Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Como estimular os bebês: atividades desde recém-nascido até um ano

05 de agosto de 2015 0

Por Elisandra Borba

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Atividades e brincadeiras para estimular os bebês são fundamentais. Eu tive muitas dúvidas sobre o assunto e me vi dando Google várias vezes para saber se estava fazendo isso certo. Por isso, resolvi bater um papo sobre o assunto com a Coordenadora Pedagógica da Escola Infantil Turma do Giz de Cera, Adriane Jorge Ferreira. Ela nos fala da importância destes estímulos e nos dá dicas de como trabalhar em casa essas questões com nossos pequenos.

Adriane: Os pais e os profissionais de educação exercem uma influência ímpar no desenvolvimento da criança. A estimulação nesta fase é feita basicamente com brincadeiras e faz com que a criança aprenda melhor sobre si, o mundo em que a cerca, o espaço em que ela vive, seja na escola ou em casa. Reconhece os seus brinquedos, reconhece diferentes espaços e age conforme suas experiências neste espaço. Este grupo de atividades tonifica os músculos, ajuda o desenvolvimento psicoafetivos social do bebê e sua família.

A educação motora, além de contribuir para o desenvolvimento físico da criança é extraordinário para o equilíbrio, ajuda o desenvolvimento do cérebro e é indispensável para a organização e reorganização do sistema nervoso. Através das brincadeiras, o desenvolvimento se dá de forma descontraída, segura e agradável. Estes estímulos fazem com que o bebê diferencie o que gosta do que não gosta. A estimulação juntamente com o afeto, carinho, paciência, respeito e principalmente limites, faz com que ele cresça seguro, equilibrado, entenda regras, antecipe suas ações e entenda limites.

Percebendo a criança como um ser em formação desde recém-nascido, vemos a estimulação como algo indispensável para o desenvolvimento através de carinho e espontaneidade, dando liberdade, ensinando a brincar, a transpor obstáculos, a vencer seus medos… através destas pequenas ações do cotidiano, estimulamos a criança a ser independente e autônoma, explorar o espaço, ser curioso, aproveitando todos os momentos da rotina com estímulos adequados. Prepara a criança para reconhecer seu próprio corpo, a conhecer seus limites e superá-los. Assim a criança torna-se crítica e independente.

Aprenda a estimular seu filho:

Primeira fase – 0 a 3 meses: esta fase é uma das mais importantes, pois é a partir deste contato com os pais que a criança amadurece o seu lado socioafetivo. Nesta fase o mais importante é o contato como pai e a mãe. No primeiro mês não chamaria de brincadeira e sim de afago. O bebê precisa de contato, carinho, conversa na hora do banho. Isso faz com que ele conheça e reconheça seus pais. Pode conversar quando toma banho e troca a fralda. Diga, por exemplo: “vamos lavar a mão”, “olha o pezinho”, “vamos trocar a roupa”, “tomar banho”… avisar o que está fazendo para a criança ir se familiarizando com a voz das pessoas que a ceram.

Este período da vida do recém-nascido é ritmado pelo sono e pela alimentação e devemos respeitar este ritmo. Nestes primeiros meses, a criança tem o corpo mais rígido e são necessários estímulos para que ele fique relaxado. As mãos dos pais são extremamente tranquilizantes. Com a estimulação feita como massagem, a criança dorme melhor e chora menos. Cantar para o bebê dormir, passar a mão no bebê, movimentos calmos e tranquilos.

Exemplos de atividades para a fase:

-Virar e revirar (com movimentos delicados) a criança todas as vezes que trocá-la.

-Deitar o bebê de costas no chão, para obter a abertura dos braços e ombros, dobrar as pernas, esticar com gestos suaves, virar de bruços, conversar com o neném. Fazê-lo tentar segurar a cabeça. Nos jogos de rolar, ajudar a criança a liberar os braços e sustentar a bacia. São movimentos importantes para a próxima fase.

-Chocalhos, móbiles coloridos, brinquedos com textura e som diferentes ajudam a estimular a audição e curiosidade nesta fase.

Segunda fase – 3 a 6 meses: as relações com o mundo exterior são mais fortes. o bebê já senta-se com apoio, vira a cabeça quando ouve um barulho, tenta equilibrar-se, orienta-se no espaço. Neste período o bebê começa entender o corpo como sendo seu, por isso ele brinca com o mesmo.

Exemplos de atividades para a fase:

-Deixar a criança brincar na banheira, continuar conversando sobre o corpo, “vamos lavar a mão”, “o pé”….. na troca de fraldas a mesma coisa. A criança deve ficar no chão para poder se movimentar e experimentar novas posições. Virar a criança de costas e conversar com ela para que vire-se.

-Deitar a criança no chão, proporcionar o movimento de empurrar e encolher as pernas, segurar a mão para que ela tente se levantar. Ainda no chão, colocar a criança deitada sobre de um rolo – pode ser qualquer tipo, inclusive espaguetes de piscina -, e deixar a criança brincar. A atividade tonifica os músculos para a fase do engatinhar.

-Brinquedos que estimulem a curiosidade, brinquedos com barulho.

Adriane com a filha Rafa na festa de um aninho

Adriane com a filha Rafa na festa de um aninho

Terceira fase – 6 a 12 meses: esta é a fase em que a criança encontra sua independência motora. Tem vontade de pegar tudo, já pega os brinquedos, sobe e desce, grita, canta. É neste período que a criança toma consciência de si e dos outros. A mãe deixa de fazer parte do bebê. Neste momento é muito importante o carinho e a compreensão de quem esta na volta da criança, pois é neste momento que a criança mexe em tudo. Neste período é importante proporcionar atividades lúdicas e sonoras.

Exemplos de atividades para a fase:

-Empilhar potes de tamanhos diferentes, cubos, brincar com bolas coloridas, jogar a bola no cesto, areia, baldes, passar por dento do bambolê, por baixo da cadeira, brincar em baixo da mesa. O espaço deve proporcionar o movimento.

-Deixar a criança livre em um espaço seguro para que assim possa se aventurar e se sujar. Brincar de empurrar e puxar as coisas, contar historias, brincar com fantoches, com livros coloridos, cantar, brincar de roda, jogos de imitar – a mãe faz o gesto e a criança repete (estas atividades estimulam a aquisição da fala). A criança começa ter autonomia em ficar como ela gosta, onde ela gosta, sair de um lugar para outro, brincar de subir de descer do berço, do sofá, da cama. Este tipo de atividade motora é bastante divertida para as crianças. Estas brincadeiras fortalecem os músculos, para que nos próximos meses a criança comece a caminhar.

Envie seu Comentário