Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Cada vez mais distante de Bottas, Massa cobra melhor trabalho da Williams nos boxes

27 de agosto de 2014 7
Foto Ben Stansall / AFP

Foto Ben Stansall / AFP

Com 70 pontos a menos do que o companheiro Valtteri Bottas e sem um pódio sequer na temporada, Felipe Massa fez críticas indiretas à Williams pelo seu mau desempenho obtido na Bélgica, em especial sobre o trabalho realizado nos boxes.

O motivo foi o pedaço de pneu que colou no assoalho do carro do brasileiro no GP da Bélgica e o deixou mais lento na pista. O fragmento só foi removido após duas paradas e foi apontado por Massa como responsável pelo fraco desempenho _ largou em 9º e chegou em 13º.

_ Na qualificação, não fizemos um trabalho perfeito nos procedimentos. Por isso é que estou trabalhando, mas fica muito difícil. Espero que isso não aconteça mais. [Precisa melhorar] Em muitas coisas, não apenas no incidente [em que fragmento colou na base].

Chefe de operações da Williams e ex-engenheiro de Felipe na Ferrari, Rob Smedley disse compreender o pedido de Massa, mas destacou que as equipes de boxe têm apresentado uma boa evolução nas últimas corridas.

Foto Joe Klamar / AFP

Foto Joe Klamar / AFP

O que sinto, no entanto, é um excesso de “chororô” de Massa. Óbvio que o “intruso” no assoalho o tirou velocidade, mas crucificar a equipe por algo que não foi culpa dela é ridículo. O brasileiro tem dado muitas desculpas pela sua temporada irregular.

Talvez o melhor, no momento, fosse ficar em silêncio, se concentrar e discutir internamente formas de evoluir. Se a coisa está feia, reclamar não adianta. Tem de reagir. E tem mais: uma crítica dessas pega mal internamente entre os funcionários do time, que já têm demonstrado uma preferência natural por Bottas, pela consistência e bom desempenho do finlandês.

Para fechar: alguém arrisca qual será a próxima desculpa para Monza?

Para leitores do blog, Rosberg bateu de propósito em Hamilton na Bélgica

26 de agosto de 2014 2

Ainda há muita divergência sobre o polêmico acidente entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton na segunda volta do GP da Bélgica, domingo passado. Para a maioria dos leitores do blog que participaram da enquete lançada ontem, no entanto, o alemão atingiu o britânico de propósito. Veja os resultados:

votacao_blog

 

Ascensão da Red Bull e triunfo de Ricciardo são destaque no TOP 5 da Bélgica

26 de agosto de 2014 0
Foto Tom Gandolfini / AFP

Foto Tom Gandolfini / AFP

A segunda vitória consecutiva de Daniel Ricciardo e a solução aerodinâmica no aerofólio que vitaminou a velocidade da Red Bull na Bélgica dominaram o nosso TOP 5.

Não conhece o TOP 5? Então, confira abaixo um resumo e o resultado, claro! A próxima votação será na Itália, no tradicional circuito de Monza, no dia 7 de setembro!

1. Piloto com melhor desempenho (Troféu “Esse é galo!”)
2. Piloto com pior desempenho (Troféu “Mas é um guri de apartamento!”)
3. Momento mais marcante (Troféu “Que barbaridade, tchê!”)
4. Momento mais frustrante (Troféu “Bah, essa é de cair os butiá do bolso!”)
5. Melhor ultrapassagem (Troféu “Maizá índio véio!”)

top5_belgica

Vídeo: Vettel dá primeira volta no circuito que sediará GP da Rússia em outubro

26 de agosto de 2014 1

Coube ao tetracampeão Sebastian Vettel, com um carro de rua da patrocinadora da Red Bull, a honra de ser o primeiro piloto da Fórmula-1 atual a guiar pelos 5,8 quilômetros do circuito de rua de Sochi, que receberá em 12 de outubro o GP da Rússia.

Com duas retas mais longas e 18 curvas, a maioria de baixa velocidade, a pista foi confirmada recentemente como sede da corrida. Havia risco de adiamento devido às obras no local, em meio ao parque olímpico que recebeu os Jogos de Inverno, no começo deste ano.

E aí, o que acharam do traçado? Eu gostei!

