Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Qual a diferença entre fórmula infantil e composto lácteo?

02 de outubro de 2015 0

Por Elisandra Borba

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

–Antes de qualquer coisa, quero destacar que nós do Blog Fralda Cheia apoiamos demais a amamentação, mas sabemos que por diversos motivos muitas mães não amamentam. Não se trata de apoiar ou não a inclusão de produtos industrializados na alimentação dos pequenos, mas sim prestar um esclarecimento para quem precisar de ajuda com o assunto. –

Existem várias marcas e tipos de fórmulas e compostos que dão um nó na cabeça das mães. Composto lácteo  fórmula infantil, leite… Qual será o mais indicado para cada criança? A Médica Pediatra da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, Lucia Diehl, explica que isso depende da fase e das características de cada criança. O mais importante, destaca a profissional, é jamais dar leite de vaca para crianças antes dos cinco anos de idade. O leite de vaca é pobre em ferro, o que causa anemia e rico em gordura, que provoca a obesidade infantil. 40% dos bebês brasileiros são anêmicos, segundo Lucia, devido a ingestão de leite de vaca em vez de fórmulas infantis. Além disso contribui para o desenvolvimento da alergia ao leite de vaca (APLV). A orientação é que o aleitamento seja exclusivo até os seis meses de idade. A partir daí é feita a introdução alimentar.

Fórmulas infantis

As fórmulas infantis são as mais indicadas no primeiro ano de vida. Elas imitam a composição do leite materno e seguem regras do Codex Alimentarius, que é um programa conjunto da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação e Organização Mundial de Saúde. Foi criado em 1963 para desenvolver padrões, manuais e normas alimentares internacionais para proteger a saúde dos consumidores e garantir práticas leais de comércio de alimentos. O Codex estabelece os requisitos mínimos de identidade, composição, qualidade e segurança que devem obedecer às fórmulas infantis para lactentes e as fórmulas infantis de seguimento para lactentes e
crianças de primeira infância.

As fórmulas infantis são baseadas nos macro e micronutrientes que compõem o leite materno. A partir daí, o pediatra indica a marca que contenha as características que cada bebê necessita. Para os tem problemas gastrointestinais – dor de barriga, diarreia - são indicadas as fórmulas ricas em prebióticos. Quando o cuidado maior é para o desenvolvimento cognitivo e acuidade visual, o valor maior deve ser para ARA-DHA. Também há fórmula que oferece o produto rico em proteína. Também é levado em conta na hora da escolha a alimentação da criança e se ainda é amamentada.

Composto lácteo

Após um ano, as necessidades mudam e as crianças precisam introduzir outras vitaminas e sais minerais no organismo. Os compostos lácteos são desenvolvidos a partir dos micro e macronutrientes necessários para a nova fase. Eles contém suplementos alimentares adequados para a idade. Estes compostos também são escolhidos de acordo com cada caso, levando em conta fator econômico, aceitação e características. A pediatra assegura que as marcas mais conhecidas no mercado e que informam na embalagem conter DHA e prebióticos estão de acordo com as necessidades das crianças e são confiáveis. As fórmulas mais baratas e não tão ricas em nutrientes acabam sendo indicadas quando a família não tem uma boa condição econômica, pois mesmo sem ser a mais indicada, não traz tantos malefícios quando o leite de vaca.

Posso trocar de fórmula ou composto por conta própria?

Não é indicado, pois o pediatra que acompanha seu filho é a pessoa mais qualificada para traduzir todos e benefícios e necessidades de cada produto. O ideal é conversar com ele antes da troca para receber as devidas orientações e tirar as dúvidas.

Envie seu Comentário