Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

O que você estava fazendo naquele 1º de maio?

01 de maio de 2012 116


Para nós, o 1º de maio mudou de motivo desde 1994. O 1º de Maio é o dia em que o Ayrton Senna se foi, trabalhando no Dia do Trabalho e, como não poderia ser diferente, em primeiro lugar na corrida. Vocês gostariam de falar alguma coisa?

Naquele 1º de maio de 1994, eu estava vendo a prova ao lado do meu filho, o Gabriel, quando o Ayrton bateu forte na abertura da sétima volta do GP de San Marino. Assustado pelos acontecimentos daquele fatídico fim de semana, que teve o acidente grave do Rubens Barrichello na sexta-feira, a morte de Roland Ratzenberger no sábado e o forte acidente do português Pedro Lamy na largada, me assustei com a batida do Senna. Lembro que quando o Ayrton mexeu a cabeça dentro do carro, falei pro Gabriel: “Ele morreu”.

A pergunta não é original, mas você quer falar o que estava fazendo naquele 1º de maio de 1994, por volta da 9h10min da nossa manhã, o horário da batida? Eu tinha 35 anos, um ano a mais do que o Ayrton, e você?

Comentários (116)

  • Julio diz: 1 de maio de 2012

    Normalmente eu estaria vendo a corrida, mas naquele domingo eu dormi demais. Acordei pouco depois da tragédia e tive o pior domingo da minha vida. Levou muito tempo pra fechar essa ferida. Até hoje não assisto mais F1. Quase perdi 3 primos naquele domingo num acidente perto de Minas do Leão.

  • Gerson Luiz diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 30 anos e estava em Benedito Novo-SC (moro em Blumenau) para uma festa de Confirmação (Primeira Comunhão dos Protestantes) de uma prima que reside lá. Praticamente todos da família foram à igreja e eu fiquei na casa do tio para ver a corrida. A imagem filamada do helicóptero da poça de sangue ao lado do carro (que nunca mas foi exibida na TV) foi a mais marcante e naquele momento eu já sabia que ele estava morto.

  • CLEITON – GOIÂNIA diz: 1 de maio de 2012

    Daniel, naquele dia tristemente inesquecível, minha mãe(tu a conheces) estava aqui em Goiânia me visitando. Tomamos o café cedo para assistirmos a corrida, ela era tão ou mais fanática que eu, graças ao Ayrton. Foi um choque ao vermos as imagens, a voz do Galvão não deixava dúvidas sobre a gravidade do acidente. Minha mãe embarcou de volta ao RS à noite, num clima pesado, de velório. Os dias que se seguiram foram de enorme perplexidade entre todos. O Ayrton era tão querido por nós que a sua morte repercutiu em cada lar brasileiro, parecia que cada pessoa tinha perdido um parente muito próximo. Assim como tu, eu também nasci em 1959. Assim como tu e dezenas de milhões de brasileiros, perdi um referencial, um cara que me enchia de orgulho de ser brasileiro.
    Abraços leopoldenses daqui de Goiânia.

  • maxmiliano schneider diz: 1 de maio de 2012

    viajamos para comer um churrasco em lajeado, um dia chuvoso, com uma ex namorada e…senna morreu, morreu a F1,nunca mais olhei uma corrida… qualquer piloto campeão apos 1994 seria flanelinha para o ayrton…

  • Souza Neto diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 25 anos, trabalhava em uma empresa de leilões de animais,estava em Ponta Grossa,faríamos um leilão a tarde,era um domingo,meu colega de quarto me acordou dizendo que o Senna havia batido forte,e o caso era sério. Lembro de ter dito: – Tu tá brincando
    Fomos de carro até Tibagi,local do leilão, escutando as notícias sobre o caso, e quando ia iniciar o leilão, deu na rádio que ELE estava morto.

  • Douglas diz: 1 de maio de 2012

    Lembro muito desse dia, tinha 14 anos, era um churrasco de aniversário, um bando de mulekes correndo e brincando (sim, com essa idade nós brincávamos), e em contraste, os pais com caras de aflição… lembro q só fiquei sabendo da morte no fim da tarde e a primeira coisa q passou pela minha cabeça foi “deveria ter pedido algo mais importante qdo soprei a velinha”… saudades do ídolo, meus aniversários nunca mais foram os mesmos.

  • Jói diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo a corrida ao lado do meu Pai!

  • Fernando Santos diz: 1 de maio de 2012

    Aquele 1° de Maio nunca mais saiu da minha memória, quando acordei e liguei a TV para assistir mais um Show de Ayrton, o acidente já havia acontecido, a corrida estava interrompida, não se tinha informação de seu estado de saúde, achei que era mais um daqueles acidentes em que o piloto estava preso dentro do Cockpit, que a qualquer momento ele sairia dali andando para os boxes. O tempo foi passando, nada de notícias animadoras, sai casa para almoçar ouvindo as notícias no rádio do carro, quando cheguei ao restaurante, TV ligada, as pessoas todas sedentas de informações mais precisas, e assim como eu, ninguém conseguiu comer direito, Todos quietos, tristes, temendo que o pior acontecesse…E aconteceu. A partir daquele dia, nunca mais consegui assistir Fórmula 1, perdeu a graça, minhas manhãs de domingo nunca mais foram as mesmas. Até hoje é difícil acreditar que nos Herói se foi, nosso orgulho, o tema da Vitória nunca mais teve o mesmo significado. Acabou, Saudades Ayrton, Um legitimo representante de seu povo. Que Deus o tenha.

  • Alceu diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo a corrida…era fa de F1…..deixei de gostar…

  • evandro diz: 1 de maio de 2012

    estava na frente da tv, assistindo a corrida

  • Marcia diz: 1 de maio de 2012

    eu tinha 31 anos e estava assitindo pela TV aquele acidente horrivel, depois da morte do Ayrton nunca mais assisti as corridas, para mim perdeu a graça, era quase um ritual meu domingo só começa depois da corrida. Saudade eterna dele!

  • Carol Borner diz: 1 de maio de 2012

    Comemorando o aniversario do meu avo e assistindo a corrida. Infelizmente neste ano no mes de Marco Eu perdi a minha Mae querida.

  • Viviane diz: 1 de maio de 2012

    Eu era recem casada… estava numa comemoração de 1º de maio da empresa do meu marido, foi mto triste a noticia…

  • roge diz: 1 de maio de 2012

    estava viajando, visitando yosemite parque nos eua, quando já de saída paramos num telefone a beira estrada para ligar ao brasil e simplesmente contar onde estavamos.
    Foi quando soubemos que horas antes faleceu Airton em acidente na prova de f1.
    ficamos chocados e aí tivemos a noção do quanto ele representava e era estimado por todo o brasileiro. foi muito triste e nos enlutou o resto da viagem.

  • Vladimir diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 15 anos e estava assistindo a corrida.

  • Simone diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo a corrida no colo do meu pai e ansiosa para a minha festa de aniversário de 9 anos que aconteceu naquela tarde de domingo, aí aconteceu o acidente com o Ayrton… nunca vou esquecer desse dia, pois não poderia mais desmarcar a festa: já estava tudo pronto, e eu não tinha mais motivos para comemorar…

  • Bruno diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 12 anos na época e era um fã assíduo da F1 desde a época do Piquet. Quando ele bateu pensei na minha inocência de criança.

    “Dá para ele sair e pegar outro carro…”

    Infelizmente não dava e quando veio a notícia de aquele havia morrido ficou o sentimento de que havia se ido um grande exemplo de excelência no que fazia.

  • Rafael Rapack Dos Santos diz: 1 de maio de 2012

    Boa tarde, é realmente inexplicável pois eu tinha 10 anos e me lembro daquele dia também! Sei exatamente onde eu estava no início da corrida e logo depois quando foi anunciado o falecimento. Como posso me lembra desses fatos e esquecer tantos outros fatos familiares que seriam mais marcantes para mim. Mas dói a perda de um ídolo, uma pessoa que jamais conhecerei, mas tive a honra de comemorar algumas de suas vitórias como se fosse uma conquista minha. Ele não ganhava para ele e nem pelo dinheiro, mas sim por todos nós brasileiros!
    Obrigado por abrir este espaço para compartilharmos histórias, de um dia trágico marcado para sempre.

