Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Os câmbios de Senna e de Alonso

07 de abril de 2010 24

Gostaria de voltar à questão do problema do câmbio do Fernando Alonso na Malásia. Vamos falar de História também. Em 1991, o Ayrton Senna venceu o GP do Brasil tendo apenas a sexta marcha nas últimas 10 voltas. Aí na foto ele aparece extenuado no pódio, ao lado do Riccardo Patrese e do Gerhard Berger. Tão logo o Ayrton revelou que tinha corrido com apenas a sexta marcha, o Nelson Piquet disse: “É balela. Isto é impossível”. A credibilidade em termos de mecânica do Piquet, um dos maiores entendidos do assunto, para mim sempre foi inquestionável. Ouvi isto e fui correndo ver a gravação da corrida.
Naquelas 10 voltas finais da prova, aparece várias vezes a imagem da câmera on-bord do carro do Senna. Naquela época, a McLaren ainda usava a alavanca de câmbio, instalada no lado direito do cockpit. E o Senna em nenhum momento tirou a mão direita do volante. Ele realmente correu aquelas 10 voltas com apenas a sexta marcha. Em recente encontro que tive na fábrica da Honda (motor da McLaren em 1991), em São Paulo, um engenheiro lembrou que o Ayrton comentou que o feito na corrida de Interlagos só foi possível graças às qualidades do sitema VTEC do motor da Honda, que segurava o giro do motor mesmo em marchas altas em freadas.
Traçando um paralelo com o caso do Alonso, tem uma diferença fundamental. O Senna fez aquelas voltas com tempos quase 10 segundos mais lentos do que ele estava fazendo na corrida. Na Malásia, o Alonso fez tempos em sequência, na parte final da prova, superiores à maioria dos outros carros. Portanto, continuo duvidando que o espanhol teve os sérios problemas no câmbio alegados por ele e pela equipe.
Agora, se isso realmente aconteceu, o Alonso de fato é de outro mundo, e Massa, Vettel, Hamilton e Button, desistam de disputar o título com esse cara.
O que vocês acham?

Comentários (24)

  • Eduardo diz: 7 de abril de 2010

    Olha, não sei se o Alonso teve realmente o problema no câmbio, mas na transmissão da globo o Burti comentou lá pela metade da corrida que o Alonso parecia estar sem a terceira ou quarta marcha antes de qualquer um ter comentado qualquer coisa.

  • Fausto Vanin diz: 7 de abril de 2010

    Daniel,

    Pelas imagens da corrida deu a impressão, pelo som do carro, que alguma coisa não estava OK com o carro, provavelmente na caixa de câmbio.
    Mas mesmo assim, pelo que se noticia, a diferença do problema do Alonso para o do Senna é muito grande. Senna só tinha a sexta marcha, Alonso não tinha a primeira e a terceira se não me engano.

    De qualquer forma, virando nos tempos que virou, ou é um piloto muito acima dos outros ou o problema não foi tão grave assim.

  • Renato B. Santiago diz: 7 de abril de 2010

    Ele, a Ferrari e o Felipe disseram que ele estava sem a embreagem! Só que a embreagem é automática!!! Pelo barulho, o maior problema acontecia nas freadas, conforme o Burti comentou. A minha impressão particular era que em cada mudança de marcha, o motor quase morria. Então, o problema não comprometia tanto assim o desempenho. Se houve algum milagre, foi justamente no fato do Alonso não perder 0,5 ou 1 segundo por causa do problema.

    Resposta: As mudanças de marchas na Fórmula-1 são feitas na borboleta atrás do volante sincronizadas com à embreagem. Não existe o pedal de embreagem, mas a embreagem existe e pode apresentar defeito.
    Abraço.
    Daniel

  • João diz: 7 de abril de 2010

    Que o Alonso é um piloto muito melhor que os outros que tu citou não há dúvidas, vide o que ele fez com a renault nos últimos anos e as disputas com o Schumi. Agora tu estragou teu comentário ao dizer no final que se fosse o caso os outros pilotos deveriam desistir da disputa. Não haveria motivos para ele ter que buscar justificativas e era visível pela tv o problema de embreagem que ele tinha. Que o cara é um monstro na direção não há dúvidas.