Hamilton acusa Rosberg de bater de propósito, rivalidade esquenta e Ricciardo sonha com o título

25 de agosto de 2014 8
Foto John Thys / AFP

Foto John Thys / AFP

“Só se fala noutra coisa”, diz o bem-humorado ditado. O acidente entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg na Bélgica esquentou a já fervente relação entre os dois pilotos, que disputam o título. A discussão pegou fogo depois que o britânico acusou o líder do campeonato de tê-lo atingido de propósito.

Hamilton jura que, na reunião do time após a corrida, Rosberg admitiu que poderia ter evitado a batida e assumiu a intenção de bater de forma proposital, em revide ao fato de o companheiro ter descumprido ordem da equipe para deixar o alemão passar no GP da Hungria.

— Acabamos de ter uma reunião sobre isso e ele basicamente disse que fez ide propósito. Ele (Rosberg) disse que poderia ter evitado, mas não queria. Ele basicamente disse: “Eu fiz isso para provar meu ponto de vista”. Não consigo imaginar o que a equipe fará agora.

Vaiado no pódio, Rosberg fugiu do assunto. Nesta segunda-feira, no tradicional vídeo pós-corrida que costuma postar, disse que tem uma versão diferente para o episódio, mas não deu detalhes:

— Ele (Hamilton) deu sua versão dos eventos e tudo que eu posso dizer é que a minha visão dos eventos é muito diferente, mas é melhor que eu não dê todos os detalhes da minha opinião e espero que vocês possam respeitar isso. Eu preferiria manter isso internamente.

Chefe da Mercedes, Toto Wolff culpou Rosberg pelo acidente e classificou a manobra como “inaceitável”, em especial por ter ocorrido no começo da corrida e depois de vários alertas para que os dois pilotos não prejudicassem o time no mundial de construtores:

— Você não deve tentar ultrapassar com a faca entre os dentes na volta de número dois e com risco de danificar os dois carros. Isso não deve e não vai acontecer de novo. Eu me sinto chateado porque definimos as regras todos juntos e nós quebramos hoje essas regras.

Wolff frisou, no entanto, que Rosberg não bateu deliberadamente no companheiro, apenas não se preocupou em evitar o toque:

— Foi Nico que atacou, e ele não devia ter feito isso. Olhando agora, se ele pudesse voltar no tempo, provavelmente não faria de novo do jeito que fez.

Sem intenção nem preocupação

Vi e revi várias vezes a cena do acidente. Para mim, Rosberg não atingiu Hamilton propositalmente, de ato pensado, como forma de tentar tirá-lo da corrida já que o havia ultrapassado na largada. Mas, ao recolher o carro, a sensação é de que não se mostrou preocupado caso houvesse um toque.

Quem joga futebol (pode ser pelada da firma, como eu faço nas segundas) sabe do tal “deixar a perna”. Você já foi driblado, não quer machucar, mas deixa a perna para que, de repente, o adversário tropece. Óbvio que é falta e a culpa é sua se isso acontecer. Mas se não, segue o jogo.

Hamilton, na minha concepção, foi vítima. O furo no pneu, no fim das contas, foi uma fatalidade. É claro que Rosberg não queria danificar o bico, mas assumiu o risco de isso ocorrer. Pareceu afobado, assim como quando tentou ultrapassar Sebastian Vettel e acabou superado por Valtteri Bottas.

O fato é que a relação dos dois é de inimigos. A Mercedes terá de tomar uma atitude, sob pena de ser vista como parcial. A dúvida é: depois de passar a mão na cabeça de Hamilton por descumprir ordens na Hungria, é justo crucificar Rosberg pelo episódio na Bélgica? A direção está perdida. Mas terá de agir logo para evitar uma rusga ainda mair e mais desgastante.

Enquanto isso, Ricciardo venceu mais uma. Está a 64 pontos, apenas, de Rosberg. E a última corrida vale 50 pontos, em Abu Dhabi. Sim, parece delírio. Mas se a picuinha seguir neste nível, o australiano corre pelas beiradas e já diz ser “possível” levar a taça e dar uma de Kimi Raikkonen em 2007. Já pensou?

Dê a sua opinião!

Ainda da Bélgica…

Investigado por ter fechado Fernando Alonso na alucinante disputa nas voltas finais pelo quinto lugar, Kevin Magnussen (McLaren) foi punido com a perda de 20 segundos por obstruir o espanhol. Com isso, o dinamarquês acabou em 12º, fora zona de pontuação. Nico Hulkenberg (Force India) herdou o 10º.