Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Estreia da proibição de ajuda via rádio para melhorar desempenho divide opiniões em Cingapura

20 de setembro de 2014 0
mercedes

Foto Mercedes / Divulgação

Insinuando que vêm dos boxes instruções decisivas sobre como guiar melhor, ganhar décimos de segundo valiosos e prevenir problemas mecânicos dos carros, a Fórmula-1 decidiu proibir a partir do GP de Cingapura, às 9h deste domingo, mensagens de rádio que possam influenciar no desempenho do piloto.

Ficam vetadas, por exemplo, conversas sobre o traçado feito, os pontos de frenagem, as marchas escolhidas e até mesmo saber como está a performance do rival. Cuidar do desgaste de pneus, por exemplo, será tarefa exclusiva do piloto, que não poderá receber auxílio nem dicas a partir do que for detectado pela telemetria.

Não bastasse o veto via rádio, as mensagens são proibidas até mesmo nas tradicionais placas mostradas pelo time quando os pilotos cruzam pela reta dos boxes. A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) justifica a decisão no regulamento técnico, no qual consta que “o piloto deverá conduzir seu carro sozinho e sem auxílios”.

— Acho que nenhum piloto deseja o rádio. Eles pilotam carros, deveriam saber o que é certo e o que é errado. Eles não precisam de alguém no pitwall dizendo o que devem fazer — diz o chefão da F-1, Bernie Ecclestone.

Foto Ben Stansall / AFP

Foto Ben Stansall / AFP

Para o brasileiro Felipe Massa, que foi ao pódio na Itália e tenta manter a boa fase, o piloto deve guiar por conta própria, mas a falta de informações técnicas, como o equilíbrio do freio, por exemplo, pode causar acidentes:

— Em algumas áreas, não há problema. A equipe não poderá dizer para poupar pneus em determinada curva para poder se igualar a seu companheiro. Mas pode acontecer de você esquentar demais os freios traseiros e acabar colocando fogo no carro.

Mas nem tudo está proibido. Pilotos e times poderão falar sobre questões como tempo de volta, escolha de pneus e estratégias de corridas. Preocupada com o risco à segurança, devido a possíveis problemas com o sistema de recuperação de energia e os novos motores V6 turbo, a FIA também definiu que questões técnicas do carro também podem ser discutidas via rádio, mas só até o fim do ano. Em 2015, o assunto também será vetado.

Assuntos proibidos

— Traçado dos pilotos no circuito
— Contato com as zebras
— Configuração de parâmetros para os carros em curvas específicas
— Comparativo ou tempo absoluto de setores de outros pilotos
— Velocidades nas curvas, comparadas a outros pilotos
— Seleção de marcha comparada a outros pilotos
— Seleção de marchas em geral
— Pontos de freada
— Intensidade da freada comparada a outro piloto
— Intensidade ou aplicação dos freios em geral
— Estabilidade do carro sob frenagem
— Aplicação do acelerador comparado a outro piloto
— Aplicação do acelerador em geral
— Uso da asa móvel comparado a outro piloto
— Uso do botão de ultrapassagem
— Técnica de pilotagem em geral

Polêmicas via rádio

Multi 21 — No GP da Malásia de 2013, Mark Webber liderava seguido de Sebastian Vettel quando a Red Bull passou a mensagem via rádio com o código cifrado “Multi 21″ (referência a quem deveria terminar na frente, no caso o número 2, Webber). Mas o alemão descumpriu a ordem, atacou o companheiro e venceu a corrida.

Hoje sim, hoje não  Rubens Barrichello largou na pole e liderava o GP da Áustria de 2002 quando recebeu mensagem pelo rádio para deixar Michael Schumacher vencer. A poucos metros da bandeirada, freou e cedeu a vitória. Narrador da TV Globo, Cléber Machado comemorou em tom provocativo, fazendo referência a ordens anteriores que haviam prejudicado o brasileiro, mas teve de engolir outra marmelada: “Hoje sim…Hoje não”.