    Resposta: O comentário para os outros desistirem é uma ironia. Se o Alonso é tão bom assim (acho que é) e faz tempos rápidos com um carro com sérios problemas (e aí a minha dúvida: os problemas no câmbio eram tão graves assim?), ele seria de outro mundo.
    Abraço.
    Daniel

  • Atílio diz: 7 de abril de 2010

    Não foi só naquela corrida. Mais da metade das vitórias do Senna ocorreram com problemas no carro. Teve uma corrida que ele chegou só com a marcha ré. Ouvi dizer de outra, que o carro estava sem motor. Era assim, toda prova, Gavião Bueno inventava uma para endeuzar o rapaz, como se ele precisasse. Sempre encheu o saco esses papos furados sobre o piloto da Globo, que era bom, quase tão bom quanto Emerson e Piquet, craques de tempos bem mais competitivos. Agora, anos depois, o patriotismo besta volta. Porque o “Cena” podia e o Alonso não?

  • Daniel Colorado diz: 7 de abril de 2010

    Opiniao de leigo em automobilismo: se me falta a primeira e terceira marchas, perco tempo de volta… mas nao eh dificil esticar a segunda antes de engatar uma quarta, ou entrar em uma curva com giro mais alto (em segunda, forcando mais o motor) ou mais baixo (em quarta). A primeira marcha, de qualquer maneira, eh pouco usada: em largadas, saida de box ou em alguns poucos “cotovelos”, como a curva do Casino, em Monaco. Ja correr Interlagos so em sexta eh um problema completamente diferente.

  • Fabrício Martins Tavares diz: 7 de abril de 2010

    Daniel: dá uma olhada neste vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=ZB5wvohMfV4.

    Aqui parece claro que o Alonso tem problemas no câmbio. Não sou grande entendido em mecânica, mas parece claro que o câmbio sequencial sobe as marchas normalmente e na hora da redução as marchas não entram no tempo certo. O giro do motor muda totalmente nas freadas de curva. Parece que ele desce de uma quinta para uma terceira ou segunda. Neste outro vídeo que é dos treinos parece tudo normal: http://www.youtube.com/watch?v=bVxrcMsNt5k&feature=related. Comparem. Ele disse que o problema começou na volta de apresentação. E pra mim não restam dúvidas que o Alonso é o melhor do grid. Abraço!

  • João diz: 7 de abril de 2010

    Daniel

    Te peço desculpas se minha manifestação ao teu comentário foi ofensiva.
    Respeito tua opinião sobre F1, pois tu é um dos poucos que opina sabendo do que está falando. Acompanho desde pequeno a F1, venho de uma família de pilotos, sou brasileiro, mas sempre me incomodou muito a maneira que a globo ,entre outros, sempre supervalorizou o trabalho do Senna, em detrimento de outros , como o grande Piquet, só porquê o mesmo não se adequou ao “esquema” do Galvão (soicedades em negócios, etc…).
    Para finalizar, eu acredito que o Alonso é disparado o melhor(tirando o Schumi, porquê esse sim era de outro mundo) piloto que surgiu na F1 desde Senna, Prost, etc. Com certeza, no futuro veremos ele entre os maiores da F1 de todos os tempos.
    Agradeço pela classe com a qual você respondeu o e-mail anterior.
    um abraço.

    Resposta: Não, querido amigo, não senti nenhum desrespeito da tua parte. Obrigado pelos elogios. E sempre gosto do debate, longe de mim querer ser o dono da verdade.
    Grande abraço.
    Daniel

  • Wanderlei diz: 7 de abril de 2010

    O Senna como disse um amigo em comentário postado,sempre tinha problemas,ou melhor,o carro sempre tinha problemas.Sem patriotadas.Podem mostrar videos,falar que motor isso,motor aquilo.Chegar só com sexta marcha?Como disse Piquet,pura balela,,,e da boa.