  • Julio Carlos Schreiber Benevenuti diz: 1 de maio de 2012

    Estava me preparando para a chegada (dia 02) de meu 3º filho. Me lembro que a morte do Ayrton nos causou muita tristeza, que logo foi superada com a chegada do Felipe. Mas isto nos ficou na lembrança: Sempre um dia antes de comemorarmos seu aniversário, nós, e o Brasil todo, recordamos com tristeza da morte do nosso maior campeão. O outro dia é somente alegria…

  • Eduardo diz: 1 de maio de 2012

    Estava com 12 anos e como sempre, como todos os domingos de corrida estava deitado no sofá da sala para mais uma exibição do mestre Senna, tenho até hoje a visão do acidente na minha memória, parece que não aconteceu, ainda não consigo entender… valeu Senna, um herói brasileiro.

  • José Marcelino diz: 1 de maio de 2012

    naquele 1º de maio eu estava em Punta Del Diablo no Uruguai. Lembro q tomamos o café da manhã e esperamos pra assitir a corrida, e depois voltar pro Chuy e voltar pra Porto Alegre. Qdo vi a batida já temia pelo pior mesmo querendo acreditar q ele ía sair dequela btida. Qdo chegamos no Chuy ficamos sabendo q tinha falecido, confesso q foi uma viagem muito chata a volta!

  • Vladimir Figueira Gaspar diz: 1 de maio de 2012

    Naquele trágico domingo eu ainda residia em São Léo, e estava assistindo a corrida, não perdia uma, no momento eu achava que não era nada demais, não fiquei preocupado, infelizmente eu estava errado. Não assisto mais a F-1. Eu tinha exatamente 30 anos.

  • raul diz: 1 de maio de 2012

    eu tinha apenas 10 anos,fomos a missa como todo domingo,e sempre com pressa na hora da volta pra nao perder a largada,estava olhando a corrida junto com a minha mae que 2 anos depois tambem faleceu e meus irmaos,foi um daqueles dias que ficam marcados em nossas cabeças,até a hora em que descobri o nome completo do senna,a hora mais forte,foi quando cabrini deu a noticia,”faleceu AYRTON SENNA DA SILVA”,

  • flavio soares diz: 1 de maio de 2012

    Daniel, também tenho um filho chamado Gabriel, hoje com 22 anos. Na naquele dia, penso que mais que alguns não vou esquecer. Meu aniversário, acordei cedo e adiantei o que pude para o churrasco ao meio dia e fui olhar a corrida. Mesmo hoje 18 anos depois mesmo sem ouvir ou ler os noticiários, quando acordo lembro que estou aniversariando e em segui da morte do Senna. Após esse dia já olhei algumas corridas mas não lembro de ver do início ao fim.

  • Paulo Duarte diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava justamente assistindo a corrida, quando o Ayrton saiu da pista naquela curva e não acreditei quando sua cabeça pendeu para o lado. Ali eu chorei junto com meu filho.

  • jorge henrique rodrigues cezarino diz: 1 de maio de 2012

    Extava trabalhando, e acompanhando pelo rádio, fiquei muito triste quando deu a noticia,tava dentro de um super mercado fazendo manutenção dos equipamentos. lá em Cubatão SP…

  • Renato Luiz Becker diz: 1 de maio de 2012

    Naquele dia eu embarquei pela primeira vez no Aeroporto Hercílio Luz, com destino à Alemanha. Ao embarcar encontrei o piloto Nelson Piquet. Abordei-o e perguntei se sabia mais alguma coisa. Ele me olhou e disse: Uma fatalidade!

  • Luiz Lopes de Azevedo diz: 1 de maio de 2012

    Na época eu tinha 22 anos e estava vendo a corrida como o de costume, quando Senna estando em primeiro como era o seu lugar, bateu, na narração da corrida lembro que o Galvão disse: ” Senna bate forte”. Ao contrário do colunista qdo Senna mexeu a cabeça, pensei, que bom ele ta vivo, deu um sinal, mas infelizmente foi apenas um desejo de milhoes de pessoas pelo mundo todo. Sem dúvida 1 de maio nunca mais será para nós brasileiros, que tinhamos em Aryton um herói, tão somente o dia do trabalho, será pela eternidade o dia de homenagear um grande brasileiro, um vencedor, que nos orgulhava a cada domingo, que apesar de para a imensa maioria de brasileiros somente o conhecíamos pela televisão, mas era alguém de casa, parecia uma familiar, alguém íntimo que gostávamos muito. Somente isso pode explicar que após 18 anos de sua partida, ainda me emocione como agora ao lembrar de qqrer coisa que lembre o Aryton, sem dúvida o maior ídolo esportivo e humano dos brasileiros dos últimos tempos, estanto lado a lado no esporte com Pelé, e como brasileiro ao lado dos nossos grandes como Oscar Niemayer, Ivo Pitangy, Getúlio Vargas, Rui Barbosa, Irmã Dulce, Tom Jobim, entre outros. Saudades, sempre será nosso ídolo e exemplo a ser seguido.

  • Rômulo Henrique Kunzler diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava olhando com meus pais…..ai depois de acompanhar tudo foi anunciada a morte do grande mestre….e chorei com a morte do idolo, foi muito emocionante, dali para frente, a F1 perdeu a graça…..sendo até hj.

    quem sabe se ele estivesse entre nós até hoje, o esporte teria crescido mais para nós, mais fãs…..mais moda ia virar a F1

    Seu Airton sempre na memoria dos Brasileiros!

  • Gerson diz: 1 de maio de 2012

    Realmente o nosso 1º de maio mudou depois deste GP, eu como fã de F1, estava assistindo a corrida, mas com um detaçhe muito importante, não estava como de costume, em minha casa, estava na casa de amigos em NH, e só eu estava vendo a corrida….Gde abraço!!

  • ARMANDO WENZEL diz: 1 de maio de 2012

    Minha filha tinha tinha 9 meses, e estava com minha esposa, como todos os domingos de F1 assistindo a corrida. Como todos brasileiros, estávamos espantados com o acidente que ocorreu. O maior exemplo de homenagem que os brasileiros fizeram, quando da chegada do corpo até o sepultamento. Eu particularmente, na época com 34 anos, não tinha vivenciado tal comoção nacional.

  • ricardos reis diz: 1 de maio de 2012

    O MUNDO PAROU NA QUELE DOMINGO..POIS PARA MIM ELE CONTINUAVA E CONTINUA ATÉ HOJE..HAVIA AMANHECIDO DO TRABALHO NO QUAL FAZ PARTE DA MINHA PROFISSÃO DE GARÇON..A ANSIEDADE E O NERVOSISMO HORAS ANTES DA CORRIDA PLAINAVA SOBRE MEUS PÉS..MESMO CANSADO CONTINUAVA FICANDO DE PÉ PARA ASSISTIR AQUELA CORRIDA INESQUECIVEL..NA QUELA MANHA ESTAVA CONTENTE POIS TINHA CONSEGUIDO DINHEIRO PARA PAGAR A CONTA DO MERCADO..UM MOTIVO A MAIS PARA TER ASSITIDO A CORRIDA FELIZ..A FELICIDADE POR UM LADO E TRISTEZA POR OUTRO..JAMAIS IMAGINARIA VER O MUNDO PARAR..POIS PRA MIM APÓS O ACIDENTE NAO PARAVA E ME LEMBRO COMO SE FOSSE HOJE.. A VOZ TREMU-LA DO NOSSO QUERIDO GALVÃO BUENO..QUASE SEM PALAVRAS E A ULTIMA IMAGEM DO NOSSO LENDARIO AIRTON SENNA.

  • Rolim diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 31 anos naquele dia, estava em casa, preparando o café, lembro que Senna estava preocupado com os acontecimentos decorridos nos treinos, ele parecia não querer correr, me recordo da imagem dele no fundo do box, tempo antes da largada, olhar infinito, de tensão, jamais tinha visto ele assim. Perdi a alegria da F1 mas ganhei um exemplo de abnegado e vitorioso.

