Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Refluxo: Vomitar é normal?

07 de julho de 2015 0

Por Elisandra Borba

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Sempre ouvi que criança vomita mesmo e que é normal. Quando a minha filha vomitava, sempre tinha alguém para dizer que tudo bem, pois criança vomita. O problema é que ela chorava também. E bebês choram mesmo, dizem os mais “experientes”. E chorava enquanto mamava. E se contorcia enquanto mamava. Meu coração de mãe, mesmo sendo de primeira viagem, sabia que não era normal. Como pode um bebê vomitar todas as vezes que mama e chorar enquanto se alimenta?

Mas e agora? Vomitar é normal?

O Dr. José Vicente Spolidoro, gastroenterologista e especialista em gastropediatra, do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, explica que sim. Bebês podem vomitar. É fisiológico. Desde que não esteja interferindo no bem-estar dele. Segundo o médico, 60% dos bebês até quatro meses de vida vomitam ou regurgitam. E não deve haver nenhuma interferência medicamentosa nos casos em que não há prejuízo ao bebê. O que deve ser observado é se o refluxo causa dor ou prejudica o ganho de peso. Por isso a importância do acompanhamento mensal com pediatra. Segundo Spolidoro, a maioria dos bebês que vomita é “feliz”. O importante é ficar atento aos sinais. Choro em demasia, arquear as costas, jogar a cabeça para trás, empurrar com as perninhas. Tudo isso pode ser sinal de dor. O segundo passo é identificar de onde é a dor, se cólicas, refluxo ou alguma outra.

Doença do Refluxo gastroesofágico

O refluxo acontece quando uma válvula localizada na entrada do estômago não fecha depois da criança se alimentar e o alimento volta. Em alguns casos pode evoluir para esofagites (inflamação produzida pelo ácido do estômago), se não tratado de forma correta. O pediatra e o gastroenterologista são os médicos que vão auxiliar neste momento. Regurgitações, vômitos, irritabilidade, distúrbios do sono, recusa alimentar, perda ou ganho insuficiente de peso, comportamento de ruminação, queimação ou dor no peito, chiado, tosse, rouquidão, apneias são alguns dos sintomas. A maioria dos bebês melhora quando começa a introdução alimentar.

Refluxo e APLV

De acordo com o médico gastroenterologista José Vicente Spolidoro, 40% dos casos de refluxo são relacionados com alergia ao leite de vaca (APLV). A alergia desenvolve alterações no trato digestivo, com redução do esvaziamento do estômago, promovendo o refluxo. Muitos sintomas do refluxo e APLV são semelhantes, por isso nem sempre é fácil identificar. Nesses casos, basta uma dieta alimentar para se livrar do problema. Para bebês amamentados exclusivamente no peito, as mães fazem a dieta eliminando totalmente a proteína do leite de vaca da alimentação. Para alimentados através de fórmulas infantis, o mercado disponibiliza produtos livres da proteína. A indicação é testar, por pelo menos duas semanas, a dieta de exclusão para avaliar se o refluxo está sendo causado pela alergia.

Com quase dez meses, a Sara ainda sofre com o refluxo. Está reduzindo gradativamente a quantidade de remédios. Se me perguntarem o que aprendi de mais importante na maternidade, respondo que foi acreditar na intuição de mãe. Nessas horas devemos acreditar no que sentimos e procurar ajuda de especialista para resolver, em vez de aceitar que tudo é normal.

Envie seu Comentário