  • marcos rocha diz: 7 de abril de 2010

    Que o Alonso é o melhor na atualidade, depois do Schumi, não tenho duvidas e algum problema ele teve também não tenho duvida e fico com o comentário do Burti que detectou bem antes de todos o problema agora comparar com o problema do Senna acho que nada a ve, pois até acredito que o Senna tivesse só a sexta marcha mas o Patrese não ultrapassou porque não deixaram ele ultrapassar, pois como que um cara tirava de 5 a 6s por volta e quando faltavam 3 para o final não conseguiu mais nem chegar perto isso sim é balela e ninguém vai me convencer ao contrario disso pois nós sabemos que a F1 também tem suas falcatruas dentro da pista. Não quero tirar o mérito do Senna pois ele foi um dos melhores mas que ele foi também filho da globo isso sim.

  • luiz leal diz: 7 de abril de 2010

    corre,sen uma das marchas ñ é assin tão dificio einda mais q ñ era alta, dificio é correr apenas com uma marcha alta.

  • carlos diz: 7 de abril de 2010

    ..é a maioria das corridas do senna ele ganhou sem marcha , sem motor e sem carro .. chegou na frente do prost a pé…

  • Vinicius Mathies diz: 7 de abril de 2010

    Corrigindo: o sistema VTEC (Variable Valve Timing and Lift Electronic Control System), não segura o giro do motor, ele modifica o ângulo de abertura das válvulas para dispor de mais força em baixas rotações, por isso que o carro de Senna conseguia retomadas satisfatórias e pôde continuar na corrida. Vale lembrar que esse sistema é usado a muito tempo nos carros top de linha da Honda.

  • Juliano Alves Neres diz: 7 de abril de 2010

    Daniel, parece bem claro que o Alonso teve realmente problemas de embreagem, é possível observar nos vídeos onboard que o cambio tem dificuldade de engatar marchas para baixo, pois, sem a embragem fica impossível realizar o “punta-tacco”, que no caso dos F-1 de hoje (diferentemente da época do Senna) é eletrônico, afinal, não há pedal de embreagem. Nesse caso, o próprio Alonso comentou que teve de pilotar de maneira diferente. Sim porque ele precisou usar freio-motor nas reduções para deixar o giro elevado nas saídas de curva, foi isso que quebrou o motor dele, o desgaste a cada entrada de curva fazendo freio-motor. Isso fica bem evidente no momento da ultrapassagem em que o motor começa a “fumar”, o giro não estava elevado o suficiente ao final da curva e na retomada o motor se entregou… Essa foi a minha percepção. Quanto ao assunto do Senna. Sim, ele venceu mesmo só com 6ª e isso não foi invenção do idiota do Galvão Bueno, inclusive foi confirmado pelo Berger e por engenheiros da Honda… ele também venceu sem freios, também foi confirmado por engenheiros da Mclaren que ao final da corrida o disco estava gelado… só fazendo uma ponte dos dois assuntos, sinal de que o motor do Senna daquela época aguentou mais freio-motor que o do Alonso…hehehe. Abração!

  • Leonardo Brum Fornasier diz: 8 de abril de 2010

    Olha, sempre sou bastante critico aos teus comentarios Daniel.

    Mas desta vez assino embaixo. Alonso teve problemas no cambio, mas com certeza não era nada tão serio assim, ele deve ter perdido alguma marcha que no fim não fez tanta diferença. O espanhol é um baita de um piloto sem duvidas, mas tambem é o maior marketeiro da historia da F1, ele sempre tem alguma desculpa. O brasileiro tem baixa alto estima e ta demorando muito para reconhecerem o baita piloto que se tornou “Felipe Massa”, pois o mesmo esta fazendo uma temporada pra la de inteligente, e se alonso tivesse obtido os mesmos resultados de massa iamos hoje estar aqui endeuzando o espanhol e falando do azar do brasileirinho que não terminou a prova.

    Acho que todo mundo tem medo de um brasileiro ser grande na formula 1.

