jane Lynch fala sobre seu papel na série teen-musical.

Quem perder é Loser! That’s what she said.

Abaixo, cena do filme em que ambos contracenaram juntos. Adoro O Virgem de 40 Anos!

Foto: HOUSE em momento GLEE

11 de abril de 2010 4

A essa altura do campeonato todo mundo já sabe que as séries da Fox americana vão ser episódios “musicais” para bombar o retorno de GLEE. Né?

Séries “sérias” como FRINGE e BONES terão cenas especiais para homenagear o seriado teen-musical, que reestreia nesta terça-feira, dia 13, no Estados Unidos. Iuhu!

Então HOUSE também entrou nessa dança e terá uma parte de episódio dedicada à cantoria. A foto abaixo foi divulgada ontem e já me faz aguardar ansiosamente por este momento inédito:

Divulgação, Fox

A cena é do episódio “The Choice”, que irá ao ar em 3 de maio lá fora. Vemos House (Hugh Laurie), Foreman (Omar Epps) e Chase (Jesse Spencer) em um karaokê. Na trilha do trio de médicos estão músicas do grupo Gladys Knight & The Pips.

Ainda sobre GLEE: também foram divulgadas as imagens do episódio dedicado a Lady GaGa. Tão aí as roupas usadas no clipe “Bad Romance” da cantora.

Baixar séries pela internet é pecado?

28 de março de 2010 12


Foto: Ricardo Chaves – Reportagem de Priscila Montandon

Quantas e quantas vezes os fãs de séries se questionam se o que fazer é “errado”? Agora não devemos temer. Jacques Szortyka perdoa nossos pecados. Ele é o novo padre da Catedral Metropolitana de Porto Alegre.

No perfil publicado hoje no caderno Donna (e que você lê na íntegra no Donna ZH Online, site agora editado por esta blogueira que vos escreve), o religioso se declara fã de seriados americanos, tendo HOUSE, GLEE e FRIENDS entre os preferidos. E ele confessou à repórter Priscila Montandon: faz downloads dos episódios!

“Eu sempre baixo pela internet os episódios antes de passar na TV aqui no Brasil. Tem até uma comunidade no Orkut que diz ‘pirataria não, cópia de segurança’”, brinca o padre Jacques.

Moderninho, né?

Estamos perdoados!

GLEE: Um casal da vida real

10 de março de 2010 2

Puck e Santana não são namorados assumidos em GLEE e pelo jeito levaram a história meio secreta para a vida real. Diz o TVGuide que os atores estão namorando fora da ficção.

Mark Salling, que interpreta o “moicano” Puck e Naya Rivera, a cheerleader Santana. A personagem dela, aliás, vai ganhar mais destaque na trama quando “tirar a virgindade” de um dos cantores da série. Palpites?

Elenco de GLEE irá se apresentar na Casa Branca

23 de fevereiro de 2010 0

A família Obama é seriadomaníaca. Sabia? Te provo!

Além do presidente americano já ter declarado que é fã de ENTOURAGE e THE WIRE, agora é a vez de Michelle se pronunciar. Ela e as filhas Sasha e Malia adoram… GLEE!

Como estamos falando da família mais poderosa do mundo, adivinha o que vai acontecer? O elenco da série irá se apresentar na Casa Branca.

Segundo o Access Hollywood e o Entertainment Weekly, a primeira-dama e as primeiras-filhas vão assistir os atores da série cantando no tradicional evento de Páscoa que é realizado na residência presidencial. No ano passado foi o Black Eyed Peas que participou da celebração.