  • Jose diz: 1 de maio de 2012

    Esta assistindo a corrida, como sempre assisti desde que comecei a gostar desse esporte.
    Lembro que estava deitado na cama vendo a corrida, tinha meus 19 anos na época.
    Senti como se perdesse alguém muito próximo.

  • ELIZEU BAUER diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo a corrida,como eu fazia sempre,assistir o Ayrton era o máximo,eu mantive a esperança até de tarde quando veio a noticia que ninguém queria,nos tinha perdido um dos maiores brasileiro da historia desse pais.
    Até hoje eu me emociono quando assisto alguma reportagem dele.

  • Virginia Ferreira diz: 1 de maio de 2012

    Olá, eu jamais vou esquecer eu estava assistindo a corrida, não perdia uma e não quis acreditar quando vi o acidente, pensava ele não pode morrer, ele não pode morrer e só caiu a ficha no outro dia..nunca mais assisti uma corrida de formula 1, não apareceu ninguem a altura dele, tenho esperanças que com o Bruno volte a me emocionar diante de uma tv assistindo formula 1.obrigada. Virginia Ferreira

  • Oto diz: 1 de maio de 2012

    Engraçado, todo mundo lembra. Eu tinha 12 anos e tinha pedalado até o morro Ferrabraz, em Sapiranga, com uns amigos. Meu pai, que era fã do Senna, resolveu espairecer depois do acidente e foi até lá nos encontrar de carro e contou o ocorrido. Lembro que a partir daí pedalar se tornou mais pesado e ainda tínhamos uns 30 Km de chão. Curioso é que, na ida, pela manhã, também sofri um acidente na estrada, mas o capacete me salvou e consegui seguir viagem. Enfim, sempre lembro daquele dia pela morte do Senna e não pelo meu acidente…

  • Rogerio Balneario Camboriu diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo a corrida e tbm achei q ele tinha morrido, depois, qdo mais ou menos as 13 horas o Roberto Cabrini informou q ele tinha morrido foi impossivel controlar as lágrimas. Mas ao mesmo tempo eu estava feliz porque estava saindo para ir ao aeroporto com minha esposa e meus dois filhos para nossa primeira viagem para a Disney nos EUA . Só fiquei sabendo de tudo que aconteceu após a morte dele no outro fim de semana qdo comprei um jornal brasileiro em Miami.

  • carlos rogerio diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava em Canoas na casa do meu tio, no Bairro Berto Cirio.

  • tobias quissini diz: 1 de maio de 2012

    estava com 15 anos e como fazia sempre estava assitindo a corrida era apaixonado por formula 1 hoje depois de sena nao vi mais inspiraçao para assistir nao é mais a mesma coisa.

  • Ernesto R Neuberger diz: 1 de maio de 2012

    Ola, Estava assistindo a Corrida , e o que nunca mais esqueço foi ver o Airton Parado perto do carro antes da corrida pensativo , olhar fixo , pareceria que estava prevendo algo. Meu Grande Idolo pela simplicidade, Humildade, Um bom Exemplo a todos nós, Lamentei e chorrei muito ter perdido um Idolo tão cedo, depois dele o Brasil nunca mais foi o mesmo na F1
    Valeu Airton….Sabemos que esteja onde estiver estas bem.

  • JONES BARTZEN diz: 1 de maio de 2012

    Naquele 1º de maio eu estava assistido a corrida e vi a batida, na casa dos meus pais em Humaitá, noroeste gaúcho. Na época com 20 anos.
    Sempre fui fã do Senna e penso ser ele um exemplo de perseverança e conquistas.
    Jamais teremos outro… Fica a energia de alguém que conquistou o mundo.

  • Rogerio da Silva diz: 1 de maio de 2012

    No dia 1° de maio de 1994,eu tinha 12 anos,agora tenho 30 anos,eu estava assistindo a corrida,sou fã de Airton Senna,qdo eu vi q ele foi direto a muro,com a batida violenta,o carro rodopiou,e o narrador “GALVÃO BUENO”,dizia tomara q ñ tenha acontecido o q eu estou pensando e dizia levanta a cabeça Airton,e nada…..fiquei mto triste pela morte deste MAIOR PILOTO BRASILEIRO…..Mesmo assim é meu ídolo…

  • Nilson Molinos diz: 1 de maio de 2012

    Acompanhava a corrida ao lado do meu pai, hoje falecido. Tinha 15 anos na época, lembro do meu pai ter dito no momento que a câmera chegou perto de Senna durante a largada, que ele não estava nada bem. Sete voltas depois, o acidente que todos os brasileiros gostariam de ter feito alguma coisa para evitar, porque ali ficava o maior ídolo que este país viu. Nunca cogitei a morte dele, até chegarem as notícias do hospital Magiiore, em Bolonha, informando da morte cerebral. O que foi dito ou não dito sobre onde ele de fato morreu, já não importava masi, ele era maior que isso!

  • Flamarion diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava vendo a corrida.
    Aliás, o fim da F1 ficou ali, naquela maldita curva Tamburello, em Imola-ITA, em 1994.

  • Arminda Muniz diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha ido almoçar na casa de minha mana, estavamos assistindo a corrida quando aconteceu o acidente, não acreditei no que vi… Não podia ser com Ele, quando veio a notícia de sua morte, chorei muito, até hoje choro vendo cenas dele. Para mim não existe mais formúla 1, sei que tem bons corredores, mas não é a mesma coisa … Na epoca eu estava com 35 anos.

  • Cristiane Silva diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo a corrida .. nós vimos ele morrer assim, ao vivo. Até hoje, não dá para acreditar que o perdemos ….. É muito triste; saudades, sempre.

  • Guto Moisés diz: 1 de maio de 2012

    Daniel, eu fazia cobertura de F1 em Zero Hora e naquele triste dia estava iniciando um período de férias pela Europa. Naquele exato momento estava no shopping das laranjeiras em Lisboa, Portugal. Acabei por assistir o acidente fatal em uma loja de tvs no shopping.
    Como Senna era muito querido pelos Portugueses, onde venceu seu primeiro GP na F1, a cobertura dos jornais de Lisboa sobre o acidente mereceu matéria de capa.

  • eduardo Scortegagna diz: 1 de maio de 2012

    Há exatos 18 anos, na hota em que foi noticiada a morte de A senna, estava indo levar meu filho Felipe, que iria participar de um toneio de futebol de salão pelo colégio onde estudava(Colégio Marista N S da Conceiçao de Passo Fundo) os jogos seriam realizados eu ma cidade vizinha chamada Não me toque. Lembro que quando foi dada a notícia pelo locutor, ele disse assim “Esta é uma notícia que eu jamais gostaria de dar, mas como sou profissional tenho que cumprir este doloroso dever” o carro ficou em silêncio total, chorei ,e fiquei mudo por vários minutos, e ainda agora quando estou digitando estas palavras, meus olhos se encheram de lágrimas, “uma perda irreparável”

  • Rafael Guedes diz: 1 de maio de 2012

    Estava vendo a corrida meu vô fazia um churrasco, quando dei um pulo do sofa, esbravejando que o Senna tinha saido de da corrida mais uma vez afinal ele era pressionado pelo Shumacher no campeonato, e neste ano o carro dele er o melhor, e ele não vinha rendendo, parecia sob pressão todas as corridas, sai do galpão e logo voltei, e me deparei com um helicoptero napista e aquela poça de sangue, eu ja chorava todos na familia apreensivos de olho na tv e no radio para saber o que havia acontecido, tinha um jogo do Grêmio e a gente ia depois do almoço, no meio do caminho escutamos a noticia, e ninguém acreditou, uma angustia tomou o coração de todos e o choro foi coletivo, antes do apito inicial um minuto de silencio e a torcida cantando adeus a Senna.

  • ronaldo diz: 1 de maio de 2012

    eu tava voltando de santa catarina e ouvi pelo radio a morte de senna , lembro me cm se fosse hoje. mais ele ta la olhando por nos brasileiros.