  • Gabriel Lopes diz: 8 de abril de 2010

    Pelo vídeo indicado pelo Fabrício, o problema parece ter se concentrado mais na subida de 1ª para 2ª e de 2ª para 3ª marchas. É problema de embreagem, mas o limitador de giro impediu a subida do giro, motivo pelo qual o motor parece cortar. Mas não é garantido que tenha sido essa a causa do estouro, até porque pareceu que o limitador estava fazendo bem a sua função. Mas esta dificuldade fazia o Alonso perder apenas alguns décimos nas curvas, não muito mais do que isso. Até porque ele recuperava nas retas, sendo bem mais rápido que a McLaren à sua frente, chegando sempre junto na próxima curva. O problema do Senna era muito mais grave, porque faltava tração na freada (e, depois, na retomada), exigindo fazer as curvas com muito esforço físico para segurar o carro. Alonso não chegou a ter problema na freada, pois o sistema câmbio-embreagem da Ferrari parecia estar reduzindo sem problemas.

  • Fernando diz: 8 de abril de 2010

    Daniel, acho que a comparação de situações não é válida pois o problema do Senna foi muito mais crítico… ele só tinha a sexta marcha, portanto tava literalmente arrastando o carro para o final. Supondo que o Alonso estivesse sim com problema em uma marcha intermediária, correndo na balada dos outros, dá para imaginar que o motor estivesse “na capa da gaita” e que, após um esforço igual ao que o Alonso fez pouco antes de abandonar, seria normal que ele queimasse de vez. O desempenho não foi prejudicado, mas a durabilidade e confiabilidade do motor ficaram bem prejudicados, o que se fato se mostrou no final.

  • Carlos Mota diz: 8 de abril de 2010

    Ironias à parte(correr sem cãmbio; sem freio; sem motor) de alguns amigos do Blog; ou estou muito enganado ou sonhei: teve uma corrida em que o Senna passou a linha de chegada empurrando o carro. Que corrida foi esta, Daniel?

  • Eduardo Tomazoni diz: 8 de abril de 2010

    Tá mais me diz uma coisa, Senna fez 10 volta só com a sexta marcha, porém Alonso só perdeu uma marcha (não sei qual foi) o que é bem possível pra um piloto como por exemplo, Felipe Massa, foi isto mesmo ?

  • Carlos Mota diz: 9 de abril de 2010

    Já que o daniel não respondeu, pesquisei e consegui dois resultados:

    Alain Prost (1986)

    O francês Alain Prost protagonizou uma cena marcante para os fãs da Fórmula 1 no GP da Alemanha de 1986, em Hockenheim. O piloto largou da segunda posição e era líder da corrida quando ficou sem combustível na última volta, alguns metros antes da linha de chegada. Prost saiu do carro e empurrou sua McLaren até receber a bandeirada, conseguindo fechar a prova na sexta posição. Ele conquistou seu segundo título mundial naquela temporada.

    Nigel Mansell (1984)

    O inglês Nigel Mansell protagonizou uma das cenas mais emocionantes da história da F-1 no GP dos Estados Unidos de 1984, em Dallas. Após conquistar sua primeira pole position na categoria, o inglês liderou metade da corrida, mas caiu para sexto até a última volta. Ficou sem gasolina nos metros finais e tentou empurrar o carro até a linha de chegada. Exausto, Mansell empurrou sua Lotus por alguns metros até desmaiar em plena pista.

    As informações são do site http://tudoglobal.com/guardrail/tag/ayrton-senna

  • Rodrigo Dias diz: 12 de abril de 2010

    Concordo contigo. Em uma Fórmula 1 em que qualquer problema pequeno o carro pára, acho estranho pilotar sem embreagem e o carro não ter nenhum problema aparente.

  • PC, O PC diz: 12 de abril de 2010

    Seguinte, pelo que eu nao vi da corrida, posso deduzir que o Alonso enrolou, hahahahaha…
    Certamene foi por que não usou o acerto do carro do Massa. ha ah ah aha…
    E o Xumaquer que nao ta usando o acerto do Barichelo? só se ferra, ha ha ha

    Tchus pra voces…

  • robson ribeiro diz: 12 de abril de 2010

    por favor não comparem Senna com o merda do alonso

  • Flavio Maldonado Bentes diz: 14 de abril de 2010

    Respeito o posicionamento de todos, mas em minha opinião ainda está para nascer um piloto que possa chegar próximo do Senna. Ao meu ver o Schumi só chegou a ser tantas vezes campeão porque, infelizmente, perdemos o Senna em 1994 naquela maldita curva. Cordiais saudações rubro-negras a todos !

Envie seu Comentário