Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

10 temas para tratar na consulta com o pediatra ainda no pré-natal

05 de janeiro de 2016 0
Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS.

Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS.

Por Giane Guerra

O pediatra não deve entrar em cena só depois do nascimento. Uma consulta básica com este médico pode ser feita ainda no pré-natal.

- Tenho pacientes que atendo desde a barriga da mãe até o fim da faculdade. São mais de 20 anos acompanhando a vida da pessoa. – conta o pediatra José Paulo Ferreira, da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul.

Aproveite essa consulta para ver se você fecha com o profissional. E vice-versa. Confira algumas dicas:

1 - Aborde temas polêmicos. Divergências podem ocorrer entre pais e pediatra, mas é preciso que possam ser discutidas numa boa. Ambos os lados devem estar abertos até a uma mudança de opinião.

2 – Fale sobre alimentação. Parece algo óbvio. Criança tem que comer alimentos saudáveis. Mas tem bastante polêmica escondida aí. Do suco ao Danoninho, passando pelo Miojo e até a ordem de introdução de frutas. As opiniões podem ser bem diferentes.

3 – Qual a posição sobre amamentação? Defende a livre demanda ou vai indicar regramento de horários? Em que situações sugere complementação com leite artificial?

4 – Até mesmo o parto deve ser discutido. Minha pediatra me ganhou na consulta de pré-natal quando defendeu os benefícios do trabalho de parto.

5 – Converse sobre acessibilidade. Costuma ter bastante horário de consultório? Atende em hospital? Consegue encaixes com frequência? Libera o celular? Usa Whatsapp?

6 – Outra polêmica recente: é contra ou a favor da vacinação. Melhor saber antes porque as orientações do profissional são importantes por um bom tempo.

7 – Pergunte bastante. Veja se a disposição para responder aos questionamentos fecha com a sua necessidade. Eu sou curiosa e gosto de entender tudo que posso. Pergunto bastante e fico ouvindo a explicação por horas, se preciso. Fora que já vou “pesquisada” para a consulta para poder perguntar mais e melhor.

8 – Leve o pai junto sempre que possível. Meu marido vai em todas as consultas. A decisão também deve ser dele para não haver cobrança depois. É um engajamento saudável.

9 – É um pouco difícil de prever, mas tente entender se o pediatra investe em medicina preventiva. E se essa é a sua linha também.

10 – Empatia! Assim como você pode não gostar do pediatra, o profissional pode também não gostar de você. Isso é normal, deve ser respeitado pelos dois e é importante identificar logo. A relação não será boa se for forçada. Acho até que é preciso ter carinho envolvido.

Leia mais:

Cresce venda de roupa com proteção solar. Saiba como funciona e como comprar.

Como reforçar a imunidade das crianças

Envie seu Comentário