  • Antonio Nicolao diz: 1 de maio de 2012

    Estava em minha casa em Indaiatuba SP, assistindo a carrida com meu amigo ( me visitava naquele final de semana) Rudimar Pedroni de Caxias do Sul-RS.Este dia nunca mais sairá de minha memória, pois nunca mais assisti formula 1 com prazer e gosto de torcer.

  • Sergio Luis Ribeiro Gonçalves diz: 1 de maio de 2012

    Boa noite a todos. Eu estava em casa com meu Pai assistindo a corrida, como sempre fazíamos, pois hoje meu Pai ainda cultiva o hábito de assistir a F1. Eu não mais! Temos pilotos sem garra,determinação e força de vencer! Eu tinha 24 anos na época.

  • Fabrício Rodrigues diz: 1 de maio de 2012

    Bem nunca mais vou esquecer daquele 1º de maio de 1994, como éra jovem tinha apenas 16 anos tinha acordado cedo, pois nessa época tinhamos orgulho em assistir a F1 graças ao Ayrton, mas neste dia ñ pude acompanhar a corrida pq no dia anterior combinei com meu irmão de ir a uma festa campeira com ele, e foi lá que recebemos a triste notícia! E depois dela ñ houve mais festa para nós.

  • Hamilton erencio da silva diz: 1 de maio de 2012

    Naquele triste primeiro de maio de 1994. Estavamos num churrasco com amigos que como eu gostam de velocidade em especial formula ! . depois da tragédia na curva tamburelo no circuito de imola na italia formula 1 perdeu o sentido. Na naquele dia eu falei que ia demorar uns 20 anos para surgir um novo campeão. dedicado , arrojado, mas ao mesmo tempo simples ,responsável . eterno campeão.

  • Vanderlei Passos diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 23 anos. Como de costume assistia todas as corridas de F1, sabia tudo sobre os pilotos carros e equipes, comprava revistas para me interar sobre tudo o que acontecia no mundo da F1, nunca perdia uma corrida, até nas altas madrugadas frias do nosso RS estava lá,na frente da TV, muitas vezes acompanhado pelo meu vizinho Ivan, outro fã de Ayrton. Quando ocorreu aquela batida fiquei apavorado e pensando no pior, pois o pior aconteceu mesmo, Ayrton Senna da Silva nunca mais pilotaria um carro de F1, estava morto, e levou junto com ele meu interesse pela F1, desfiz-me de revistas, jornais e demais artigos da F1, nunca mais, até hoje assisti uma corrida de F1 e acredito que nunca mais irei assistir, tudo acabou naquele 1º de maio de 1994,pois acredito que se existiu um Piquet para substituir o Émerson, uma Senna para substituir um Piquet, com certeza não haverá um substituto para Ayrton Senna pois, o melhor não tem substituto. Às vezes revejo os vídeos dos grandes momentos do Ayrton na net, me emociono como se fosse ao vivo, lamento por esse que foi meu maior ídolo ter partido tão cedo.
    Ayrton Senna da Silva para Sempre!!!

  • Carlão Coloradão diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo a corrida. Eu estava trabalhando no Rio de Janeiro e sempre me acordava na hora da corrida. Eu vi o início, estava bem acordado e de repente vi a batida e na hora da batida comecei a chorar. Vi na hora que ele havia morrido, não aturava o Galvão Bueno narrando o acidente. Compreendi que eram muito amigos e depois entendi e passei a admirá-lo pelo seu profissionalismo. Assistir um amigo morrer e manter a transmissão, foi profissional.
    O Senna era espetacular, cumpriu sua missão junto conosco e deixou um excelente legado!!!

  • Wagner diz: 1 de maio de 2012

    Tinha recém feito 14 anos e me lembro em detalhes daquele dia… eu estava assistindo um jogo do campeonato japonês que na época passava no canal 7, quando entrou o plantão. Logo associei a notícia urgente com fórmula 1, por causa do acidente fatal do dia anterior. Poucos segundos depois o mau pressentimento se confirmava… o narrador do plantão, sem imagens, falava do acidente e que segundo os médicos, “só um milagre pode salvar o tricampeão”, exatamente essas palavras. Coloquei na globo e entrou o plantão… o Léo Batista anunciava morte cerebral. Chamei minha família, todos ficaram pasmos. Depois pelo resto do dia só se mostrava aquele terrível acidente. O dia era de céu azul sem nuvens em Porto Alegre e temperatura agradável. Não me lembro de ver a cidade com tão pouca gente nas ruas num domingo tão propício, nem em meio a feriadão de carnaval. Também não lembro outra ocasião onde não se via ninguém dar um sorriso sequer…

  • luiz diz: 1 de maio de 2012

    Católico, eu me preparava para ir à missa das 10h. Hoje, já passados 18 anos, pode-se revelar: a Igreja (católica) brasileira suspirou aliviada com o trágico acontecimento, pois o Senna estava esvaziando a missa das 10h, tradicionalmente dedicada aos jovens. Ele era o novo ‘deus’ da juventude. A partir daí, o rebanho foi pouco a pouco voltando aos templos, pois as corridas perderam a graça sem sua presença. Os padres nunca disseram, mas durante vários anos aguentaram a concorrência e pensaram: ‘Vade retro’, Senna. E ele foi mesmo, embora não fosse um Satanás…

  • Betina diz: 1 de maio de 2012

    Eu era muuuuito fã dele, daquelas que não perdia nenhuma corrida, treinos, entrevistas… Tenho até hoje guardado tudo que saia dele nos jornais e revistas. Naquele dia, como azia sempre, o meu pai me chamou para assistir a corrida e eu disse: “Já vou, estou com preguiça de levantar, com sono.” Lembro dele dizendo, que milagre! Acredito que tenha cochilado… Acordei com o grito do meu pai e ele dizendo, “ela estava adivinhando!”. Após isto, ficamos acompanhando tudo sem sair da frente da tv, sem almoçar, sem nada, desesperados… Até hoje, quando lembramos temos o mesmo sentimento daquele dia: tristeza e muita saudade…

  • IEDA CAPUTTI diz: 1 de maio de 2012

    EU COM TODA A NOSSA FAMILIA ESTAVANA CASA DA MINHA FILHA CELL,FESTEJANDO O ANIVERSÁRIO DO MEU ESPOSO DIOGO,QUE ESTAVA COMPLETANDO 60 ANOS DE VIDA BEM VIVIDA,E TODOS TORCENDO PELO NOSSO QUERIDO IDOLO AYRTON SENNA.A TRISTEZA FOI GERAL,NINGUEM ACREDITAVA NO QUE ESTAVA ACONTECENDO,MARCOU PRA SEMPRE AQUELA DATA.HOJE MEU ESPOSO ESTA LÁ NO CÉU FAZENDO COMPANHIA PARA O AYRTON COM CERTEZA.QUE DEUS ILUMINE OS DOIS PRA SEMPRE AMEM,

  • jaime eduardo diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 18 anos. Estava em casa, de folga do quartel…

  • Luciana Schmitt diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo aquela corrida que encerrava a carreira e a vida do nosso grande campeão, era impossível acreditar no que estava acontecendo… queria acordar de um pesadelo real… foi um dos domingos mais tristes da minha vida. Ele, o Senna, talvez despedia-se da vida com alegria fazendo o que mais amava, mas para nós brasileiros era só tristeza misturada com orgulho de ter um representante da Nação. Valeu SENNA, por cada gesto seu exaltando o Brasil.

  • ABILIO diz: 1 de maio de 2012

    EU ESTAVA VENDO A CORRIDA E CONFESSO QUE FIQUEI INDIGNADO COM O SENNA,ELE BATIA MUITO PORQUE ERA DE ARRISCAR,FUI LIMPAR A PISCINA NAO ACHAVA QUE ELE MORRERIA.FIQUEI MUITO CHOCADO COMO TODO BRASILEIRO,PARA ASSISTIR SENNA DESISTIA DO MEU GREMIO E OLHA FOI O UNICO ESPORTISTA QUE CONSEGUIU ESSA FAÇANHA.