Sei o que estou fazendo — Líder do GP de Abu Dhabi de 2012, Kimi Raikkonen recebeu mensagem da Lotus que passaria a ser atualizado sobre o ritmo de Fernando Alonso, que vinha em segundo. O finlandês, então, declarou: “deixe-me em paz, eu sei o que estou fazendo”. Mais tarde, foi orientado a aquecer os pneus por estar atrás do safety car e reagiu: “Estou fazendo isso o tempo todo. Você não tem que me lembrar a cada segundo”.

FIA confirma calendário com 20 corridas, volta do México e Brasil como penúltima prova em 2015

19 de setembro de 2014 0

mexico_2

Com 20 corridas, o que só  havia ocorrido uma vez na história da Fórmula-1, em 2012, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) confirmou o calendário oficial da categoria para 2015. A temporada começará em 15 de março, na Austrália, e terminará em Abu Dhabi, no dia 29 de novembro.

A principal novidade na lista aprovada pelo Conselho Mundial de Esporte a Motor é a volta do GP do México, que desde 1992 não estava no calendário. A etapa no autódromo Hermanos Rodríguez, que passará por uma grande reforma, será disputada em 1º de novembro.

Outra vez, o Brasil sediará a penúltima prova da temporada, no circuito de Interlagos. A corrida ocorrerá no feriado de 15 de novembro. Com Canadá e Estados Unidos também confirmados no calendário, a categoria terá quatro corridas disputadas na América no ano que vem.

Em relação ao calendário prévio divulgado pela FIA, as únicas mudança foram a inversão da ordem dos GPs dos Estados Unidos e do México e a definição das datas das corridas no Japão e em Abu Dhabi.

Calendário oficial para 2015

15 de março — Austrália (Melbourne)

29 de março — Malásia (Sepang)

5 de abril — Bahrein (Sakhir)

19 de abril — China (Xangai)

10 de maio — Espanha (Barcelona)

24 de maio — Mônaco (Monte Carlo)

7 de junho — Canadá (Montreal)

21 de junho — Áustria (Spielberg)

5 de julho — Inglaterra (Silverstone)

19 de julho — Alemanha (Nurburgring)

26 de julho — Hungria (Budapeste)

23 de agosto — Bélgica (Spa-Francorchamps)

6 de setembro — Itália (Monza)

20 de setembro — Cingapura (Cingapura)

27 de setembro — Japão (Suzuka)

11 de outubro — Rússia (Sochi)

25 de outubro — Estados Unidos (Austin)

1º de novembro — México (Hermanos Rodríguez)

15 de novembro — Brasil (Interlagos)

29 de novembro — Abu Dhabi (Yas Marina)

Com Ferrari e Red Bull na cola, Hamilton lidera treinos e Rosberg joga espelho fora em Cingapura

19 de setembro de 2014 0

hamilton_cingapura

Na úmida e “gastadora” de pneus Cingapura, a vantagem da Mercedes diminuiu para as rivais Ferrari e Red Bull. Foi o que apontaram os dois primeiros treinos livres, disputados nesta sexta-feira. No primeiro, Fernando Alonso terminou à frente. No segundo, Lewis Hamilton botou ordem na casa, mas apenas 0.133s à frente do espanhol.

Daniel Ricciardo (terceiro), Kimi Raikkonen (quarto) e Sebastian Vettel (quinto) foram os mais rápidos do dia. O bom desempenho de Ferrari e Red Bull já era esperado, visto que Marina Bay é um circuito de rua com muitas curvas e onde a aerodinâmica pesa mais do que a velocidade em reta garantida pelo motor Mercedes.

alonso_cingapura

Depois de subir no pódio em Monza, Felipe Massa foi apenas o 17º com a Williams. O companheiro dele, Valtteri Bottas, foi o 18º. O brasileiro resumiu o dia como “muito difícil” e ressaltou que o carro não se adaptou a um circuito menos veloz:

— Foi um dia muito difícil para nós hoje. Nós brigamos muito para tentar encontrar um acerto adequado para o carro e precisamos resolver isso essa noite, porque senão será um fim de semana bem complicado para nós.

rosberg_espelho_twitter

No duelo pelo título, Lewis Hamilton superou Nico Rosberg na primeira batalha. O britânico marcou o melhor tempo na sexta-feira pela 11ª vez em 14 sessões neste ano. Já o alemão, que lidera o campeonato, obteve apenas o 13º lugar e ainda protagonizou uma cena inusitada: após o espelho do carro começar a se soltar, arrancou-o e jogou na pista.

