Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Bicampeão, Hamilton diz que não quer usar número 1 em 2015. De saída, Alonso diz se inspirar em Massa

23 de novembro de 2014 8

ham_familia

O ano foi mágico para Lewis Hamilton. Com as 11 vitórias, o inglês superou Fernando Alonso e Nigel Mansell. Consolidou-se como o britânico com mais triunfos na história da Fórmula-1. E sacramentou a temporada de gala com o bicampeonato, igualando o compatriota mais campeão: Graham Hill (1962-1968).

Sonho de todo piloto, estampar o número 1 na lataria do carro em 2015 não é a pretensão de Hamilton. O inglês disse querer seguir com o 44, que considera o seu número de sorte por usá-lo desde os tempos de kart. A convicção é tanta que ele tatuou o 44 atrás da orelha direita. Pelo novo regulamento da F-1, o campeão não é obrigado a usar o 1, mas Sebastian Vettel, por exemplo, não abriu mão apesar de ter pré-escolhido o 5.

— O 44 sempre foi o meu número, foi que ele que venci minha primeira corrida e quero ver se a equipe deixa eu ficar com ele no carro no ano que vem — declarou Hamilton.

ham_chora

Sobre a conquista, o inglês disse que largou como um “foguete”, o que considerou decisivo para vencer. Lewis também elogiou o rival Nico Rosberg, a quem classificou de “fenomenal”. E agradeceu a cordialidade do alemão, que o cumprimentou antes do pódio, dizendo “tirar o chapéu” para o companheiro.

Depois de celebrar o título com zerinhos na pista, Hamilton recebeu os parabéns pelo rádio do príncipe Harry, que estava no circuito. Ao descer do carro e tremular a bandeira da Grã-Bretanha em pé, sobre o carro, o inglês correu para os braços da equipe e ganhou beijo da namorada, Nicole:

— Esse é o maior dia da minha vida. É a melhor sensação da história.

Rosberg promete aprender a lição

ham_ros

Um guerreiro gentleman. Assim é possível definir a postura de Nico Rosberg em Abu Dhabi. Mesmo com problemas mecânicos, o alemão lutou até o fim e não quis abandonar a prova. Antes do pódio, ainda fez questão de cumprimentar Lewis Hamilton pelo título. E destacou que fará o máxi vai melhorar mais nas corridas, em que teve desempenho inferior se comparado aos treinos.

— Havia a chance hoje, era uma ocasião especial, mas não deu certo. Mas, no final, minha corrida não fez a diferença. Lewis venceu. Não vou ficar lamentando meu problema. Ele mereceu vencer hoje e mereceu o campeonato.

Massa sonha com vitória em 2015

bottas_massa

Com um baita desempenho em Abu Dhabi, quando encostou em Hamilton e lutou pela vitória até a bandeirada, Felipe Massa fechou a temporada em alta. Lamentou não ter conseguido vencer, mas destacou a evolução da Williams. Para 2015, a meta é voltar a vencer:

— Foi um grande trabalho do time. Estou orgulhoso de ser parte desse time. É só o começo, podemos fazer muito muito mais que isso.

Bottas voando, Hamilton “lento”

As Williams foram os carros mais velozes do GP de Abu Dhabi. Valtteri Bottas foi quem atingiu a maior velocidade na corrida deste domingo, com 337,7 km/h, seguido de Felipe Massa (334,9 km/h). Curiosamente, o vencedor da prova, Lewis Hamilton, foi o segundo piloto mais lento, com 315,6 km/h, à frente apenas de Kimi Raikkonen (311,2 km/h).

Alonso quer ser Massa

alonso_abudhabi

Quem diria que, um ano depois de Felipe Massa sair da Ferrari, Fernando Alonso repetiria o ex-companheiro? Mas o espanhol foi além. Depois de se despedir do time italiano com um frustrante nono lugar rumo a McLaren — o próprio Rei Juan Carlos confirmou isso hoje, em Abu Dhabi—, Alonso afirmou que se espelha no brasileiro para voltar a brigar por vitórias na F-1:

— Acho que foi o mesmo para Felipe no ano passado, depois de muito tempo com a Ferrari. E agora está no segundo lugar do pódio. Então é isso que eu quero.

Button vai ou racha?

Terminado o GP de Abu Dhabi, Jenson Button deu zerinhos na pista, em tom de despedida. Mas perguntado se estava realmente se aposentando, o inglês não só negou como disse estar em condições de disputar vitórias. O quinto lugar na corrida final foi uma prova de que velocidade não falta:

— Uma corrida não deve definir a minha carreira ou mostrar se eu tenho futuro na F-1. Não estou tratando essa como a última corrida. Sempre vivo o momento, mas, para as pessoas ao meu redor, tem mais tempo para eles pensarem. Eu ainda não acabei!

Recordes sem fim

mercedes_campea

A Mercedes, que não era campeã desde Juan Manuel Fangio, na década de 1950, não só voltou a erguer taça como a quebrar recordes. Só neste ano, isolou-se como time com mais vitórias em uma temporada (16), mais dobradinhas (11) e mais pontos (701). Também alcançou a marca de mais poles em um campeonato: 18, empatando com a marca conquistada pela Red Bull em 2011.

Comentários (8)

  • Rogério Carvalho diz: 23 de novembro de 2014

    Torço para a Seleção Alemã de Futebol, Schumacher para mim é o melhor de todos os tempos tirando Fangio e sempre torci pelo Vettel. Esse ano não poderia deixar de torcer por Rosberg!
    Não deu, muito por ele não ter aproveitado os melhores momentos no primeiro semestre mas sua atitude madura de hoje mostra que ele é merecedor.
    Hamilton não teria essa atitude!

  • Humberto diz: 24 de novembro de 2014

    Leandro!

    A Williams perdeu o patrocínio da Martini? Estranhei a falta do vermelho nos carros e nos macacões do Massa e do Bottas!

    Abraço.

  • edson santos diz: 24 de novembro de 2014

    Esse ‘tal’ de Lewis Hamilton, é um piloto EXTRAORDINÁRIO, só não foi Tri, Tetra ou Penta porque é arrojado de mais da conta kkkkkkkkk, quando é pra correr pelo campeonato, ele quer vencer de qualquer maneira e isso lhe custou várias e várias vitórias que custaram muitos campeonatos.
    Enquanto alguns são arrojados demais, outros são terrivelmente de menos!!

  • Luiz Antonio De Almeida. diz: 24 de novembro de 2014

    Parabéns Lewis Hamilton,valeu tem de ser mesmo arrojadosssss. F1 isso !!!
    Agora vamos espera 2015. Quero ver os Felipes M/N Brasil neles.

  • Fabio diz: 25 de novembro de 2014

    Fazer mais pontos nesse campeonato em comparação com os outros é facil. Foram disputados uns 10.000. Cada vitória vale mais que o dobro dos outros anos, e a final vale 5x mais.
    Quanto ao título, mérito do piloto e da equipe. Não vejo outras encostando ano que vem.

  • Humberto diz: 25 de novembro de 2014

    Sempre um show de informação, Leandro!
    Obrigado!

Envie seu Comentário