  • leonel da Silva diz: 1 de maio de 2012

    Estava assistindo aquela trágica corrida, como fazia sempre que o Airton, corria inclusive as do Japão. (colocava o despertador para não perder a corrida do meu ídolo.

    o maior peloto de todos os tempos.

  • Antonio Lima diz: 1 de maio de 2012

    Eu como todo brasileiro da minha geração,estava organizando o churrasco de domingo “PARA FESTEJAR A VITÓRIA DO AIRTON SENNA DO BRASIL”.Nos domingos tinhamos dois solenes compromissos, o churrasco e assistir a fórmula 1 “do Airton,hoje tenho 48 anos e nunca mais os meus domingos foram tão felizes como aqueles que o Airton nos proporcionou,até o churrasco deixou de ser obrigatório aos domingos;que tempo bom.Obrigado AIRTON.

  • Ivan lima diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 34 anos e morava em Brasilia, trabalhava na Fábrica da Brahma e estava em um evento justamente neste dia. Assistia a corrida por um telão, foi quando todos que ali estavam concentrados na corrida derepente exclamaram um Ahaaa!!!Foi aí que percebi algo diferente no semblante das pessoas, e um rapaz saiu gritando o Sena bateu, o Sena bateu, achei que seria apenas mais um acidente, infelizmente foi mais que uma fatalidade. Nunca mais parei para assistir Formula 1.

  • Simone diz: 1 de maio de 2012

    Assistindo a corrida, infelizmente!

  • jeferson fabiano nunes camara diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava em casa, eu e meus amigos joga-vamos todo domingo as 10;00, estava olhando a corrida, fiquei ate quando levaram ele na ambulância,depois 12:00, deu na televisão que ele tinha morrido .Senna era nosso ídolo

  • Sérgio Textor diz: 1 de maio de 2012

    No sábado dia 30 de abril, minha esposa começou a sentir as dores do parto e fomos para o hospital onde passamos a noite. No domingo de manhã o médico foi visitar e disse que demoraria ainda 3 ou 4 dias para nossa filha nascer. Então fomos para casa, ligamos a televisão, começou a corrida e aconteceu o acidente. Ficamos olhando preocupados e logo estourou a bolsa. Corremos para o hospital. O médico chegou e enquanto vestia-me para assistir o parto, disse que o Ayrton Senna tinha morrido. Minha filha Jéssica nasceu. Eu lembrava-me do Ayrton e dava uma grande tristeza, lembrava-me da minha filha e dava uma grande alegria. Que sentimentos estranhos, difíceis de explicar. Hoje minha filha está fazendo 18 anos e aquele dia ficou marcado em minha memória.Foi um dia muito feliz e ao mesmo tempo muito triste.Inesquecível.

  • P.A diz: 1 de maio de 2012

    Tinha 23 anos, naquele dia havia chego em casa de uma noitada por volta das 07:30, tomei um banho e fui para frente da TV, desde os tempos de Piquet raramente deixava de assistir uma corrida, com Senna então, quase impossível, era “segrado”. Se não me engano era a terceira prova do campeonato, e Senna ainda nao havia vencido, Schummarcher com a benetton era um grande adversário, conseguindo a priori superar Senna com a poderosa Willians. Bom, o resto da historia prefiro não comentar detalhes, todos já sabem o fim tragico (na verdadeira acepção da palavra) de um esportista cidadão de uma racionalidade inigualavel, acima do mais fabuloso piloto, existia um verdadeiro ser humano que amava sua profissão e seu país. Tenho no Airton, ainda muito vivo na minha memória, um exemplo a ser seguido, inerente a ser o maior e melhor de todos, a cada momento e atitude nos brindava com sua personalidade e carater. Eternamente agradecido pelos alegres e orgulhosos domingos de corrida e seu legado intelectual da persistentencia, humildade, humanidade deixada àquele sofrido povo Brasileiro.

  • Douglas Martello diz: 1 de maio de 2012

    Era domingo e como em quase todos os domingos acordava cedo para ver o Ayrton, tinha 8 anos. Meu pai me ensinou a acompanhar as corridas do Senna, eu me sentia mais brasileiro, vencedor e com orgulho do Brasil! Meus pais já separados, naquele domingo de 1° de maio de 94, fui para casa do meu pai e como de costume assistir as corridas, ficava entre as pernas do meu pai e ambos assistiamos a corrida, torcendo logicamente por Ayrton Senna, e lembro que celebravamos, pois Senna era o primeiro! E vibravamos com aquilo, até houve a curva e Senna bateu, na hora meu pai disse ” só o que falta esse cara morrer” como um alerta para o que viria acontecer. Passamos o dia juntos, mas sempre acompanhando a televisão em busca de novas noticias, não lembro exatamente quando veio a noticia da morte. Mas lembro que não conseguia parar de chorar, voltei a casa da minha mãe e lá fiquei assistindo televisão e chorando a morte do maior idolo da minha infancia que é ainda um grande herói para mim. Ayrton Senna do Brasil! E aquele 1° de maio tornou-se ainda mais emblematico, pois foi a ultima vez que vi meu pai também, que veio a falecer dois anos depois devido um cancer.
    E sempre lembro desse dia como o dia que perdi dois heróis, embora meu pai não tenha falecido neste dia, foi a ultima vez que o vi. E meus domingos nunca mais foram os mesmos, sem Senna, sem meu pai, que me acordava para que eu ficasse embaixo de suas pernas brincando e vendo a corrida, esperando a musiquinha do Senna.

    Que Ayrton esta no céu junto com meu pai, conversando sobre as corridas.

  • Nei Fernandes diz: 1 de maio de 2012

    Estava pintando o quarto da minha filha, ela estava para nascer, e nasceu no 05/05 às 11 horas na hora do sepultamento deste idolo, hoje ela está prestes a completar 18 anos.

  • Marcelo Ferrazda Silva diz: 1 de maio de 2012

    Ora, o que eu estava fazendo naquele 1 de maio? assistindo a corrida como 90% dos brasileiros. Hoje algo impossivel dos brasileiros fazer porque ver o MASSA FALIDA O RUINZINHO PÉ DE CHINELO E O BRUNO FORA DE CENA é melhor não perder horas de sono preciosos ou de ler um bom livro. Infelizmente para nós brasileiros já era. abraços TALVEZ ESTEJA PARA NASCER OUTRO GRANDE PILOTO BRASILEIRO

  • ANDREA PEL diz: 1 de maio de 2012

    estava comemorando os 07 meses da minha filha, comemoravamos todos os meses até ela completar um aninho, e lembro bem que estavamos todos ligados assistindo a corrida, contando com mais uma vitoria do nosso idolo.

  • Alexandre jp diz: 1 de maio de 2012

    eu tinha 6 anos de idade ,estava deitado na cama olhando a corrida e foi muito triste.

  • Luis Dal Corso diz: 1 de maio de 2012

    Nesta época eu tinha 34 anos e tinha uma empresa a Croma Video Telões. Virava as noites trabalhando no Taj Mahal, Bar Opinião e Porto de Elis com a programação de videos e aluguel de telões. Muitas vezes transmitiamos as corridas do Japão e Australia que eram de madrugada nos telões instalados nestes bares de Porto Alegre.
    O Taj Mahal ( na Farrapos) e o Porto de Elis ( na Protásio Alves) já não existem mais, mas o Opinião continua fazendo sucesso na Cidade Baixa ( parabéns Alemão e Alexandre Bertolucci).
    Meu filho mais velho tinha 5 meses, e não curtiu essa época de glória do automobilismo brasileiro. Nesse dia eu e todos os brasileiros perdemos as alegrias das manhãs e madrugadas de domingo.
    Ayrton viverá sempre em nossos corações!

  • João Francisco Correa dos Santos diz: 1 de maio de 2012

    Naquele dia assiti a corrida, e após a corrida ainda não tinham confirmado sua morte.Sai para visitar meu irmão em viamão no jardim Viamar que fica ao lado do autrodomo de taruma, chegando recebi a noticia de sua morte, foi uma tristeza geral.
    Mais na casa tinha uma pessoa que não lembro seu nome, que tocava orgão e do lado de fora da casa tocou uma música em sua homenagem.Nunca esqueci disso, ficou gravado na minha memória.Hoje tenho 53 anos.Nasci em 05 de outubro de 1958. Deveria ter 35 anos.
    Uruguaiana.