Neste sábado, às 7h, está marcada a terceira sessão de treinos livres. A classificação que definirá as posições de largada está marcada para as 10h (SporTV). A Globo só transmite a partir das 10h30min. Com expectativa de chuva, desgaste expressivo de pneus e quase duas horas de duração, a corrida será às 9h de domingo.

Resultado da 1ª sessão de treinos livres

1 — Fernando Alonso (Ferrari) 1:49.056 (16 voltas)
1 — Lewis Hamilton (Mercedes) 1:49.178 (23)
2 — Nico Rosberg (Mercedes) 1:49.205 (24)
3 — Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) 1:49.874 (27)
4 — Daniel Ricciardo (Red Bull-Renault) 1:50.122 (21)
5 — Jean-Eric Vergne (Toro Rosso-Renault) 1:50.539 (11)
6 — Kimi Raikkonen (Ferrari) 1:50.783 (19)
7 — Jenson Button (McLaren-Mercedes) 1:50.922 (21)
8 — Daniil Kvyat (Toro Rosso-Renault) 1:50.990 (26)
9 — Sergio Pérez (Force India-Mercedes) 1:51.131 (23)
10 — Kevin Magnussen (McLaren-Mercedes) 1:51.217 (24)
11 — Nico Hülkenberg (Force India-Mercedes) 1:51.604 (23)
12 — Felipe Massa (Williams-Mercedes) 1:51.953 (20)
13 — Pastor Maldonado (Lotus-Renault) 1:52.125 (25)
14 — Valtteri Bottas (Williams-Mercedes) 1:52.146 (19)
15 — Esteban Gutiérrez (Sauber-Ferrari) 1:52.171 (15)
16 — Adrian Sutil (Sauber-Ferrari) 1:52.237 (22)
17 — Romain Grosjean (Lotus-Renault) 1:52.906 (26)
18 — Jules Bianchi (Marussia-Ferrari) 1:54.113 (15)
19 — Marcus Ericsson (Caterham-Renault) 1:54.475 (26)
21 — Kamui Kobayashi (Caterham-Renault) 1:54.607 (21)
22 — Max Chilton (Marussia-Ferrari) 1:55.170 (17)

Resultado da 2ª sessão de treinos livres

1 — Lewis Hamilton (Mercedes) 1:47.490 (25 voltas)
1 — Fernando Alonso (Ferrari) 1:47.623 (28)
2 — Daniel Ricciardo (Red Bull-Renault) 1:47.790 (28)
3 — Kimi Raikkonen (Ferrari) 1:48.031 (29)
4 — Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) 1:48.041 (5)
5 — Kevin Magnussen (McLaren-Mercedes) 1:48.358 (33)
6 — Jenson Button (McLaren-Mercedes) 1:48.435 (30)
7 — Sergio Pérez (Force India-Mercedes) 1:48.653 (30)
8 — Nico Hülkenberg (Force India-Mercedes) 1:48.751 (31)
9 — Daniil Kvyat (Toro Rosso-Renault) 1:48.770 (31)
10 — Jean-Eric Vergne (Toro Rosso-Renault) 1:48.800 (33)
11 — Romain Grosjean (Lotus-Renault) 1:49.062 (33)
12 — Nico Rosberg (Mercedes) 1:49.075 (30)
13 — Pastor Maldonado (Lotus-Renault) 1:49.139 (13)
14 — Adrian Sutil (Sauber-Ferrari) 1:49.170 (34)
15 — Esteban Gutiérrez (Sauber-Ferrari) 1:49.290 (37)
16 — Felipe Massa (Williams-Mercedes) 1:49.361 (29)
17 — Valtteri Bottas (Williams-Mercedes) 1:49.971 (28)
18 — Jules Bianchi (Marussia-Ferrari) 1:50.612 (24)
19 — Max Chilton (Marussia-Ferrari) 1:51.558 (21)
21 — Kamui Kobayashi (Caterham-Renault) 1:52.075 (33)
22 — Marcus Ericsson (Caterham-Renault) 1:52.936 (31)

Confiante, Massa sonha com pódio em Cingapura e vê Williams capaz de bater Red Bull no campeonato

18 de setembro de 2014 1
Foto Olivier Morin / AFP

Foto Olivier Morin / AFP

Empolgado com o pódio em Monza, Felipe Massa está nitidamente mais confiante para o restante da temporada. A animação é tanta que o brasileiro acredita que a Williams é capaz até de ultrapassar a Red Bull e conquistar um surpreendente segundo lugar do mundial de construtores.