  • Daniel Cavagnoli diz: 1 de maio de 2012

    Uma grande perda para todos aficcionados por Formula 1. Acima de tudo Ayrton era uma grande pessoa. Há 18 anos estava no litoral norte gaúcho, na cidade de Torres. Não era feriadão mas íamos com freqüência a praia. Naquele domingo acordei muito cedo, fiz uma corrida a beira-mar, comprei uma Zero Hora e fui pra casa acompanhar a corrida. Ayrton estava pressionado a conseguir um bom resultado, estava na melhor equipe da atualidade mas ainda não tinha conseguido tirar tudo do carro, em contra partida o alemão Michael Schumacker despontava como o grande adversário do brasileiro. Já no grid Ayrton estava com um olhar carregado, mas focado. Naquele fim de semana já havia acontecido acidentes sérios. Roland Ratzemberger havia morrido, um dia antes. Rubens Barrichello sofrera um grave acidente. O ar estava carregado. Foi então que se deu a largada, Ayrton vinha bem até a curva Tamburelo onde acontecera o fatídico acidente que tirou a vida de um dos maiores pilotos da história da formula 1. Uma lastima irreparável para o Brasil. Depois desta perda jamais conseguimos ter um piloto como ele. Há de se lastimar também o podium daquela corrida, enquanto no hospital tentava-se encontrar uma informação sobre Ayrton Senna, em Ímola o alemão Schumacker abria a Champagne para comemorar sua vitória, uma grande falta de desportividade.

  • Juliana diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 8 anos. Estava em casa com minha família.. e naquele dia aprendi o q era morte cerebral….

  • Luiz Fernando diz: 1 de maio de 2012

    Como podia se esperar, estava assistindo a corrida, tinha 9 anos, e qdo ele balançou a cabeça eu tive uma pontinha de esperança, mas ela se foi qdo vi ele sendo retirado de elicoptero. 18 anos com domingos tristes.

  • Newton Pereira diz: 1 de maio de 2012

    Estava assistindo a corrida, foi muito triste, mas achava que Ayrton poderia escapar.
    Nunca mais teremos outro Ayrton…
    É isso Gudério ele deixou o nosso domingo sem nada…sem bandeira, etc.
    Newton Pereira

  • adair diz: 1 de maio de 2012

    NO DIA PRIMEIRO DE MAIO DE 94,CUIDAVA DA MINHA FILHA COM QUATRO MESES NA ËPOCA,E OLHANDO A CORRIDA,PORQUE SOU FÃ DA FORMULA UM,MAIS AQUELA SAIDA FORTE DO SENA NAQUELA CURVA,EM NENHUM QUIZ ACREDITAR QUE O SENA VIRIA A FALECER,O MAIS TRISTE É A IMAGEM DO SENA UM DIA ANTES DA CORRIDA OLHANDO SEUS MECANICOS TRABALHANDO EM SEU CARRO,EO SENA PENSATIVO AO LADO,E DECLARANDO EM UMA ENTREVISTA QUE O CARRO NÃO ESTAVA LEGAU.ME DESCULPEM NOSSOS EROIS DO PASSADO FITIBALD E PIQUET,MAIS O AIRTON SENA DA SILVA É ESPECIAL.

  • juliano diz: 1 de maio de 2012

    Pois não é que também estava assistindo a corrida e vendo o Senna morrer! Acho que todo mundo também estava, né!

  • Heloísa Pires diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava acabando de enrolar nhoques e, ao mesmo tempo, apreciando a corrida. Já tinha aprontado a carne de panela no sábado à tarde, no intuito de bem aproveitar a manhã de domingo com a Fórmula-1. Pretendia deixar os nhoques reservados junto com a salada, para dar o acabamento final mais tarde, pois eu iria ainda, às pressas, visitar a minha tia safenada na UTI do hospital. Quê baque!…O dele e o meu. Então, esperei por notícias antes de sair. Não me lembro muito bem, mas acho que já passavam das onze da manhã quando me dirigi ao hospital, um tanto desnorteada pelo desfecho do acidente. Permitiram-me ver minha tia na UTI. Arrependi-me. Minha cara era de quem deveria de trocar de lugar com ela. Poderia ter ido mais tarde ou no dia seguinte. Ela estava tão bem, tão consciente, que se preocupou comigo para saber o que estava me acontecendo. Saí de lá sem comunicar-lhe o acidente. Retornei à minha casa, aos noticiários e aos nhoques. Esses,…ficaram como a minha cara! Ainda bem que se salvou a previdente carne de panela!

  • Saul Pranke diz: 1 de maio de 2012

    Em maio de 94, tinha 12 anos de idade. Eu morava em Marabá-PA, pois meu pai é militar e estava servindo lá, e na manhã estava jogando futebol perto de casa. Quando voltava do jogo, queria ver o final da corrida. Quase chegando em casa, já estava na minha rua, um vizinho passou por mim e perguntou: “viu o que aconteceu com o Senna?”. Eu só acreditei na notícia quando cheguei em casa e assisti aos fatos pela televisão.

  • Paulo Ricardo diz: 1 de maio de 2012

    neste dia estava assistindo a corrida, foi uma das histórias mais tristes que assisti ao vivo da minha vida, até hoje não acredito como pode ter acontecido tal tragédia.
    o mundo perdeu um dos maiores desportistas e pessoa do bem que o mundo já viu, não é atoa que teve a repercussão que teve na época e até hoje se fala no assunto.
    uma coisa é certa, somos insubstituíveis naquilo que fizemos.

  • Leonardo De Araujo diz: 1 de maio de 2012

    Eu, como a todas outras edições, estava na frente da TV assistindo e torcendo para o Ayrton. Nao perdia uma…
    Após este dia, a Formula 1 morreu como o nosso Senna…

  • EMERSON AVILA diz: 1 de maio de 2012

    Naquele domingo,eu estava na casa de meu sogro,não pude acompanhar a corrida des do inicio,quando consegui olhar a tv,bá…bem na hora do acidente,SENNA BATEU FORTE!!! essas palavras não me saem da cabeça e pude perceber pela cena do acidente,pelo carro,pelo sangue,que não veria mas nosso querido airton…que DEUS te guarde em paz,meu amigo,obrigado por tornar os melhores domingos da minha vida.

  • Diego Wendhausen Passos diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 10 anos, na época. A corrida, acompanhei em em minha casa, mas estava na casa de minha tia, quando foi divulgada a morte dele. Na época, ainda acreditava que ele estivesse vivo, e torci pela recuperação dele. Curiosamente, Nelson Piquet estava por aqui (Florianópolis-SC) quando foi noticiado o falecimento de Senna. Acompanhando um evento de kart, nos Ingleses, ele falou sobre o acidente. Foi uma comoção.

    Por causa do Senna, até hoje torço pela McLaren. Tenho simpatia por alguns pilotos, mas meus ídolos na Fórmula 1 são o Senna, o Piquet e o Emerson. Como acompanho a categoria desde 1993, Ayrton e o Ratzenberger foram os únicos que vi perderem a vida na competição.

  • andre ruszkowski borges diz: 1 de maio de 2012

    Eu so tinha 7 anos,mas me lembro como fosse hoje,acordei cedo,mas como eu era muito novo não tinha o costume de ver corridas,via algumas mas nem todas, mas era muito fã dele.Mas naquele dia eu vi ela,e quando deu o acidente o meu pai que estava vendo tambem a corrida teve a mesma reação de ti Daniel falou que ele tinha morrido.Eu estava na primeira serie,e me lembro de meu colegas de classe me perguntando por que eu chorava,tanto que naquela semana eu quase não fui a aula acompanhando o velorio eo funeral.Eu acompanhei ele muito pouco,gostaria de ter acompanhado mais,so que aquele 1ª de maio nos tirou ele.

  • Ademir Rodrigues diz: 1 de maio de 2012

    Eu também estava vendo a corrida junto com meu filho Lucas (na ocasião ele tinha 9 anos, mas já gostava dos autinhos). Confesso, que demorou para cair a ficha. Depois, à tarde, fomos ao futebol (tempos bons, em que o Grêmio ganhava e ganhava) para tentar esquecer, mas não dava, foi muito triste.

  • JV diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava assistindo a corrida e jamais imaginei que meu ídolo perderia a vida, pra mim o Senna era intocável, imbatível e imortal.

    Fatídico dia.

  • Carlos Eduardo diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 12 anos, estava assistindo a corrida como sempre fazia, como era criança não tinha tanta noção, claro tinha visto o ratzemberger morrer, vi a batida do rubinho mas afinal não era o senna então não dei bola, claro com todo respeito a essas pessoas até porque era uma criança e não tinha muita noção, lembro que quando o senna bateu eu parei de assistir a corrida e fui brincar porque a corrida sem ele não tinha graça, pensei comigo, é o senna ele bateu mas com certeza ta bem, ele é invencível, era o q eu pensava q ele não podia morrer era imortal, quando voltei de brincar percebi q era sério pelas notícias, vi a notícia da morte ao vivo, fiquei sem chão, demorou pra acreditar, acho que só acreditei quando vi o funeral na tv.

  • edson santos diz: 1 de maio de 2012

    eu estava assistindo em casa junto com meu irmão…assim q aconteceu a batida eu convidei meu irmão pra irmos numa oficina de amigos,ao chegar lá , já davam como certa a sua morte,foi uma tristeza q nunca tinha tido até aquele momento!!!
    Até hj eu tenho certeza q não houve culpados pelo acidente fatal…desde sexta-feira a morte já dava sinais q levaria alguém, no sábado levou ratzenberger e no domingo levou o Senna, mesmo q a corrida fosse interditada pela morte do Ratzenberger, acho q o Senna morreria em outro local, quando sua hora chegar,nada pode interferir!!!
    Ficaram anos procurando culpados,pra quê isso??? por dinheiro e por política é claro!!
    No dia 1º de maio de 1994 eu estava com apeninhas 19 aninhos buá buá buá
    e o tempo passou kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • George Zulu diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava pela 1° vez torcendo p/ o Senna, por detestar( até então ) o Shumi por ter aposentado meu idolo e campeão sempre com carros ruins ou com 2° pilotos de verdade( não G. Berguer da vida)… Mas ai deu o que deu, e até nisso o cara deu sorte, pq ia tomar um pau mas um pau duma benetton ridicula e ele com a nave na época williams, virou MITO. Ganhou o mesmo que Piquet… Só que esse falava e não babava ovo, não via Deus em curva… Nos deixou Galisteu… Baita cara!

  • Wagner diz: 1 de maio de 2012

    Eu estava saido pra acompanhar meu pai no campeonato de veteranos que ele jogava. Era difícil eu perder uma corrida dele, mas naquele find específico eu acabei não acompanhando tudo. Mais tarde…recebemos a notícia de que de que ele havia falecido. Sabe aquelas coisas que tu não acredita estar acontecendo? Acho que foi a primeira perda que senti na minha vida. Ainda não havia perdido parentes. Passou o dia todo e eu esperei ansioso que alguem dissesse que haviam se enganado…e que o nosso Ayrton sobreviveu. Sinceramente eu acreditava nisso. O maior ídolo do Brasil….não podia morrer daquele jeito!

  • Rudson Borges diz: 1 de maio de 2012

    Eu tinha 08 anos, mas jamais esquecerei do meu pai, parado, chorando, quieto… Morria ali o maior ídolo do esporte brasileiro. Nenhum outro chega perto, nem Pelé. O Senna foi único… Suas atitudes, suas frases, sua vida, sua visão de mundo, sua coragem, sua ousadia. Foi um grande piloto, um grande brasileiro e acima de tudo foi um grande homem. O mundo é mais triste desde aquele 1º de maio de 1994, que pra mim foi muito especial também pelo Tetra da Seleção de Futebol, como uma linda homenagem ao Grande Senna.

  • Rudson Borges diz: 1 de maio de 2012

    Continuando e retificando…

    Meses (dias) depois a Seleção Brasileira foi Tetra nos Estados Unidos… E a música que “embalou” a conquista foi o “Tema da Vitória”, imortalizada pelo Ayrton.

  • Lucio das Chagas diz: 2 de maio de 2012

    Tinha 23 anos no dia do acidente lembro que estava com meus amigos do bairro na sede do clube onde jogavamos pois teriamos uma partida de futebol às 11hs, quando vi o acidente levantei e sai triste pois no meu instinto vi que havia perdido dos meus ídolos Preferidos, depois deste momento trágico nunca mais quis saber de automobilismo. Tenho na mémória tãtãtãtãtãtã Airton Senna do Brasil

  • Mauro diz: 2 de maio de 2012

    Neste Domingo eu dormi até mais tarde ,tinha 22 anos na época, e minha mãe entrou no meu quarto, me acordou e me disse que o Senna tinha sofrido um acidente grave e que estava em coma. Eu achei que fosse uma brincadeira, eu poderia imaginar qualquer um menos o Senna. Ele era como um super herói pra todos nós. Porém o que mais me intriga, 18 anos depois, até hoje é qual foi a verdadeira causa do acidente. Senna era o melhor piloto de sua geração e talvez o melhor de todos os tempos e tinha um controle excepcional do carro. Revendo a acidente pela camera on bord do Senna quando ele esta fazendo a tamburello, da para notar tendo como referencia o bico da willians que o carro vira levemente para a esquerda na curva e depois ele da uma guinada violenta para a direita. É neste exato momento que algo ocorre e que levou ao acidente. Quebra da coluna de direção, quebra da suspenção, oleo na pista, pressão dos pneus mais baixa pela entrada do safity car o que levou em algum momento na interrupção do fluxo de ar por debaixo do carro, fazendo com que o carro perdesse totalmente a aderencia na pista? Piquet disse na época que algo havia quebrado no carro com certeza. Talvez nunca saberemos a verdade e isso agora pouco importa. O fato e que infelizmente ele se foi e nunca mais o veremos em ação novamente. Ele era fantástico. Tenho certeza que se aquele regulamento ridículo da f1 de 94 que proibia dentre outras coisas o controle de tração assim como uma série de componentes eletronicos sem levarem em consideração a segurança dos pilotos ele estaria conosco até hoje. Que Deus o tenha……

  • Conrado Zardo diz: 2 de maio de 2012

    Eu estava olhando a corrida com meu avô e vi tudo. Quando levaram o Ayrton de helicóptero o meu avô disse que ele havia morrido, mas que não divulgaram para poder terminar a corrida.

  • Alexandre diz: 2 de maio de 2012

    eu tinha 17 anos estava assistindo com o meu pai fez o mesmo que você, me disse “ele morreu….”
    eu disse “capaz meu.. ele até se mexeu..” e relutei como muitos a aceitar o que tinha acontecido, só caiu a ficha quando o cabrini anunciou a morte cerebral dele nakele planta inesquecivel com o Leo Batista.
    é difícil esquecer mesmo.

  • JOEL ANTONIO SALVADOR diz: 2 de maio de 2012

    Como eu fazia todos os domingos pela manha, eu estava assistindo a corrida, lembro bem quando Galvão Bueno disse: Senna bateu forte, e eu ali vendo, lembro bem que só falava, ele não sai do carro, ele não se meche, o resto é a história que todos nós sabemos, Valeu Ayrton, voce mora em nossos corações. tátátátátá…..