Hoje, a Williams está 95 pontos atrás da Red Bull e apenas 15 à frente da Ferrari. Para reduzir essa diferença, convenhamos, será preciso uma sequência de bons resultados, incluindo pódios e, quem sabe, uma vitória. Mas chamo a atenção para o que esse discurso de Felipe representa: confiança.

— Tudo pode mudar muito rapidamente na F1 a cada duas ou três corridas. A situação é diferente. Talvez tenhamos a chance de lutar pelo segundo lugar. Acredito que o trabalho que estamos fazendo neste ano está muito bom — afirmou o piloto.

O pódio conquistado em Monza foi redentor para ele. Tirou boa parte do peso das costas por melhores resultados. E um piloto confiante rende, naturalmente, mais. Fora isso, a empolgação de Massa é um claro sinal de que a Williams está em franca evolução e pode ir ainda mais longe, o que é promissor.

Também não deixa, no fundo, de ser uma alfinetada à Ferrari, que o dispensou no ano passado. Pelos resultados recentes do time italiano, que já pensa em 2015, a Williams faz certo ao mirar o segundo lugar. Só que em Cingapura, tudo indica, o time austríaco será forte no circuito de rua, como tradicionalmente é.

ricciardo_alemanha

O clima é quente e a umidade costuma variar entre 75% e 90%. Não é à toa que a prova é disputada à noite, para amenizar o efeito do calor. Soma-se a isso um traçado misto, em que a velocidade de reta (diferencial de quem usa motor Mercedes) não é tão decisiva no resultado. Logo, a Red Bull tem tudo para abocanhar vitória ou pódio.

— Cingapura será uma corrida mais difícil, é uma pista muito diferente. Não é o melhor caminho para nós. Mas realmente espero que possamos lutar e ser competitivos, para tentar alcançar o pódio.

E, vale lembrar, o retrospecto de Massa não é tão animador em Cingapura. O melhor que conseguiu foi um sexto lugar no ano passado. Isso sem contar o ingrediente psicológico da pista. Foi lá que, em 2008, o brasileiro sofreu um duro revés nos boxes, após a marmelada da Renault, com Nelsinho Piquet batendo de propósito para favorecer Alonso.

O resultado foi que Felipe antecipou a parada e, após uma falha no sistema de luzes que libera o piloto da parada (veja abaixo, em 1:31), o então piloto da Ferrari saiu dos boxes arrastando a mangueira de abastecimento. Perdeu tempo, posições e, no fim do ano, o título escapou para Lewis Hamilton por um mísero ponto.


Mas é com confiança e a mesma tranquilidade demonstrada em Monza que Felipe pretende contrariar o “favorecimento” à Red Bull, pelas circunstâncias da pista, e o histórico pessoal desfavorável. O momento dele é tão bom quanto o da Williams, que vê a primeira vitória mais perto. Talvez não seja agora, mas o ranço do azar, aos poucos, começa a se dissipar.

O horário dos treinos e da corrida em Cingapura

17 de setembro de 2014 0

mapa_cingapura

Será que Red Bull, Williams e Ferrari conseguirão reduzir a vantagem da Mercedes à noite, no belo circuito de rua de Cingapura?

Confira os horários para acompanhar as emoções de mais um GP!

Sexta-feira

1º treino livre — 7h

2º treino livre — 10h30min

Sábado

3º treino livre — 7h

Treino classificatório — 10h

Domingo

Corrida — 9h, com 61 voltas

E um lembrete: a crônica completa do treino classificatório e da corrida, com os detalhes e o resultado completo, você confere aqui no blog!