  • rodrigo diz: 2 de maio de 2012

    lembro me como se fosse ontem eu tinha onze anos e estava jogando bola no patio da casa de um amigo de repente a vó dele aparaceu gritando que o senna havia morrido aquela imagem ficara na minha memória para sempre, eu quase nao perdia uma corrida depois daquele dia perdi o gosto por formula 1 tomara que um dia algum brasileiro chegue perto do que o senna fez na F1

  • Matheus diz: 2 de maio de 2012

    Participava de um torneio de futsal promovido pela empresa que trabalhava na sede do SESC, enquanto a corrida era transmitida numa televisão estrategicamente colocada justamente para ver a corrida, guardo até hoje fotos daquele dia, pessoas atonitas, boquiabertas em frente a tv, algumas chorando, outras incredulas, era tanta a identidade do Senna com a torcida e com o povo em geral, que não conseguimos seguir com o torneio, nem mesmo o churrasco programado saiu, até hoje sinto o amargo daquele dia.

  • Robson diz: 2 de maio de 2012

    lembro como se fosse hoje,mesmo tendo apenas 8 anos…assim como o amor pelo inter,peguei a paixao pela F1 do meu pai…meu pai sempre acordava pra olhar e me chamava,e as vezes eu demorava um pouco para levantar…me lembro que quando levantei,cheguei na sala e ele tava mto estranho,parecia meio nervoso,tomava uma xicara de café…olhei pra tv,queria saber como tava a briga senna x schumacher…estranhei quando vi que o senna nem estava entre os 5 primeiros…perguntei pro meu pai e ele disse que ele tinha se acidentado e que parece que era serio…depois que foi confirmada a noticia,llembro que meu pai parecia nao acreditar,minha mae chorava…enfim,acho que nunca mais sentiremos isso por um desportista…

  • CARLOS HINTERHOLZ diz: 2 de maio de 2012

    Estava na casa da namorada assistindo a corrida, após o acidente quando o tiraram do carro minha sogra fez um breve comentário que ele já estava morto justamente pela posição dos pés durante o atendimento dos médicos, quase briguei com ela, pq achava que isto não aconteceria, não com ele. Senna representava manhãs de alegria para nós, tão pobres de conquistas na época, competitivo ao extremo, jamais se deixaria ultrapassar por pedido da equipe, quem tentasse teria que tirar no braço, após ele a F1 deixou de existir para mim, compará-lo com quem quer que seja chega ser uma heresia, basta ver contra quem ele pilotava e contra quem os “shumi” e barrichelos da vida competiam…

  • Diego diz: 3 de maio de 2012

    eu tinha apenas 7 anos na época, mas me lembro perfeitamente do acidente, estava na minha casa em frente a TV esperando para ver o SENNA ganhar mas uma prova, pois acreditava que ele vencia em minha homenagem (de uma certa forma era verdade ele vencia por ele e por todos nos que os admiravamos) lembro que repetir as mesmas palavras do galvão para meu pai que consertava o telhado, meu pai pulou do telhado na hora mesmo com as escada ao lado. ele me pegou e fomos para casa dos meus avos onde toda minha familia se encontrava na hora. depois disso me lembro só do anuncio da morte do nosso querido senna, lembro que meus pais meus tios choravam feito criança, mas eu não chorei na hora. não sei pq
    fui chorar quando sentei em frente a tv para assistir o GP de monaco prova seguinte do acidente, e perguntei para meus familiares pq senna não estava na pista justamente no GP de mônaco logo que ele venceria com toda certeza. coube a meu pai me explicar que senna tinha morrido, esse que foi o domingo mais triste da minha vida. fiz que com que meu pai tirasse tudo que eu tinha de senna do meu quarto quadros, fotos, posters, brinquedos pois só fazia chorar quando via tudo aquilo.
    SENNA VC É MEU HERÓI AGRADEÇO A DEUS POR TER VC COMO EXEMPLO!

  • Marcelo Vieira diz: 3 de maio de 2012

    Eu estava num churrasco na casa do meu sogro,louco pr ver a 1 vitoria do senna naquele ano,louco pr ele acertar bem a williams e dar um pau no schumi,mais foi um dos dias mais tristes q tive,foi como tivesse ido embora um membro da familia!!e a F1 nunca mais foi a mesma!!saudades de um Grande piloto q ficou na história do automobilismo!!

  • Neide diz: 6 de maio de 2012

    Eu morava em Portugal e estava assistindo a corrida, quando vi a batida. Como muitos, me era impossível acreditar na possibilidade de morte…Achava que ele ía pro hospital e depois de algumas corridas perdidas, voltaria. No dia seguinte, cheguei a receber condolências de alguns portugueses, também chocados com a notícia….Hoje até me esforço para ver a F1, mas pra quem via as corridas daquela época, ver as de hoje, não tem a mínima graça…

  • Paulo diz: 7 de maio de 2012

    Assistia todas as corridas na época, acordava durante a madrugada ou nem ia dormir, acordava cedo para assistir, hoje sei, não a F1, mas o Ayrton, mas justamente essa corrida não assisti, tinha trabalhado a noite e não acordei para ver. O domingo (apos o meio dia) continuava normal e fui almoçar na casa da minha namorada na época sem saber de nada, conversando sobre trabalho e outras coisas ninguém acho que sabia, ate meu cunhado chegar e falar (ele sabia que adorava F1) acabou a conversa e me fui para frente da tv pra saber notícias, pior que era verdade. Passei anos sem assistir F1, hoje assisto, mas não faço esforço para ver, assisto se estiver na frente da tv, senão não.
    A F1 nunca mais foi a mesma e até hoje sinto falta daquele tempo e do Senna, e como é que uma coisa pode marcar tanto em nossa mente que ate hoje lembro exatamente aquele domingo.

  • Paulo Paim diz: 8 de maio de 2012

    Eu tinha 14 anos de idade na época e estava assistindo a corrida junto com meu pai. Lembro que fiquei muito assustado com o acidente e de ter perguntado duas vezes: “ele não vai morrer, né pai???”. Porém, ele também sabia que o ídolo estava morto. De lá para cá continuei a acompanhar a Fórmula 1, mas não da mesma maneira que antes.

  • Fernando diz: 10 de maio de 2012

    Curioso como até hoje as pessoas se lembram – com detalhes – do que estavam fazendo naquela fatídica manhã de domingo.
    Eu tinha apenas 7 anos, mas assistia a corrida porque adorava F1, muito antes inclusive de acompanhar o futebol e o Grêmio.
    Na hora da batida, lembro que gritei para a minha mãe, que estava em outro cômodo da casa: “Ih, mãe, o Senna já bateu”. Falei aquilo com um ar de impaciência, pois aquela temporada começava terrível para o Ayrton (e ótima para Schumacher). Depois disso, não tenho muitas lembranças. Só lembro depois que, na hora do almoço, meu pai falou para mim que vida do Senna “estava como uma pontinha de uma agulha”. Na hora, não entendi direito, mas percebi que a situação era delicada.

    Nos anos seguintes, deixei de acompanhar F1 por falta de ânimo e de vitórias brasileiras. Só voltei a acompanhar, de fato, em 1998, no inesquecível GP da Bélgica. De lá para cá, só perco uma corrida quando é realmente inevitável. Mesmo nas madrugadas, me acordo ou durmo mais tarde pra ver. Tornei-me um aficcionado.

  • Sandro diz: 11 de maio de 2012

    Estava fazendo o sempre faço desde a metade da decada de 70 até hoje. Estava assistindo a mais uma corrida de F1. Como sempre fui mais Piquet que Senna já estava a chinga-lo pela terceira corrida seguida que ele não iria completar naquela temporada, no Brasil rodou na subida do Café e no Japão se envolveu num acidente na largada. Quando vi a seriedade do acidente fiquei muito impressionado e como todo e qualquer brasileiro na época, fiquei muito triste e emocionado com a sua morte.
    Não acho que a F1 perdeu graça com sua morte, acho que ela perdeu um piloto brilhante como em 82 perdeu o Villeneve, como na década de 70 perdemos Cevert, o Peterson e muitos outros. Fatalidades de um esporte de risco que soube se modernizar para evitar novas tragédias e a evoluir em segurança para revelar novos ídolos sem mata-los em novas tragédias.

  • Norberto Marcher-Mühle diz: 17 de maio de 2012

    estava assistindo a corrida, como fazia e continuo fazendo desde a época em que o emerson fittipaldi corria na f1.

Envie seu Comentário